História Sexy Love - Imagine Kim Jisoo (G!P) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Blackpink
Personagens Jisoo, Lisa, Personagens Originais, Rosé
Tags Blackpink, Chaelisa, Imagine, Imagine Jisoo, Jisoo, Kim Jisoo
Visualizações 209
Palavras 1.351
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Don't Leave Me - BTS
Lights - BTS

Capítulo 3 - Elevador


Fanfic / Fanfiction Sexy Love - Imagine Kim Jisoo (G!P) - Capítulo 3 - Elevador


Jisoo


Segunda-Feira - 7:55 da Manhã


Por sorte consegui chegar cedo hoje. E tratei imediatamente de ir para minha mesa, mas até chegar lá, preciso pegar o elevador, que estava um pouco cheio hoje.


Por que esse povo não usa as escadas!?


Bom, assim que fui entrar no elevador, S/n estava lá, ela sorriu assim que me viu.


Essa mulher não tem problemas na vida dela? Ela vive sorrindo. Mas eu não reclamo, até porque, seu sorriso é lindo.


- Oi... - sussurrou perto do meu ouvido, me causando arrepios.


- O-oi... - sorri para ela.


Mas que porra! Com tanta gente entrando naquele elevador, eu acabei me aproximando muito de S/n, podia sentir sua respiração bater em minha nuca.


Entrou tanta, tanta gente, que eu conseguia sentir algo bater em minha bunda, hum... S/n tem um brinquedinho?


Interessante.


Depois disso, coisas bem impróprias começaram a passar pela minha cabeça.


Mas finalmente, ou infelizmente, o elevador chegou no andar desejado, e eu fui para minha mesa um pouco desnorteada.


Olhei para S/n antes de sair, e a mesma estava encolhida no canto do elevador.


- Tudo bem? - Joohyun perguntou, ao ver eu me sentar em minha mesa.


- Te conto depois... - falei.


Pode parecer estranho eu contar as coisas que acontecem comigo diretamente para Irene, mas, ela é bem confiável, é possível sentir isso.


Conto essas coisas para Lisa e Rosé também, que ficam rindo de mim. 


Enfim, duas idiotas.


Quebra de Tempo


- Aish! Odeio Segunda-Feira! - Irene bufou.


- Não é tão ruim assim... - respondi.


Estávamos a caminho de um restaurante, iríamos almoçar. Irene até chamou S/n, mas a mais velha respondeu que tinha muito trabalho a ser feito.


Não vou mentir, aquilo me preocupou.


Acho que 100% das coisas que sei sobre S/n, todas elas foram Joohyun que me contou.


Ela tem 1,82 cm, e eu, fico uma formiga perto dela. 25 anos com cara de 20. Tem um brinquedinho no meio das pernas, que eu até achei que era mentira, mas depois do que presenciei algumas horas atrás, mostram o contrário.


Não tem filhos e não é casada.


Isso é bom pra mim, não?


- Então... Me conta o que aconteceu pra você ter chegado daquele jeito hoje de manhã.. - Irene mudou de assunto.


- Bom... Quando fui entrar no elevador pra poder chegar na minha mesa... Já que eu não iria subir as escadas nem a pau, usei o elevador mesmo. S/n estava lá, e conforme entrava gente, eu sentia a respiração dela cada vez mais perto da minha nuca... - dei uma pausa e Irene começou a me olhar maliciosamente. - entrou tanta gente, que eu consegui sentir o brinquedinho dela bater na minha bunda... - corei fortemente ao acabar de falar.


- É grande? 


- Joohyun!


- Só estou perguntando, ué... - ergueu as mãos em forma de rendição.


Assim que almoçamos, ainda tínhamos um tempo sobrando. Então, eu e Irene resolvemos dar uma volta por Seul.


Quebra De Tempo


Finalmente havia conseguido chegar em casa mais cedo, S/n me fez esse favor. E por incrível que pareça, eu dei meu endereço para ela. O engraçado é que ela mora perto.


Não sei explicar, S/n me faz bem de alguma maneira. Sinto que estou começando a me apaixonar por ela.


Entrei pela porta de casa, e deixei as chaves em um lugar qualquer.


Subi as escadas e fui para meu quarto, tomei um rápido banho e vesti roupas mais folgadas. Não precisava jantar, pois já havia comido.


Sentei em minha cama e recebi uma mensagem de S/n.


S/a: Já chegou anjo? Chegou em segurança, né?


Me: Sim, S/n. Obrigado.


S/a: Não agradeça, anjo. Enfim, você deve estar cansada. Boa noite, Soo❤️


Me: Boa noite, S/a❤️


Eu olhava para aquelas mensagens e sorrindo abertamente. Kim S/n, você está me deixando apaixonada.


