História SeungCheol, JeongHan e o Bebê - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Junghan "Jeonghan", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups"
Tags Jeongcheol, Jeonghan, Scoups
Visualizações 105
Palavras 1.618
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, LGBT, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii gente!
Voltei com JeongCheol fluffy
Está um pouco mais curta que as outras, mas é a vida, não?
Antes de começar, eu queria explicar que: no universo que eu criei para a fic, não existe amamentação, ok? É tudo à base da mamadeira mesmo.

Espero que gostem
Boa leitura^^

Capítulo 1 - Capítulo Único


 

Escuta-se um barulho, é um choro de bebê. Em plena madrugada, classicamente, um pequenino bebê está a chorar.

_ Você vai lá. – disse o marido, com a voz embriagada de sono, nem se deu ao trabalho de abrir os olhos. – É a sua vez.

 Com uma enorme preguiça, JeongHan levantou-se de sua cama, sentindo o chão frio. Foi se arrastando até o quarto de seu bebê. Quando chegou ao quarto, pegou a criança, com muito cuidado, no colo, e começou a balançá-la.

_ Shh... – JeongHan tentava acalmar o filho. – Não chore, querido. – tentou, e tentou. Mas o pequeno não queria parar de chorar.

SeungCheol, mesmo estando em sua cama, não conseguia dormir, pelo choro do filho através da babá eletrônica. E mesmo que não fosse pelo aparelho, o choro era alto o suficiente para ouvir de onde estava, em claro e bom som.

_ Cheollie... – o mais novo chamou manhoso. – Vem me ajudar aqui, por favor.

Mais uma noite foi passada em claro, com JeongHan e SeungCheol tentando descobrir a razão do choro do filho. Após tanto tempo de desespero, sem saber o que fazer, o mais velho teve de ligar para sua mãe, e pedir que ela o ajudasse. Com as instruções corretas, eles conseguiram descobrir que o pequeno estava com cólica, mas não teriam muito que fazer. Era somente tentar acalmar o bebê.

O casal conseguiu dormir apenas quando o sol começou a raiar, e o menininho não estava mais com cólica, nem com a fralda suja e nem fome. E durante o dia teriam de aguentar as reclamações dos vizinhos, que mesmo sendo muito compreensíveis e os ajudando muito com o pequenino, tinham que dormir também.

 

~//~

 

Após mais de um ano casados, JeongHan engravidara. Eles não planejaram nem nada, mas também não era um acidente. Sim, eles queriam filho futuramente, e assim, a vida lhes deu uma pequena bênção, nomeada SeoEun.

Há pouco mais de dois meses, o pequeno havia nascido. Os pais de primeira viajem, sem experiência alguma com bebês, tiveram muita ajuda de parentes e amigos durante a gestação; quando o pequeno nasceu as ajudas continuaram, mas nem sempre alguém poderia estar ali para ajudá-los.

O próprio amigo do casal, JiSoo, às vezes ia visitá-los para ajudar com a criança, mas ultimamente estava muito ocupado com o café, então nem sempre podia.

Claro que, entre uma ajuda e outra, o casal havia aprendido algo sobre o bebê, mas não muito que os ajudassem quando sozinhos. Aprenderam que o pequeno começava a espirrar quando usavam certo tipo de óleo corporal, então passaram a comprar outro. E o menino parecia gostar bastante do móbile que o casal havia comprado antes do mesmo nascer. Era isso.

Se SeungCheol e JeongHan quisessem aprender sobre como cuidar do filho, teriam de se esforçar bastante daqui para frente. Tudo mudou muito, e eles têm que se adaptar a essa nova realidade.

 

~//~

 

_ Hannie. – o mais velho chamou. – O SeoEun está com a fralda suja. – avisou, com a criança no colo, que estava chorando.

_ E o que eu tenho com isso, SeungCheol? – disse o outro, aparecendo na sala, onde estava o marido.

_ E você tem que trocar a fralda dele.

_ Por que eu?

_ Porque é seu filho...?

_ Como é que é? Na hora de fazer o filho você faz, na hora de trocar a criança você pula fora? Nada disso, querido. – aproximou-se do outro. – Eu estou ocupado agora. Troca você. – deixou um beijo na bochecha do mais velho e voltou para a cozinha.

SeungCheol suspirou e levou a criança para o quarto, a fim de trocá-la. – Vamos lá, filhão. Espero que você não tenha feito uma bomba.

Com o pequeno de fralda trocada, o pai o levou de volta à sala, o mesmo já havia parado de chorar, e o colocou na cadeirinha. O mais velho começou a distrair seu pequeno com alguns brinquedinhos que ali estavam. Bom, sem muita experiência, não sabia direito o que fazer com a criança.

Quando não estava chorando, o menino era uma graça; era o que SeungCheol achava. Com o tempo, o filho começou a ficar cansado; bocejou uma, duas vezes, e caiu no sono. Sim, era adorável, ainda mais quando dormia.

O pai sorriu e deixou um selar na testa de seu filho. Era um menininho tão fofo; suas mãozinhas e pezinhos, tão pequeninos. SeungCheol, no começo, tinha medo de pegá-lo no colo; era tão frágil quanto porcelana, tão pequeno, tinha medo de quebrá-lo, como fez com as porcelanas chinesas do marido um tempo atrás.

Aproveitou que o filho estava dormindo, e foi para a cozinha, onde se encontrava JeongHan.

_ Ele é tão fofo, quando está dormindo. – disse o mais velho, enquanto se sentava em uma das cadeiras do local.

_ É o meu filho, não? – deu ênfase ao “meu” e riu.

