História Seven Minutes In Heaven - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Armin, Castiel, Kentin, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya
Tags Amor Doce, Kentin
Visualizações 153
Palavras 3.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu vim postar porque sou legal, mas vou desabafar lá embaixo -q

Capítulo 26 - Me Diz o que Fazer


Fanfic / Fanfiction Seven Minutes In Heaven - Capítulo 26 - Me Diz o que Fazer

O clima naquela noite era agradável. 

Depois do jantar, Kentin foi para o banho, Tsuchiya cuidou da louça, mesmo que ele lhe dissesse que não precisava. Seus pensamentos se perderam na sensação entorpecida de saber que logo ele não estaria ali, iria para longe novamente... respirou fundo, seguindo para o quarto. Lá, constatou que ele ainda não tinha terminado, sentou-se na beirada da cama, e passou seus olhos pelo ambiente, olhou-se no espelho grande diante da cama, os olhos se voltaram para a mesa de cabeceira, não sabia se podia mexer ali, mas abriu a primeira gaveta. Haviam algumas coisas ali, típicas coisas de homens, e... uma caixinha de óculos. A segurou com suas mãos ansiosas, abrindo-a, viu que sim eram eles... aqueles óculos antigos. Olhou para eles quase vendo o menino que os usava, sorriu.

— Achou essa velharia?!

Ele já estava de pé no canto do quarto, e ela sequer tinha percebido sua presença. Viu Kentin passar a tolha pelos cabelos, havia uma outra enrolada em sua cintura, Tsuchiya piscou devagar enquanto olhava para ele... tão simples era o fato de sair do banho, mas aquilo despertava coisas nela. Calmamente, o viu aproximar-se da cama, sentou-se ao seu lado, um sorriso nos lábios.

— Por que ainda o tem? - a mulher perguntou afim de afastar os pensamentos que se concentravam nele... no corpo dele.

— Ele é muito velho, o modelo é horrível e não tem mais graus. Mas estranhamente, nunca consegui jogá-lo fora.

— Por que não?

— Acho que ele se tornou um símbolo para mim - ele passou a mão pelo queixo - de como eu era bobo, mas cresci.

— Não era bobo...

— Era sim.

Kentin sorriu, aquele sorriso que ela mais gostava, espontâneo e bonito... do tipo que a fazia sorrir também.

— Posso?

Eles se olharam quando ela perguntou aquilo, Kentin suspirou e fez que sim com a cabeça. Tsuchiya levantou a armação, colocando-a nele... naquele momento, ele parado, sentado diante dela, os cabelos escorridos e úmidos, os óculos assumindo seu lugar... Sem querer, ela sentiu um formigamento, um arrepio lhe percorreu a espinha... Kentin era tão bonito que fazia suas pernas bambearem simplesmente por olhá-la.

Tocou o rosto dele devagar, enquanto ele a olhava através das lentes. Seu coração estava acelerado, a boca estava entreaberta, mas a fechou, parecendo engolir em seco.

— Você está realmente parecendo aquele menino... - sussurrou - Aquele mesmo garoto que sorria fácil, e me agradava com biscoitos e piadas sem graça... - ela o viu olhá-la atentamente. De repente, teve certeza do que se passava em sua mente - Kentin...

— Tsuchiya... - calmamente ele tirou os óculos, os olhos verdes olharam para ela intensamente, convidativos, quase maliciosos - eu não sou mais aquele menino, eu sou um homem.

Colocou com calma os óculos sobre a mesa de cabeceira, tomou a caixinha das mãos dela e fez o mesmo. Aproximou-se ao mesmo tempo em que a puxava para si, beijou sua testa, e desceu até a ponta do nariz, voltou para suas pálpebras e depois as bochechas... cada um daqueles beijos foi de forma carinhosa. Depois, beijou-lhe o queixo, os lábios escorregaram até seu maxilar, desceu suavemente pelo pescoço de pele macia, a acariciou com mais beijinhos delicados. Quando voltou a subir, ela caminhou a mão até seus cabelos, a sentiu acaricia-los até que ele resolvesse beijá-la. Kentin seguiu para ela, juntando a boca na sua, saboreou os lábios doces sem obter nenhuma resistência da parte dela.

Segurou com calma os fios que compunham a bonita cascata que seus cabelos formavam, ele gostava deles, eram bonitos, macios e cheirosos. Afastou-lhe e pousou delicadamente um beijo em sua pele, lhe deu outro e mais outro, antes de ousadamente fazer com que sua língua deslizasse sobre ela.

