História Sexta Feira 13 - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Jisung, Johnny, Jungwoo, Kun, Lucas, Mark, Winwin, Yuta
Tags Kim Jungwoo, Luwoo, Nct, Neo Culture Technology, Wong Yukhei, Woocas
Visualizações 203
Palavras 2.480
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hellos, é a vana, e este capítulo era para ter saído antes, mas um acidente me fez o excluir sem querer e eu tive que o refazer, butttt deu tudo certo. A propósito, o próximo capítulo é o último :( desta mini saga do Wong.

E olha, Lucas tem umas sexta feiras tão incríveis que eu fico admirada rsrs é chocante.
Enfim, desculpem algum erro, bjão e saranghaeyooo!!

Capítulo 4 - Aigoo, Yukhei está apaixonado mesmo!


Ainda desacreditado que era sexta feira treze novamente, Yukhei saiu de sua casa às pressas para ir para a aula. Ele achou um verdadeiro tédio ter que ouvir as mesmas aulas e rever as mesmas matérias. Mas, o que poderia fazer se havia retornado ao passado? Nada, Nadinha.

Pela primeira vez desde que possuía Mark Lee como crush, não o fitou várias vezes, não lhe mandou cartinhas toscas de namoro e muito menos o convidou para a festinha a fantasia. Dado que na primeira sexta feira treze, ele havia o convidado. Mesmo sabendo que este não iria ir. Contudo, seu interesse agora era em Jungwoo e somente em Jungwoo. Nem para a festa Lucas se importava mais.

As aulas passaram lentamente segundo sua visão. Yukhei ajudou Johnny a resolver alguns exercícios de matemática, o que era raro, porque o Wong não tinha paciência para nada. Talvez, tenha fitado Mark duas vezes pelo o mesmo se sentar ao seu lado, mas foi coisa do momento. 

Assim como da primeira vez, ao anoitecer, Lucas andava pela rua já fantasiado e devidamente pronto para destruir o coração de Kim Jungwoo. Estava mais nervoso do que a primeira vez, e havia saído mais cedo de sua casa, esperando que Jungwoo não tenha chegado na festa e muito menos bebido soju até não o reconhecer. Visto que seria drástico demais tudo se repetir novamente.

Perto da casa de Yuta, notava a algazarra da galera e até cogitou a pensar em chegar gritando, mas desistiu no mesmo momento. Lucas tinha algo em mente e isto era não fazer as mesmas coisas se repetirem. Entrou na casa de fininho, mas claramente que não foi despercebido, porque era impossível não notar a presença de Wong Yukhei por ai.  Qualquer um que o conhecesse parava para o olhar. Lucas estava tão elegante e charmoso que todas as garotas e garotos ficavam com seus olhos vidrados em si, além de ficarem com o queixo caído diante dele.

Mas, evitando a aglomeração de pessoas, Lucas correu até a cozinha. Antes fitou os quatro cantos do lugar a procura de Kim Jungwoo, este que aparentemente não havia chegado. Lucas suspirou fundo, não era possível que tudo se repetiria novamente, era?

  — Aigoo... devo ter cuspido na cruz, só pode — Disse, abrindo uma garrafa de soju e pegando um copo para beber um pouco. Yukhei não gostava de beber, mas estava tão nervoso que precisava tomar algo, nem que fosse somente um gole.

— Conta mais gente boa, porque essa cara de cu? — Johnny se aproximou, lhe dando uns tapinhas no ombro. Yukhei que estava imerso em seus pensamentos com o crush se assustou, por não ter visto o amigo se aproximar — Não vai me dizer que é por causa daquele Mark?

— Não.. não é por causa do Mark, acredite.

— Omo! Não vai me dizer que está pensando em outro crush... aff Lucas! — Johnny o olhou indignado — Nenhum dos seus crushs te nota, será que você nunca aprende?

— Será que você nunca me entende? Olha, Jungwoo-ah é diferente, ele gosta de mim — Tomou um gole de soju e bufou — Mas parece que não é para ficarmos juntos.

