História Sexual Tension - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Doyoung, Jaehyun, Johnny, Jungwoo, Kun, Lucas, Personagens Originais, Taeil, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Tags Doyoung, Jaehyun, Johnny, Jungwoo, Kun, Lucas, Mark, Nct, Taeil, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta, Yutae
Visualizações 143
Palavras 3.472
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aproveitem o último capítulo!!

https://youtu.be/-qjg4yoMbag

Have a good read ^^

Capítulo 5 - 5. Don't You Dare To Forget Me


Fanfic / Fanfiction Sexual Tension - Capítulo 5 - 5. Don't You Dare To Forget Me

Finalmente ambos haviam se laçado, entregues enfim aos prazeres da carne um para o outro. YuTa puxava a cintura de Lee com força, afundando suas unhas curtas embaixo da camisa do outro, enquanto aprofundavam ainda mais seus beijos afobados, as mãos menores se agarrando a nuca de seu no parceiro.

Entraram em um quarto qualquer com a porta aberta, nem sequer preocupando-se em fechá-la, estavam envolvidos demais para prestarem atenção nesses detalhes, ouviram alguns sussurros e um gemido baixinho, mas mesmo assim não se preocuparam em olhar ao redor. Logo o ‘click’ da porta ecoou pelo cômodo, chamando a atenção dos olhos curiosos do mais velho, que vira uma silhueta um pouco exígua comparada a si atrás do moreno. Desprendeu dos lábios do japonês e o virou para olhar também o “infiltrado”.

–Vocês vieram me atrapalhar? - a sombra vermelha e escura, por causa da iluminação, dizia. –Então deixem eu brincar também.

Assim que se aproximou mais Ten quase teve um ataque cardíaco, o pequeno não esperava encontrar nem mesmo Lucas, imagina se auto-convidar para aquele tipo de coisa com seus melhores amigos. Suas mãos imediatamente começaram a suar e os olhos ficaram estatelados, porém resolveu mesmo assim manter o que havia dito.

–Ten? O que faz aqui? - fora a vez do coreano dizer.

–Calado. Ou vocês ficam ou vão, escolham. - por pouco sua voz não falhara, estava muito nervoso.

Ambos estranhavam a presença do tailandês ali, e continuavam a escutar um gemido acanhado e um pouco fino atrás deles. YuTa não sabia o que fazer, ele queria continuar o que fazia o mais rápido possível, mas parecia que seu parceiro queria saber algo do amigo antes, o que o deixava de certa forma impaciente.

–Vamos conversar. - puxou o braço do garoto mais novo para o canto do quarto, deixando um Nakamoto plantado ali em frente a cama de casal.

Ao que os baixinhos conversavam em sussurros, ouviu novamente um gemido seguido de um estalo como se fosse um beijo. Finalmente virou-se para saber o que se passava e viu que havia uma divisória de papel ali, que deixava a visão de duas silhuetas, por conta da iluminação avermelhada que estava do outro lado da “parede”, uma deitada com os lábios abertos, enquanto a outra estava por cima, ao que parecia, beijando está corpo a baixo. Era como um teatro de sombras vermelhas e eróticas, agora que prestava atenção conseguia escutar melhor aqueles pedidos mansos vindos da cena, isso realmente o deixava excitado. Colocou sua mão sobre a calça e permitiu-se soltar um suspiro pesado e baixo também, afagando ali cerrando os olhos pela sensação.

–Você sabia que tinha gente aqui? - TaeYong sussurrou, ao mesmo tempo, encarava o japonês virado para o “teatro de sombras”.

–Eu estava vendo eles… É uma cena muito bonita. - respondeu em mesmo tom. –Eles estão sem pressa… - colocou a mão na coxa do Lee e começou a subir lentamente, sentindo este relaxar um pouco, mas sem perder a carranca na face. –Com cuidado… - o puxou calmo e colou seu rosto na curva do pescoço alheio, respirando pesado ali. –E eles concordaram que eu podia ver… Então não precisa ter medo…

M-mas não é um pouco injusto? - perguntou ao que pendeu um pouco a cabeça para trás deixando o pescoço exposto para o loiro, como sempre estava fragilizado por causa de sua famosa “tenção sexual”, causada pelo homem que agora fazia o mesmo que ele, com a mão rastejante em sua pélvis.

–Por que seria? - deixou um beijo molhado no local e o corpo em seus braços fraquejou por alguns instantes.

Por… Porque nós… Va-vamos ver eles… M-mas eles… Ah~ - gemeu baixo pelo chupão que recebera, agarrando os cabelos do tailandês.

