História Severus Prince Snape - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Bellatrix Lestrange, Draco Malfoy, Harry Potter, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Narcissa Black Malfoy, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter, Tom Riddle Jr.
Tags Always, Barnabas, Bellatrix, Dark Shadows, Draco Malfoy, Drama, Fama, Família, Ficção, Harry Potter, Helena Bonham Carter, Influência, Johnny Depp, Lucius Malfoy, Magica, Malfoy, Narcisa Black, Poder, Romance, Severo, Severo Snape, Severosnape, Snape, Voldemort
Visualizações 25
Palavras 5.464
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse é um resumo da história do Severo da maneira adaptada à história que estou criando sobre ele. ( Always a Dark Shadow. ) Pretendo fazer sobre outros personagens que serão muito importantes durante a história original. Essas que são à parte foram criadas como complemento da outra história.

Não julguem. Essa é a minha visão de como o filme seria ideal, é o que eu gostaria que tivesse acontecido, então é muito pessoal e ao mesmo tempo... sei que existem outras pessoas que pensam assim. <3

Obrigada por ler !

Capítulo 1 - Capítulo Único : A verdadeira História de Severo Snape


Fanfic / Fanfiction Severus Prince Snape - Capítulo 1 - Capítulo Único : A verdadeira História de Severo Snape

SEVERUS PRINCE SNAPE

Quando tinha oito anos de idade, Severus Prince Snape morava com sua mãe nascida bruxa e seu pai, que era um trouxa, um ser desprovido de qualquer tipo de magia ou envolvimento com o mundo mágico. Apesar de seu pai saber que ela era uma bruxa muito poderosa, ele não aceitava aquela condição da companheira. Sem muito contestar por estar apaixonada por ele, havia desistido da magia para permanecer ao lado do futuro marido. Eles viviam em um relacionamento abusivo que só piorava gradativamente, desde o nascimento de Severo.

 

Seu pai começou a apresentar mudanças no comportamento ao perceber que haviam grandes chances de que o menino, ainda como um bebê, poderia ter herdado a magia pura e tão forte de sua mãe, Eileen Prince. Seu pai, Tobias Snape destratava cada vez mais a mãe do menino por ter colocado mais uma " aberração " no mundo. Nem mesmo ela sabia que a magia se manifestaria tão cedo em Severo. Tinha esperança de protegê-lo até que pudesse ir para Hogwarts em busca de uma vida melhor e mais digna. Assim iniciaram-se longos anos de um casamento desgastante e repleto de agressividade, onde o pai de Severo Snape fazia questão de eliminar qualquer ferramenta que ligasse ambos ao mundo mágico. 

 

A varinha da mãe fora quebrada e atirada ao fogo, bem como seus livros e qualquer material onde houvesse conteúdo sobre magia. Severo cresceu em um ambiente completamente hostil, muitas vezes alvo de agressões físicas e verbais constantes vindas de seu pai. Eles eram miseráveis. Viviam em uma casa pequena, úmida e com baixa iluminação na Rua da Fiação. Uma péssima localização. Era uma das várias ruas repleta de casas muito semelhantes, de tijolos aparentes e postes de luz danificados, situada perto de um rio sujo e de uma fábrica abandonada, localizada em cokeworth.

 

Muitas vezes a mãe de Severo o protegia das agressões e tomava todo o sofrimento que podia para evitar que o menino que era tão magro e frágil se ferisse gravemente, mas houve um tempo em que aquilo já não era mais o suficiente para impedir que ele chegasse até o menino. Seu pai o repudiava. Parecia sentir ódio de seu filho e não se preocupava em conter as palavras para humilhar Severo, negando até mesmo parentesco com ele. Um ódio alimentado por anos. Por conta da situação que enfrentava em casa, a ausência de afeto, de comunicação e envolvimento, Severo era uma criança muito cética, anti social e tinha muita dificuldade para fazer amizades ou se comportar normalmente em qualquer tipo de ambiente.

 

O semblante era sempre sério e o olhar desconfiado, quando não, completamente inexpressivo. Severo passava a maior parte do tempo que conseguia na rua, visitando as mais diversas bibliotecas públicas que haviam na cidade. Era um menino excepcionalmente inteligente, curioso, centrado, capaz de aprender instantaneamente, memorizar uma informação automaticamente e era perdidamente apaixonado por leitura. A única coisa que sua mãe havia ensinado, já que seu pai impedia que fosse à escola.

