1. Spirit Fanfics >
  2. Seus Lábios >
  3. I just cant help myself

História Seus Lábios - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


22º dia do desafio e o tema é "Um texto inspirado em uma música de sua escolha". Então, escutem Desire. Tem trechos dela espalhados por aí...
Eu não iria dividir essa fic, mas ela estava ficando grande demais. Pretendo postar o próximo amanhã mesmo. É isso, boa leitura!

Feliz aniversário, Yun! Espero que goste (da metade) do seu presente ♡

Capítulo 1 - I just cant help myself


Fanfic / Fanfiction Seus Lábios - Capítulo 1 - I just cant help myself

Talvez se Yunho não tivesse começado aquela live, seu coração estivesse mais quieto agora. Não entendia qual era o problema consigo, estava indo tudo muito bem até Mingi começar a agir como um animal no cio. Só queria mostrar para seus fãs parte da coreografia nova que havia criado com a ajuda de Wooyoung. Para que aquele besta teve que se intrometer?

Jeong Yunho era um artista. Ainda não era muito famoso, mas tinha seguidores fiéis que já eram de grande ajuda. Jung Wooyoung e Song Mingi eram idols da mesma empresa, e antes disso eram seus amigos queridos desde muito tempo. Ajudavam com coreografias e músicas, e também com problemas pessoais. Eram ótimas pessoas, tinham uma intimidade muito grande. Não conseguia imaginar sua vida sem eles.

Só que quando Mingi começou a tentar beijá-lo durante a live, sua vontade foi de matar ele sem remorso.

Acabou rindo quando ele chegou bem perto, quando os lábios dele estavam tão próximos que Yunho pensou que realmente seria beijado. Estava constrangido? Talvez, sentiu um calor nas maçãs do rosto, forte demais para que pudesse ignorar. Poderia estar vermelho de raiva também, quem sabe. Wooyoung só olhava e ria, lendo alguns comentários no celular e fazendo piadas idiotas com sua cara. É, talvez devesse mata-lo também.

Por estar cansado, Yunho decidiu encerrar a live. Se distraiu com alguns comentários bonitinhos, ficando lisonjeado e orgulhoso de si mesmo. Até havia se esquecido que Wooyoung zoava sua cara vermelha e Mingi estava lhe abraçando por trás. Se despediu dos fãs sorrindo feliz, dizendo que os amava muito. Perto da sua orelha, a voz de Mingi soou mais grave, dizendo que todos amavam Yunho também. A brincadeira o deixou bem alegrinho, mas seu sorriso deu uma murchada quando seu amigo disse “eu também amo”, seguido de um beijo em seu rosto. Terminou a live ali mesmo, se sentindo muito estranho. Olhou para trás procurando Mingi, mas ele não estava lá mais. Wooyoung fazia uma cara forçada de surpresa, meio que segurando o riso.

Yunho sabia que não era para ter se sentido estranho. Aquele tipo de carinho era comum, já havia trocado com seus amigos muitas vezes. Não tinha nada demais nele, sabia disso. Mas então por que diabos o seu coração estava batendo tão acelerado no peito? Sentia-se quente da cabeça aos pés, principalmente sua bochecha direita. Ela parecia queimar, estava formigando já. Se fechasse os olhos e se concentrasse, conseguiria sentir os lábios macios de Mingi ali. Tocou a região com a ponta dos dedos, só para manter a temperatura quentinha.

*

No decorrer das semanas, a estranheza de Yunho só piorou. Estava começando a ficar estressado com aquela situação, e olha que ele era a última pessoa no mundo que se estressava.  Mas era ruim estar no meio de um ensaio e, do nada, sentir o coração acelerar e o rosto ficar quente. Não era porque havia dançado por quase duas horas, longe disso. O problema era psicológico; a bochecha direita começava a arder novamente, e Yunho só conseguia pensar no beijo de Mingi.

Aquilo era irracional. Por que seus batimentos cardíacos ficavam tão acelerados quando se lembrava daquilo? Era como se fosse explodir a qualquer momento. Céus, precisava se recompor. Mingi era seu amigo e aquilo acontecia bastante antigamente. Não era novo e não significava nada. Precisava esquecer isso.