–Vão sim… Também somos sombras pra eles Tae… - Sorriu contra a tez, agora avermelhada, e passou a acariciar as bochechas do mais velho ao que o olhava. –Vamos lá Hyung… Vai ser divertido. - deixou um beijo casto nos lábios secos. –E eu só estou aqui para dar mais prazer, já que quem vai ser fudido ou fuder não sou eu.

TaeYong apenas concordou com um aceno, puxando os cabelos loiros para lhe beijarem novamente, fechando os olhos mais forte quando a mão em sua coxa subiu descarada para o meio de suas pernas.

–Vamos te entregar ao YuTa, sim?

O maior já não se aguentava mais, sua respiração já estava desregulada novamente, sua mão descia e subia com mais pressa ao que sentia uma vontade imensa de descobrir que pessoas eram aquelas e como podiam o deixar tão quente apenas tocando a si próprios, desejava imensamente saber se aqueles lábios podiam o fazer gemer de modo tão cochichado como faziam com aquele garoto com a boca entreaberta. Abriu o primeiro botão da calça e foi impedido assim que tentou abrir o segundo, ainda estava de olhos fechados e sentiu uma mão ágil desabotoar tudo e abaixar um pouco a calça, seu cabelo foi puxado pra trás e um chupão foi deixado em seu pescoço ao mesmo tempo, logo subindo até sua orelha e prendendo o lóbulo entre os dentes.

Vem aqui gatinho. - a voz grave de TaeYong o deixou sem palavras, apenas foi andando de acordo com que sua cintura e seus cabelos eram puxados.

Se sentou no colo de TaeYong que se sentou na cama, sentindo mais uma vez mãos apressadas abaixarem sua calça ainda mais, retirando-a.

–Nós vamos testar uma coisa. - sussurrou de novo ao que deslizou sua mão até a box do japonês o estimulando calmamente. –Tudo bem se Ten ficar aqui?

S-sim. - sussurrou a resposta fracamente.

–Bom garoto. - sorriu e mordeu o pescoço do maior. Seu corpo estava mole no colo do mais velho, conseguia senti-lo duro abaixo de si, mesmo que o outro ainda estivesse com seus jeans.

–YuTa. - ouviu outro chamado ali.

Chittaphon estava de joelhos, bem na sua frente, ao mãos de TaeYong subiram e passaram a acariciar e apertar seu tronco. O tailandês não disse mais nada, apenas abaixou a cueca e pegou o pau de seu Hyung, começando uma masturbação lenta.

Para ser honesto, Ten estava em uma seca fudida já tinha um tempo longo. Mesmo que aquela fosse apenas uma diversão de um dia e nada mais, e que provavelmente seus amigos não lembrariam de si naquela transa, ele queria estar ali. Queria sentir o quão bom era o prazer carnal que já não sentia a tempos. Era glorioso ouvir os gemidos dos dois, a pele de YuTa fervendo em suas mãos, o pré-gozo subindo e descendo junto delas… Sentia o seu próprio membro se apertar na box que usava.

T-TaeYong… O-o que?

Shhh.. - simulou uma leve estocada e Nakamoto gemeu de novo. –Só sinta. Ten está aqui pra ajudar.

–Isso mesmo Hyung. - ditou com a voz calma.

Mesmo que o desejo de TaeYong fosse ser o primeiro a fazer um boquete no japonês, ele reconsiderou aquilo, afinal provavelmente aquela não era a primeira experiência sexual deste. Convenhamos, ele é gostoso demais pra isso. Começou a chupar o pescoço do garoto em seu colo, uma ferocidade cruel, enquanto os gemidos saiam mais sôfregos e baixos, parecia até que estava os segurando, isso de certa forma o irritava, queria ouví-lo gritar por si como jamais ninguém faria, ser o único. Empurrou o quadril pra cima e YuTa mordeu o lábio inferior suspirando.

–Quanto mais se segurar vai ser pior. - sussurrou rouco puxando os cabelos morenos possessivamente para quase deita-lo em seu ombro. –Vamos Yutinha… Se entregue. - empurrou com mais força e viu-o soltar o lábio vermelho e inchado.

T-Tae… - baixinho suplicou. –Caralho Teny! - gemeu mais alto, sentindo a glande ser envolvida pela língua fria do mais novo.

YuTa estava em um bolo de sensações deliciosas, era quase como uma criança que poderia comer qualquer besteira que desejasse. Sentia o calor de TaeYong em si, seus dedos longos e finos se apossando de sua carne fervorosa, seus lábios igualmente finos que lhe tomavam como um animal selvagem. Ten sempre com a pele tão fria agora parecia esquentar como se estivesse roubando seu calor como em uma fogueira, os dentes do rapaz que arranhavam gentilmente por todo seu pau o deixava devidamente maluco, a saliva que o escorregava para mais fundo, sentindo sua cabeça roçar na garganta alheia.