Como vivia sempre longe de casa, Severo procurava parques e lugares confortáveis para ler, mesmo quando chovia muito, ele se recusava a voltar para casa até que seu pai já estivesse dormindo quando chegasse. Em uma das idas até a biblioteca, conheceu Lilian Evans e sentiu algo que nunca havia sentido antes. Curiosidade em conhecer alguém da sua idade. Ela era uma garota muito bonita, possuía cachos longos e ruivos até a cintura, era dona de um sorriso contagiante, estava rodeada de amigos e exalava felicidade. Algo que Severo jamais pensaria que conheceria.

 

Quando descobriu um dos Parques que ela frequentava, escolheu aquele como o seu favorito para ler e observar as demais crianças. Não demorou muito para que descobrisse que ela era diferente e era tão julgada quanto ele. Severo percebeu que a irmã mais velha vivia brigando com ela e arrumando motivos para provocar Lily. Era como a chamavam. Certa vez, sem mesmo conhecer a menina ainda, Severo a defendeu da própria irmã quando ela a insultava de " Esquisita " por ter feito magia para que ela acreditasse em Lilian quando dizia que sabia fazer mágica, então eles se tornaram melhores amigos.

 

Severo explicou que sua mãe era uma bruxa e que desde muito cedo, ele já esperava completar 11 anos para ir para Hogwarts. Como ele era um ano mais velho do que Lilian, sabia que teria que esperar por um ano até que a encontrasse novamente em Hogwarts. Estiveram em uma amizade muito intensa até que aquele dia chegasse. Um protegia ao outro, apesar do jeito contido e reservado de Severo, ele revelava a Lily somente o que ela precisava saber, ocupava o restante da atenção que tinha para si com seus ensinamentos de magia e criando na jovem Lilian a esperança e incentivo que ele nunca havia recebido.

Quando estava no trem a caminho de Hogwarts, conheceu uma bruxa de puro sangue que o chamou atenção. Mal imaginava ele que ela seria quem o colocaria em grandes confusões, incluindo uma na qual ocorreu antes mesmo sequer que chegassem em Hogwarts. Ela tinha cabelos cacheados negros e volumosos até a cintura, a pele pálida assim como Lílian, mas o sorriso não era nada parecido com o dela. Era estranhamente sedutor e malicioso.  Diferente de Lílian, ela exalava maldade e algo que não parecia ser felicidade, mas sim, confiança. Atitude.

 

 

 

Severo percebeu somente pelo jeito dela ao caminhar e se comportar próximo a ele. Severo se encolheu no vagão assim que ela adentrou sem perguntar se tinha permissão e sentou-se de frente a ele, o encarando friamente. Ele tentava desviar, mas foi impossível evitar um primeiro contato, não demorando para que Bellatrix começasse a se exibir pela família rica que tinha e por ser de uma linhagem de puro sangue.

Ela usava todo o seu charme quando falava sobre si mesma e não havia resquícios de timidez quando ela demonstrava sua sede por conhecimento. Ela exibiu também a sua varinha e eles trocaram informações sobre o que sabiam sobre o mundo mágico. A viagem foi longa, mas Severo desejava que ela nunca terminasse.

 

 Ele tirou todas as dúvidas que tinha sobre os puro sangue que se envolviam com trouxas, lembrando-se dos seus pais. A bruxa de puro sangue parecia ser muito mais inteligente do que ele próprio e o fascinava a cada instante com o jeito aberto de se comunicar dela. Pela primeira vez, ele ouviu falar de feitiços amaldiçoados, Artes das Trevas e das aulas de poções. Do que realmente esperava por ele. Bellatrix estava com seus conhecimentos sempre absurdamente avançados por crescer em uma família de bruxos influentes e ter aulas particulares em sua mansão, junto da Família Malfoy. As três irmãs Black tinham aulas com Lucius Malfoy, dois anos mais velho e já estudante em Hogwarts da casa que tradicionalmente almejavam. Lucius e Bellatrix eram muito próximos, só não mais que ele e Narcisa.

 

Durante a viagem, Bellatrix comentou sobre os três feitiços proibidos e demonstrou como era capaz de controlar serpentes. Por fins de divertimento, deixou a mesma vagar pelos vagões e aterrorizar os demais estudantes. Por sorte, jamais desconfiariam dela. Severo se divertiu como nunca antes e já tinha suas primeiras aulas com a mais insana bruxa que havia conhecido até então. Durante o longo ano em que se conheceram e se tornaram amigos, Severo Snape acreditou que havia se apaixonado por Bellatrix.