Mesmo quando Yunho ocupava sua mente e tentava esquecer, ou ignorar o que estava sentindo, tudo desmoronava quando encontrava Mingi nos corredores da empresa. Ele o cumprimentava sorrindo e depois parava pra conversar, ás vezes com coisas tão triviais e sem sentido. Costumava amar isso nele, pois quando Yunho estava cansado ou se sentindo mal, ouvir os comentários sobre o último capítulo da novela o faziam sorrir e esquecer os problemas.

Mas agora, ver Mingi e seu sorriso tão bonito era um problema.

— Yunho-yah, aquele tal de Hwiyoung me tira do sério! Você precisa passar raiva comigo — comentava animado, tentando convencer o amigo a assistir Moment at 18 com ele. — Eu sei que não é seu estilo, mas mesmo assim...

— Mingi-yah, eu não posso conversar agora — Yunho forçou um sorriso e começou a caminhar. — Eu te mando uma mensagem!

 Enquanto caminhava, o jovem dançarino tocou seu rosto. Estava quente, queimando. E não era só ele, como todo o seu corpo. Não queria ter fugido do amigo daquele jeito, mas sabia que iria ficar encarando aqueles lábios por muito tempo se continuasse ali.

“Desde quando a boca dele é grande desse jeito?”

Em casa, Yunho pensava sobre o ocorrido. Aquele sentimento estranho e caloroso continuava a atormenta-lo, mesmo que estivesse há quilômetros de distancia de Mingi. Era estranho, mas um tanto familiar. Lembrava-se de ter se sentido assim na adolescência, mas nada havia acontecido de importante que pudesse se lembrar. Além do seu crush no U-Know e no Peter Parker, e nada disso tinha conexão com um beijo dado por seu amigo.

Deitado em sua cama, o dançarino pegou o celular e viu algumas mensagens de Mingi. Estava ignorando-o? Talvez sim, mas preferia dizer que estava pensando no que iria dizer a ele. A bochecha voltou a arder e o rosto esquentou. Suspirou, resolvendo assistir a live daquele dia, depois de mais de duas semanas. Não sabia porque queria tanto ver outra vez, mas não iria pensar nisso agora, senão ficaria ainda mais envergonhado.

Havia feito quarenta minutos de live, e apesar de ter sido menor do que as anteriores, Yunho não queria assistir tudo aquilo. Adiantou para a parte em que Mingi chegou, tentando lhe beijar. Não tinha reparado no dia, mas ele parecia tão animado... Esqueceu de perguntar a ele se havia acontecido alguma coisa boa. Yunho começou a roer uma das unhas ao ver o rosto alegre do Song, reparando que ele o olhava várias vezes. O coração acelerou um pouco no peito quando Mingi o abraçou por trás no vídeo. Conseguia sentir as mãos dele em volta de sua cintura... Seu rosto agora deveria estar mais vermelho do que na imagem.

E então, o beijo aconteceu. Yunho não tinha reparado, mas Mingi parecia ter se preparado para aquilo. Ele ficou lambendo os próprios lábios e estalando-os antes de tocar a sua pele. Depois de ter beijado seu rosto, ele sorriu tão bonito. Mingi parecia vitorioso, deu até alguns pulinhos antes de se virar e ir embora. Por que ele havia feito aquilo? Foi tão... bonitinho.

 

Mingo

respondeeeeee

[recebida ás 21:30]

 

Yunho checou a última mensagem de Mingi e suspirou. Finalmente havia pensado em alguma coisa para dizer a ele.

 

Desculpa a demora

Posso te perguntar uma coisa?

 [enviada ás 22:19]

 

Mingo

o que quiser

[recebida ás 22:19]

 

Por que você  me beijou aquele dia?

Não consigo parar de pensar nisso

 [enviada ás 22:20]

 

Yunho bloqueou o celular e tapou a face com as duas mãos. Deveria ter mandando aquela mensagem mesmo? Mingi deveria estar pensando que era muito esquisito, ou pior... Ele poderia achar que gostava dele de outro jeito, um diferente do que era realmente. Quando celular vibrou, o dançarino precisou de alguns minutos antes de tomar coragem para ler a mensagem.

 

Mingo

eu achei que você merecia um beijinho meu

e eu tava bem feliz aquele dia

você sabe pq né

[recebida ás 22:23]

 

...eu deveria saber?

 [enviada ás 22:35]

 

Mingo

...

