1. Spirit Fanfics >
  2. Seven Days - Narusasu >
  3. Perigoso

História Seven Days - Narusasu - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


voltei desculpa a demora então escola, e isso tá imenso eu escrevi o início do lemon umas três vezes, nunca ficava bom ToT

Capítulo 8 - Perigoso





"Dia VIII – Segunda-feira..."




Sabe quando você se sente com alguma necessidade de tirar um peso das costas para se sentir livre? Era assim que estava se sentindo antes de ser verdadeiro com seus próprios sentimentos, e agora que havia dito tudo o que precisava, tudo o que sentia e tudo que queria dizer se sentia aliviado, por mais que fosse perigoso já que se não lhe fosse recíproco colocaria tudo a perder com aquela pessoa as vezes achar que se amavam e ser o único a ter se apaixonado na história podia doer e muito, mas já que esse não era o caso de Sasuke apenas se sentia feliz, suas relações eram confusas os dois vivam em um constante ciclo de vontades, ações a serem feitas, excitação a flor da pele, e seus futuros totalmente incertos, ter em mente que aquilo não daria em lugar algum se não tomassem uma decisão definitiva os machucavam internamente.


O caminho de volta para a casa do Uchiha havia sido de alguma maneira especial agora se sentiam livres a demonstrar afeto e sentimentos um pelo outro o que antes era diferente, não queriam se mostrar frágeis um para o outro estavam envolvidos por uma bolha de tesão e agora que conseguiram rompe-la tendo enfim o sexo que tanto queriam talvez aquilo poderia voltar em um futuro, mas agora tudi que queriam era finalmente chegar em casa para que pudessem resolver tudo.


Dúvidas lhes perseguiam a todo instante e suas mentes querendo ou não estavam envolvidas em sentimentos os fazendo ficar confusos, o que lhes tomavam conta era o desejo que tornava tudo aquilo mais fácil de seguir mesmo tendo a questão do laço familiar o que ainda era uma pedra em seus caminhos, queriam sumir com aquilo o que parecia cada vez mais difícil.


Sasuke sentia necessidade de ser fodido outra vez por Naruto e nada lhe impediria em relação a isso, nem mesmo sua mãe, aquilo o possuía a cada instante nao sabia se era o motivo dos toques de seu tio serem feitos de uma maneira que lhe deixava louco ou porque se sentia aos céus tendo eles, o que recebia era como o insano, lhe dava uma mistura de sensações levando a imensa excitação que tinha.


Sabiam que não se arrependeram de nada e sentiam que tudo aquilo podia se tornar algo ainda mais profundo para os dois, a tesão recaiu novamente em meio os dois quando a porta da casa fora aberta e deram o primeiro passo para dentro dela o lugar estava silencioso e saber que nada nem ninguém poderia atrapalhar aquilo era melhor ainda.


Se jogou no sofá e o viu caminhar até a cozinha para guardar as bebidas dentro a geladeira não demorou muito para ter a atenção voltada a si novamente e com duas latinhas ele veio por que sua áurea era tão excitante? Não entendia o motivo, mas possui-la a seu redor lhe dava recompensar um tanto quanto boas.


– Toma. – Deu a Sasuke e se sentou do outro lado do sofá, sabiam que aquilo era apenas um início a bebida acendia algo dentro deles que fazia com que aquilo se tornasse ainda melhor, a sensação do álcool entrando em seus corpos lhe davam uma nova visão do que tinham.


Pareciam dois adolescentes flertando para conseguir uma transa, se devoravam apenas por seus olhares fixados um no outro, quando suas pupilas tinham um contato profundo era de arrepiar uma sensação percorria por cada canto de seus corpos e ali naquele sofá a única coisa presente entre eles era o espaço, o clima não podia ser melhor a sala era iluminada pela luz que vinha de algum poste na rua e o resto do espaço um completo escuro.


A medida que a bebida descia por suas gargantas tudo ficava mais difícil de raciocinar conter suas vontades era algo que não seria possível sabiam disso, e apenas precisavam de um impulso e como Sasuke nunca fora de esperar a oportunidade perfeita, porque não cria-la?


– Está afim de jogar um jogo tio?

– Você é como um capeta quando ffaz de tudo para me provocar, e o pior é que eu sou imbecil o suficiente para gostar disso. – O sorriso malicioso que via chegava a ser cínico estava estampado e Sasuke não fazia questão de esconde-lo, ambos fariam daquela sala um inferno e não era isso o preocupante era como aguentariam tudo o que vinha após aquilo, tensão... Digo tesão. – Como seria seu jogo?

– Nada difícil comprou uma vinho certo? – Encarou o teto e lhe olhou novamente o fuzilando pelo olhar. – Eu vou encher duas taças e te fazer uma pergunta, se não responder vira de uma vez, e você faça o mesmo comigo.

– Sinceramente não sei o que eu ganho com isso, mas como gosta das preliminares aceito seu jogo.