— Essa é nova, um crush te reparar... você só escolhe os mais difíceis, mas ele deve estar fantasiado por aí, quem sabe já não chegou? — Johnny lhe deu uns tapinhas no ombro novamente, vendo se reconfortava o coração despedaçado de Lucas. 

Contudo, fora este momento que Lucas se lembrou que Jungwoo viria a festa de Jason voorhees e aí se lembrou que o mesmo não poderia ser visto pelas outras pessoas porque era de colégio diferente dos demais. Inclusive, colégio rival ao do Wong.

  — É CLARO! — Exclamou assustando Johnny — Ele deve estar em algum lugar escondido esperando me ver, aigooo como sou burro! — Deu um tapa em sua própria testa e saiu correndo para a sala deixando seu copo de soju no balcão da cozinha de Yuta. Em razão de que, Jungwoo era de outro colégio e provavelmente, estava evitando que alguém o descobrisse mesmo com aquela máscara de hóquei tosca. Pois, Lucas a achava tosca, esconder um rostinho lindos daqueles, puff pior coisa que o Kim fizera. 

  — LUCAS!! O que foi?! — Johnny o chamou, mas não podia fazer mais nada. Yukhei já havia sumido para a sala. AIGOO!! Lucas está pirado na batatinha mesmo, pensara aos risos.

Primeiro que Johnny não tinha interesse em namoro e segundo que para ele nenhum de seus amigos deveria ter — principalmente Lucas — pelo simples fato de que, o mesmo era charmoso e gato demais para beijar uma boca só.  No começo, Yukhei até que foi na do amigo, mas depois de ficar babando por Mark e agora com Jungwoo, puff, queria namoro na certa.

Enquanto Yukhei chegava até a varandinha do Nakamoto não avistando nenhuma alma ali, Yuta e Winwin estranhavam o repentino surto do amigo. Lucas não era de ficar pelos cantos se corroendo, muito menos encarando o nada. Nem mesmo por Mark ele fizera isto. O casal então, decidiu ver o que se passava com o amigo, antes que o mesmo enlouquecesse de vez.

— Está procurando o Mark ainda? — Yuta o questionou, abraçando Sicheng por trás e apoiando sua cabeça sobre o ombro do mesmo. Até um cego sabia que eles tinham algo, mas ambos insistiam que não.

— Vocês viram alguém vestido com uma máscara de hóquei por aí? — Lucas perguntou um tanto aflito. Jungwoo poderia estar bebendo em algum lugar escondido e que no final remotamente resultaria no mesmo não o reconhecendo. E isto, o Wong não se perdoaria. Pensara que chegar mais cedo à festa fosse já avistar o Kim, mas parece que tudo foi em vão. Pô, hoje é o dia do azar mesmo!

— Não, por que?— Sicheng respondeu, encarando todos os lados caso visse alguém com a descrição que o amigo dissera.

— Nada, esquece — Bufou. Talvez, a sexta feira treze apenas estivesse brincando com sua cara mesmo. 

Lucas queria chorar. Seria mais fácil se ele tivesse ido direto na casa do Jungwoo? Ele achava que não. O garoto gostava de si, mas estranharia sua chegada do nada e mesmo que quisesse levar Chenle até lá, o mesmo havia combinado de só ir no sábado com o Jisung. E talvez, até isto desse errado. 

  — Eu quero morrer! — Disse em um tom frustrante e se sentou no chão da varanda. Havia desistido, nunca que achou que encontrar com Jungwoo na festinha fosse ser algo tão difícil.

O casal o observava e ao mesmo tempo se encarava tentando compreender o que se passava na mente do amigo. Lucas estava estranho segundo a visão deles, desde o colégio até agora. Ele era o que liderava a bagunça, ria por qualquer coisa e não se importava com nada. Claro que isso mudou um pouco após se encontrar encantado com Mark, mas nada tão irrelevante como ele estava agora. 

  — Qual é Lucas! Vamos dançar, hm? — Yuta tentou-o levantar pegando em seu braço, mas viu Yukhei desviar de seu toque — Você vai se animar! Vamos?

