História Seu oposto - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Inojin Yamanaka, Naruto Uzumaki, Sarada Uchiha
Visualizações 39
Palavras 3.408
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, trazendo uma segunda OneShot,
não esperem muita coisa, é minha segunda Oneshot e não sei se estou desenvolvendo bem...
enfim, espero que gostem.

Boa leitura

<3

Capítulo 1 - Capítulo Único


Sarada nunca pensou que se encontraria numa situação como aquela, sabia que havia começado no primeiro dia de aula do sétimo ano, a partir dai passou a perder o sono à noite, havia quase um ano que isso acontecia. Antes de adormecer, já pela madrugada, passava horas em daydream, sonhava com o loiro que a fazia perder o sono, imaginava vários cenários onde interagiam, corava ao imaginar a gentileza dele consigo, queria lhe afagar o cabelo, sentir o calor da mão dele sobre a dela e seus sorrisos eram apenas dela.

Era um amor inocente.

Acordou em seu quarto, estava tudo um borrão branco, devido à falta dos óculos, tateou o criado mudo até que o encontrou e o pôs no rosto, o quarto ganhou forma. Encarou o teto pensando no cabelo loiro, nos olhos azuis, como será que estaria vestido hoje? Continuou um pouco mais em seu daydream até criar coragem e se levantar.

Sarada ainda tinha seus 13 anos, logo completaria 14 anos, não havia mudado nada em seu rosto de menina, ainda muito parecida com o de seu pai. Era um pouco mais alta que as crianças da sua idade, ainda não havia curvas que revelasse o corpo feminino.

Tinha plena confiança em si em relação a muitas coisas, mas travava uma batalha interna e bastante pessoal, começara a se interessar por garotos, não qualquer um, mas um loiro em especial, que tinha um largo sorriso.

Ao se levantar da cama, vestiu seu uniforme escolar de marinheira, saia azul e laço vermelho. Parou em frente ao espelho, sua pele branca pálida, cabelos negros a altura do ombro e extremamente lisos, seus olhos ônix por trás dos óculos, tentou forçar um sorriso no rosto, mas parecia não pertencer a ela, era sempre tão séria!

Como podia ser tão parecida com seu pai?

Seu pai era um homem muito bonito, mas extremamente sério. Cabelos negros lisos que passavam da altura do queixo, olhos negros finos e expressivos, maxilar forte. Sasuke Uchiha ainda por cima era alto, 1,83 de altura. Estava com 39 anos e era totalmente o oposto de sua mãe.

Suspirou frustrada, penteou os cabelos e por fim o prendeu num rabo de cabelo alto. Desceu as escadas, sua mãe estava sentada a mesa tomando café enquanto assistia jornal.

- Bom dia, Mama – falou ao se aproximar da mãe e beijar-lhe o rosto.

Sua mãe, Sakura Haruno uma bela mulher de 39 anos, extrovertida e temperamental. Cabelos rosas e olhos verdes, Sarada não parecia em nada com ela, o que era uma pena, pois achava que sua mãe tinha características lindas, invejava como sua mãe conseguia ser divertida e fazer total contraste com o marido. Ela sempre o fazia sorrir.

A mais velha estranhou o carinho, sabia bem que a filha não era carinhosa, era muito parecida com o pai – Bom dia, Sara, está tudo bem?

A garota apenas assentiu – Papa volta quando de viagem?

Sakura suspirou, sentia falta do marido – Ainda faltam 15 dias, meu amor...

A garota fez um pequeno bico e se serviu da comida posta na mesa, pão, ovos, salsicha e suco; comeu o mais rápido que pode, ainda que admitisse que não o fizera, queria chegar logo a escola. Ao terminar de comer, despediu-se da mãe, pegou sua mochila que já estava pronta, calçou os sapatos e saiu em direção à escola.

Durante a caminhada para o colégio juntou-se a fila de alunos que iam pelo mesmo lugar, olhava pelos menores para que nenhum se desviasse do caminho ou fizesse besteira, a garota era bem responsável.

- Bom dia, Lee-sensei – falou Sarada ao passar pelo professor no portão, que guardava a entrada dos alunos.

Entrou no prédio branco a sua frente, trocou os sapatos e subiu para o segundo andar, onde ficavam os alunos de sua série, ainda era cedo, não havia muitos alunos, mas imaginava quem estaria lá.

Guardou sua mochila em sua carteira, sorriu ao ver que a mochila de Boruto já estava na sala.