Riu da impaciência que seu tio tinha, sabia que ele queria apenas chegar em casa e lhe pressionar contra uma parede até que estivesse em seu colo com seu pau entrando dentro de si, transar era tudo que ele queria, e não o iria julgar estava da mesma maneira, queria apenas estar sentindo o misto de sensações que era o pau de Naruto entrando dentro de si com toda sua força.


Se não fosse tão tentado a malícia certamente de que já estariam a esse ponto, mas não gostava do que era fácil, queria usar de seus dons para aquela noite a intensa vontade de ser fodido poderia muito bem esperar, se levantou e caminhando até a vidraçaria pegou as taças de vidro junto a garrafa, e enquanto se sentava abriu da garrafa e apoiou as taças a mesinha de centro, as encheu e lhe estendeu uma entregando-a e ficando com a outra.


– Seja sincero o que achou de me foder? – Não gostava de enrolar era direto e as vezes aquilo chegava a assustar.

– Hm... Direto, bem posso te dizer que foi a melhor pessoa que eu já fodi nessa vida, achava que era inexperiente e inocente e me arrependi estar dentro de você, caralho que sensação do inferno. – Arqueou a sobrancelha e riu internamente por mais que tivesse gostado de ouvir aquilo não sabia ao certo se deveria acreditar em Naruto.

– Muito bom, não esperava por essa. – Não queria se mostrar frágil como mais cedo queria mais do que tudo que ele esquecesse aquele momento de romance quando estivessem fodendo. – Sua vez pergunte o que quiser.

– O entregador, o que vocês têm?

– Tínhamos, nada sério, quando algum de nós dois tinha vontade de transar simplesmente nós conseguíamos um jeito de saciar a vontade um do outro. – Deixou claro que o que eles tiveram não existia mais. – Há quanto tempo tinha vontade de me foder?

– Você é bem direto não acha? 

– Responde. – Não que estivesse impaciente, mas tinha vontade e queria saber.

– Seu aniversário de treze anos, caralho quando você apareceu naquela sunga eu enlouqueci sua bundinha já era tão grande que me deixou excitado e desde então tive que me conter.


Os olhos negros se fixaram ainda mais nos azuis, se havia gostado de ouvir aquilo? Não sabe o quanto.


– Uau, sete anos reprimindo uma tesão que eu não soube nem como conviver com ela, você é forte. – Sabiam provocar um ao outro e talvez isso fosse seus golpes baixos.


Soltou todo o ar de seus pulmões, seus lábios chegavam a formigar com aquilo que ele dizia, fazia expressões tão inocentes e dizia coisas tão sujas.


Incrível.


– Nunca esteve em meus planos não conseguir isso e só foi mais fácil quando sua mãe me fez aquele convite que foi um tanto quanto impossível de não aceitar, cuidar do meu sobrinho tão querido ahh, que pedido tentador.


A boca de Sasuke se abriu minimamente o suficiente para ver sua língua imaginava qual seria sua próxima insinuação se encaravam de maneira profunda como nunca fizeram queriam desvendar das palavras que diziam e a cada frase que soltavam tudo ficava mais difícil.


– Está dizendo que veio para cá cuidar de mim já com segundas intenções tio? – Sua voz saiu rouca queria provoca-lo e sabia que por dentro Naruto deveria estar louco.

– Talvez... 

– Que feio tio.

Ahh Sasuke. – Disse rouco o suficiente para lhe fazer arrepiar se aproximando de joelhos o suficiente para conseguir toca-lo e provoca-lo na medida que quisesse, o puxou pela cintura fazendo com que ele ficasse rente à seu corpo ambos ajoelhados o que não durou muito tempo já que se sentou e seu sobrinho como sentia seu colo ser tão receptivo apenas ficou em cima dele envolvendo suas pernas a sua cintura. – Se fazendo de inocente tão gostoso... Não vou mentir eram essas minhas intenções, e agora me diga você quando sentiu vontade de dar para mim?

– Hm... Meu aniversário de treze anos quando você propositalmente deixou a porta do banheiro do meu quarto aberta e lá embaixo ao chuveiro com a água escorrendo seu corpo tão lindo você se masturbou contra a parede do box, se lembra disso?

– Olha que surpresa, então aquilo funcionou? Que estranho nem passou pela minha cabeça que você poderia ser tão safado ao ponto de espiar seu tio tomando banho.


Chegava a ser óbvio o quanto era cínico e sabia muito bem de seu cinismo assim que Naruto havia saído da piscina sua mãe deixou que ele tomasse banho no banheiro do quarto de Sasuke já que os outros da casa estavam ocupados e fora tão sujo ao deixar a porta aberta que seus olhos oscilavam a todo instante entre seu pau e a fresta que a porta deixava, tudo o que mais queria era ver o rostinho inocente e corado de seu sobrinho apreciando os movimentos que fazia com seu pau apenas para ele e dele, pensava que nunca poderia ver algo tão excitante quanto a cena de seu tio gozando sobre o próprio abdômen e a água levando o líquido branco de seu corpo, se tivesse que dizer quantas vezes se tocou apenas se lembrando daquela cena não se lembraria.