[recebida ás 22:35]

 

Yunho estava confuso. Não sabia do que Mingi estava falando, e aquela resposta de antes... Como assim merecia um beijo dele? Céus, estava tão envergonhado! E sua memória não funcionava, pois não conseguia se lembrar de nada daquele dia que poderia ter deixado seu amigo tão feliz e animado. Antes da live sequer havia visto ele, e seu único contato foi por mensagens.

 

Mingo

aquele dia de manhã meu irmão brigou comigo disse que não gostava de mim

eu fiquei triste e fui te contar

e vc disse pra eu não ficar assim

pq vc me amava muito e eu só precisava disso

não acredito que esqueceu

[recebida ás 22:41]

 

Por um minuto, Jeong Yunho havia se esquecido do quão Mingi era sensível em certas coisas. Naquele dia ele e o irmão haviam discutido por causa de besteira, e por isso Yunho achava que o mais velho havia dito aquelas palavras no calor do momento, da boca para fora. Mingi se sentiu mal mesmo assim, ele era muito sensível e só algumas palavras poderiam mudar seu humor completamente. Conhecia-o suficiente para saber disso, e por essa razão o enviou aquela mensagem bonitinha. As palavras foram verdadeiras, mas sua intenção maior era fazê-lo sorrir.

Aquele dia foi tão cansativo que Yunho havia se esquecido do ocorrido. Se sentiu mais quente, notando que aquela alegria toda e aquele beijinho tiveram significado.

 

Mingi

[enviada ás 22:50]

Tá bravo?

[enviada ás 23:02]

 

Yunho suspirou. Não gostava de ser ignorado, então ligou para o amigo. Não sabia o que iria dizer, mas precisava ouvir a voz dele e descobrir se era só pirraça ou se ele estava mesmo decepcionado.

O que foi? — A voz dele soou rouquíssima do outro lado da linha. Ele falou baixinho e grosso, parecia com sono e bravo. Estava tão fofo assim...

— Não fica bravo comigo, Mingi-yah — pediu manhoso, tentando fazer graça. Não parecia ter funcionado. — Me desculpa por ter esquecido. Aquele dia foi terrível, eu estava tão cansado. E eu tenho a memória péssima, você sabe.

É, acho que sei — sussurrou Mingi. Ele parecia estar tentando parecer bravo, mas alguém precisava dizer a ele que não estava funcionando. — Eu retiro o beijo que eu te dei.

— O que? — Yunho começou a rir, surpreso. Ele estava tão fofinho que quase não parecia o rapper agressivo e intenso Song Mingi falando. — Não pode retirar. Você me deu e agora é meu.

Mas você claramente não quer ele mais, então eu estou pegando de volta. — Ele era um ótimo ator, de fato. Iria apoiá-lo com todas as forças se um dia ele quiser atuar em uma novela. — Amanhã não vou trabalhar, tenho fisioterapia.

— Se sente mal ainda? — Yunho franziu as sobrancelhas. Mingi tinha um problema sério nas costas e seu coração se partia ao pensar na dor que ele sentia.

Um pouquinho, mas esse não é o ponto. — Mingi aumentou o tom de voz. — Eu só apareço na empresa depois de amanhã, então eu quero meu beijo de volta. Faz o favor de me devolver.

E desligou na sua cara. Yunho riu por um tempo da manha daquele garoto, e depois voltou a se sentir estranho. O coração acelerou ao pensar que Mingi só disse aquelas bobagens porque queria um beijo seu, e isso o deixava ansioso. A bochecha ardeu novamente. A lembrança do toque macio dos lábios grossos estava viva naquele momento, parecia até real. Não conseguia parar de pensar nisso, céus. Parecia até que estava...

  — Apaixonado? — Yunho começou a rir, tapando a boca com uma das mãos. Era realmente engraçado, porque ele nunca se apaixonava. E além disso, era Song Mingi! O garoto chorão que foi seu vizinho por três anos, que morre de medo de insetos e de fantasmas. Ele era seu amigo desde que se conhecia por gente, sua mãe o adorava, ele era quase seu irmão!

Com esses pensamentos em mente, Yunho voltou a mexer no celular. Foi ver algumas fotos com Mingi para testar a si próprio. Afinal, se você está apaixonado por alguém, você se sente atraído por ele, certo? E definitivamente não sentia nem um pouco de atração por aquele garoto.