Boruto era seu colega de classe, garoto loiro e de olhos azuis que passou a estudar com ela esse semestre, filho do professor Uzumaki Naruto.

Foi para o corredor, assim o veria antes das aulas começarem, assim o fez, foi para o corredor assistir o “movimento dos alunos que chegavam”, quando na verdade era só uma desculpa que poderia contar a si mesma para manter-se ali.

Avistou de longe o par de cabeleiras loiras, conversavam sobre alguma coisa em frente a sala dos professores, Naruto e Boruto, pai e filho.

Sarada fitava feliz aquela cena, não que seu rosto demonstrasse isso, tinha a habilidade do pai de parecer esconder seus sentimentos em qualquer situação que estivesse.

- Bom dia, Sara – falou Chocho, uma garota corpulenta, tomando a atenção e tapando a visão da morena.

- Dia, Chocho – se esgueirou para o lado e os loiros haviam desaparecido. Franziu o cenho frustrada.

Chocho era uma garotinha de estatura alta, tão alta quanto Sarada, tinha o cabelo ruivo e a pele bronzeada. Diferente da amiga, Chocho tinha um corpo desenvolvido, era corpulenta, parecia ser mais velha do que realmente era, já usava maquiagem e tinha despertado seu interesse por rapazes bem mais cedo.

- Vamos entrar, Sara, tenho algo pra te contar! – puxou a amiga pelo braço e entraram na sala.

O sinal tocou e Sarada viu quando pai e filho entraram na sala discutindo, o garoto sempre parecia mal humorado, mas seus olhos brilharam ao ver aquela entrada e por um momento até parou de fingir interesse no que a amiga falava.

- Bom dia pessoal, sentem-se todos! – falou o professor ao depositar a pasta em cima da mesa – essa é nossa última semana de aula, foi a primeira turma de sétimo ano que lecionei e devo dizer que amei estar com vocês. Logo estarão no ensino médio e não voltaremos a nos encontrar – o grande sorriso que tinha no rosto se desfez para um menor.

O filho era uma bela copia do pai, tal qual loiro e de olhos azuis, havia uma diferença no tom dos azuis, mas era pouco perceptível por trás dos óculos que o mais velho usava. Naruto tinha 33 anos, tivera o primeiro filho muito cedo, também havia casado muito cedo. Há 10 anos era professor e essa era sua vocação, sabia disso desde que se entendia por gente.

Pensar que aquela era a ultima semana de aula a deixava chateada, próximo ano estariam em diferente andar, a sala voltaria a se misturar e havia dúvida se ainda veria o loiro que roubava suas noites em devaneios.

Ao final da aula combinou com Chocho de sair para comer no McWannald’s, lanchonete local de fastfood. A garota ruiva havia insistido que a amiga a acompanhasse, nesses últimos dias tentava convencer a amiga a se declarar, o ano acabaria e provavelmente pararia de ver o seu loiro! Era a única que sabia de sua paixonite aguda.

Sarada já tomava seu milk-shake de morango quando a amiga se juntou a mesa com ela, trazia uma bandeja com hambúrguer, babata frita e um grande copo de refrigerante.

- Sara, vai ao menos escrever uma carta, certo? – falou encarando a outra.

- Pra que? Se próximo ano eu não for vê-lo do que adianta isso? – parou de tomar o milk-shake para responder.

- SARA! Os sentimentos de uma garota apaixonada não devem ficar escondidos, é sua primeira paixão é uma coisa importante!! – insistiu Chocho.

- Ah, para Chocho, você é muito romântica – revirou os olhos por trás dos óculos – Contar não vai resultar em nada, não é como se eu tivesse mínimas chances!

- Tudo bem com isso, Sara, mas é seu primeiro amor! E eu li uma vez em um manga que dizia assim “quando uma garota se declara para um garoto, mesmo se ela for rejeitada, ele vai passar o dia pensando nela” – falou pausadamente por estar enfiando batatinhas em sua boca.

Sarada riu – Kimi ni todoke, né? Eu também li esse...

- Todo mundo sabe que shoujos são guias práticos de vida e romantismo para garotas, Sara, se diz lá é porque é verdade. – falou confiante.

A garota rolou os olhos e riu – prometo que vou pensar a respeito.

- Pense mesmo, última semana de aula!! Nem que seja só uma carta... Nunca imaginei que seu primeiro crush seria um loiro e ainda mais ele!!

