História Sex Bunny - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan, Bangtan Boys (BTS), Coelho, Jeongguk, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Redguk
Visualizações 84
Palavras 2.438
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amoras, trago aqui mais uma fanfic para vocês, com aquele lemon gostoso que todo mundo gosta.

Antes de mais nada tenho dois avisos: 1- palavrões foram utilizados na história, então peço desculpas desde já para quem não gosta. 2 - "Soyuja" é uma palavra coreana que traduzida é o mesmo significado para proprietário ou dono ;).

É apenas isso mesmo. Avisos dados!

Espero que aproveitem a história e muita boa leitura🖤

Capítulo 1 - Soyuja


"Caralho" 

Essa foi a única frase que consegui pronunciar, após chegar em casa e atravessar a porta do quarto. 

Depois de longas oito horas sentado em uma cadeira não muito confortável, atolado com pilhas e mais pilhas de papéis com cálculos e projetos esperando para serem realizados,  finalmente pude desfrutar da claridade solar que se despedia e dava lugar ao céu noturno coberto pelas luzes da cidade, que também anunciavam o final de mais um expediente. 

Com muita disposição pude esticar os braços, levantar a bunda já bastante dolorida da cadeira, respirar fundo e rumar para fora do escritório e logo depois o carro, saindo da construtora onde arduamente trabalhava. 

Enquanto dirigia alegremente para casa, minha mente era bombardeada com pequenos flashes de memórias que me deixavam com muita saudade do cara altamente gato com quem dividia minha cama. Com seus cabelos e olhos negros, pele levemente bronzeada e aquela boquinha gostosa ele conseguia me faz perder toda a linha. 

Ao chegar na garagem do prédio, localizado em um bairro aconchegante de Busan, estacionei o meu conversível e entrei no elevador apertando o número do meu andar. As portas da caixa metálica se fecharam, mas logo abriram novamente para me deixar onde eu queria. Caminhei até a frente da porta e procurei pela minha chave nos bolsos da calça, quando encontrei coloquei a menor de todas na fechadura e destranquei sendo recebido pelo maior breu.  

Com as sobrancelhas franzidas fechei nossa porta e entrei na sala, enquanto mordiscava meus lábios e procurava por todos os lados o cara gostoso que casou comigo. 

Para mim era confuso estar no meio daquela escuridão, pois antes de sair pela manhã, ele me contou que voltaria para o nosso lar logo depois do curso de fotografia, já que era folga no trabalho de meio período.  

— Jungkook? — Resolvi chamar seu nome, num tom de voz um pouco elevado. Mas foi aí que ouvi um pequeno barulho que vinha do nosso sagrado quarto. Caminhei até o local e quando passei pela entrada achei que teria um infarto pela rapidez que o meu coração acelerou.  Os meus pequenos olhos se arregalaram, enquanto senti o órgão entre as minhas pernas fisgar e crescer a cada instante que o calor se expandia no meu corpo. 

Soltei pesadamente a respiração, e apenas balbuciei a única coisa que o meu cérebro foi capaz de raciocinar diante daquela visão.

— Caralho. Caralho. Caralho! — Emiti enquanto andava até sua frente, louco para ver melhor aquela situação. Pude sentir aqueles olhinhos lindos me seguindo com curiosidade. 

 Ao parar de frente para ele coloquei as minhas mãos na cintura e o olhei da cabeça até os pés. 

 Jeon Jungkook estava de joelhos em cima da cama, me encarando intensamente. As mãos repousavam em cima das coxas, o tronco estava quase nu e aquela pele imaculada e apetitosa ao meu bel-prazer. 

Ele usava apenas uma cueca coladinha e preta, que se destacava por causa de seu tom. O pescoço estava envolvido por uma gravata borboleta. Na cabeça havia uma tiara com orelhas felpudas, enquanto a franja caia pelos olhos delineados, marcantes. 

Uma bolinha escura que lembrava um focinho estava pintada no nariz, e a boca estava emoldurada com um sorrisinho era apenas uma característica pessoal, mas para mim se tornou um detalhe essencial na fantasia por causa dos dentes salientes.  

