1. Spirit Fanfics >
  2. Seven Shades Of Red >
  3. Prólogo

História Seven Shades Of Red - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Este é um prologo(piloto) de uma fanfic de Hazbin Hotel que começarei a escrever rsrsrs

Ah como de costume, Hi mina Ryouko desu!!^^

A narração está na visão da Charlie e acredito que será assim durante toda a história! Nos vemos nas notas finais!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Seven Shades Of Red - Capítulo 1 - Prólogo

Um novo ano começou apenas há algumas horas atrás, eu estava bem animada no começo... eu estava realmente muito empolgada por finalmente poder viajar e conhecer o mundo do qual eu criava várias e grandes expectativas! Vez ou outra em meus sonhos eu era capaz de me lembrar da época em que eu era menor... digo, sei que ainda sou uma criança praticamente, mas quando eu era bem menor...

Lembro que existiam dias banhados com uma luz clara e revigorante, acho que era chamado de dia ensoladado, ou algo assim... o céu era limpo e esbanjava um azul que nunca fui capaz de ver quando crescida. As pessoas geralmente saiam de casa para se divertirem, ver o mar, conversar com seus amigos dentre outras coisas, aproveitar a vida... ao menos era o que meus pais deviam fazer, eu acho.

Havia outra cor da qual eu lembrava além do azul, era o verde! Havia por toda a parte, principalmente no chão! Era um tipo diferente de asfalto, talvez macio...? Eu não lembro ao certo, mas acho que eu devia gostar de rolar e rolar nele quando bebê, tenho essa estranha sensação. As coisas parecem fugir de nossa mente conforme crescemos, eu podia jurar que existiam muitas outras cores onde havia a verde, mas não consigo nem imaginar elas agora...

Eu estava tão ansiosa para finalmente poder ver isso com meus próprios olhos, voltar a ver aquile mundo colorido! Mas, quando um amigo do meu pai veio de muito longe, provavelmente para tratarem de negócios, questionei um estranho homem que veio junto dele quando tive a oportunidade... ele era um tanto estranho, alto e esbelto além de falar coisas estranhas enquanto agia como uma mulher... éramos ensinados na escola que haviam vários tipos de pessoas no mundo, mas era a primeira vez que eu tive contato assim.

Perguntei-o de onde ele tinha vindo e logo tive a resposta, Itália. Um tanto debochado ele respondeu todas as minhas outras perguntas dizendo-me que o lugar do qual ele pertencia não era nem um pouquinho diferente daqui, as mesmas coisas como prédios e mais prédios sem cores assim como as ruas, além de pessoas perigosas vagando a todo momento pelas ruas, pessoas que ele chamava por um nome que eu nunca tinha escutado antes...

Tinha pensado comigo mesma naquela hora que talvez essa tal de Itália não fosse distante o bastante da Inglaterra para que as coisas fossem diferentes, eu só teria que viajar para um pouco mais longe... no entanto, quando ele me questionou do porquê de tantas perguntas e lhe respondi empolgada como sempre fazia, ele começou a gargalhar e a zombar de mim dizendo que eu não podia estar mais enganada e que na verdade quanto mais para longe eu fosse, mais horrendas seriam as coisas que eu veria... não goste nem de pensar sobre o que ele disse.

Corri para meu pai para saber se tudo aquilo que tinha descoberto era realmente verdade, não podia ser! Não podia ser! De jeito nenhum! Mas seu silêncio era a resposta que eu tanto tinha pedido para que não viesse... só naquela hora eu fui capaz de entender a razão de seu silêncio sempre que eu falava sobre os sonhos que tinha de conhecer o mundo... senti meu rosto encher de lágrimas e antes que alguém pudesse dizer qualquer coisa eu fugi de lá.

Meus olhos devem estar vermelhos de tanto chorar... o tanto de lágrimas que deixei cair até chegar nesta varanda, eu mesma não sei como ainda estou de pé... para todos os lados que eu olho se não há uma coisa há outra, ou vejo lugares inóspitos e sem cor alguma, ou vejo uma carnificina carmesim... eu não posso sorrir assim agora... por que até mesmo o céu desse mundo em que eu vivo é vermelho?! Por quê?! Tudo o que eu queria é que ao menos aquele arco de luz que eu via no horizonte tivesse algum outro tom além dos sete que não fosse vermelho...!

Apenas um sorriso...


Notas Finais


Honestamente ainda não sei como vou abordar todos os pontos, mas trarei o mundo de Hazbin Hotel para a realidade pós apocalíptica em que o mundo está um completo caos... Além dela, o Angel já apareceu neste prologo e bem...

Vamos ver no que dá, piazada! Rsrsrsrs^^ <3<3<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...