1. Spirit Fanfics >
  2. Severo Snape e a Lufana >
  3. Capítulo 99- Casamento

História Severo Snape e a Lufana - Capítulo 99


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia meus amores, quem é vivo sempre aparece, não é ?!😅

Primeiramente quero me desculpar pelo sumiço, eu estou enfrentando um bloqueio criativo muito forte e não estou conseguindo escrever. 😢😢
Segundamente, muito obrigada a todas as mensagens de apoio e carinho que me enviaram, sinceramente eu me sinto até envergonhada de voltar aqui depois de todo esse tempo.
Muito obrigada, vocês são realmente pessoas maravilhosas e gentis. 🥰💖💖
Terceiramente, se cuidem contra o corona vírus.🙏🏻

Bom, é isso meus amores, não tenho muitas explicações ou justificativas para dar, apenas não estou conseguindo escrever a Fic, mesmo que eu já tenha o final completo na minha cabeça, não conseguido escrever. 😢

Por isso não sei quando saíra o próximo capítulo, espero que não fiquem chateados comigo.

Por favor desconsiderem qualquer erro!🙏🏻🙏🏻😅😅

Mil beijos meus amores. 💖🥰😘

Capítulo 99 - Capítulo 99- Casamento


Fanfic / Fanfiction Severo Snape e a Lufana - Capítulo 99 - Capítulo 99- Casamento

Fazenda da família Johnson, Inglaterra. 

 

-Alice querida, não me leve a mal mas esse vestido... Sabe, acho que não combina com uma jovem linda como você.-Olívia Johnson disse com cuidado para não ofender a noiva.

-O que eu faço, a mãe do Frank praticamente me obrigou a usar essa fralda de troll velha !-Alice resmungou em meio às lágrimas. 

-Escute querida o casamento é seu, use o que achar melhor...-Olívia disse abraçando Alice pelos ombros, consolando a jovem noiva. 

O vestido de Alice pertenceu a Augusta Longbottom a mãe do Frank, era velho, antiquado, espalhafatoso e horrível. 

-E então, o que acharam ?-Elisa perguntou ao descer as escadas com um vestido tão branco quanto uma nuvem, de alcinhas finas, discretamente decotado,com  borboletas prateadas e brilhantes bordadas ao longo da saia. O vestido se ajustava perfeitamente ao corpo de Elisa, destacando as curvas da Lufana. 

-Óh meu Deus ! Você está terrivelmente linda !-Alice arquejou de encanto e tristeza, com o rosto inchado de tanto chorar. 

-Lice ... -Elisa correu em direção a amiga, surpresa e preocupada, era para ser um dia feliz.

-Eu não vou me casar !-Alice se largou sobre a cama aos prantos, Elisa assim como sua avó não deixou de notar o quão horroroso era o vestido de Alice. 

-Lice talvez nós possamos ajusta-lo um pouco, não é vovó ?-Elisa perguntou para a avó em busca de uma maneira de animar a amiga. 

-Não posso, a mãe do Frank vai me matar se eu mexer em uma linha que seja desse pano de chão horrível !-Alice choramingou em meio às lágrimas. 

-Lice só se casa uma vez na vida, Frank não vai querer te ver triste no dia mais especial de suas vidas, se não podemos mexer no vestido use outro !-Elisa disse com firmeza. 

-Eu não tenho outro !-Alice respondeu muito magoada. 

Olívia subiu o mais depressa possível para procurar algum vestido que pudesse ser adaptado e transformado em vestido de noiva. 

Elisa tentou consolar a amiga, dentro de algumas horas seria o casamento e elas não tinham tempo de arrumar um outro vestido. 

-Elas estão lá na sala.- Elas ouviram a voz do avô de Elisa. 

-Olá minhas noivas mais lindas como vocês estão e ... Que coisa horrorosa é que você está usando ?!-Bárbara arquejou ao entrar na sala acompanha por Eileen e Lupin.

-Bárbara tenha modos !-Eileen a repreendeu sem graça. 

-Não, ela tem razão... Eu devo ser a noiva mais feia e horrível do mundo!-Alice tornou a chorar. 

-Desculpa ...-Bárbara cochichou para Eileen que lhe lançou um olhar de advertência. 