Notei que os meus lábios começavam a ficar machucados, eu estava explodindo de excitação e descontei tudo em mordiscadas na região. O gemido que incontrolavelmente soltei com aquela erótica cena também foi inevitável. 

  Tentei falar algo além do inicial "caralho", mas antes a voz do meu gostoso soou pelo ambiente. 

— Jiminie! Eu estava esperando por você. — O timbre rouco e carregado com 5 % manha e 95% sensualidade conseguiu me fazer perder o restante da minha razão e a ereção apertar ainda mais dentro da calça.

Quando pensei em encontrar Jungkook eu não esperei que seria numa situação tão prazerosa como essa. E agora só conseguia imaginar em quantas posições diferentes eu poderia fodê-lo durante longas horas. 

— Você pode me explicar o que é tudo isso, Jungkook? — Questionei com a voz caracterizada pela excitação, enquanto desabotoava a camisa social e pendurava no pescoço. 

— É apenas a minha forma de te receber, soyuja. 

— E o que você é? — Olhei nos olhos. 

— Sou seu coelhinho, amor. — Murmurou contra a minha boca, me puxando pelas pontas da camisa e juntando nossos lábios em um selinho. — Um coelhinho bem safadinho — Outro selinho — Só para você!  

Finalizou segurando pelos meus cabelos loiros e começando um beijo aprofundado. O ósculo não era nenhum pouco devoto, sendo possível ouvir os estalos deixados pelas bocas muito bem entretidas. Jungkook segurou o meu lábio inferior entre os dentes e puxou. Não sei se era possível, mas senti que assim ele deixou o meu pênis ainda mais ereto com esse ato.  

Senti sua mão boba deslizando por meu peito e repousar, momentaneamente, no cós da minha calça. Ele passou a palma levemente por cima da ereção, mas não demorou em mudar de ideia e apertar entre os dedos o membro tão duro quanto um tijolo. 

Soltei um arfar e arqueei o corpo, quando ele me apertou na mão. Jungkook aproveitou para separar nossos lábios e passou a beijar desde o meu pescoço até o peito. Tudo o que eu conseguia fazer era gemer em seus toques, estava completamente entregue. 

As mãos voltaram a andar pela minha calça até achar a fivela para abrir o cinto, depois de retirar o acessório ele se afastou um pouco e me olhou, quando retirou ele afastou um pouco, me olhou, rodopiou a peça e por fim jogou para o lado. 

Seus dedos mágicos desabotoaram a minha calça e arrastaram o zíper, para logo abaixar o jeans me deixar de box. 

Resolvi não ficar apenas servindo de cobaia e me inclinei sobre ele, começando a distribuir beijos e mordidas naquela pele tão macia. Minha intenção era deixá-lo totalmente marcado, para todo mundo saber que aquele coelho tinha dono.

Notei que os meus toques começaram a arrepiar Jungkook, isso estimulou o mais alto a deslizar as mãos pelas minhas costas, passear pelo quadril e se perder na minha bunda, deixando um aperto nas nádegas. 

As mordidas desceram pelo tronco bonito, até parar nos bicos chamativos. Encarei Jungkook a tempo de vê-lo colocar a língua para fora e mover a pontinha, me estimulando a acaricia-lo daquele modo. Fiz conforme o pedido, contornei aqueles dois mamilos suculentos com a ponta da minha língua sendo retribuído com gemidos nada castos.

 Enquanto segurava a minha cabeça contra o peito e gemia deliciosamente no meu ouvido, Jungkook encontrou o meu membro e sem nenhum pudor segurou ele por cima da cueca. Fui obrigado a fechar os olhos devido ao tesão que se espalhou pelo meu corpo. 

Ainda me saciando em sua pele, a mão boba alheia entrou pela minha cueca e deslizou aquele pano fino e úmido para baixo, liberando aquele órgão que já pingava de pré-gozo. Sapecamente, Jungkook começou um vai e vem com toda a liberdade que ele sabia ter sob o meu pau. 

— Já está gemendo tão gostoso, amor? Mas a gente nem começou direito. Nossa brincadeira está tão boa assim? — sussurrou no meu ouvido com um sorriso ladino, uma expressão pornográfica que apenas eu conhecia. 