O coreano estava devidamente satisfeito, os lábios repartidos de YuTa que deixavam seus gemidos densos e roucos abertos para os ouvidos apreciarem, além da excelente visão que tinha do mais novo que estava se aproveitando do membro de seu amante, o via engolindo-o tão maravilhado e extasiado, as mãos pequenas apertando as coxas definidas com força deixando rastros vermelhos, via também, com a pouca luz vermelha, o volume nas calças dele, que por vez levava uma mão até o local, choramingando devido a possível dor excitante que estava sentindo.

T-Teny… - gemeu mais alto, via que o ‘teatro de sombras’ do outro lado da parede de papel tinham ganhado um motivador, fazendo tanto barulho quanto eles.

O tailandês se sentia no céu finalmente, era como se todos os seus instintos estivessem ligados a mil, ouvia os estalos que eram feitos por si, e outros que viam de trás da divisória fina. Cada minuto era melhor que o outro, por mais que uma dor cruel estivesse presente em sua box, nada o faria parar de qualquer forma. Ao que subiu o olhar viu os olhos penetrantes e negros de TaeYong lhe observando, este ainda marcava o japonês, o olhando com tamanha intensidade que seu baixo ventre chegava a dar sinais de espasmo sem nem mesmo se tocar. Talvez esse seria o melhor jeito de se aliviar, encará-lo de volta.

Você tem que pedir. - o timbre bruto veio de supetão. Era o casal do teatro’.

Por favor… - ouviram o outro reclamar, sua voz sendo mais fina e suave, porém embargada em sensações. YuTa gemeu mais ainda nos lábios de Ten, aquilo o estava deixando tão imerso.

Você consegue meu Kim… Você está quase lá… Peça.

Com aquelas palavras um gemido muito alto foi dado, o gozo desceu quente pela garganta do mais novo, fazendo-o comprimir o membro alheio para engolir tudo, prolongando o orgasmo, ao mesmo passo que o coreano tomava seus lábios para si. Ten ainda via o olhar lhe rasgar, como se estivesse sedento demais para dizer, então apenas demonstrava.

–Tão sensível a estímulo alheio YuTa… - TaeYong disse rente aos seus lábios, sentia a respiração desregulada e ofegante do outro, as bochechas rubras lhe denunciando do ótimo trabalho que foi feito, seus olhos ainda fechados. –Que feio… Nem se quer disse meu nome direito… Está tão excitado assim? - mordeu o lábio inferior e o chupou, vendo a resposta totalmente positiva do outro corpo. –Meu gatinho é tão pervertido. - levou a mão até o seu rosto, tirando alguns cabelos que caiam pela sua face. –Ten.

O tailandês lhe olhou, os dedos esgueiravam-se para dentro da calça, Pego no flagra.

–Venha aqui, não se toque. - o tom tão autoritário fez com que respondesse ao seu comando, sentando ao lado deste.

TaeYong deitou YuTa na cama, este que ainda estava com um pouco dos espasmos se alastrando pelo corpo. Segurou o queixo do outro com certa força, olhando bem fundo em seus olhos, aquilo o matava por dentro, TaeYong estava brincando com a brasa que era Chittaphon e no fim isso não daria certo.

–Sei que concordamos sobre aquilo… - ditou baixo para que apenas ele ouvisse. –Mas eu quero muito te foder agora. - arfou se deixando levar pela leve carícia que começou em sua bochecha, inclinando a cabeça para ter mais daquele contato. –Como pode ver, você fez um trabalho tão bom com meu gatinho que ele está todo frágil. - lentamente direcionou o olhar a YuTa, que estava com os olhos cerrados encarando o casal ao lado e as vezes olhando para eles intrigado. –E você está me pedindo tanto… - subiu os dedos por dentro da camisa alheia, a pele tão quente que quase clamava para tê-lo de vez, estava tão carente quanto ele. –Seus olhos te denunciam tão bem Teny. - usou o apelido que o outro gemera, não iria negar, havia gostado de ser chamado de tal forma. –Seu corpo está me respondendo…

Por favor, TaeYong… - manhou arfando outra vez, um sorriso debochado surgiu nos lábios deste. Seu ego inflou de uma forma que jamais sentiu antes, jogava tão sujo…

–O que quer que eu faça com você? - colocou o indicador em seu queixo e o levantou calmo para encará-lo nos olhos. O tailandês o odiava tanto neste momento, apenas queria acabar com aquilo de uma vez por todas.