Não tinha muitas fotos com Mingi, mas as poucas que encontrou já foram suficiente para alertá-lo que algo estava errado. O amigo tinha uma mania de esticar os lábios, ou fazer um beicinho nas poses, já estava cansado de saber disso. Era algo dele tentar ser fofo, mas não era sempre que conseguia. Por algum motivo, Yunho encontrou em sua galeria uma selfie do Mingi, tirada em algum espelho.

Riu por ter notado a superfície rachada do celular, mas a graça acabou rapidamente. Reparou nos olhos já pequenos semicerrados, olhando diretamente para a tela do aparelho. O cabelo estava bonito, penteado para trás em um topete e alguns fios soltos pela testa. Estava todo de preto, os braços expostos por uma camiseta. Apesar disso, seu rosto era o que mais chamava atenção. Ele tinha um formato muito bonito, dava para ver isso perfeitamente na foto. E o que mais se destacava, na opinião de Jeong Yunho, eram aqueles lábios estupidamente grandes. Ficou um tempo olhando para eles, até as próprias bochechas voltarem a arder. Sabia que os lábios de Mingi eram macios, já recebeu vários beijinhos dele durante a vida. Mas naquele momento, tudo o que conseguia pensar era onde ainda não havia sido beijado...

Yunho bloqueou o celular e colocou-o sobre o criado. Cobriu-se com as cobertas e afundou o rosto no travesseiro. Decidiu ir dormir para que não pensasse mais aquelas loucuras. Sabia que algo estava errado consigo, mas deixaria para resolver isso amanhã. Descansar parecia ser uma ótima ideia, e isso era o que precisava para encarar o dia seguinte.

Só não esperava sonhar com a boca grande de Song Mingi colada na sua.

Yunho acordou com a cara mais quente do que quando foi dormir. Despertou bem cedo, antes de o alarme tocar. Esfregou o rosto com um pouco de força, se sentindo culpado. Como pode sonhar que beijava seu amigo? Devia estar carente demais...

*

O dia estava passando muito lentamente para o idol em ascensão Jeong Yunho. Seus ensaios para a apresentação do dia seguinte pareceram mais cansativos do que o normal. Sua disposição estava mínima, e a mente viajava em pensamentos preocupantes em relação ao seu amigo de infância míope que tinha medo de insetos. Por conta disso, chamou Wooyoung para conversar na sala de prática. Precisava expor seus pensamentos, do contrário enlouqueceria ainda mais, fazendo suposições estupidas sobre si mesmo.

— Mas qual o problema nisso? Metade das pessoas que a gente conhece acha que vocês namoram! — Wooyoung disse após ouvir o outro falar. Yunho revirou os olhos, nem um pouco surpreso por ter recebido um comentário assim em resposta.

— Eu só acho estranho, sabe — confessou, fazendo um beicinho. — Quer dizer, é o Mingi! Só pode ser carência. Eu não beijo ninguém tem alguns meses já...

— Pode ser, pode não ser. — Wooyoung olhou o amigo nos olhos e levantou as sobrancelhas, sorrindo. Quando ele fazia aquela expressão, só significava uma coisa. — Eu tenho uma ideia.

— Lá vem...

— O que é? Eu sempre tenho ótimas ideias! — gritou o mais novo, se mostrando indignado. — Eu vi isso em um episódio de um drama. Aparentemente existe um método pra você saber se você está apaixonado por um amigo.

Yunho olhou com desgosto para o amigo só para ouvi-lo gritar novamente. Aquelas ideias dele eram malucas e nunca davam certo. Isso que dava assistir essas novelas românticas e bregas. Havia parado de assistir aos 17 anos, quando descobriu que nunca namoraria o U-Know. Mesmo sabendo que aquilo ela loucura, resolveu acatar a ideia de Wooyoung.

— Feche os olhos e pense no Mingi e em mais dois amigos. — Yunho fez o que foi pedido, se concentrando. — Em quem está pensando? Diga os três nomes.

— Kim Hongjoong, Jung Wooyoung e Song Mingi.

— Ok. Agora me diga alguma coisa que você gosta nessas três pessoas, que não seja físico.

Yunho ouviu e pensou um pouco antes de responder. Admirava os três por motivos diferentes, mas acabou se enrolando para escolher apenas uma coisa em cada um...

— O Hyung é o talento. Você é a sinceridade. E o Mingi é a força... — Yunho apertou os olhos fechados e franziu as sobrancelhas, acabando por corrigir sua afirmação final. — Não, eu gosto da intensidade dele. Ás vezes o Mingi parece muito exagerado em algumas coisas, mas ele sempre tem um motivo por trás disso. Ele é intenso em tudo que faz e eu adoro isso.