 

Estavam sempre juntos e apesar de se divertir com as loucuras de Bella, tentava se manter o mais distante possível de encrencas e problemas que afetassem seu desempenho. Esse era um dos motivos pelos quais gostava dela. Ela fazia com que as aulas parecessem divertidas e mais leves, o distraía quando era motivo de zoação e bullying do restante dos meninos da sua idade.

 

Ambos foram selecionados para Sonserina, e pela influência e por ser muito popular, Bellatrix fazia com que Severo se sentisse realmente parte daquela casa. Os outros alunos sonserinos admiravam Snape e o consideravam o mais inteligente de todos os outros. Lucius Malfoy foi o terceiro a se tornar o seu melhor amigo, assim como Narcisa. Quando o primeiro ano de Severo terminou, foi considerado e homenageado como o melhor aluno do ano, fazendo consequentemente que a Sonserina fosse a melhor casa e com maior pontuação. Bellatrix passou a admira-lo secretamente. No ano seguinte, estava extremamente ansioso para trazer Lílian até Hogwarts para que conhecesse o que agora chamava de lar ( literalmente. Havia suplicado por um lugar para morar diretamente com Dumbledore, explicando toda a situação em que sua família se encontrava, após ser pego e punido por dar à James Potter uma poção sonífera criada por ele mesmo, após ter sido ofendido por dias, sendo a pior ofensa delas " Sangue ruim. " - Dumbledore o acolheu como um filho adotivo. )

 

Após matar a saudade da amiga Lily assim que ela chegou em Hogwarts com a carta que havia recebido de Severo dizendo que estaria esperando por ela, eles se uniram com muito mais força do que anteriormente na cidade em que residiam. Aquela amizade que havia florescido estava intacta e Severo só conseguia se lembrar do quanto havia sentido a falta da ruiva apesar de todo divertimento. Contou a ela como tudo era, como tudo funcionava, explicou que foi responsável pela vitória de sua casa e pela primeira vez, Severo tinha um brilho irreconhecível no olhar. Lílian que já estava feliz ficou ainda mais feliz pelo amigo.

 

Eles se abraçavam desesperadamente e pareciam mais próximos do que nunca. Foi a primeira vez em que Bellatrix se sentiu ameaçada em toda vida. Ela os observava de longe da mesa principal do banquete da Sonserina e fuzilava a ruiva. Seu alívio foi quando Evans foi selecionada para Grifinoria. Ela comemorou e recebeu até mesmo alguns olhares confusos e desconfiados dos demais sonserinos. Lílian e Severo eram muito companheiros durante o período escolar, descobriram um mundo completamente diferente juntos e continuavam a cuidar um do outro mesmo quando separados por casas diferentes. Ele da Sonserina e ela da Grifinoria. Serpente e Leão. Ambição e coragem. Trevas e Luz. Completos opostos.

 

Como estava um pouco a frente, um ano exatamente, o Sonserino ensinava tudo o que havia aprendido não só com Bellatrix, mas como nas aulas, nas atividades extras, nas palestras, no seu espaço pessoal, em todos os livros que encontrava. Hogwarts era uma fonte inesgotável de conhecimento e ele tentava transmitir tudo para Lílian, tanto que nem se deu conta que sua atenção estava toda voltada nela.

Quando se deu conta que havia esquecido de Bellatrix por dias, apresentou Lily à ela, que se recusou a tocar a mão de uma aluna da Grifinoria e pior do que isso, se ofendeu quando Severo apresentou-lhe a ela. Bellatrix começou a agir de forma cada vez mais individualista e observadora. Severo nunca havia provado da real arrogância e ironia de Bellatrix de modo tão direto, até que ela faltou respeito com Lily e se recusou a conhece-la.

Severo defendeu Lílian deixando claro à Bellatrix que se não a respeitasse sua amiga, também não o respeitava, não só pelo afeto que tinha por Lily, mas por ele também ser apenas mestiço e não puro sangue. Bellatrix se revoltou e se afastou a cada dia mais de Snape.

Por conta disso, ele deu início ao seu livro " O príncipe mestiço " um livro de registros onde ele anotava suas criações, pesquisas, feitiços, poções, azarações, maldições e estudos mais importantes sobre artes das trevas.