– Francamente você é um canalha de querer fazer isso com uma criança, e ainda mais por sempre ter sido tão gostoso e nunca se dava o trabalho de vestir uma camisa, caralho quando você dormia aqui e eu era o primeiro a acordar, descia até aqui só para ver você quase nu dormindo, caralho quantas vezes eu pensei no quanto seria bom te chupar eu ficava louco em pensar no que sua box escondia. – Disse sem pudor algum estavam jogando tudo que pudesse deixá-lo louco, poderia dizer o que fosse para aquilo ficar interessante mesmo que tivesse de se expor.

– Sempre foi uma criança safada então Sasuke, se eu soubesse antes desse seu desejo de me chupar eu nunca teria te impedido


Sentiu as pontas dos dedos quentes de seu tio lhe apertarem a cintura e a medida que perambularem pelo local o arrepio ficava pior. 


– Nunca te vi como um sobrinho, nunca te vi como alguém que deveria manter um laço afetivo acho que sempre quis te foder, e quanto eu já tive que me conter você não tem ideia, sempre imaginava o quão bom seria eu enfiar meu pau no seu cuzinho mesmo sendo só uma criança, mas não eu não era um pedofilo o jeito era esperar você crescer. – Sua voz saiu como facadas em seu peito o tom rouco era tentador em níveis que não conseguia explicar gemeu apenas ouvindo aquilo, sentia o quanto ambos estavam excitados sua ereção pressionava contra a de seu tio era incrível aquilo.


Sua boca percorreu seu pescoço branquinho, tentava ter mais daquele contato, mas queria resistir aquilo ouvir seus sussurros lhe deixava louco era tudo tão bom...


– Mikoto sempre cuidou muito de mim, mesmo que nós não fôssemos cem por cento do mesmo sangue eu sempre amei muito minha irmã como família, e quando você chegou eu passei a te amar só que não como amava sua mãe, eu queria você... – Seus movimentos eram tão bem feitos que pareciam ser calculados e seu nem percebeu quando o zíper de seu moletom já estava aberto mostrando seu abdômen totalmente exposto. – Eu queria você, gemendo meu nome. – Caralho não sabia o quanto era bom ouvir aquilo.


Estava soltando sua respiração sem controle algum a casa estava silenciosa conseguia ouvir apenas o que ele dizia e seguia seu jogo com uma tranquilidade incrível o modo com que ele falava, lhe tocava tentava ao máximo não olhar em seus olhos já que sentia ser fuzilado por eles apenas pelo contato talvez aquele fora seu erro tentar evita-los.


Entrelaçou seus dedos aos curtos fios de sua nuca e os puxando obrigando ele a lhe olhar escapou de seus lábios o resquício de sua voz e pelo curto gemido de Sasuke sentiu uma fisgada em seu ventre, estava necessitando de contato.


Queria perguntar sobre tudo que ele tinha dúvidas, mas não era fácil não conseguia formular frase alguma com toda aquela pressão que ele fazia sinceramente ele o deixava extasiado até mesmo louco.


– N-nagato. – Murmurou sabia que ele entenderia apenas pelo nome.

– O que tem ele?

– O que vocês tiveram? – Sasuke perguntou intrigado, e não, Naruto não colocaria tudo a perder, nada lhe disse apenas pegou a taça novamente e a virou engolindo do líquido roxo, ficou um pouco triste por não ter a resposta, mas sabia que não era nada além de passado.

– Não quero dizer.

– Me beija.

– E nosso joguinho? – Perguntou inocentemente

– Foda-se essa porra de jogo. – Estava ansioso e talvez raiva lhe ajudou a chegava ao ponto de implorar. – Eu só quero te beijar.


As mãos bronzeadas percorreram por sua cintura e o breve contato que elas lhes deixavam o fazia ficar extasiado, os curtos dedos do garoto lhe rodearam os botões de sua camisa e lentamente se afrouxavam caindo um por um, fazendo com que o pano deslizasse por seus ombros o fazendo sair de seus braços encarou os olhos azuis novamente procurando amparo a seus movimentos, suas curtas unhas lhe marcaram os ombros descendo por toda suas costas e que sensação incrível não sentiam que aquilo era apenas um compromisso de foderem se sentiam unidos chegava a ser diferente de tudo que já haviam feito.


Se gostavam, e sabiam disso.


Seus olhos azuis brilhavam de maneira que nunca havia visto apreciava o corpo de Sasuke e pela primeira vez marcou seu pescoço bronzeado e o mordeu subindo até chegar ao lóbulo de sua orelha era incrível o calor que ele emanava, os únicos sons que preenchiam o local era de suas respirações ofegantes e do som de seu lábio se soltando da pele do maior.