-Acho que eu vou lá fora ajudar com os preparativos.- Lupin disse sem saber o que fazer, ele carregava um caixote de vinho. 

Ao lado de fora Frank, Severo e Kingsley ajudavam o pai de Elisa a dar os últimos ajustes no jardim, aonde seria realizada a cerimônia. Marry terminava de ajeitar as comidas e petiscos que ela havia encomendado. 

Tudo teria sido muito mais fácil de arrumar com magia, mas os avós de Elisa não podiam saber da magia e não seriam deixados de fora da cerimônia. 

-Eu poderia transfigurar um vestido ...-Eileen disse pensativa. 

-Não dá, minha vó vai desconfiar.-Elisa respondeu andado de um lado para o outro enquanto Bárbara a seguia tentando fixar o lindo prendedor de cabelos em forma de águia, cravejado de diamantes azuis nos cabelos lisos e escorridos da amiga.

-Podemos usar um feitiço de desilusão...-Eileen ponderou. 

Elisa fez uma careta, ela não gostava da ideia de enfeitiçar a própria vó, mas não podia deixar que Alice fosse infeliz no dia de seu casamento. 

-Certo, já que não tem outro jeito...-Elisa disse a contra gosto, incerta se aquela seria uma boa alternativa. 

-Alice querida, veja...-Olívia entrou na sala animada, carregando um enorme saco preto.

-Eileen querida, eu estava mesmo ansiosa para sua chegada ! Alice venha ver !-Olivia disse animada, ela estava amando toda a correria do casamento.

As bruxas se entreolharam, Alice fungou e se aproximou de Olívia.

-Se não se importar... Eu fiz este vestido para Marry quando ela ficou noiva do meu filho mas a mãe dela também havia feito um vestido, um mais bonito eu devo admitir... Nunca foi usado, Marry se quer sabe da existência dele. Se quiser é seu querida. -Olívia disse com um sorriso gentil, passando a mão com carinho pelo vestido de noiva nunca usado por sua nora. 

-Você é a melhor avó do mundo, queria que fosse a minha avó também !-Alice disse abraçando Olívia Johnson. 

-Que isso, só não aguento ver uma noiva tão bela triste no dia de seu casamento.-Olivia respondeu secando com as mãos o rosto encharcado de lágrimas de Alice. 

-Obrigada.- Alice respondeu com um largo sorriso que fez suas covinhas ficarem bem marcadas.

-De nada.... Eileen querida eu tenho algo para você !-Olivia disse emergindo do clima de ternura e voltando a submergir  na correria e preocupação com todos os detalhes.

Eileen arqueou uma sobrancelha e sorriu educadamente, Bárbara arrastou Alice para o banheiro para lhe dar outro banho quente na tentativa de desinchar o rosto da amiga.

Assim que ficou sozinha Elisa soltou o peso que estava segurando sob seus ombros, nunca em sua vida foi capaz de esconder uma  única lágrima sequer e estava até certo ponto orgulhosa de sí mesma, pois  naqueles dias ela vinha sendo a mais sorridente e animada entre todos, mesmo que seu coração ainda estivesse ferido e pesaroso. 

-“Toc, Toc”... Eu posso entrar ?-Elisa se assustou e deu as costas para a porta na tentativa de esconder suas lágrimas.

-Claro que pode pai.-Ela fungou e limpou o nariz, com o melhor sorriso que conseguiu se virou para olha-lho. 

-Você está linda tampinha.- Ele disse ao se aproximar, Elisa abaixou o olhar e sorriu timidamente.

-Obrigada ...-Ela respondeu o fitando com muito esforço.

-Sabe, quando você nasceu eu me senti um estranho para mim mesmo, pela primeira vez na minha vida eu senti medo de morrer...-Ele disse caminhando de um lado para o outro da sala, Elisa apenas o encarou com semblante sério, ligeiramente trêmula enquanto se concentrava em controlar suas emoções que estavam a ponto de transbordar de seu coração. 

-A ideia de morrer e não estar presente nos momentos mais importantes da sua vida era terrivelmente angustiante para mim, mas eu superei esse medo e fui o homem mais feliz e abençoado do mundo.-Ele disse com olhar vago, como se seus olhos estivessem em outra época. 