A idéia era provar para si mesmo que ele poderia ser tão bom quanto os de sangue puro. Assim que Bellatrix começou a agir com indiferença em relação à Severo e a ignora-lo, a maioria dos sonserinos fez o mesmo e passaram a isolar o mestiço, tendendo a provoca-lo e a rir das provocações de Bella e dos demais. Lucius apesar de tudo, não mudou seu comportamento, mas também, apenas não o defendia.

Aquela era a forma que Bellatrix encontrava de dizer que havia sido abalada do jeito mais inaudível possível, mas ela sabia que havia conseguido que ele percebesse o erro que havia cometido, afinal, ainda era apaixonado por ela. Por todo esse tempo, Severo era o maior alvo de Potter e os marotos, principalmente de Sirius Black, primo de Bella, que era muito ligado à ela mesmo sendo da Grifinoria, por algum motivo que desconhecia, até descobrir que haviam se beijado. Demorou um bom tempo para superar aquilo vindo de Bellatrix que fizera para que ele sentisse ciume e arrependimento por ter "trocado" por Lily.

Severo foi por muitos anos vítima de agressões pelos marotos, havia perdido todo o respeito dos sonserinos e vivia à mercê do humor de Potter, que era apaixonado por Lílian desde quando haviam começado juntos a estudar na Grifinoria. Lily não aceitava as brincadeiras agressivas e humilhações que partiam do grupo, então começou a se envolver com Potter, uma vez que ele havia prometido que deixaria Snape em paz se ela aceitasse seus convites para sair com ele.

Foi só aí, quando Snape descobriu que eles haviam começado a sair juntos, ele sentiu uma fúria incontrolável. Um ciume inexplicável. Ela o defendia o tempo todo, de todo e qualquer tipo de ameaça. Ele retribuía sendo sincero com ela sobre seus sentimentos, em ações, mas nunca falando claramente o que sentia por ela, mesmo sabendo das intenções de James Potter e que poderia perder ela para sempre.

 

A cada dia ela se aproximava mais dele, no entanto, as provocações contra Severo aconteciam onde ela não podia ver ou não chegava a tempo para impedir. Quando Severo pensou em enfrentar Potter com magia, lembrou-se que aquilo sujaria seu nome e lhe traria complicações que ele precisava evitar se quisesse se tornar o melhor professor de Hogwarts no futuro. Esse era o motivo porque não brigava ou se defendia. Tudo o que podia fazer era ignorar e guardar todos aqueles sentimentos inquietos para si. Decidiu fazer o mesmo pelo que sentia por Lílian.

 

Ele teve sua varinha arrancada de si mais uma vez e foi humilhado mais uma vez em frente a toda Hogwarts, até que Lílian pede aos prantos para que o deixassem em paz, então Potter a chamava de " amor " para corrigi-la e dizer que estavam apenas se divertindo.

Além da vergonha, Severo sentiu-se traído por Lílian e a ofendeu, com toda a sua revolta por sempre ser protegido por ela e ter seus sentimentos ocultos por saber que jamais seria compatível ao nivel de James Potter.

Após a cena, quando ela o procurou novamente pelos corredores da escola, ele se mostrava absurdamente abatido e disse claramente que não precisava da ajuda de uma sangue ruim como ela para se defender, pelo mais puro ciúme, desespero e por se sentir humilhado como nunca. Ele disse absurdos que não controlava e nem ele mesmo sabia de onde haviam surgido, descontando toda a sua raiva em Lílian, a única que o defendia. Lílian prometeu que jamais o perdoaria e mesmo percebendo o seu grande erro, implorando por perdão e vendo a melhor amiga se afastar de uma vez por todas para ficar junto de Potter, ela nunca o perdoou.

Ainda quando era apenas um adolescente ( apesar de inexplicavelmente experiente e inteligente ) se tornou monitor da Sonserina, continuou a estudar a fundo a arte das trevas e a se especializar em poções. Bellatrix era o maior motivo dos assuntos mais comentados em Hogwarts e no mundo bruxo pelos últimos dois anos antes da formação de Severo e a que supostamente seria dela também. Ela havia abandonado a escola de Magia e bruxaria para servir ao Lorde das Trevas, sendo a bruxa mais nova a causar centenas de mortes. Severo sempre buscou saber mais sobre ela e sobre como aqueles rumores haviam se tornado realidade.