–Me fode TaeYong, por favor. - passou os braços pelo pescoço do de cabelos vermelhos, tentando de todas as formas trazê-lo para tocá-lo.

Você fica lindo implorando Chittaphon. - disse sussurrado rente ao ouvido, o hálito cálido o deixando totalmente arrepiado. –Gosta mais quando te chamo assim? - assentiu apertando ainda mais os ombros do coreano, por Deus aquilo estava o deixando tão agoniado, apenas o queria lhe fodendo, não importando o dia que amanhã seria.

Ainda com os olhos fechados sentiu os lábios finos se juntarem aos seus, calmos e autoritários, como se quisessem que apenas seguisse o que seu corpo mandasse, entregando-se de mão beijada praticamente. As mãos um pouco maiores que as suas passaram a correr livres entre suas coxas, trazendo mais suspiros e arrepios.

YuTa já conseguia sentir ficar duro de novo. O teatro estava mais do que quente, onde via agora um dos garotos fazia um boquete no outro, enquanto Ten e TaeYong se pegavam na maior vontade de seus corpos. Não sabia nem o que pensar direito, seu corpo apenas latejava por contato alheio, mas não iria atrapalhá-los, então teve uma ideia.

Assim que o coreano se deu conta, seu gatinho agora estava atrás de si, esfregando sua pélvis sem vergonha alguma em sua bunda coberta pelo Jeans. Ainda beijando o tailandês sua calça foi literalmente arrancada, tão rápido, que acabou deixando um rastro vermelho nas coxas macias, o fazendo apertar o mais novo com mais força contra seu peitoral.

Y-Yu-YuTa… - se afastou dos lábios alheios para gemer, sentindo o japonês duro roçar seu membro em si.

Ele parecia ter perdido todo senso de direção, tanto é que Ten teve que trazê-lo à força para lhe beijar novamente, retirando suas roupas o mais rápido que podia.

L-Lucas!… Ah, por favor… - o gemido ecoou alto.

O chinês lhe estocou de uma vez só, rápido, forte e preciso no ponto certo. JungWoo já não conseguia segurar de chamar seu nome em meio a todo o êxtase de tê-lo dentro de si. Logo em seguida tendo a voz grossa de TaeYong em êxtase por também ter sido penetrado sem qualquer aviso ou preparação.

Exato. O casal do teatro era ninguém menos do que Lucas e JungWoo, e por mais que o mais velho deles não quisesse gemer o nome do parceiro para TaeYong e YuTa não desconfiarem, era meio impossível. O chinês proporcionava um prazer muito grande para ficar calado.

Woonie… - gemeu em seu ouvido lhe arrepiando por completo. –Você é tão quente.. - suas estocadas tomando mais rapidez sem nem mesmo esperar algum pedido.

JungWoo só queria mais e mais, sentindo-o entrar fundo em si, a glande latejante e quente acertando sua próstata sem parar. As ondas de prazer ficando cada vez mais intensas com os gemidos do trisal’ ao lado, ouvir a voz grossa de TaeYong e YuTa era excitante, mas ter Lucas ali era melhor ainda.

TaeYong se via masturbando Ten, enquanto sentia a sensação maravilhosa de ter YuTa enterrando-se em si. Sentia cada músculo do seu corpo abrigar o japonês, tinha um emaranhado de sentimentos conectados. Ardia, era quente, molhado, praticamente lhe rasgando, e era maravilhoso.

TaeYong~ah… Me-me fode… P-por favor… M-me fode… - Ten implorava, enquanto o dedo do mais velho rodeava sua glande.

N-não sei se consi-sigo. - disse lhe perto do ouvido, mordendo a pele fina logo após.

T-TaeYong… - o japonês passou a gemer, se sentindo mais perto.

Foi então, que o pedido de Chittaphon finalmente foi processado no cérebro de YuTa, seu pedido era sincero, e agora que notara viu que o garoto se contorcia tanto que era capaz de se desfazer simplesmente por saber que ia ser penetrado.

Puxou TaeYong para colar-se ao seu peito, seu pênis acertando um lugar específico no coreano, fazendo suas pernas ficarem bambas e ter que segurá-lo para não cair. Ten foi para a ponta da cama, não entendendo bem o que ele queria fazer, mas ainda ofegando muito.

Yuta sentou no meio da cama e colocou TaeYong em seu colo, enterrando-se novamente na cavidade quente do coreano. Foi aí que Ten sentiu o brilho em seus olhos, sua entrada piscou automaticamente.

Aproveite Teny. - o japonês gemeu para o outro.