Se afastou novamente e o olhou nos olhos transbordava tentação via o quanto ele estava ofegante e aproveitaria daquilo conseguia sentia sua excitação no ar o que lhe dava coragem, mordeu seu lábio inferior encarando seus lábios, sentir as mãos apertando sua cintura fina lhe dava uma inquietação que instintivamente começava por se mexer no colo dele, não sabia em que instante haviam chegado aquilo, mas chegaram e agora só queriam sentir um ao outro não se importava com mais nada queria apenas fode-lo naquele momento aquilo parecia ser a única coisa importante.


– Então me beija... – Disse entreabrindo seus lábios sabia como deixá-lo instigado para fazer seus movimentos podia se encantar ainda mais com a visão que tinha Sasuke tinha todas as qualidades que uma pessoa precisava tanto físicas quanto para uso próprio tudo o que fazia era tão incrível que apreciava a qualquer um de seus movimentos.


Não é como se não tivessem vontade ou como se lhes faltassem coragem não precisavam de nada apenas tinham que parar de enrolar com tudo aquilo e ir direto ao ponto, mas Sasuke gostava de deixá-lo instigado para depois descontar tudo em si, soltou todo seu ar e quando seus bocas se juntaram a intensidade que passaram um para o outro foi incrível, respirou fundo do ar intenso aquele daquele jogo sentiu seu queixo ser segurado por seu polegar e seu indicador quando queria conseguia ser um tanto quanto carinhoso quando sentiu novamente a respiração ofegante cair contra seus lábios se arrepiou ainda mais com aquilo.


Fora tão rápido que parecia outra pessoa de um queixo sendo tocado por dois dedos os mesmos agora precionavam a ponta de seu maxilar fazendo pressão como se estivesse sendo enforcafo, estava fora de sua mente com aquilo, não raciocinava como antes, não conseguia pensar em nada que não lhe levasse a aumentar seu tesão acumulado.


Seu futuro certamente de que não poderia ser bom, mas seria seu, seria feito para si e ainda melhor seria com Naruto, não conseguia pensar em sua vida não estando ao lado dele mesmo que não conseguisse muitos de seus sonhos apenas estar com ele já era sua melhor realização, a melhor sensação já era ser fodido por ele.


Sasuke não queria que ele fosse apenas uma paixão, ele queria que fosse sua vida queria ser tudo em sua vida queria conhecer o mundo ao seu lado e se no fim desse tudo errado não se importaria largaria tudo para que pudessem ficar juntos.


– Sabe que sua mãe chega hoje a tarde não é? Eu quero aproveitar o máximo possível vou sentir tanta saudade de você, do seu corpo. – Suas mãos que antes estavam em sua cintura apertando a pele lisa desceram por seu corpo apalpando suas nádegas e as apertando.


Ouvir os arfares escapando de sua boca a medida que apertava sua bunda, apreciava esse som, se sentia um Deus por ter aquele corpo todo para si usando de tudo que podia.


– Hm... Você parece bem excitado. – Sasuke sussurrou pondo sua boca ao pé de seu ouvido e soltando um gemido assim que sua frase fora retribuida com um aperto.


Se mexia em seu colo, aproveitando dos olhos azuis que lhe admiravam, aproveitava o toque de suas mãos que ficava cada vez mais quente.


– Estou mesmo. – Sua voz rouca sussurrada em seu ouvido era insana o que fazia consigo, conseguia abalar todas suas defesas, sua mão deslizou pelo corpo indefeso de seu sobrinho subindo por seu pescoço e com o toque caloroso seu polegar acariciou com pressão seu lábio inferior, contornava cada parte de seu corpo com sua outra mão conforme soltava sua respiração contra a pele arrepiada de Sasuke. – E como eu estou excitado, você nem imagina, tem algo que pode fazer não acha? – Estava impossibilitado de responde-lo sua voz lhe penetrava insanamente o deixando sem raciocinar, seus lábios tomaram espaço um do outro era exatamente essa sua intenção com aquela frase, o que fora o sufiente para que seu polegar se enfiasse entre eles, seu sorriso nesses momentos transbordavam perigo.


O retirou lentamente de sua boca, tomando o lugar então com seu dedo indicador junto do médio, sentindo envolve-los em sua saliva que os deixava encharcado pelo entrelaçado de sua língua, totalmente molhados agora pode finalmente o encarar, ouvia e sentia sua respiração se expulsando de seus pulmões e seu rosto tinha um vermelho tomando conta a cada instante.


– Vai ajudar seu tio, na nossa última noite, não vai? – Sasuke acenou positivamente deixando escapar um gemido manhoso. – Bom garoto, não sabe o quanto estou ansioso para ouvir você gemendo meu nome, é tão gostoso você gritando deve imaginar o quanto eu fico louco entrando em você, não é?