-Quando você ficou doente a primeira vez eu soube que o medo de morrer não significava nada, perto do terror que era apenas imaginar te perder. -Elisa o encarou com os olhos cheios de lágrimas. 

-Daqui a pouco de certa forma você deixará de me pertencer, não será mais a minha garotinha e isso é um pouco assustador, eu imaginei que você seria minha princesinha até uns trinta ou quem sabe quarenta anos ...-Elisa sorriu com os olhos marejados. 

-Mas, felizmente o seu grande dia chegou mais cedo doque eu esperava e embora uma parte de mim seja egoista e te queira aqui fazendo artes, outra está extremamente feliz e orgulhosa da mulher maravilhosa que você está se tornando. Apenas saiba que eu estarei sempre aqui para você tampinha. -Ele disse a abraçando, Elisa não conteve às lágrimas e o abraçou, em meio a tantas coisas no mundo bruxo ela nunca tinha parado para pensar como seus pais se sentiam.

-Eu te amo papai.-Ela disse o abraçando o mais forte que pode.

-Eu te amo mais querida. Agora se me der licença, eu tenho um noivo para ameaçar !-Ele sorriu e piscou para a filha, Elisa também sorriu e se sentiu um pouco mais leve. 

Olívia passava como um furacão pela fazenda, de cômodo em cômodo verificando tudo, nada poderia estar fora do lugar. 

-Ela está bem animada !-Bárbara comentou com um largo sorriso. 

-Todas nós estamos.- Eileen respondeu, enquanto ajustava o vestido de Alice que só precisava de mais alguns ajustes na cintura. 

-Bárb tem um vestido especial que eu mesma bordei para você, está lá no meu quarto... Eu faço questão que use. -Elisa disse ao ver Bárbara terminar de pentear o próprio cabelo, Bárbara ficou surpresa mas achou melhor não questionar, ela queria que sua pituquinha fosse o mais feliz possível, pois tinha medo que ela se magoasse ao descobrir de sua gravidez. 

-Branco ?!-Bárbara questionou intrigada.

-Champagne!-Elisa respondeu a observando com olhos muito ternos.

-Tanto faz, só as noivas deveriam usar branco.- Bárbara comentou um tanto desconfortável com a cor do vestido.

-Champagne!-Elisa tornou a corrigi-la.

-Tanto faz !-Bárbara bufou e mesmo a contra gosto aceitou vestir o vestido acetinado e decotado, algo no olhar de Elisa a fez se sentir   abraçada e ao mesmo tempo culpada por ainda ter dado a notícia dá gravidez para a amiga.

-Lizy...-Bárbara sussurrou insegura, segurou a mão de Elisa e hesitou por alguns longos segundos, Elisa a encarou com doçura e ternura, pacientemente esperou que a amiga lhe dissesse o que queria.

-Você está linda.- Bárbara disse por fim, sem coragem de contar a amiga que estava grávida, Elisa vacilou o olhar e sorriu, carinhosamente limpou as pesadas lágrimas que encharcavam o rosto de Bárbara.

-Obrigada.-Elisa respondeu ao abraçar a amiga, ela não deixou de notar que Bárbara estava tão trêmula quanto ela e abraçou o mais forte que pôde.

-Eu sempre choro em casamentos...-Bárbara mentiu incapaz de controlar as lágrimas, mentalmente amaldiçoou os hormônios da gravidez por transformá-la em uma chorona.

-Eu vou ficar bem, nós vamos ficar bem.- Elisa disse com um olhar estranhamente penetrante demais.

Elisa passou a mão muito rapidamente pela barriga de Bárbara, sorriu e saiu da sala sem dizer mais nada, deixando Bárbara boquiaberta e intrigada. 

Severo e Frank não tiveram dificuldades, eles apenas tomaram banho, fizeram a barba e vestiram seus ternos, não havia muito o que ser feito.

Meia hora antes da cerimônia um funcionário do ministério da magia responsável por realizar casamentos chegou, ele parecia cansado e mal humorado, Kingsley se ofereceu para fazer sala ao “casamenteiro”, evitando mais estranhezas entre os avós de Elisa e o funcionário do ministério.