Sarada fez apenas um bico e terminou de tomar o seu milk-shake.

- Mas faz sentido, você sempre tão madura, tinha que se apaixonar por alguém mais maduro e não um garoto qualquer – riu.

Saíram de lá depois que Chocho terminou de comer e contou a amiga sobre seus próprios crushes, havia saído com um garoto mais velho que estava interessada e o encontro fora horrível.

A morena voltou para casa pensando se devia ou não se declarar, saber que provavelmente não o veria depois dessa semana era um ponto triste positivo, adorava ver os olhos azuis, os cabelos loiros, pele branquinha meio bronzeada e o seu sorriso.

Era tão diferente de si, como pudera acabar apaixonada assim?

Ao chegar em casa tomou sua rotina, fez o jantar para ela e a mãe que chegaria um pouco mais tarde devido ao trabalho no hospital, esperou ela chegar para jantarem juntas, assistiu um pouco de TV junto a mãe e mais tarde subiu para o quarto, estudou e fez as tarefas do dia.

Abriu o computador e fez a pesquisa ao Doodle “Como escrever carta se declarando”.

1.Escreva com seu coração. Sempre que for decidir escrever uma carta ou um texto na internet para alguém, faça porque você quer. ...

2.Fale sobre momentos que passaram juntos. Depois de se lembrar dos melhores momentos, escreva sobre eles. ...

3.Seja sincera. ...

4.Não se preocupe com pequenos erros. ...

5.Capriche.

Cartas de amor: 5 dicas para declarar seus sentimentos! - SUPERELA

superela.co/cartas-de-amor-dicas

 

Aquilo parecia muito idiota até para uma garota de 13 anos, sentiu vergonha de si mesma por ter pesquisado em primeiro lugar, mas já que estava ali não custava tentar.

 

Me apaixonei a primeira vista, em nosso primeiro dia de aula

Riscou o conteúdo da primeira tentativa, arrancou do caderno e jogou no cesto de lixo.

Muita gente diz que o tempo é inimigo do amor, mas não acredito nisso, se não fosse pela falta de tempo que temos juntos não teria coragem de escrever essa carta...

- Credo que horrível, Sarada!!!! – gritou consigo mesma, riscou forte as palavras escritas, amassou o papel e jogou fora mais uma vez.

Levantou-se com raiva da mesa de estudo e se jogou na cama – “só uma idiota pra querer fazer isso” – pensou. Tirou os óculos e pos o braço por cima dos olhos, dizia para si mesma que era uma merda estar apaixonada, queria que isso nunca tivesse acontecido.

Queria dormir, mas era impossível fazer isso sem antes pensar em seu loiro e seu coração aquecer ao lembrar-se daquele sorriso.

A semana seguiu normalmente, Chocho continuava tentando convencê-la a se declarar, mas Sarada fazia questão de se manter irredutível. O pior de tudo é que quanto mais chegava perto da sexta-feira, último dia de aula, seu coração ficava apertado, passou a semana chegando cedo o suficiente para ver pai e filho chegando, o mais novo sempre chegava emburrado, parecia que sempre brigava com o pai e isso arrancava risos secretos da morena, não entendia o porquê da relação dos dois ser tão estranha.

Na quinta-feira, Sarada observou os dois chegando pela janela da sala, sozinha em sala de aula se permitiu suspirar apaixonada, Naruto a viu na janela, acenou e sorriu, falou algo para o filho e ele virou o rosto irritado.

Boruto era assim, sempre irritado com o pai. O mais estranho disso é que ninguém entendia o porquê, Uzumaki-sensei era querido por todos, não fazia sentido. Será que próximo ano ainda veria cenas como aquela?

Sarada sempre fora bastante distraída, sempre estudou no mesmo colégio que o loiro, mas não havia notado sua existência até o primeiro dia de aula, ficou espantadíssima quando descobriu que a semelhança entre Boruto e Naruto era pelo parentesco, pai e filho. Pouco se aproximou dele, parecia sempre emburrado, reclamava sempre com o pai, vez ou outra olhava para ela com cara de irritado, mas no final das contas era gentil como o pai e também tinha um belo sorriso.

A sexta-feira chegou e o clima de despedida tomou conta da classe, teriam alguns momentos em sala com a turma reunida antes de irem para a cerimônia de encerramento de ano letivo, para aquele dia a turma sairia no final da aula para uma churrascaria.