A ouviu arfar, a respiração já quase totalmente descompassada, os dedos se prendendo em seus cabelos... Kentin não aguentou a tortura, e voltou para sua boca, tomando-lhe a boca com ardor.

Tsuchiya se agarrou à ele, os braços enlaçaram seu pescoço e aprofundou aquele beijo, o prendeu em si com sua língua, deixando um gemido escapar levemente sob sua boca. O corpo dele latejou quando aquele som chegou em seus ouvidos, os sinais claros o jogavam direto para ela, uma enxurrada de segundas, terceiras... infinitas intenções.

— Eu te amo...

Ela disse, tocando-lhe o rosto. Tsuchiya lhe pareceu visivelmente emocionada, mas havia mais nela, com um simples olhar ele pôde notar o convite sinuoso mas totalmente compreensível.

Ela se apoiou na cabeceira, o corpo quase totalmente deitado sobre os travesseiros, ele a acompanhou, ficou sobre ela, a boca sem deixá-la. Apoiou-se na cama com uma das mãos, enquanto a outra se enroscava nos cabelos macios, os cheirou e voltou a passear por seu pescoço, seus cabelos tinham o cheiro do xampu que ele próprio usava. 

Desceu sua mão, tocando-lhe o seio por cima do tecido da blusa, segurando-a pela barra, a levantou devagar, o toque de suas mãos roçou a pele dela enquanto ele o fez. Estava livre por baixo, não havia sutiã, o que o fez respirar pela boca, gostava deles, de vê-los. Os seios pequenos e firmes eram tentadores aos olhos dele... as mãos percorreram a pele, ele os segurou, massageou ambos devagar e foi até eles. Os lábios os banharam, agarrou primeiro um, beijou, lambeu e acariciou sua ponta... e foi então para o outro, fazendo o mesmo e ainda mais intensamente. A cada momento, eles se tornavam ainda mais bonitos aos seus olhos, rigidos e totalmente excitantes. Deixou que uma de suas mãos se tornasse livre, deslizando-a por sua barriga, até o botão da calça, o abriu e desceu o zíper.

As mãos dela também o exploraram, desceram por seu pescoço, as unhas arranharam de leve suas costas e percebendo como ele estava, passou a beijá-lo, a boca desencontrou a dele, e encontrou seu pescoço, acariciando sua pele com sua língua, beijando deliciosamente seu peito. Kentin se ajeitou ao seu lado, procurando uma posição melhor para que pudesse retribuir suas carícias enquanto ela o tocava. Deslizou por ela, as mãos puxaram sua calça até que ela saísse do caminho. 

Desceu pele ventre dela, os beijos carinhosos traçando uma vereda prazerosa, foi por seu corpo até que pudesse segurar suas pernas, e abri-las devagar. 

Olhou com atenção a calcinha que ela usava, e umedeceu os próprios lábios enquanto se sentia pulsar, o membro avisando que estava pronto... mas queria mais. Puxou as mãos dela, fazendo-a segurar as próprias pernas, e quando ela o fez, passou seu dedo devagar sobre sua intimidade... lá estava ela, ansiosa por ele.

Continuou com aquilo, usava seus dedos para acariciá-la, a lingerie pouco velava o que deveria, ele podia vê-la e senti-la, úmida e bonita.

Puxou de maneira provocante aquele tecido fino até que ele fizesse certa fricção sobre ela, e Tsuchiya gemesse baixinho. Continuou fazendo aquilo, até que a excitação já não fosse segredo. Subiu seu olhar até que cruzasse com o dela, a viu morder o lábio, o rosto avermelhado e ansioso direcionado para ele. 

Sem pressa, tirou-lhe a peça íntima, que foi jogada no chão ao lado da calça jeans, voltou para ela, a tocou com seu dedo indicador... ele dançou em seu clitóris, e tal ato a fez arquear levemente seu corpo... fez então com mais intensidade, ouvindo-a gemer com maior frequência. Afastou-lhe as dobras macias, caminhando seus dedos pelo caminho molhado, estremecendo enquanto o fazia. Os subia e descia devagar, fascinado com a facilidade que deslizavam sobre ela.

— Tão linda... - sussurrou enquanto a via fechar os olhos devagar.

Inclinou-se, queria prová-la e guardar seu gosto em sua mente.