Os convidados começaram a chegar, Hagrid chegou acompanhado de madame Pomfrey e o professor Flitwick, Lilian e Tiago chegaram logo em seguida,  os “alunos” do grupo de reforço de Severo chegaram quase juntos, Olívia e Eddie encheram os olhos de alegria ao ver a fazenda com tantas “crianças”.

Dumbledore foi convidado, mas não compareceu a cerimônia.

Augusta Longbottom chegou algum tempo depois com a cara amarrada, visivelmente desgostosa que o filho se casasse em uma cerimônia dupla,  irritadíssima por Alice não ter deixado ela ela escolher a decoração e os convidados. 

Kingsley foi gentil e sua companhia foi muito apreciada pelo bruxo “casamenteiro”, o pobre ainda teria mais dois casamentos para realizar naquele dia e tinha muitos outros para os próximos dias. Muitos jovens bruxos estavam se casando,a incerteza de uma grande guerra os obrigava a viver como se não houvesse o amanhã. 

Os avós de Elisa estranharam muito o tamanho de Hagrid mas eram gentis e educados para não deixar transparecer o espanto com o meio gigante. 

Tudo estava perfeitamente encaixado, o ambiente transbordava felicidade e nada parecia estar fora de contexto.

Alice e Frank foram os primeiros a se casar, haviam alguns poucos convidados da parte de Frank e apenas uma tia avó de Alice presentes na cerimônia “discreta”.

Augusta saiu da cerimônia antes mesmo dela começar, ofendida pela nora rebelde e ingrata não estar usando seu precioso vestido de casamento. Frank estava tão feliz que mal notou a ausência de sua mãe, para ele Alice parecia brilhar como estrela do céu.

Severo estava nervoso e ansioso ao mesmo tempo, ele via todos os convidados e enxergava apenas cabeças sem rostos. Tudo o que ele queria era tê-la em seus braços, estava preocupado com os sentimentos que ela pensava conseguir esconder dele e queria a todo custo cobri-la com todo seu amor. Nada e nem ninguém focalizava sob seu olhar enquanto ele observava todos os convidados sem rosto, até que ele a viu e nada mais parecia esxistir diante de seus olhos. 

 

-Em nome do ministério eu os declaro casados, pode beijar a noiva.- O funcionário disse ao terminar a cerimonia que não durou nem vinte minutos. 

-Ministério ?-Eddie cochichou com Olívia enquanto Severo e Elisa  trocavam um demorado e acalorado beijo.

-Deve ser costume escocês...-Olívia cochichou de volta, ambos intrigados com as estranhezas da cerimônia da neta e seus amigos, estranhezas que logo seriam adulteradas da memória deles pelo funcionário do ministério. 

Severo e Elisa, Frank e Alice enfim estavam casados e felizes. 

Logo após a cerimonia todos os convidados foram cumprimentar os noivos pelo casamento.  Hagrid não parava chorar, madame Pomfrey esboçou um leve sorriso, porém seus olhos azuis entregavam a ternura e felicidade que ela  sentia pelos noivos.

Os adolescentes pareciam estar em uma convenção aonde todos falavam e sorriam ao mesmo tempo, Severo notou que naquele momento o mundo ao seu redor parecia estar em câmera lenta para que ele pudesse guardar na memória cada lindo sorriso que Elisa dava ao ser abraçada. 

Nem mesmo a presença de Potter foi capaz  de amargar seu grande dia, muito pelo contrário, Potter lhes desejou felicidades e pediu perdão a Severo por todas as babaquices que cometeu no passado.

Ainda existe uma inimizade entre eles, mas o ódio e repulsa não existia mais, ambos deixaram de lado o ódio causado pela paixão que ambos, um dia, compartilharam por Lilian.

-Você é o segundo noivo mais bonito que eu já vi !-Lilian disse para Severo ao abraçá-lo, ele sorriu e revirou os olhos.

-Meu marido ainda é o mais bonito !-Ela disse com um largo sorriso piscando para Potter.

Lilian e Tiago haviam se casado duas semanas antes em cerimônia muito pequena, apenas para a família. 

-E você, está deslumbrante.- Lilian disse para Elisa que sorriu em agradecimento.

-Espero que sejam muito felizes, mais doque já são ou foram.-Ela disse com um sorriso trêmulo e seus olhos se enchendo de lágrimas. 

-Lily...-Severo segurou a mão a dela.