Puxou todo o ar que podia e ao sentir a mordida dada em seu pescoço junto de sua língua tomando todo o espaço, soltou com força sua respiração aquilo era como um gatilho, não esconderia sua necessidade de tê-lo e sentiu os dedos saírem de sua boca, sabia o que vinha e é por isso que ficava aliviado seu corpo sabia que necessitava daquilo.


O beijo fora brusco e firme, suas línguas tomavam conta uma da outra a medida que seus lábios tremiam um contra o outro, suspiravam na tentação de possui-los e com o tempo tudo ficava mais insano.


Sentia as mãos de seu tio firme a seu corpo e a curvatura de sua cintura apenas as deixava ainda mais firmes, enquanto uma lhe segurava firme o corpo a outra com os dedos molhados lhe acariciava um de seus mamilos, caminhou seu pescoço com beijos suaves que apenas por lhe tocar causavam um arrepio, conforme o mordia apertava entre seus dedos ao mamilo rígido arrancando gemidos nada silenciosos de Sasuke, podia sentir o garoto empurrando seu corpo contra o seu apenas para conseguir o mínimo de contato que seja.


Agarrou os fios loiros em sua nuca com um certo aperto, o que chegava a ser totalmente excitante para Naruto que soltou sua respiração quente contra o peito gelado do Uchiha que arrepio insano percorrerá seu corpo, suas unhas curtas percorreram sua nuca e seus ombros largos sentindo seus dedos finos arrepiarem a pele quente de seu tio.


– Me diz Sasuke, o quanto você quer me chupar? – Soltou o murmúrio contra sua orelha.


O garoto sorriu banhado em luxúria, sempre que fazia isso sentia algo totalmente diferente que o de costume, seus polegares desceram pelo peitoral definido de seu tio deixando que eles conhececem cada parte em que o caminho formava até chegar em seu umbigo onde pode sentir a risada expulsar o ar contra seu pescoço.


– Quer tanto meu pau assim?

– Não sabe o quanto. – Não se envergonhava mais perto a ele, era incrível como pareciam duas pessoas totalmente diferentes de mais cedo, sua mãozinha continuou descendo até que apertasse entre seus dedos o membro ereto pedindo para que saísse de dentro do tecido de sua bermuda.


A conexão que tinham chegava a ser incrível, a vontade que tinham de fazer tudo em conjunto era imensa, não se contentaria apenas com aquilo, a medida que saía do colo de seu tio as mãos dele se fixaram a sua cintura retirando sua bermuda o deixando apenas com uma box azul marinho, deslizou seu corpo ao chão onde ficou apoiado em seus joelhos, direcionando a atenção a Naruto o vendo se virar e colocar seus pés ao chão frio.


Sorriu com tanta malícia que não parecia a mesma pessoa, suas mãos percorreram o abdômen de seu tio e com sua ajuda seus polegares lhe tiraram a bermuda junto da box fazendo com que as peças ficassem jogadas ao relento do chão, ouvir o som que ecoou ao ambiente assim que a ereção de Naruto se chocou contra sua pélvis fora incrível, sabia que estava mais próximo que nunca de conhecer novamente o paraíso.


Pressionou seu maxilar fazendo pressão com seus dentes mostrando o quanto aquilo lhe agradava espalmou sua mão contra a coluna de Sasuke, fazendo com que sua mão descesse lentamente e penetrasse por dentro de sua box, o ouvindo suspirar em aprovação a medida que seus dedos ainda úmidos circulavam sua entrada que já estava necessitando do contato.


Seus dedos firmes estavam sendo pressionados entre as nádegas fartas de seu sobrinho que ansiava com desespero para que fosse penetrado, mas Naruto nunca fazia ser fácil, ele sempre o fazia desejar o inferno para depois ser levado ao céu, esperaria seu sobrinho começar a aproveitar de seu pau para enfim lhe dar prazer querendo o dar uma ilusão de que já estavam no ápice.


Se ele podia brincar como bem entendia por que não fazer o mesmo, sobre o olhar malicioso de Naruto mordeu seu lábio inferior e então pode ver eram ambos dois demônios brincando com a sanidade um do outro, levou sua mão até o membro ereto que tinha um fio do pré-gozo ligado seu abdômen envolveu-o num aperto ouvindo um arfar do maior contra seu ouvido e então pressionou seu polegar contra a glande que já expulsava do líquido queria fazê-lo desejar o inferno tanto quanto si e quando finalmente tinha envolvido toda a cabeça com o líquido transparente o olhou vendo que já não tinha sanidade em seus olhos.


– Quer brincar comigo mesmo tio? – Não precisou de mais nada para Naruto entender enquanto não fosse recompensado ele também não seria sentiu seu interior ser penetrado por seus dois dedos gritando pela forte investida que lhe fora dada.


Já sem nenhuma consciência levou a mão ao entorno fazendo com que seus movimentos agora fossem retribuídos subindo e descendo em seu pau, estava disposto a fazer daquela noite melhor que a anterior.