Seus lábios encontraram os dela, quentes e úmidos. Se aprofundou, perdendo-se nela... dentro dela. Sua língua percorreu os relevos, e cantos magníficos, enquanto ela gemia descompassadamente... os dedos o auxiliaram, abrindo-a para sua boca fazer seu caminho tranquilamente, a língua o seguiu intensamente, sentindo-a pulsar e agarrar seus cabelos enquanto seu gosto se tornava ainda mais marcante. Ela estava atingindo seu auge, enquanto ele atingia o ponto em que a fazia flutuar, gemeu enquanto o fez... era saborosa e dele, toda dele, cada pedaço. 

Colocou um de seus dedos, e afastou-se apenas alguns centímetros, olhando para ela admirado... os olhos dela estavam fechados e sua boca aberta, aceitando o destino delicioso que seus toques lhe proporcionavam. 

— Kentin... - ela gemeu seu nome, os dedos se enroscaram em seus cabelos castanhos, e ele aproximou a boca ainda mais, sugando-a e forçando Tsuchiya a sentir aquilo - aí...

Abriu seus olhos e o viu entre suas pernas, já o tinha visto ali tantas vezes, mas sempre sentia a mesma coisa. Kentin voltou-se para ela, a língua deslizando através das dobras lisas, buscando seu clitóris inchado mais uma vez, o acariciou devagar, e ela se inclinou em direção a ele, entregando-se a doce tortura.

Kentin gostava de fazê-lo, se suga-la a sua vontade, desejava seu gosto e seus gemidos, e sua excitação só causava nele ainda mais cobiça. Colocou um de seus dedos dentro dela, dobrando-o devagar enquanto o fazia entrar, agarrou seus lábios com sua boca, e a chupou como se fosse a última vez.

O corpo dela estremeceu e ele gemeu de prazer quando a sentiu se derramar em seus lábios... bebeu dela sem receio ou pudor, o gosto agridoce acendendo sua ânsia, sentiu o membro pulsar, tornando-se ainda mais teso.

Segundos se passaram enquanto ele a esperou, Tsuchiya demorou algum tempo para voltar da imensidão maravilhosa que tinha encontrado por causa dele. Lambeu seus lábios e o puxou, as bocas se encontraram deliciosamente, o gosto suave de quero mais invadindo seus sentidos. O beijou com força enquanto o ajudava a se deitar, a toalha estranhamente ainda estava no mesmo lugar, mas ela o notou... notou sua ereção concreta, pronta para si. 

Deslizou beijos provocantes por todo seu peito, tocou seu mamilo delicadamente com os dedos, e o beijou enquanto a mão seguiu até sua virilha, tomou o controle enquanto o acariciava sob o tecido de algodão macio. Kentin afastou os lábios e passou a respirar por eles, vez ou outra gemia baixinho.

 A mulher endireitou seu corpo, e com calma, abriu a toalha. A tirou de seu caminho, sentindo-se entorpecida pela imagem bonita e marcante daquele membro rijo e úmido, totalmente inclinado para ela.

Aproximou-se dele, passou sua perna pelo seu quadril, e inclinou o corpo, tomando os lábios dele para si. Sentiu as mãos deslizando de suas costas para suas nádegas, então esfregou-se nele, o atrito de seus sexos a fez gemer. Desceu os lábios até seu pescoço, voltando a provocá-lo com sua língua.

Sentiu as mãos dele se tornarem firmes em sua cintura, ele a fez rebolar em seu colo, e mais uma vez o atrito entre seus sexos a fez gemer, esfregou-se nele enquanto tentava tirar a própria camiseta sem se embolar nela. O fez devagar, os olhos de Kentin a filmavam com desejo, ele mordeu o lábio inferior.

— Tsuchiya... - ele a olhou, os olhos verdes brilharam em meio ao quarto com pouca luminosidade - você pode... por favor?

A viu fazer que sim, e esperou ansioso. Ela escorregou sensualmente os lábios por todo seu torso, beijou sua barriga e virilha, antes de enfim, segurar seu membro com uma das mãos. 

— O que eu devo fazer?

A voz dela soou provocante. Kentin se ergueu levemente, fitando-a enquanto sua mão subia e descia em uma masturbação lentamente torturante.

— Você sabe - ele sorriu.

— Sei? - Tsuchiya desceu sua mão devagar até a base de seu membro, ele era levemente mais grosso ali. O ouviu gemer - Você nunca pede.