-Eu sempre choro em casamentos !-Lilian disse secando as lágrimas indiscretas e inconvenientes.

Elisa a abraçou e agradeceu por eles estarem ali, no fundo, somente entre eles, os quatro sabiam o peso e o martírio que era para Lilian estar ali, mesmo amando seu marido. Potter a amava de tal maneira que apenas fingia não ver o que Lilian pensava conseguir esconder, e  se conformou que por mais que ela o amasse, em seu coração ele seria sempre o segundo. 

Bárbara parecia uma manteiga derretida e não parava de chorar. 

Eileen estava muito feliz e orgulhosa, muito reservada ela não deixou que sua emoção e felicidade transbordasse em lágrimas, apenas distribuiu muitos sorrisos e abraços ao filho e a nora. 

Marry e Frank Johnson discursaram durante quase uma hora sobre como se sentiam abençoados de entregar Elisa a um homem tão magnífico e especial quanto Severo, um menino que os acolheu e aceitou ser acolhido por eles, transformando suas vidas e se tornando o mais precioso dos presentes que a vida poderia lhes dar, um grande e honrado marido para sua única e preciosa filha.

Todos os convidados se emocionaram, era lindo de se ver o amor e cumplicidade que existia entre eles, era um sentimento tão grande, tão maravilhoso quanto ouro líquido. 

Frank foi outro que conseguiu emocionar a todos, principalmente Severo e Elisa.

Frank os amava profundamente, era um sentimento tão grande que parecia não existir palavras no mundo que conseguisse definir ou explicar a conexão que existia entre eles.

O sentimento era recíproco em todas as dimensões, ninguém se sentiu entediado ou se perguntou há que horas seria servido o jantar. Todos se sentiram envoltos dentro daquela bolha de amor e companheirismo que embora ainda fossem jovens, já haviam suportado e superado muitas coisas. 

Os discursos duraram horas, uns mais engraçados, outros mais emocionados... Porém todos muito apreciados.

Elisa não conseguiu discursar, ela falava e chorava ao mesmo tempo então ninguém entendeu nada do que ela disse. Alice ressaltou o quanto amava Frank e o quanto estava feliz. Destacou que sentia de certa forma “casada” com Severo e Elisa, eles seriam para sempre uma grande família unida e feliz.

Severo foi o último a discursar, pela primeira vez não se sentiu nervoso ou incomodado em falar sobre seus sentimentos diante de tantas pessoas.

-Bom, muito obrigado a todos pelas lindas palavras, eu sou péssimo em expressar sentimentos, principalmente com tantos olhos ansiosos me encarando cheios de expectativas.-Severo sorriu timidamente ao conquistar risadas dos convidados.

-Mas, hoje eu anseio por olhos em mim, desejo que todos me ouçam e saibam o quanto eu sou grato e o quanto eu sou extremamente honrado de ter essa linda mulher como minha esposa.- Ele disse fazendo Elisa atingir o tom máximo de vermelho.

-Sim, esse brilho nos seus olhos é que me motivam e que movem. É este lindo sorriso que me faz querer te ver sorrir a cada minuto do dia... Lizy estamos juntos a tantos anos, passamos por tantas coisas... Sofremos e sorrimos juntos, no começo era apenas você e eu, e hoje somos nós. -Ele esticou o braço mostrando todos os convidou.

-Você me tirou da solidão e me mostrou o valor de amizade e de um verdadeiro amor... Eu te amo e prometo passar todos dias da minha vida lutando para te fazer feliz e ser cada vez mais digno do seu amor, eu te amo.-Ele disse emocionado com os olhos fixos em Elisa que o abraçou e o beijou deslumbrada e emocionada com aquele momento mágico e especial. 

Assim que acabaram os discursos o jantar foi servido, todos conversaram e beberam de forma despreocupada e somente depois da sobremesa veio a primeira dança dos noivos.

Severo dançou com Elisa, depois com Alice e vise e versa.

Era madrugada quando a festa se fez ainda mais animada, Elisa e Alice ainda com seus vestidos de noivas dançavam descalças com seus maridos e amigos. Hagrid, Eddie e Frank Johnson bebiam e apostavam quem deles seria o último a ficar de pé, Bárbara ficou chateada por não poder participar e ficou com árbitra da disputa.