Quando começou a ser provocado seus dedos não resistiram à se enfiar na entrada do garoto deslizando pela superfície e adentrando sentindo a maciez de seu interior naquele ritmo acharia seu ponto doce facilmente.


Soltou um gemido manhoso era incrível poder olhar para cima e ver os olhos de Naruto lhe olhando e seu braço passando por suas costas e acabando com a falta de contato de seus corpos ao enterrar os dedos em sua entrada, apertou o membro de seu tio com mais pressão, colocando seu polegar sobre a fenda e massageando com cuidado aquela área sensível que lhe pedia atenção fazia círculos com a ponta de seu dedo o vendo pulsar com força seu pau tentava se conter com a excitação, mas nunca lhe dava trégua.


Apertava não para que doesse, mas sim para fazer uma pressão na base até que subisse a cabeça, os dedos de Naruto estavam tão bem colocados que não seria dificil encontrar sua próstata ali, seu indicador se enfiava em lugares que lhe fazia soltar sua respiração ofegante e os gemidos manhosos, o corpo todo de Sasuke era incrível.


Lambeu suavemente a glande provando do líquido transparente, deixou a fenda nitidamente melada de saliva o que o deixava ainda mais em tentação.


– Caralho como faz isso tão bem sem nem ter começado a me chupar ainda?

– Eu disse tio não sou inexperiente.

– Você é muito safado sabe, não é? Falando essas coisas só para me provocar. – Disse abrindo seus dois dedos dentro de seu interior, o rosto de Sasuke estava tão próximo a seu abdômen que sentia sua respiração quente a medida que suspirava contra seu pau.

– Hm... T-talvez. – No instante em que a mão pequena se abaixou envolta ao membro duro de Naruto, olhou para cima encarando os olhos azuis, ele parecia não se aguentar em sua excitação e aquela situação lhe deixava louco.


Sasuke colocou sua língua para fora e ainda o olhando começou a envolver a glande rosada em sua superfície, brincava como se fosse um doce e usava muito bem daquilo estava tão tentador que não aguentava mais se segurar queria muito chupa-lo com maestria tendo sensação diferente das outras vezes.


Sentir o garoto fazer aquilo era incrível a sensação de ter seu pau envolvido em sua boca era de outro mundo, sabia que seria condenado, mas a luxúria que recebia era muito melhor do que pensava.


Liberou seus dedos do interior de seu sobrinho e os mesmos foram subindo até que envolvesse os fios negros de sua franja em meio a eles para que pudesse ver bem a visão que teria.


Lambeu da base até a ponta contornando a cabeça com sua língua e logo a envolvendo em seus lábios, Naruto suspirou e gemia sem nenhum pudor sua boca era de enlouquecer, sugou seus lábios com força sentindo do pré-gozo entrando em sua boca podendo sentir do gosto salgado.


Contraiu o abdômen, estava rendido ao imenso prazer que seu sobrinho lhe dava com apenas um boquete, e sentiu todo o ar se perder de seus pulmões assim que sua ereção deslizou entre os lábios quentes de Sasuke batendo em sua garganta.


Seus dedos já haviam tomado posse de seus movimentos fazendo sua cabeça descer com mais velocidade e força apertando os fios escuros sinceramente amava aquilo, estar fodendo a boca de seu sobrinho lhe dava uma sensação diferente.


– Porra Sasuke é muito bom chupando um pau. – Murmurou em seu ouvido, perdido a sensação que era ser chupado por seu sobrinho, ouvia do som de seus lábios se soltando da ereção era incrível a saliva que se misturava dentre seus lábios.


Deixava com que os gemidos escapassem de sua boca não era possível conter aquilo, retorcia suas pernas ao misto de sensações que lhe causava, sentiu não estar mais envolto por Sasuke e então o olhou.


– Gosta de como eu te chupo tio? – Perguntou o envolvendo com sua mão e começando a masturba-lo tomou novamente com sua língua tomando de todo o líquido que escorria de lá.

– É incrível, se eu soubesse disso te garanto que tinha fodido sua boca bem antes. – Suspirou fazendo com que o garoto voltasse a lhe chupar, apertava os fios de seus cabelos com força sabia do masoquismo de seu sobrinho e amava isso nele era tão excitante a maneira que sabia que poderia fazer o que quiser, a necessidade era incrível.


Sabia que seu tio ansiava por mais contato e fora por justamente isso que começou a penetrar seu pau ao máximo que podia em sua garganta chegando a tocar seu nariz no abdômen sarado, sorriu com toda a malícia que tinha.


– Eu devia te tratar como uma das piores pessoas desse mundo, mas não consigo porque é tão gostoso. – Disse o afastando e olhando em seus olhos ainda com os fios de cabelo em meio a seus dedos.

– O que foi? Não aguenta mais? – Por algum motivo sua provocação não fora respondida.

– Hm... Nem imagina o quanto eu ainda aguento. 