— Ah Tsuchiya... - o sorriso dele se alargou, Kentin acariciou o rosto dela, os dedos caminharam por sua bochecha, e ele segurou de leve seu queixo - Faz do seu jeitinho... mas por favor, me chupa.

Ela não escondeu o sorriso de satisfação. Beijou-lhe novamente a barriga e o tocou com seus dedos macios enquanto ele olhava para ela, ofegante e apreensivo. Com calma, ela ajeitou os cabelos para que não ficassem em seu caminho, e passou a língua com uma vagarosidade torturante em sua extensão rigorosa, deixou que ela encontrasse sua ponta, e a rodou ali, ouvindo-o gemer... fez daquele jeito por mais alguns segundos, até que finalmente o deixou encontrar a umidade e calor de sua boca. O colocou até onde pôde, e voltou a lambê-lo devagar, torturando-o enquanto suas mãos desciam por ele e sua virilha, segurando sua base com certa força. 

Deslizou a boca pela parte macia, sugando-lhe a ponta, rodeando sua língua sobre ele. Kentin moveu levemente os quadris, indo de encontro a sua boca.

— Ahn... isso é muito bom.

Enfim ele lhe confidenciou. Ela moveu sua cabeça, abocanhando quase toda a extensão de seu membro, os dentes raspando de leve em sua pele, uma leve dor sendo causada, mas nada se comparava ao prazer que ele estava sentindo. A visão de seu membro entrando e saindo da boca dela era tão sexy que o fazia estremecer. Kentin acariciou-lhe os cabelos enquanto a via raspar lentamente os lábios em sua extensão.

— Tsuchiya... - disse ofegante, abriu seus olhos o suficiente para manter sua sanidade - não vou conseguir segurar...

Parte dela queria que ele não se segurasse, mas a outra parte queria saciar a si própria. Ela o queria, e sabia bem onde e como.

Ergueu-se devagar, voltando a passar as pernas ao seu redor, levantou os quadris e usando seus dedos, o masturbou de leve. Viu o maxilar dele tornando-se tenso, seus dentes rangeram levemente quando ele os cerrou. Seu membro estava longe dela, e Kentin a olhava ansioso, louco por antecipação, colocou as mãos em seus quadris e a puxou de leve, ela sentiu o tato firme em suas nádegas quando ele as apertou de leve.

— Vem - a voz dele soou rouca - eu preciso de você.

Sem pressa, ela ergueu os quadris, e o guiou para que se encaixassem, gemeu baixo ao mesmo tempo em que se sentava sobre ele, o teve inteiro em seu interior e o sentiu pulsar. Devagar, moveu os quadris, para frente e para trás, sentindo-o rígido dentro de si, suas mãos acariciando suas coxas enquanto se movia. Espalmou as suas em seu peito, acelerando o ritmo, ouvindo-o gemer e fechar seus olhos, balançou e rebolou sobre ele sem uma gota de vergonha, entorpecida pelo atrito de sua virilha em seu ponto intumescido. Deixou um gemido alto escapar quando sentiu o primeiro espasmo, o corpo avisando que o orgasmo não estava longe.

Segurou-se nele com mais força quando ele passou a se mover também. As mãos em seus quadris, ditando como ela deveria fazê-lo com ele, logo estavam em sincronia, gemendo forte enquanto ele encontrava dentro dela o ponto certo.

Kentin se moveu, erguendo-se, ficou sobre ela. Tsuchiya se virou, deitando-se sobre a cama, o enlaçou. Suas mãos quando não acariciavam seus cabelos, tocavam e apertavam seu braço, desejosa, procurando por ele.

Kentin voltou para ela, estavam suados. 

A sentiu enlaçar seus quadris com força, então a arrastou até que se encostasse na cabeceira da cama. A segurava e mantinha daquela forma, observando cada detalhe do rosto corado, enquanto possuía seu corpo, queria que o prazer fosse dela, mas não podia evitar o que aquilo causava nele também. Inclinou-se para frente e tomou o mamilo para si, a boca o envolveu e ele o sugou até que ela agarrasse seus cabelos, só o abandonou quando a pele se tornou avermelhada... e já não aguentava mais. 

A cabeça quase encontrou a cabeceira da cama enquanto ela o agarrava. O tesão dos dois naquele momento chegando em um ponto que talvez nunca tivessem chegado. Toda vez que ele a penetrava, a sensação se tornava mais intensa. E então aconteceu, ela o agarrou com suas pernas, sentindo-o quase vibrar em seu interior, inchando e crescendo enquanto tinha seu orgasmo.