Uzumaki-sensei se despediu da turma antes de liderar a ida ao auditório para a cerimônia, falou algumas breves palavras de como esperava que todos continuassem se esforçando muito para continuar tirando boas notas, deseja o melhor para todos ali.

A turma se emocionou com o discurso do sensei, a melancolia instalada na sala fez com que algumas meninas ficassem chorosas, Sarada estava com os olhos marejados, sentia-se triste, aquele ano havia sido um divisor de águas em sua vida.

- SARA! – falou Chocho irritada parando em frente a cadeira da amiga.

- Não me olha com essa cara! – fez um bico para amiga.

- Vem comigo – puxou a morena pelo braço e saiu da sala de aula para o corredor – Você precisa falar, lembra do que conversamos outro dia, isso é realmente algo importante, só se apaixona pela primeira vez uma vez – Sarada rolou os olhos – você passou o ano falando pra mim como não conseguia parar de sonhar com ele, fez poemas sobre os cabelos loiros e olhos azuis.

- Poemas sobre loiros e olhos azuis? – perguntou Inojin que passou por elas e não fez questão nenhuma de fingir que não tinha ouvido – Se fossem olhos verdes diria que sou! – sorriu.

Inojin Yamanaka tinha os olhos verdes claro, cabelo comprido e loiro, não o mesmo loiro dos Uzumaki, o garoto todo parecia meio pálido, seus olhos, cabelo e tom de pele. O garoto sempre estudou junto com Sarada e se conheciam desde a infância, suas mães eram amigas e por isso foram obrigados a conviver juntos. O garoto tinha uma característica que Sarada detestava, Inojin era mestre em falsos sorrisos, era capaz de dizer que havia matado um filhote de gatinho com o sorriso mais lavado na cara.

Sarada revirou os olhos irritada – Claro que não seria você, desinfeta!

Inojin sorriu – Aposto que o Boruto-kun vai adorar saber que tem uma admiradora secreta que escreve poesias sobre seu cabelo loiro e olhos azuis. – empurrou a porta da sala e entrou deixando as meninas no corredor.

Sarada arregalou os olhos desesperada – Viu o que você fez? Agora todo mundo vai saber disso!

- Calma, eu falo com o Inojin, ele não vai falar nada... – correu para dentro da sala antes de Sarada.

Mas era tarde de mais.

A sala toda ouvira o que Inojin não fez questão de falar em voz baixa para Boruto, aparentemente a garota estava apaixonada e fizera poemas sobre ele. O Uzumaki mais novo estava vermelho, desconcertado, olhou para Sarada de um jeito quase mecânico quando a morena voltou pra sala.

Sarada percebeu de cara os risos quando entrou, da porta rumou direto para a cadeira de Boruto, pos as duas mãos sob a mesa, não conseguia esconder o quanto estava vermelha – Nada do que ele disse é verdade, ouviu bem, Boruto?

Ele assentiu vermelho.

- Então não escreveu poemas sobre o garoto de cabelos loiros e olhos azuis? – falou Inojin com um daqueles sorrisos na cara.

- Não é da sua conta moleque – Uzumaki-sensei interviu – Que feio ficar fofocando Yamanaka-san, volte para sua cadeira... – falou levemente irritado.

A sala como um todo ria e fazia murmúrios, os comentários sobre o amor de Sarada por Boruto tomaram conta da sala, a garota havia voltado para seu lugar e estava envergonhada igual ao menino.

Uzumaki-sensei acalmou a sala, esperaram mais algum tempo e seguiram todos ao auditório para cerimônia de encerramento, Sarada queria se enterrar de vergonha, percebeu que Boruto a olhava de canto de olho, ainda vermelho de tão constrangido.

Ao final da cerimônia estariam todos livres, apenas teriam que voltar para sala para pegar o material escolar e estavam liberados. Voltaram para sala todos juntos, Sarada ouviu quando Boruto lembrou ao pai que voltaria de ônibus e mais tarde, sairia com a turma para despedida.

Sarada recolheu seu material se sentindo derrotada, não queria que as coisas ficassem assim! Droga do Inojin conseguiu deixar as coisas pior do que estariam se nada tivesse dito!!

Viu quando Uzumaki-sensei foi o primeiro a deixar a sala, aos poucos a turma também foi deixando. Viu também quando Boruto saiu da sala junto de Inojin e mais alguns meninos. Sarada demorou um pouco mais ali.

- Sara, desculpa, Inojin é um idiota... – falou Chocho sentindo-se culpada.