Usou suas mãos de base as coxas de Sasuke ajudando o garoto a se erguer e se sentar novamente em seu colo era incrível o contato que tinham sem estar com seu pau em seu sobrinho ainda assim o calor era imenso, sua língua fora até um de seus mamilos rosados o envolvendo em saliva mordendo e puxando lentamente, apertava com força sua cintura o que fazia gemer extasiado.


Encarava os olhos escuros com tentação o via o garoto não conseguia ficar de olhos abertos quem dirá conseguir ficar sem gritar e nissk nem haviam começado.


– Quero que faça sozinho. – Espalhou seus beijos pelo peitoral deixando rastros de suas mordidas em seu peito.


Não o provocaria, pegou o dedo anelar e o médio de Sasuke levando até sua boca onde os encharcou com sua saliva e lentamente os retirou de seus lábios devolvendo sua atenção ao garoto sabia o que queria e daria essa visão a ele, levou seus próprios dedos a sua entrada e os circundou na extremidade o olhou vendo que ele lhe encarava com luxúria parecia que tudo que fizesse o encantaria, estava perdido naquilo e ao mesmo tempo que penetrou seus próprios dedos em si um gemido cortou sua garganta por mais que não se importasse de se machucar não seria tão bom assim se ficasse dolorido mordeu seu lábio inferior a medida que remexia seus dedos dentro de si.


Sentiu a mão de Naruto se aproximar de sua extremidade tirando a sua de lá, envolveu seu pau com sua própria mão, e ao sentir a glande ser pincelada em sua entrada pode resmungar pelo quanto estava sensível senti-lo entre suas nádegas era caloroso ainda mais pelo fato de que ele não fazia questão de entrar chegava a ser louco o arrepio que lhe tomou o corpo estava dolorido aguentar aquilo.


– Faça você mesmo. – Disse acabando com a confusão que havia criado na mente do pequeno, fora como um gatinho obediente Sasuke abriu ainda mais seus joelhos e posicionou o membro de seu tio rente à sua entrada e lentamente se sentou deslizou sem dificuldade alguma, e claro que não deixaria o controle ser total do Uchiha.


Prendeu suas mãos em sua cintura e em um único impulso o fez descer penetrando totalmente seu pau em seu interior, ouvi-lo gritar daquela maneira fora incrível era uma posição nova que testavam agora e queria fazê-la ser incrível, deslizou sua mão pelo quadril do garoto deixando-as em sua bunda uma de cada nádega lentamente o ajudou a subir e em uma única enterrada o fez novamente.

Era incrível o contato que faziam a seus corpos quando eles se encontravam e o rosto corado de Sasuke o encarando e gemendo ao encontrar seu interior era incrível, subia até a glande inchada e descia com velocidade batendo contra as coxas de Naruto o atrito era imenso e ele parecia gostar da maneira que fazia tudo aquilo.


– Assim é m-muito lento e-eu preciso de seja mais rápido. – Se quisesse que implorasse não se importaria, e amava a maneira que tinham uma sintonia, Naruto o empurrou para trás batendo suas costas contra a superfície lisa do sofá o que fez que ficassem frente a frente.


Usou suas mãos grandes para lhe dar apoio a parte de trás das coxas de Sasuke onde as usou de apoio podendo assim entrar com tudo no garoto, tinha as coxas pressionadas contra seu peito enquanto o maior tinha total espaço para enterrar dentro de seu corpo, naquela posição tudo era mais profundo não fora nenhum pouco difícil lhe acertar a próstata ouvindo um grito agudo do moreno.


– Aí... Bem aí. – Dizia com sua voz totalmente em deleito entendeu de imediato e lá se concentrou.

– Não era isso que ahh, você queria? – Perguntou para provoca-lo. 


Entrava firme e com velocidade e saia lentamente com precisão procurando lhe dar dos melhores toques, soltava todo o seu ar quando entrava por completo atingindo de seus pontos profundos, deixou com que Sasuke pudesse agarrar suas pernas ao entorno de sua cintura aproximando ainda mais seus corpos, conseguia entrar com tudo que tinha o único som ali era de sua pélvis se chocando contra o corpo do menor e ele gemendo sem pudor algum doía não negava, mas o prazer que recebia em troca não podia ser comparado.


O alívio que era seus lábios serem colados a um beijo era inexplicável, tentava transmitir toda a calma que o menor precisava, mesmo que tentasse alivia-lo não dava trégua tocava seu interior com todo seu pau e o ouvir gritar lhe dava ainda mais impulso para penetra-lo.

– N-naruto vai ahh, cuidado porra! – Não iria dizer que não gostava de quando ele não tinha piedade alguma, mas estava intenso a intensidade.


Não queria machuca-lo e continuava entrando com precisão sem tanta velocidade e saindo lento, envolveu sua mão ao membro de seu sobrinho começando a masturba-lo lentamente, ele era um tanto quanto fraco a seus toques sentiu que ele já pulsava descontroladamente e pressionando a cabeça com seu polegar não demorou muito para que seus gemidos se tornassem sofregos e a medida que aumentava a velocidade o via ficar louco.