Queria ter feito algo para impedi-la, pois sabia que ela era estranhamente brilhante. Ainda até o fim dos estudos, Severo fora criado, ensinado e mantido em segurança até que se tornasse professor de poções e estudo de artes das trevas pelo homem mais admirado até o dia de sua morte e muito além dela. Alvo Dumbledore.

 

 

 Enquanto lecionava em Hogwarts, soube que Lílian se casaria com James Potter. Não havia um dia sequer que não se arrependesse de ter perdido a oportunidade de dizer a ela o que realmente sentia. Severo cresceu sendo um adulto muito mais maduro e isolado entre os professores mais novos, devido ao amargor de sua escolha pessoal e por não ter conseguido voltar para casa a tempo de salvar sua mãe dos ataques dos comensais da morte que estavam a cada vez mais ativos e causando desgraça por muitas famílias que não eram as de puro sangue.

 Era como um extermínio que o ministério da magia tentava conter. Não sofreu com a perda da sua mãe, mas lamentava imensamente e internamente todas as perdas que havia colecionado durante toda a sua vida.

A única amizade verdadeira que possuía era a de Lucius, que investia na escola com ajuda financeira e a tornar o nome de Hogwarts mais reconhecido. Foi também através da amizade de Lucius, que era um Comensal da Morte desde que havia se formado, que decidiu se juntar à Lorde Voldemort.

Por ter sido um aluno exemplar de mente brilhante e reconhecido pela escola de Magia e pelo ministério diversas vezes, Lucius não pode evitar que o nome do melhor amigo fosse exposto ao conhecimento do Lorde das Trevas, que estava recrutando inúmeros bruxos para que servissem à ele, com a promessa de que seria reconhecido mesmo sendo mestiço.

O maior objetivo de Severo era provar que era capaz de ser o melhor entre os comensais, mesmo para o Lorde das Trevas, sendo mestiço e útil para que ele executasse seus planos malignos. Ele tinha uma vantagem que nunca imaginou ser tão útil, que era estar dentro da Escola de Magia e bruxaria.

Dessa forma, Snape lecionava na escola e ainda sim passava informações de lá para os outros colegas comensais ou como Lorde preferia, pessoalmente. Severo era o mais mimado entre os comensais e o braço direito de Voldemort desde o início, por um fato desconhecido : Tom Hiddle havia sido tratado como Severo durante toda sua infância e adolescência até que começasse a ter tanta ambição e desejo pela retribuição de todo o ódio que havia sido colocado sobre si. Lucius tentava convencer Severo à fazer parte dos comensais desde que havia completado quinze anos de idade e antes mesmo que se tornasse professor. Diante de toda aquela situação e do sentimento onde se considerava imponente perto de tamanho poder, refletiu que não tinha nada a perder. Não mais. Obviamente quando tudo acabasse em uma desgraça maior, queria estar entre os protegidos pelas forças do mal e não morto por contraria-las, mas não pensou nas consequências. Assim que começou a agir como um comensal da morte, passou a estudar ainda mais intensamente para se tornar um oclumente, como Dumbledore havia sugerido, afinal, tinha talento para aquela complexa arte que só bruxos poderosos conseguiam desenvolver. Muitos anos se passaram até que aconteceu a primeira Guerra Bruxa.

 

 

 

Em meio a todas as mortes que aconteciam todos os dias durante os sete meses de guerra, Lily teve um filho de Potter. Severo, ainda apaixonado por ela, ficou sabendo através de alguns amigos que haviam sido da Sonserina quando adolescentes. Era como um corte feito em seu coração. Ele parou de pulsar por um instante. Não queria acreditar que eles haviam ido tão longe, com uma criança. Decidiu verificar para crer e procurou por Lílian por todas as partes de Godric’s Hollow. Em um dia como qualquer outro, utilizou a capa da invisibilidade para olhar pela janela do que supostamente seria o quarto da criança e viu Lílian com Harry Potter nos braços. As lágrimas de Snape carregavam culpa e arrependimento, mais do que isso, a certeza de que jamais a teria de volta e um sentimento confuso.

Dias após, mesmo sem conseguir tirar Lily de sua cabeça e ainda a serviço de Voldemort, Severo descobriu por boatos em Hogwarts que havia uma profecia de que um menino nascido no final do mês de Julho seria quem mataria Voldemort.