 — Aish..— Murmurou, cansado dos amigos sempre o mandaram fazer isto ou aquilo — EU NÃO QUERO YUTA, EU NÃO QUERO IR DANÇAR! — Se exaltou, ele só queria que os amigos entendessem que ele só queria ficar sozinho pensando no seu crushzinho e não dançar. E, começara também a pensar que deveria ter mesmo é acabado com está festa antes dela ter se iniciado. 

Yuta e Sicheng ficaram quietos. Não sabiam o que falar, nunca haviam visto o Wong tão exaltado como estava. 

Lucas respirou fundo e olhou os amigos boquiabertos. Ele odiava gritar com as pessoas que gostavam de si, portanto resolveu se desculpar com eles.

— Desculpa 'tá? É que eu só quero o Jungwoo-ah — Confessou mesmo sabendo que os amigos nem sabiam quem este era, se lamentando internamente por ser tão azarado. Viu Johnny aparecer na varanda todo animado, mas assim que este observou o clima estranho, parou com a empolgação ou ao menos tentou. Dado que, dançava até o chão com os outros amigos na sala que nem notara que Yuta, Sicheng e Yukhei estavam na varanda com cara de tacho.

— Xurumela, por que você 'tá com essa cara de quem comeu e não gostou ainda? 'Tá pensando que alguém vai ter dó de você assim? — Riu acabando com todo o soju que se encontrava em seu copo e fitou Lucas que revirou os olhos para si — Bora dançar cara!! Que crush nenhum gosta de cosplay de morto.

E o mais engraçado, era de que Johnny foi a festa fantasiado de zumbi. Então realmente ele não queria ninguém interessado em si.

— Johnny tem razão Lucas, cosplay de morto não é legal — Sicheng concordou, mesmo achando que se Lucas dançasse que nem uma lombriga drogada, qualquer crush sairia correndo de perto dele. Pois, Wong podia ser atraente, mas dançando o desgosto era grande. Enquanto isso, Yuta apenas ficou quieto, achava que era melhor ficar neutro nesta história já que Lucas estava levemente exaltado.

— Johnny-ah, você viu alguém com uma máscara de hóquei? — Yukhei lhe questionou. Não custava perguntar, mesmo achando que o amigo estivesse bêbado demais da conta para notar em alguém assim.

Johnny arqueou a sobrancelha, qual o problema deste garoto, pensara, e em seguida deu de ombros o respondendo.

— Vi, acabou de passar por mim lá na sala, mas acho que foi embora, sei lá.

Yukhei arregalou os olhos. Tinha que ser mentira!

— O QUE?! E VOCÊ SÓ ME DIZ ISSO AGORA, SEU CRETINO!

 — Por que? — Encarou Lucas sem entender e só viu o mesmo desaparecer da varanda como um relâmpago — Mano que garoto estranho, pior que o Kun com medinho de lagartixa.

— Ah mas, lagartixas são medonhas, Johnny.

— Ah sei, e por que você não acha a lagartixa do Yuta medonha então, Winwin? — Sicheng revirou os olhos assim que ouviu tamanho absurdo e Yuta, lhe fitou com o olhar "corre antes que eu faça soju sair pelos seus olhos".  E fora ser o que o mesmo fez antes que Nakamoto decidisse pisar em sua lagartixa. Se podemos dizer assim.

Nesse meio tempo, Lucas saiu correndo até a sala e não o viu, correu até a entrada da casa do Nakamoto apreensivo, mas parecia que o destino estava fazendo um joguinho do mal consigo. Jungwoo não estava em lugar algum. Talvez, tenha ido embora mesmo, chegou a cogitar. E, Foi aí então, que Yukhei decidiu ir correndo até a casa do garoto. Porque ali ele teria que aparecer hora ou outra.

Quando desviou da mureta da casa do Nakamoto, também desviando de algumas pessoas que preferiam dançar no lado de fora da casa, acabou-se por trombar em alguém e isso foi tão forte que o fez cair no chão cimentado e gelado. No mesmo momento, Lucas sentiu seu braço esquerdo doer como nunca havia doido antes assim como sua cabeça que havia batido contra o piso e se praguejou mentalmente, tanto quanto, praguejou a sexta feira treze e todas as suas maldições. 