Kingsley arrancava suspiros das adolescentes que fantasiavam em ter um namorado tão atraente e romântico quanto ele, que não poupava esforços para agradar, mimar e amar Eileen, que retribuía toda a devoção do seu amado com intensos olhares e sorrisos que o faziam se arrepiar e pensar nos momentos em que estariam sozinhos para partilhar de todo amor, romance e erotismo que era estar com Eileen em seus braços.

Todos estavam felizes e animados, já estava amanhecendo o dia quando Elisa e Alice jogaram seus buquês, que foram muito disputados entre as solteiras da festa. 

-Como você está se sentindo senhora Snape ?-Severo perguntou no ouvido de Elisa enquanto eles dançavam.

-Feliz, extremamente feliz, queria que este dia durasse para sempre.- Ela respondeu com um sorriso.

-Eu também, mas também queria tirar esse seu lindo vestido e beijar cada parte de seu corpo...-Ele sussurrou no ouvido dela, distribuindo beijos pelo 

pescoço dela.

-Me respeite, eu sou um mulher casada agora !-Ela respondeu fingindo pudor, dando risadinhas, enquanto sentia o corpo queimar e se arrepiar com os beijos e toques dele em sua pele.

-É com todo respeito que digo que não vejo a hora de tê-la nua em meus braços Senhora Snape.- Ele disse entrando no jogo dela, Elisa sorriu e o beijou.

-Estou usando algo bem sexy.... Ou talvez não esteja usando nada, vou deixar a sua imaginação.-Ela sussurrou de forma sapeca no ouvido dele, Severo estremeceu e a apertou ainda mais contra seu corpo, desejando fugir com ela dali. 

Eles dançaram e flertaram um com outro durante várias músicas seguidas, atiçando e provocando sensações e desejos libidinosos um no outro, curtindo aquela brincadeira de flerte e conquista que tornava tudo ainda mais gostoso e prazeiroso.

-Hãn hãn... Será que eu posso ter uma dança com a minha melhor amiga ?-Frank perguntou se metendo propositalmente entre eles.

-Não !-Severo respondeu bufando.

-Não precisa ter ciúmes, eu danço com você depois.-Frank piscou e mandou beijinhos para Severo, Elisa riu e aceitou dançar com Frank.

Severo se sentou ao lado de Alice e Bárbara que pareciam exaustas.

-Como vocês estão ?-Ele perguntou arqueando as sobrancelhas para os pés pretos de terra de Alice, que ela folgadamente colocou sobre o colo dele.

-Feliz-Alice respondeu.

-Sóbria !- Bárbara bufou revirando os olhos, olhando fixamente para Elisa e Frank dançavam desajeitadamente uma música mais agitada. 

-E o bebê?-Severo perguntou involuntariamente olhando para a barriga de Bárbara.

-Shiiiiiii ! -Bárbara Sibilou olhando para todos os lados para ter certeza que ninguém havia ouvido.

-Hoje não é dia para esse assunto, mas ele ou ela está bem.-Bárbara respondeu suavizando o olhar, Alice deu risadinhas, e permaneceu olhando Frank e Elisa dançarem. 

-Por falar nisso, você contou algo para a Elisa ? -Bárbara perguntou com uma expressão de seriedade.

-Não, porquê? -Severo perguntou arqueando ainda mais as sobrancelhas.

-Por nada.-Bárbara respondeu intrigada.

-Ela disse alguma coisa ?-Alice perguntou preocupada.

-Não, não disse nada.- Bárbara respondeu baixando o olhar, intrigada com as palavras de Elisa antes do casamento. 

Alice não disse mais nada mas não pôde deixar de se preocupar com a reação da amiga ao saber da gravidez de Bárbara, era um assunto delicado que deixava todos tensos, ao mesmo tempo sabiam que Elisa ficaria muito feliz com a chegada de um bebê.

O dia amanheceu, e os convidados aos poucos foram embora, deixando apenas os noivos e a família ali reunidos.

O casamento embora tivesse sido simples e mais ao modo trouxa do que bruxo foi aclamado por todos, principalmente para aqueles que selaram suas vidas e uniram famílias em um laço de amor eterno.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, foi o melhor que eu consegui. 😩

Mil beijos meus queridos. 💖💖😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...