‘’ Aquele com o poder de vencer o Lorde das Trevas se aproxima... nascido dos que o desafiaram três vezes, nascido ao terminar o sétimo mês.. ‘’.

Quando Severo passou a informação para Voldemort, nem sequer imaginava de quem se tratava. Voldemort chegou à conclusão de que o garoto era Harry Potter, filho de Lily Evans e James Potter e que deveria ir atrás dele para mata-lo. Assim, quando finalmente ligou os fatos de que Harry Potter seria realmente o escolhido, o que futuramente ameaçaria a existência do Lord das Trevas, se desesperou. Nunca esteve tão apavorado como naquele momento. Lilian e James potter eram os próximos alvos do Lorde das trevas, então decidiu pedir ajuda para Dumbledore.

Para Dumbledore, confessou que era um comensal da morte e derramou suas lágrimas de arrependimento, mostrando-se tão indefeso quanto os que supostamente seriam sua vítima. Pediu para que Dumbledore protegesse Lily e confessou que ainda a amava, em prantos, implorou para que ele a escondesse. Repreendido por Dumbledore, foi questionado sobre como não poderia pensar na morte do bebê ou de James Potter. Ele se deu por vencido pelo medo que Lily estivesse em perigo e pediu por entre lágrimas : ‘’ Esconda-os. Esconda-os todos. Eu faço o que desejar. Eu imploro. ‘’

E foi surpreendido com o pedido de se tornar um agente duplo, que daria informações do lado das Trevas para Dumbledore. Severo concordou e fez um acordo com o homem que considerava seu pai.

 

 

 

Voldemort desejava matar Harry, mas os pais Lilly e James se colocaram no caminho para defender o filho, como faria qualquer pai. Aí houve a primeira queda de Voldemort, Harry teve poder suficiente para proteger a si mesmo contra a morte que lhe fora lançada e designada, e fazer com que o  Lorde das Trevas enfraquecesse a ponto de não conseguir voltar a sua forma original com o corpo humano.

Severo  Snape tentou impedir, mas quando chegou no local, era tarde demais e aos prantos, segurou sua amada já morta nos braços. Ele deixou que todo aquele sentimento amargo entrasse em sua alma e fosse representado em lágrimas, pedindo perdão diversas vezes enquanto a balançava como uma criança, lembrando-se de cada momento feliz ao seu lado e de cada vez que ela havia dormido em seus braços.

 Ele chorava tão profundamente, que seus olhos pareciam não querer se abrir nunca mais pelo peso, assim como seu corpo. Ficou se perguntando porque de não ter sido ele em seu lugar. Ficou se culpando por não ter dito a ela o quanto a amava.

 Não se importou com o choro de Harry Potter, e o comodo era tomado pelo próprio pesar. Apertou ela em seus braços e se negou a acreditar que aquilo era real. Lucius veio a seu encontro para tentar ajudar o amigo a soltar Lily de seus braços e tentar convencê-lo de que não havia mais nada a fazer. Foi uma das poucas pessoas a ver Snape chorar em prantos.

Lucius o convenceu a deixa-la no local e pegar a criança. Ainda tremulo e debilitado, se levantou com a ajuda de Lucius e cuidadosamente pegou Harry Potter em seus braços, o abraçando fortemente até que ele parasse de chorar o balançando com os olhos cerrados. Ambos compartilhavam da mesma dor.  A dor que provocou a sensação de morte, angústia, tristeza, sensação de perda e não ser capaz de fazer o que mais desejava e amava de volta.    

~

S : ‘’ Você deveria mantê-la salva. Você disse... jurou... você prometeu... que ia mantê-los seguros. ‘’ – Severo para Dumbledore.

D : ‘’ Lilian e James depositaram sua  fé na pessoa errada, assim como você...’’

D : ‘’ O menino sobreviveu... ‘’

S : ‘’ Ele não precisa de proteção! ‘’  ‘’ O lorde das trevas se foi. ‘’

- disse aos prantos, tentando controlar a si mesmo, ainda que os gestos das mãos e a expressão chorosa ainda o denunciassem, e a voz embargada por tamanha tristeza deixava ainda mais evidente todo o seu sofrimento.