Fui tirada de meus devaneios com meu padastro entrando em casa. Ele me gritava no andar de baixo, mas eu apenas ignorava. 


- Você é surda, vadia? - entrou pela porta de meu quarto.


Filho da puta bêbado do caralho.


- Vai tomar no seu cú, filho da puta. Me deixa em paz! - respondi rudemente.


- Olha aqui sua vadia... - veio até mim, me agarrando pelo braço, e em seguida me jogou no chão. - você vai aprender a me respeitar!


Se pôs no meio de minhas pernas e eu me debatia para tentar sair, mas ele era forte.


Senti suas mãos sujas apertarem meus seios por cima da minha blusa, comecei a chorar nesse exato momento.


- Por favor... Não f-faz isso... - implorei.


- Vamos nos divertir... 


Adentrou sua mão dentro da minha calça e começou a massagear minha intimidade por cima da calcinha.


- Vou te foder tanto, vadiazinha... - deu um chupão em meu pescoço.


Não sei o quanto já tinha chorado, apenas deixaria aquilo acontecer, não tinha nada que poderia fazer.


- P-para... P-por favor... - disse em meio a soluços.


- Cala boca, sua puta! - deu um tapa em meu rosto.


Assim que vi o que ele iria fazer comigo, acertei com chute com todas minhas forças no meio de suas pernas, fazendo-o cair no chão.


Me levantei e peguei meu celular em cima da cama, saí correndo dali, e quando abri a porta, me deparei com S/n.


- Jisoo, o que houve? - perguntou preocupada.


- Eu t-te conto depois... S-só me tira daqui, por favor. - implorei.


- Volta aqui vadia! Vamos terminar o que começamos! - o demônio, vulgo meu padastro, disse.


- O que está acontecendo, Jisoo? Quem é esse cara? - percebi que S/n estava alterada.


Olhei para seu rosto e ela parecia estar processando algo. E assim que se deu conta, entrou dentro da casa e pulou encima de Dong-yul, sim, esse era o nome daquele desgraçado.


S/n dava diversos socos no rosto do homem, corri até ela e a tirei, pelo menos tentei, tirá-la de cima de Dong-yul.


- S/n! Para! - gritei.


- Ele ia te estuprar, Jisoo! Não ia? 


Olhei para o rosto de Dong-yul, que agora estava completamente ensanguentado.


- Você vai matar ele! - puxei ela pelo braço, fazendo a mesma sair de cima do homem.


- Vamos sair daqui... - disse e eu segui a Kim até o lado de fora de casa.


Entramos em seu carro, que era bem luxuoso.


Quando S/n estacionou, descemos e eu me maravilhei com sua casa. Adentramos a mesma eu fiquei de queixo caído.


A Kim foi lavar as mãos e quando voltou, me ofereceu água e eu aceitei, claro, precisava me acalmar. Sentamos em seu sofá e ela perguntou:


- Pode me dizer quem era aquele? - perguntou, pelo seu tom, ela estava irritada.


- Meu padastro... - respondi.


- A partir de hoje, você não vai voltar para aquela casa, Jisoo. Você vai morar comigo de hoje em diante. 


- Mas e as minhas coisas? 


- Você vai buscar amanhã... E eu vou contigo.


Assenti e ela limpou meu rosto com suas mãos, e que mãos, eram macias.


S/n usava uma calça de moletom preta e uma camiseta que ficava grande nela, da mesma cor.


- Como não tenho quarto de hóspedes, eu durmo aqui no sofá. Pode dormir na minha cama... Fica no último quarto do corredor direito.


- Não... Eu p-posso dormir com v-você... - corei.


- Ah, ok. Então, podemos ir.


Subimos as escadas e fomos para seu quarto que era bem limpinho. E dava para ver perfeitamente a vista de Seul.


Deitei na cama e ela se deitou logo em seguida, meu coração só faltava sair pela minha boca.


S/n puxou a coberta para cima, cobrindo nós duas, estava frio. 


Desligou as luzes num interruptor que ficava ao lado de sua cama.


Respirei fundo e fechei meus olhos, tentando dormir, porém não consegui, olhei para S/n e a mesma encarava o teto.


- Eu posso te abraçar? - perguntei.


Assentiu e pude sentir seus braços fortes abraçarem meu corpo.


- Aliás, o que você foi fazer na minha casa?


- Fui ter certeza que você estava bem... - respondeu.


Essa, com certeza, será a melhor noite de sono que eu terei.
























Notas Finais


Até o próximo!💜❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...