Teria alguém conspirado contra si? 

Por que era um fato a ser pensando se analisarmos o quão confusa e duvidosa era sua vida, contudo, Lucas pensou que não pela primeira vez desde que havia voltado ao passado. Em virtude de que, assim que fitou o garoto ao seu lado se levantar, decidiu que a sexta feira treze era uma incógnita surreal.

  — AI MEUS DEUS EU TE MACHUQUEI? ME DESCULPA — O garoto que acabara de se levantar, se apavorou o vendo no chão caído como se estivesse de frente como uma assombração. Todavia, um garoto fantasiado de jason voorhees poderia sim assustar qualquer um, menos Wong Yukhei.

Lucas sentiu seu coração palpitar fortemente, como uma bomba relógio prestes a explodir. Sua felicidade era inexplicável que com palavras não era capaz de se explicar. Um sorriso de orelha a orelha surgiu em seus lábios e a dor que sentia, não era tão forte comparada a alegria de ver aquele que ele procurava desde que chegara na festa. Ambos se fitaram por segundos e ao olhar no fundo dos olhos de Jungwoo, Lucas sabia que aquele garoto deveria ser a todo custo seu namorado.

— JUNGWOO-AH! Eu não acredito! — Tentou se levantar, mas foi praticamente em vão assim que viu tudo girar. 

O Kim, que se surpreendeu por Yukhei reconheceu-o mesmo com aquela máscara que cobria 99% de sua face, ficou chocado por ver que o Wong não estava bem. Pensara que havia acabado com as suas chances remotas de ter Lucas como namorado, sem ao menos saber que essas chances nunca se acabariam na vida.

Jungwoo o ajudou a se levantar e o levou até a cozinha da casa do Nakamoto. Este que ficou em choque assim que viu Lucas com o braço todo arranhado e com um corte pequeno na cabeça que deixava a amostra um pouco de sangue. Sicheng que ficou boquiaberto com a cena, se surpreendeu mais ainda vendo Jungwoo retirar a máscara. Afinal, o Kim era de outro colégio e supostamente não havia sido convidado para a festa.

Lucas queria muito conversar com Jungwoo, mas mal conseguia dizer um "a" pela dor na cabeça e no braço piorarem de repente. Foi aí então que Yuta ligou rapidamente para Kun — o responsável do grupo que não foi para a festa — a fim deste levar Yukhei para algum hospital o mais rápido possível. Jungwoo ficou do lado do Wong a todo o momento. Se sentia culpado pela trombada e por isso, o acompanhou até o hospital assim que Kun chegou para o levar.

No caminho, o Wong notava as expressões de preocupação do Kim, mas não conseguia dizer uma palavra interessante tirando o "vou ficar bem". E, apesar disto, Kun o disse mais uma vez que festa em sexta feira treze não iria dar coisa boa, mas Lucas se limitou a rir e fitar o Kim ao seu lado no banco de trás, pensando que, mesmo machucado teve a "sorte" de se encontrar com Jungwoo novamente, este que não estava bêbado para sua felicidade e que não esqueceria daquele momento tão cedo. E, ali com sua cabeça deitada sobre o ombro de Kim Jungwoo, Lucas não podia simplesmente demonstrar o quão feliz e completo se sentia. Não se importava com as dores fortes, a não ser com o cheiro adocicado do outro que fazia seu coraçãozinho palpitar mais que antes. Aigoo, Yukhei está apaixonado mesmo!

Ele até cogitou a roubar um beijo do garoto, mas desistiu. Dado que entre beijar Jungwoo e o ter cuidando de si em uma cama de hospital todo meloso e carinhoso, talvez, seja melhor que tudo o que passaram antes desta maldição da sexta feira treze acontecer. 

— Você vai cuidar de mim né, Jungwoo-ah? — Yukhei disse baixinho para que Kun não o ouvisse, mas o suficiente para que o Kim sim.

Jungwoo suspirou fundo e sorriu de ladinho passando uma das mãos sobre os cabelos castanhos do Wong.

— Neh! E espero que eu possa cuidar de ti para sempre.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...