D : ‘’ O lorde das trevas retornará, quando isso ocorrer ele correrá grande perigo. Não pode deixar que isso aconteça. ‘’

 

Reflexivo e ainda chorando silenciosamente de cabeça baixa, seu coração foi novamente tocado pelas seguintes palavras vindas de Dumbledore, então levantou o rosto com um olhar desconfiado a ele e sem palavras, desviou o olhar perdido.

D : ‘’ Ele tem os olhos dela. ‘’  ‘’ Se você realmente a amava... ‘’

S :  ‘’ Ninguém .  Poderá... saber. ‘’ – Se referiu friamente a cuidar do bebê.

D : ‘’ Não entendo porque, mas ninguém saberá da melhor parte que habita em você. Não vão saber o que você tem de melhor, Severo. ‘’

Manteve Harry consigo na sua antiga casa na Rua da Fiação, até que ele completasse dois anos de idade e pudesse ir para a adoção, onde seus tios foram notificados de seu paradeiro e o encontraram. O segundo dia mais difícil de sua vida. Por dois anos, cuidou de Harry como se ele fosse o seu próprio filho e não houve um dia sequer que não se lembrasse de Lílian.  –

~

Anos a frente, Harry Potter finalmente havia completado onze anos de idade e conquistado a permissão para sair do mundo trouxa para Hogwarts. Não só permissão, mas o dever de retornar ao mundo bruxo. Dumbledore acreditava que Voldemort retornaria e que Harry precisava ser protegido, então Severo cuidou dele de longe como seu aluno e o plano seguiu como planejado. Agora o menino estaria sobre seus cuidados e em um lugar extremamente seguro. Apesar disso, tinha prazer em provoca-lo e implicar o quanto podia com o garoto. Algumas coisas lembravam sua mãe, como o sorriso, o olhar, o jeito furioso quando contrariado. Por outro lado, lembrava-se também do jeito  arrogante herdado de seu pai.

~

Até então, Severo nunca havia reencontrado Bellatrix Lestrange, que era um dos motivos para querer se tornar um comensal respeitado e o braço direito de Voldemort. Não a encontrou, nem mesmo em reuniões pessoalmente com o Lorde das Trevas e todos os outros comensais, pois ela só cercava Voldemort em sua forma de comensal ou até mesmo disfarces humanos para proteger sua identidade, já que era muito procurada pelo Ministério. Ela certamente já teria ciência da companhia de Severo, mas preferiu vê-lo apenas através daquela forma. Não confiava nele o suficiente e alertava Voldemort sobre ele ser um traidor durante todo o tempo até sua queda. Voldemort buscava se recuperar e estava extremamente fraco e vulnerável até então.  ~

Após muitas mortes e envolvimento nos planos do Lorde das Trevas, tentava servir à ambos lados sem prejudicar o plano que havia criado com Dumbledore por todos aqueles anos. Draco havia sido destinado por Voldemort para realizar a tarefa de matar Dumbledore, mas quando o diretor descobriu através do próprio Snape, pediu à Snape para que ele o fizesse, assim conquistaria toda a confiança de Voldemort. A primeira vez que Bellatrix Lestrange se revelou para Severo, teve de se rebaixar para pedir que fizesse o voto perpetuo para que ele jurasse proteger seu sobrinho Draco à um pedido da irmã Narcisa, que estava preocupada com a segurança do menino.  ~

D : ‘’ É você quem deve me matar , Severo. ‘’ ~

 

D : Você deve esperar para contar à Harry até que Voldemort esteja vulnerável.

S : Contar o que?

D : Que... na noite em que Voldemort foi ao encontro de Harry para mata-lo e Lily o protegeu, ficando entre eles... o feitiço ricocheteou e ele se fragmentou. A alma dele se espalhou, se perdeu e parte dela ficou dentro do único sobrevivente daquela casa. E por essa razão Harry sabe falar com as cobras. E por essa razão ele pode entrar nos pensamentos de Voldemort. Uma parte de Voldemort... vive dentro de Harry.

S : Então quando chegar a hora... o garoto... deve morrer?

D : Sim. Ele deve morrer.

S : Você o manteve vivo para que morresse no momento certo. Você... sabia. Você o criou como um porco para o abate.

D : Não me diga agora que você se afeiçoou ao menino.

Severo congelou diante daquela pergunta e após refletir, meneou a cabeça positivamente de um jeito contido e desviou o olhar, meneando a varinha para enviar o seu patrono até o encontro de Harry, para que o protegesse.