TaeYong não conseguia falar, apenas puxou o tailandês brutamente para se sentar em seu membro duro e expelindo pré-gozo. O mais novo posicionou o membro alheio em sua entrada bronzeada e suplicante, olhou no fundo dos olhos cerrados do mais velho e o viu morder os lábios, descendo levemente sobre a ereção.

Ah meu Deus. TaeYong~ah.. - gritou assim que sentiu a glande lhe invadir, o coreano apenas gemia mais ainda pela sensibilidade que sentia em seu interior e em seu pau.

Sem que os outros dois pudessem reagir, YuTa estocou forte para cima, acertando o ponto certo do coreano e fazendo este estocar Ten, entrando completamente neste. TaeYong via como um desafio não gozar, estava tão duro, sentindo o quão quente Chittaphon era e ao mesmo tempo amando o pau de Nakamoto lhe fodendo forte e fundo. O pênis do mais novo roçando em seu abdômen era ainda pior para se manter são.

Agora se via a situação mais deleitosa de todas. YuTa deitado com TaeYong engolindo seu pau, enquanto em cima deste estava Ten, com o pênis deste dentro de si também, beijando os lábios do mais velho como se fosse a última coisa que faria na vida. A medida que o japonês estocava o mais velho, fazia este se enterrar no tailandês, assim como se o mais novo quicasse no coreano, este fazia o mesmo em YuTa.

E-eu n-não… - TaeYong tentava dizer entre os beijos de Ten, mas estava muito perto, se dissesse mais alguma coisa gozaria. 

YuTa colou seu peito nas costas do coreano e começou a beijar seu pescoço, foi uma questão de três segundos para Ten sentir o gozo quente lhe preencher. O gemido foi tão alto e esganiçado que TaeYong sentiu a garganta doer. Ten saiu de cima de si e gemeu sentindo o líquido escorrer pela sua perna, YuTa deixou seu interior também e o mais velho caiu no colchão.

TaeYong estava mais que satisfeito e exausto, mas sabia que ainda não havia acabado, Ten ainda não havia gozado e isso lhe preocupava, queria que este sentisse o quão bem ele o fez. Assim que recuperou um pouco do ar, olhou na direção do mais novo e viu o japonês com o pau dele todo na boca, as mãos pequenas apertando os cabelos do outro.

Y-Yu-T-Ta. - gemeu totalmente descompassado e tremendo.

Assim que YuTa pressionou a glande em sua garganta sentiu o gozo descer por ela, chupando ainda mais para prolongar o orgasmo alheio. O último gemido de Chittaphon ecoando deliciosamente por todo o local, a luz vermelha deixando seus traços e o suor escorrendo por estes ainda mais destacados e lindos. O japonês gozou novamente sem nem mesmo tocar-se.

Todos ali estavam extremamente exaustos, contudo aquela fora a melhor transa que já tiveram em toda a vida, isso era um fato.

Y-YukHei~ah! - o gemido de JungWoo se desmanchando veio quase que no mesmo instante que no de Ten.

Lucas sentiu o líquido espirrar em seu abdômen, o coreano se contraindo em seu pênis como se fosse lhe esmagar, nem sequer teve tempo, estocou apenas uma vez o mais fundo que pode e se deleitou com o ápice maravilhoso que JungWoo lhe proporcionava neste momento.

Os minutos seguintes se sucederam com as respirações ofegantes e pequenas carícias entre os parceiros do cômodo. Não durou muito para Lucas dormir com JungWoo, ainda dentro dele, estava tão bom que o coreano não quis tirá-lo de dentro de si.

Ten, TaeYong e YuTa deitando abraçados, distribuindo beijinhos entre si. TaeYong foi o que recebeu mais destes, por ter sido tão incrível e um bom garoto.

–Você foi incrível Tae. - YuTa se permitiu dizer baixo no ouvido alheio, fazendo um cafuné neste.

–Foi mesmo. - o tailandês concordou.

–Eu… Eu amo vocês. - disse ainda ofegante, estava tão cansado que nem sequer conseguia se mover.

Os braços de Yuta lhe abrigavam, enquanto o mais novo deles lhe abraçava a cintura, dando alguns beijinhos em seu pescoço de vez em quando. O coreano foi o primeiro a colapsar para os sonhos, logo levando os outros dois também.


Notas Finais


E nossa jornada termina por aqui!
Muito obrigado por acompanharem esse meu pequeno projeto de retorno e espero que nos possamos nos encontrar muitas vezes por aqui :)

Caso queira acompanhar meu projeto maior em andamento ele se chama Mark Lee, A Consciência (PD) ou como eu gosto de chamar M.L.A.C.
Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/mark-lee-a-consciencia-pd-13493124

A kiss for you little one ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...