– N-naruto me deixa gozar por favor! – Implorou a suas vontades e pode então sentir uma última descida da mão grande lhe puxar a pele e tirar seu dedo dali o vendo lançar todo o sêmen contra seu abdômen.


Entrava como nunca Sasuke amava aquilo tanto quanto a si mesmo, usava do movimento de seus quadris para que deslizasse com maestria e movimento, desconhecia daquela maneira e velocidade que entrava, mas podia ver o quanto era bom seu pau saindo lentamente e sincronizado aos gemidos de seu sobrinho entrava com tudo, gritava de maneira manhosa, o que era louco ver como dilatava para que pudesse entrar e se contraria quando saía.


– Se soubesse o quanto você mexe comigo me acharia bobo. – Disse se afastando deixando apenas sua glande envolvida a sua entrada, não tardando a entrar com tudo novamente, revirava seus olhos em prazer e o via implorar por aquilo mais e mais.


E fora nesse instante que saiu por completo ouvindo um gemido em protesto de seu sobrinho, mas aquela noite seria longa havia muito para gozar, ainda apoiado a seus joelhos lentamente se "rastejou" ficando apoiado ao meio da barriga de Sasuke onde o pegou pela nuca fazendo-o levantar o rosto e entreabrir seus lábios pode encarar os olhos negros havia entendido, lançou sua língua a fora envolvendo a base da glande de seu tio o olhando atentamente.


Naruto envolveu sua mão em seu próprio membro e lentamente seus movimentos começavam subindo da base a glande e massageando a cabeça até que descesse novamente vez ou outra entrava em sua boca enchancando seu pau em saliva, de instante sentiu sua visão turva e pode sentir do gosto de seu tio gozando em sua boca não tinha outra coisa a dizer a não ser maravilhoso, o que poderia ser tão estranho fora um sensação incrível.


Estava fraco seu corpo todo tremendo e queria mais, ansiava por mais se considerava um tanto quanto sádico aquilo chegava a ser louco, fora colocado em seu colo e apenas retomou consciência ao se ver jogado em sua cama, as orbes azuis o encaravam com luxúria sabia que Naruto queria mais tanto quanto si, lentamente deu espaço para ele entre suas pernas novamente, céus... Havia viciado naquilo.






O interfone tocava sem nenhum descanso, o toque era completamente irritante e que inferno sabia que seu tio era bem preguiçoso pelas manhãs sobrando justamente para si, teve de sair em meio a seus braços ou o toque não iria parar.


Não faziam ideia de quantas horas eram, sabiam apenas que haviam dormido pelas quatro da manhã e estavam cansados extremamente cansados, nada havia passado em sua mente... Ou melhor ninguém.


O prazer que tinham enquanto estavam juntos era imenso e não ligavam para como ficariam após, e o clima de tesão entre eles ainda era imenso e fazer esforço nesse instante parecia ser impossível.


O toque voltou a ser ouvido novamente claramente não aguentava mais, apenas o empurrou vendo seus olhos se abrirem e um azul tomar conta de seu corpo nu sorriu e mordeu seu lábio era um sádico, apenas apontou o dedo do meio de sua mão a ele tarado.


Apenas vestiu sua box que cheirava a sexo o que ali não cheiraria então ainda sonolento e com uma preguiça insana saiu do quarto pondo seu caminho até a entrada, não iria atender a porta exibindo tanta nudez a única peça de roupa a vista de seus olhos era a camisa de seu tio a vestiu abotoando os botões e lentamente indo até a porta com uma carranca estampada em seu rosto.


Girou a maçaneta com uma única coisa em mente quem era o infeliz aquele horário em sua casa, o que era tão importante ao ponto de atrapalhar sua manhã, como se já não tivesse muitos problemas no instante em que virá o outro lado sentiu lhe faltar o ar, não conseguia se expressar estava congelado.


Seus olhos piscavam em confusão não conseguia raciocinar o que via será ser apenas uma alucinação, sorria com alegria por vê-lo, mas ele não seu rosto não escondera tamanho espanto ai vê-la ali engoliu de sua própria saliva abriu um sorriso contente ao ver a mulher em sua frente, não entendeu a expressão confusa que ela fizera até que enfim um dos dois propuseram a dizer algo.


– Essa camisa não é sua, por que usa algo de Naruto?


O que responderia naquele instante? Por mais que tentasse abria sua boca e apenas conseguia fecha-la em seguida sem ter o que dizer apertou seus dedos em meio a palma da sua mão sem ter o que dizer.


Tudo poderia ir água a baixo com uma palavra sequer que dissesse aquilo sim parecia o inferno e se antes não estivera pronto para infrenta-lo teria de fazer o julgador acreditar em suas piores mentiras.


– M-mãe...





Notas Finais


ó céus desculpem os erros quando acabar eu corrijo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...