- Agora ele está pensando besteira... – falou a morena triste.

- Sara, ainda dá pra reverter isso, vai falar com ele... – tentou incentivar uma última vez.

Sarada anuiu, colocou as mochilas nas costas e saiu correndo da sala, fez um esforço para passar na frente do amontoado de alunos animados que passavam pelo corredor. Procurou com os olhos pelo seu loiro.

Continuou correndo e sem querer esbarrou no ombro de Boruto, que assistiu a menina continuar correndo, parou em frente a sala dos professores e olhou pelo vidro da sala, ele não estava lá.

Desceu as escadas e foi para o estacionamento, onde sabia que ele estacionava o carro, estava ali, quase chegando em seu carro.

- Uzumaki-sensei!! – gritou Sarada para chamar sua atenção.

O professor virou ao ouvir seu nome – Está tudo bem, Sarada-chan?

A garota parou perto do sensei quase sem fôlego, estava vermelha, tanto pela corrida como também por estar envergonhada.

- Sensei, é mentira... – falou a garota baixinho.

- Do que está falando? – fez cara de confuso.

- Do seu filho, sensei... – continuou em voz baixa.

- Sara, o Boruto é meu filho, mas não precisa vir me dar satisfações, ele teria sorte se uma garota como você estivesse apaixonada por ele – sorriu gentil.

Sarada ficou ainda mais vermelha - Não sensei, não quero que pense que estou apaixonada por seu filho... o Boruto-kun é um ótimo menino e tudo mais...

- Então não entendo o que está acontecendo – falou sem graça ajeitando os óculos que cobria seus olhos azuis.

- É por você que eu me apaixonei por você, sensei – viu o professor mudar de cor, também estava vermelho – Desculpe, eu não espero nenhuma resposta nem nada do tipo, sei que o sensei é casado e tudo mais... mas eu queria esclarecer isso... é você quem eu amo, sensei.

Naruto parecia desconcertado, mas rapidamente voltou a postura, ofereceu a garota um de seus melhores sorrisos – Obrigado, Sarada-chan é um grande elogio receber uma declaração de uma garota tão linda – passou a mão no topo de sua cabeça e fez carinho – mas é como você disse, eu sou casado e muito velho para você – sorriu – hmm, deixe-me lhe contar um segredo, os homens Uzumaki’s acabam ficando muito parecidos uns com os outros, eu sou muito parecido com meu pai e consequentemente o Boruto vai ficar muito parecido comigo, se você puder esperar uns anos até que aquele cabeça de vento fique um pouco mais maduro, acho que vale a pena o investimento... – mostrou um joinha com o polegar, encarou a menina que tinha os olhos marejados – Agradeço muito os sentimentos, Sarada-chan, mas agora preciso ir, certo?

A garota anuiu, segurando as lagrimas – Bye bye, Uzumaki-sensei.

Ele acenou, entrou no carro, ainda mantinha o sorriso que a garota adorava, partiu.

Sarada observou atentamente tudo aquilo, quando uma lagrima escapou de si o carro do sensei já estava longe, limpou a lágrima com as costas da mão.

Não imaginou que um dia se declararia para seu professor, mas agora que o fizera se sentia mais leve, mesmo que todos da sala achassem que sua paixão era pelo Uzumaki mais novo, estava satisfeita sabendo que o sensei saberia a verdade, e a verdade estaria segura com ele.

Sarada se apaixonou em seu primeiro dia de aula, quando o sensei entrou na sala com camisa social branca, com um cardigan laranja por cima e uma calça social cinza claro. Uzumaki-sensei encantou a primeira vista, seu cabelo loiro, seus olhos azuis por trás dos óculos, sua voz animada e seu sorriso contagiante.

Contrastava com tudo que era Sarada, foi atraída pelo extremo oposto.


Notas Finais


Hahah se chegou até aqui espero que tenha gostado, se gostou acho que não custa dar uma olhada nas outras histórias que estou escrevendo, certo?

OneShot - Difícil de esquecer - NaruHina - https://spiritfanfics.com/historia/dificil-de-esquecer-10844152

Boruto: Naruto next generation - sliceoflife de Boruto - https://spiritfanfics.com/historia/boruto-naruto-next-generation-9413587

Seu braço direito - NaruSasu - https://spiritfanfics.com/historia/seu-braco-direito-9635763

Se puder deixa um feedback <3

Pretendo escrever mais NaruSara Hahahah meio doente isso <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...