Para castigá-lo pela ousadia em me provocar daquela maneira, belisquei com um pouco de força os mamilos, ato que o fez gemer em meio a uma risada. 

— Você é um coelho muito safado, Jungkook. Deveria levar uns bons tapas nessa sua bunda fodidamente gostosa. — Sussurrei e impulsionei o meu quadril para frente e para trás, deixando o meu falo deslizar ainda mais em sua palma. Eu poderia gozar apenas com isso. 

— Soyujaaa 

— Sim? 

— Me deixa chupar você? — O biquinho que formou em seus lábios me fez rir fraco, ele conseguia ser adorável até na hora de pedir para chupar um pau. 

— Me chupar? Perdão, Jungkook, mas eu vou mesmo é foder essa sua boca. — Mordisquei a orelha e o moreno suspirou arrepiado.  

 Então me levantei e ele se deitou na cama, ficando com o rosto de frente para o meu brinquedo.  

— Pronto! Sacie o seu soyuja. 

Jungkook nada disse, apenas abriu a boca e abocanhou o meu membro ao mesmo tempo que me olhava.  Ele fazia pequenas sucções, passava a língua pela cabecinha, deslizava pela extensão, brincava com a fenda e logo engolia novamente. 

As mãos que repousavam em meus quadris foram até seus cabelos, segurei nos fios lisos e macios começando a me mover para frente e para trás, cumprindo a minha promessa. 

A boca de Jungkook era um verdadeiro manjar dos deuses, quentinha, macia e acolhia muito bem o meu órgão. Quando pequenas lágrimas se formavam nos cantos dos olhos eu retirava o pênis para ele poder respirar, mas não tardava em me afundar novamente entre seus dentes. 

Comecei a emitir séries de gemidos, e o outro gemendo com o meu pau na boca não ajudava a tardar aquela sensação de orgasmo se aproximando. Contudo, eu queria aproveitar um pouco mais do nosso divertimento pecaminoso, então me esforcei para afastar dele. 

Jungkook me lançou um olhar confuso, segurei seus fios entre os meus dedos e o puxei para cima tacando-lhe um beijo e sentindo levemente o meu sabor. 

— A sua boca é uma delícia, mas o seu soyuja não quer se desfazer nela. —  Confessei. — De quatro agora. 

 Não precisei falar duas vezes, pois muito obediente ele se posicionou da maneira que pedi. Foi aí que vi o rabinho de coelho que tinha ali. Inevitável me diverti com aquilo. 

— Mas olha só o que temos aqui. — Tirei sua box. Jungkook me olhava com a cabeça tombada para o lado. 

— Você gostou? — Questionou libidinosamente. 

— Porra, você não tem ideia do quanto gostei disso.  

Retirei o objeto e levei até a boca dele, em um pedido mudo para que chupasse. Enquanto ele se divertia com aquilo, estapeei as duas nádegas, que logo ficaram avermelhadas. 

Quando o consolo ficou bastante úmido, coloquei dentro dele novamente e comecei a fazer um movimento de vai e vem, até cansar e resolver sentir seu interior com os meus próprios dedos. Deixei mais alguns tapas na região antes de continuar e coloquei dois dedos de uma vez. 

O mais alto, em primeiro momento, gemeu surpreso, mas depois começou a rebolar para trás em busca de mais contato. Comecei a estocá-lo ao mesmo tempo que sentia meus dígitos sendo apertados por ele. 

— Puta merda, Jungkook. Deus que me perdoe, mas você é gostoso para um caralho. — Comentei hipnotizado com seu rebolado.

Resolvi então me aproveitar do momento, Jungkook já estava extasiado de prazer, era o momento ideal para substituir os meus dedos pelo meu pau. Segurei o meu pênis em frente a sua entrada e sem muita pressa, fui empurrando até preenchê-lo completamente. 

Jungkook trancou a respiração por um minuto quando me sentiu, e afundou o rosto no lençol. Fiquei parado por alguns segundos, para que se acostumasse. Até que virou a cabeça para o lado e pediu, entre arfares, para continuar.  