‘’ O Feitiço do Patrono é amplamente considerado como magia avançada, além do nível NIEM, em 1994 Remus Lupin afirmou que o encanto era, de fato "ridiculamente avançado". É muito complexo e muitos bruxos e bruxas qualificados têm problemas com ele. ‘’  fonte : https://harrypotter.fandom.com/pt-br/wiki/Feiti%C3%A7o_do_Patrono

Suas forças e suas melhores energias seguiam com seu patrono, baseado no fato de que Patronos são evocados por recordar memórias felize. Sua alma e a de Lílian havia se tornado somente uma novamente naquele momento. Severo podia sentir Lílian e até mesmo seu perfume. Manteve-se imóvel e concordou com seus próprios sentimentos, os obedeceu pela primeira vez. Ele amava Harry como um filho.

‘’ Expecto Patronum! ‘’

Ao revelar o seu patrono em uma forte iluminação branca e azul  translucida que delineava a forma de uma corça, criado a partir do sentimento mais puro que havia dentro de Severo naquele momento, Dumbledore se surpreendeu e o questionou por ser o mesmo patrono de Lily.  –

D  : Lílian... depois de todo esse tempo?

S : ... Sempre.

~

 

Quando Severo finalmente havia realizado o desejo de  Dumbledore e o matado de acordo com o plano, todos o acusaram severa e arduamente por ter lançado um feitiço imperdoável e irreversível contra Alvo Dumbledore quando Hogwarts havia sido invadida pela primeira vez por dementadores e comensais da morte. Por ter comprido o acordo perante o voto perpétuo e após isso fugido do local com os demais comensais da morte e Draco. Bellatrix o protegeu por trás, impedindo que Harry, ainda revoltado chegasse próximo demais ou o atacasse inesperadamente. Sua gargalhada era estridente e abafava os gritos aos prantos de Harry poder. ‘’ Revide. ‘’ e ‘’ Covarde ‘’. Foi o que ele ouviu.

~

Severus Prince Snape era um dos mais poderosos bruxos de todos os tempos naquela atualidade.  Ele mesmo era capaz de se denominar um dos maiores bruxos que já existiu, principalmente entre todos aqueles que eram mestiços e sofriam tanto pelo preconceito criado e sustentado por tantos anos pela supremacia de puro sangue e a qual havia se aliado por conta da fama, da influência, de tudo o que realizou e conquistou desde que era apenas um jovem aluno estudioso em Hogwarts. Foi o único homem a enfrentar Voldemort como um agente duplo a serviço de Dumbledore e capaz de mentir para ele com ajuda das suas habilidades em oclumência e enganar o Lorde das Trevas a todo custo. Ele se dispôs a passar informações dos próximos planos, movimentos e ataques de Voldemort, colocando sua vida em risco.

Foi o único em décadas a tomar a posição como diretor de Hogwarts, que o Ministério da Magia não pôde removê-lo por ser um pedido do falecido Alvo Dumbledore, mas havia algo além disso. Snape era mais do que qualificado para estar naquela posição e mais do que essencial para que Hogwarts continuasse intacta e em segurança. Snape passou a ser o herdeiro do poder incontestável da varinha das varinhas, por ter matado o melhor amigo, mas mesmo sem que soubesse disso, ele aceitou o cargo pelo carinho mútuo que sentia pelo bruxo mais velho. Apenas Dumbledore sabia que Severo seria o herdeiro da varinha caso cumprisse o prometido e fosse ele a causar sua morte.

 

Somente Severo sabia que por uma maldição que ele constantemente tentava retardar com poções novas. Dumbledore só teria mais um ano de vida e ele não pode evitar. Caso contrário, teriam lutado juntos até o fim, da mesma forma que Lilian lutou com Severo para que mantivesse Harry Potter salvo até os dias atuais.

 

 

 

Mesmo após suas perdas, suas derrotas, seus momentos de tristeza e fraqueza, estava sujeito a suportar a ingratidão de Harry para sempre, por uma decisão pessoal. Acreditava que o menino não deveria saber da verdade, pois questionaria porque o próprio professor não cuidou dele até que pudesse ir para Hogwarts e a verdade era que: não estava pronto para assumir a culpa. Sentia tanta culpa que não conseguia acreditar que seria um bom pai para ele, mesmo sabendo que seus tios já o odiavam. Não teria coragem de criar um filho de James Potter, mas o amava tanto quanto.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...