Chegou com ele, as pernas adormeceram e Tsuchiya quase gritou em seu ouvido. Chegaram juntos ao ponto mais alto daquela noite, suando, soando e tremendo... os corpos latejavam enquanto tentavam se acalmar e manter a sanidade. 

Ela acariciou seus cabelos e costas, como se precisasse de uma prova de que ele estava ali, talvez aquela fosse a última vez por um bom tempo, sentiu um aperto no peito quando ele depositou um beijo leve em seus lábios... assim que se afastaram, Kentin a olhou, confuso.

— O que foi? - pareceu preocupado.

— Preciso ir ao banheiro...

Foi a única desculpa idiota que conseguiu pensar naquele momento. 

Ele fez que sim, saindo dela... afastando-se dela. A observou se levantar abruptamente e seguir seu destino, sem dizer mais nenhuma palavra, jogando Kentin em um poço profundo de insegurança. Ele pensou se deveria chamá-la de volta, indagá-la sobre aquilo... por que sair como se aqueles últimos minutos tivessem sido torturantes para ela?

Quando Tsuchiya fechou a porta atrás de si, sentiu vontade de chorar... podia ser um drama ridículo aquilo que estava fazendo, mas... era ele. Kentin tinha lhe pedido em casamento, e lhe dado uma aliança. Girou o anel em seu dedo e observou seu brilho, os olhos se encheram de lágrimas, mas resolveu lavar seu rosto, e voltar para ele.

Limpou-se antes de sair, o prazer de ambos estava com ela. Respirou fundo enquanto se olhava no espelho, e seguiu de volta para o quarto.

Ele estava sentado na cama, os olhos verdes imediatamente buscaram os dela.

— Tsuchiya, o que foi?

— Não me diz nada... - ela se aproximou dele, sentou-se ao seu lado - Na verdade, me diz sim... - Tsuchiya o olhou, seu olhar apreensivo o fez se sentir estranho.

— Você está me assustando...

— Kentin, só me promete que não vai sumir como antes, por favor... eu não vou aguentar...

Ele a olhou surpreso, viu os olhos dela se tornarem marejados.

Tsuchiya se encolheu tanto diante dele, que sentiu que poderia sumir.

— Hei...- ele estendeu sua mão, tocando-lhe o rosto. Sentiu um tipo de aflição que a muito não sentia. O que tinham passado minutos antes tinha sido rapidamente esquecido - Eu não estou te deixando, eu estou indo trabalhar... você me disse... você me disse que daríamos um jeito - colocou sua mão na nuca dela com maior firmeza, fazendo-a olhá-lo - Não vou cometer o mesmo erro, e te deixar. Eu te amo Tsuchiya... nunca mais vou ficar longe de você.

A viu forçar um sorriso, no entanto, lhe pareceu tão triste quanto antes. Kentin se aproximou ainda mais dela, estavam nus, mas não tinham vergonha um do outro. Ele a olhou, os olhos azuis de Tsuchiya se prederam nos dele enquanto seus dedos lhe acariciavam a bochecha.

— Confie em mim... - ele falou baixinho, a boca se aproximou da dela, a beijou devagar. As mãos deslizaram por seus braços, e ele agarrou-lhe a cintura pequena, puxando Tsuchiya para si. A sentiu se entregar, abrindo a boca e deixando que ele a explorasse. Quando se afastaram, ele manteve as mãos no rosto dela - Você confia em mim? Acredita que não será como da outra vez? 

— Confio e acredito...

Kentin a abraçou com força, o peito desnudo encontrou o dela, e a sensação a fez se arrepiar. O abraço forte a espremeu contra ele, Tsuchiya sentiu suas mãos descendo por suas costas de maneira carinhosa, e então se entregou ao calor de seus braços.

Tinha lhe dado apoio e forças para fazer aquilo, e não seria ali, faltando menos de quarenta e oito horas para ele partir, que pediria para que Kentin ficasse.


Notas Finais


Eu só queria dizer que estou triste... Minhas leitoras me abandonaram, a maioria não comenta mais, eu não recebo mais amor...
VOU ALI NO CANTO CHORAR Ç_Ç

No próximo tem a segunda parte desse capítulo... mas estou pensando em postar de 15 em 15 dias Ç_Ç


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...