— Soyuja, fode o seu coelhinho. Por favor. 

 Ouvindo o fio de voz, repousei a mão em suas costas e comecei a me movimentar, apreciando a visão de tê-lo totalmente entregue a mim. 

Em alguns momentos ele mesmo rebolava para trás, em busca de mais contato. Era mesmo um tremendo de um gostoso safado. 

 Aquilo estava realmente delicioso, eu não conseguia pensar em nada além de proporcionar ao meu homem um orgasmo no nível que ele mereceria. 

— Amor, por favor… Por favor… fode mais... mais rápido. — E era muito extasiante ouvir a voz grossa e rouca pedindo por ser fodido mais e mais rápido.  Me sentia satisfeito em ver Jungkook sendo saciado e delirando de prazer.    

Segurei mais uma vez nos cabelos e com cuidado virei o rosto dele para o lado. Encarei os lábios e dei início a um novo beijo, enquanto deixava o som do meu quadril se chocando com a bunda dele ecoar pelo nosso quarto. Era um som excitante e quando começamos a gemer sobre a boca um do outro se tornou quente.

— J... Jiminie... Soyuja... eu vou... vou... Jimin — Ele gemeu contra a minha boca. 

Continuei estocando por alguns segundos, até sentir o meu beiço ser mordido e as pernas do mais alto fraquejarem. Não demorou para que o líquido esbranquiçado viesse, sujando o lençol abaixo de nós. 

A entrada úmida e quente começou a se contrair, apertando o meu próprio pênis pulsante que já estava no limite. Quando a sensação de orgasmo novamente me atingiu, segurei forte o corpo dele contra o meu, dando estocadas ainda mais fortes.

— Jung... Kook... Porra isso... é muito... bom… ah. 

Mordi o ombro dele quando cheguei ao meu ápice, me desfazendo dentro dele e sentindo as pernas bambas junto com a respiração fraca. 

No final, Jungkook desabou sobre a cama. Eu sai de dentro dele com cuidado, mas continuei deitado em suas costas para me recuperar. Quando me senti um pouco mais disposto, me deitei ao lado e fiquei observando cada traço do rosto e corpo alheio, concluindo mais uma vez que aquele cara era extremamente bonito e só meu. 

— Quando teve a ideia de se vestir de coelho? — Questione curioso, vendo um sorriso fofo brincar nos lábios dele. 

— Depois que voltei da faculdade fiquei lendo algumas coisas na internet relacionadas com fantasias sexuais. — Suspirou — Acabei ficando excitado com algumas e decidi que iria experimentar. Você curtiu? 

— Eu gostei pra caralho disso. Por favor, leia mais histórias assim, adorarei colocar cada uma delas em prática! — Pisquei para ele, enquanto me sentava na cama e apoiava as costas na cabeceira. 

— Então não podemos ficar perdendo muito tempo hoje. 

— Como assim? — Observei o rosto dele ganhar a expressão sexy novamente. 

— Soyuja... o seu coelho tem mais algumas fantasias para experimentar.

—  Hoje?

—  Sim, hoje. Tipo... agora! 

Jungkook passou os braços pelo meu pescoço e sentou no meu colo, rebolando no meu membro que mais uma vez despertava. 

— Ji... Jiminnie — Chamou no timbre variante entre o manhoso e o sensual. — Quero você dentro de mim, de novo. 

Segurei ele firme no meu colo, incentivando um pouco mais seu rebolado e passando a mão em suas pernas, apertando as coxas fartas. Estava gostando da cena. 

— Quero te foder a noite toda. 

— Então foda. Estamos aqui para saciar nossos desejos, Soyuja. — Ele sorriu e eu não me reprimi em dar mais um tapa em sua bunda, por causa de sua carinha impudica. 

— Coelhinho safado! — Deixei uma risada. Então deslizei novamente as mãos por aquele corpinho imaculadamente gostoso, para iniciar o segundo round.

Se Jeon Jungkook implorava para ser fodido, então ele seria muito bem fodido por mim. 

 


Notas Finais


Se você gostou pede biz que eu faço ;)

Gratidão a cada um dos amorinhas que leu, mais ainda para os que comentarem.

🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...