_ Mas eu não sei o que fazer com ele... Nunca cuidei de um bebê do tamanho dele.

_ Acho que não há muito que fazer com um bebê do tamanho do SeoEun. Eles só dormem, comem e gastam fraldas, no máximo podemos brincar um pouquinho.

_ Esqueceu-se de dizer que ele chora.

_ E como chora. Mas ainda assim, é o meu bebê, e eu amo ele; chorando ou não.

_ Nossas vidas mudaram muito. – comentou indo até o menor e abraçando pela cintura.

_ Eu gostei do jeito que mudaram, mas eu queria poder dormir um pouco mais. – brincou e o marido sorriu.

_ É, eu também. Estou esgotado.

_ Como se eu não estivesse.

_ Pelo menos, sua mãe não deve estar brava com você por ligar no meio da madrugada para ela, perguntando o quê fazer com um bebê.

_ Acredite, a minha também está. Quando você sai, eu ligo para ela. – riram.

_ O que nós estamos fazendo da nossa vida? Esse é o nosso filho, não? Nós devemos aprender a cuidar dele sozinhos.

_ Você tem razão... Mas, como?

_ Existem tutoriais para isso.

_ Eles são confiáveis?

_ Fique calmo, amor. Eu aprendi a cozinhar macarrão com um tutorial, lembra?

_ Cozinhar macarrão, é diferente de cuidar de um bebê, SeungCheol. Por acaso, pretende cozinhar o nosso filho?

_ Não estou dizendo isso! Estou dizendo que tutoriais podem ser confiáveis. Você viu, não é? Eu cozinhei o macarrão direitinho, seguindo o tutorial que eu encontrei no YouTube. Existem centenas de vídeos que falam sobre experiências com filho e não sei mais o quê.

_ Está certo... Mas se acontecer alguma coisa, a culpa vai ser sua.

_ Eu me responsabilizo totalmente, ok? – deixou um beijo na bochecha do menor e saiu à procura de seu celular. Encontrado o aparelho, SeungCheol procurou um tutorial de como cuidar de uma criança, sem matá-la.

Encontraram vários vídeos, e assistiram vários também. Bom, todos diziam praticamente a mesma coisa: não deixe seu filho com fome, de fralda suja e nem com sono; deixe-o descansar e o entretenha, ensinando possíveis coisas que ele decorará no futuro. Uma das coisas mais importantes: mantenha o bebê em um lugar seguro e confortável, e não o derrube em hipótese alguma.

Parecia fácil no vídeo; talvez mais fácil do que realmente era. Pelo menos, SeungCheol e JeongHan não haviam feito nada muito errado.

 Ouviu-se um choro; era SeoEun novamente. Desta vez, JeongHan foi vê-lo. Enquanto o balançava no colo, perguntava-se o que o pequeno queria. Supôs que estava com fome, já que alguns dos vídeos diziam que geralmente é isso.

Pediu que SeungCheol preparasse a mamadeira para o mesmo, e o mais velho rapidamente o fez, afinal, não poderia deixar seu filho tirar-lhe a audição, nem a sua, nem a do marido.

Assim, a mamadeira foi entregue ao mais novo, que alimentou o bebê, até que ele ficasse satisfeito, e quieto novamente. Quando JeongHan terminou de alimentá-lo, entregou o menino a SeungCheol, que deveria fazê-lo arrotar.

Depois do arroto, começou a brincar com o filho; fazendo cócegas no mesmo. Ah, sim, aquela risadinha gostosa de bebê. Até que SeungCheol começou a balançar o pequeno; pior decisão.

_ Ele vai soltar tudo. – disse o mais novo. – Eu estou avisando.

_ Não se preocupe, amor. Vai ficar tudo bem. – respondeu. – Você não vai soltar tudo em mim, não é, filho? – JeongHan contou até cinco e esperou.

Assim como o dito, sim, o pequeno soltou tudo em seu pai. Foi uma cena linda, o líquido branco escorrendo pela roupa do pai, assim como em seu pescoço e parte do rosto. Claro, JeongHan só ria.

_ Vai, pode falar. Eu sei que você está se segurando. – disse ao mais novo.

_ Eu te avisei. – disse e se acabou em risadas. Quando parou de rir, pegou o filho para limpá-lo. – Vá se limpar, e coloque essa roupa para lavar.

SeungCheol fez como o dito, foi para a lavanderia e tirou a camisa que vestia, logo colocando-a de molho em uma bacia. Assim, seguiu para seu quarto, indo para o banheiro. O cheiro não sairia tão fácil, então decidiu tomar um banho.

Enquanto isso, JeongHan dava um banho em SeoEun, já que um pouco do vômito escorreu por sua roupa também. Bom, deu o banho do jeito que conseguiu. Tomou cuidado com a temperatura da água, e delicadamente lavou o pequeno, esfregando seus cabelinhos com cuidado, sem deixar que caísse shampoo nos olhinhos.

_ Oh, meu pequeno, agora está limpinho. – disse enquanto enxugava os bracinhos do filho.

Logo o marido apareceu no banheiro onde o mais novo e o filho estavam. – Adoro esse cheirinho de bebê. – disse.

_ Ele vai usar esse shampoo até os trinta anos. – JeongHan brincou.

 

~//~

 

E assim, com o tempo, e mais umas ajudinhas, SeungCheol e JeongHan aprenderam a cuidar de seu pequeno e adorável SeoEun.


Notas Finais


Para quem chegou até aqui, obg por ler
Espero que tenha gostado
Não tenho muito a dizer, então é só isso.

Até a próxima
Beijinhos no coração


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...