— Perfeito. — Wooyoung aproveitou que não estava sendo observado para rir bem baixinho. Aquele garoto estava sendo tão óbvio, pior do que ele mesmo quando estava caidinho por Choi San na época de treinee. Bons tempos. — Agora me fala algo físico.

— Joong-hyung tem o nariz mais lindo do mundo! — exclamou Yunho, sem ter pensado muito. Ele riu, pois aquilo era uma piada interna deles. — Wooyounggie... eu gosto dos seus olhos, sei lá. — O amigo torceu o nariz ao ouvir aquilo. Era muito descaso com sua beleza, credo. — E Mingi-yah tem um sorriso bonito.

— Sorriso é muito vago, criatura! — Wooyoung falou mais alto, se explicando antes que Yunho saísse do “jogo” e fizesse uma série de perguntas. — Seja mais específico. Quando uma pessoa sorri, o rosto todo muda. Escolha só uma parte.

Yunho franziu as sobrancelhas, concentrando-se na imagem de Mingi quando ele sorria. O rosto de traços fortes mudava, ruguinhas apareciam perto do nariz e os olhos viravam duas fendas. Tinha um fraco por eyesmile, admitia, mas o toque final na beleza daquele sorriso eram os lábios grossos, que deixavam os dentes grandes e branquinhos à mostra.

— A boca — disse finalmente, sentindo os olhos tremerem. Estava sentindo o rosto mais quente, pois não mais pensava nos lábios grandes sorrindo, e sim bem próximos do seu rosto.

— Certo. — Wooyoung sorriu vitorioso. — Não abra os olhos, não surte com o que eu vou dizer agora. Apenas se concentre. — Viu o amigo apertar os olhos e acenar positivamente com a cabeça. — Eu quero que você imagine o Mingi beijando você.

Se o rosto de Yunho já estava vermelho antes, ele não conseguia imaginar como estava agora após ouvir aquilo. Mesmo que vergonhoso, fez o que Wooyoung pediu. Foi até fácil visualizar em sua mente a boca de Mingi bem próxima a sua, afinal aquilo já havia acontecido na live. Se concentrou, quase sentindo a maciez dos lábios grandes e vermelhos contra os seus. Não parecia ruim em sua imaginação, e talvez a realidade não se distanciasse muito. O coração acelerou e acabou ficando todo arrepiado com o pensamento...

— Agora imagine o Hongjoong beijando você.

A voz de Wooyoung fez Yunho abrir os olhos de uma vez por causa da surpresa. A imagem de seu Hyung chegando bem perto para lhe beijar passou pela sua mente muito rápido, mas foi o suficiente para causar uma crise risos. Tapou a boca com uma das mãos e gargalhou com vontade, sem sequer olhar para seu amigo.

— É impossível! — disse o mais velho, em meio às risadas. — Só falta querer que eu imagino você me beijar também.

— Eu ia dizer, mas você perdeu a concentração. — Wooyoung falou sério, esperando que o outro parasse de rir. Quando isso aconteceu, sorriu de lado. — Você consegue imaginar o Mingi te beijando, mas não seus outros amigos. Estou certo?

Yunho escondeu o rosto com as mãos e murmurou um “sim” baixinho. Estava morrendo de vergonha naquele momento, principalmente por a ficha ter caído. Talvez, se estivesse mesmo carente, teria conseguido se imaginar beijando outra pessoa além de Mingi. Era tão surreal, quase não conseguia acreditar. Foi abraçado por Wooyoung e isso o deu coragem para encará-lo.

— É claro que isso pode não significar nada — sussurrou o mais novo, tentando confortar o amigo. — Mas se quiser confirmar mesmo o que sente, precisa tomar uma atitude.

Yunho se lembrou da conversa que teve com Song pelo telefone na noite passada, e cada palavra manhosa dita por ele pareciam um incentivo para que tomasse a tal... atitude. Ficou ansioso de repente para o dia de amanhã, afinal iria ver Mingi antes de sua apresentação, e mesmo que fosse só por alguns minutos, seria perfeito.

Não precisaria de muito tempo para devolver o beijo dele.


Notas Finais


alguém surpreso pela fic ser boiola demais?
o bocão do mingo me inspira
até breve colegas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...