História Sexy Perdition - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Christophe Giacometti, Isabella Yang, Jean-Jacques Leroy, Michele Crispino, Mila Babicheva, Minako, Otabek Altin, Victor Nikiforov, Yuri Katsuki, Yuri Plisetsky
Tags Lemon, Otabek Altin, Otayuri, Victor, Victuri, Yaoi, Yuri Plisetsky, Yuuri
Visualizações 230
Palavras 1.736
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amoras ❤️ ansiosas para o primeiro capítulo de Sexy Perdition? 😅 Bom eu espero que sim, espero que gostem do capítulo ❤️🙌
Obrigada pelo carinho ❤️😘

Capítulo 2 - - One -


Yuri POV.

Quando fui para Vegas não imaginei nada do que tinha acontecido, tudo bem que já ouvi várias histórias sobre essa cidade do pecado, mas não imaginava que poderia cair nesse pecado.

Otabek Altin.

Quando acordei e me vi deitado ao lado daquele homem, lê-se Deus Grego, não conseguia acreditar que tinha passado a noite com ele. Não tinha como negar que assim que o vi naquele estacionamento, não, assim que o vi naquele ringue, fiquei totalmente instigado por ele, algo naquele moreno me chamava a atenção.

Mas mesmo assim eu não estava preparado para aquilo, me casar com um completo desconhecido, quando Mila me ligou suspeitei que era algo sério, mas nem tanto.

Deveria culpar alguém?

Mila? Não, a ruiva não tem culpa. Quando ela me falou sobre o desfile em Vegas, eu vi a oportunidade de ficar mais conhecido, afinal minha carreira depende muito da divulgação e do meu desempenho.

Yuuri? Não, eu acho. Quando Yuuri me chamou para aquela luta eu recusei, mas a curiosidade falou mais alto e então aceitei, porém ele me deixou sozinho com Otabek, então ele tem um pouquinho, bem pouquinho, de culpa.

E Otabek? Não creio que ele tenha culpa, pois provavelmente estava tão bêbado quanto eu. Não me lembro de muitas coisas da noite anterior, mas a dor nos quadris e as várias camisinhas espalhadas pelo quarto dava uma noção do que havia ocorrido ali.

- Yuri você ainda tá ai - sai dos meus pensamentos quando escutei a voz de Mila.

- Tô sim - baguncei meu cabelo com a mão livre, estava nervoso, aquela situação poderia acabar com minha carreira - Mila o que eu vou fazer? - choraminguei para a ruiva.

- Olha eu não sei, mas vou ver o que o Yuuri pode fazer, ele é um excelente advogado e até lá vocês terão que evitar os jornalistas - disse visivelmente nervosa pela situação.

- Vou tentar, mas não garanto nada sobre ele - olhei para o moreno que ainda dormia ao meu lado, como uma pessoa poderia parecer tão sexy dormindo?

- Ah... - hesitou - Porque, então você não fica com ele?

Ponderei um pouco antes de responder.

- Vou tentar tá - suspirei fechando os olhos, talvez aquilo fosse somente um sonho e logo acordaria sem essa bagunça que se tornou minha vida - Vou descansar um pouco, depois a gente se fala tá.

- Tá bem, tchau Yuri - disse encerrando a chamada em seguida sem nem me deixar despedir, uma mania que ela tinha muito.

Coloquei o celular sobre o criado mudo,suspirei cansado e levei as duas mãos aos meus olhos, senti uma movimentação ao meu lado e me virei. Otabek estava se espreguiçando, seu tronco totalmente exposto seus músculos rígidos, provavelmente consequência dos treinos, seu corpo parecia perfeitamente desenhado. 

- Quer tocar loiro? - fiquei surpreso por ele ter acordado, e mais ainda por ter sido pego lhe analisando, sabia que minhas bochechas estavam coradas, e por esse motivo abaixei minha cabeça para esconder a vergonha.

- Pare de gracinhas - falei irritado - Temos um assunto sério pra resol... - fui interrompido pelo barulho de seu celular que começou a tocar, ele levantou uma das mãos para mim, em sinal de silêncio, e em seguida pegou o aparelho para atender. 

- Otabek falando - disse sério, aguardou alguns segundos enquanto a outra pessoa dizia algo, sua expressão mudou para surpresa e ele me encarou - Eu não acredito nisso - nesse instante ele notou a TV ligada e mais uma vez a notícia sobre o nosso casamento passava, ele deixou o celular cair sobre as cobertas e desviou o olhar da TV para me encarar - Isso só pode ser brincadeira né?!

- Quem dera se fosse - suspirei cansado.

- Não tem como isso ser verdade - ele levou uma das mãos aos fios negros bagunçando-os em sinal de nervosismo - Isso não pode tá acontecendo.

- É parece que se casar comigo é a pior coisa do mundo - gritei, de fato fiquei chateado por seu comportamento ao receber a notícia, era tão ruim assim ter um relacionamento comigo?

- Não foi isso que eu quis dizer... arrg - grunhiu.

- Não se preocupe, o sentimento é recíproco - me enrolei na coberta e levantei indo em direção ao banheiro que havia ali, bati a porta com força para mostrar meu total descontentamento. Senti as lágrimas caírem, não entendi o motivo de está chorando por um completo estranho. Sentia a raiva tomar conta, decidi tomar um banho para aliviar a tensão. Funcionou. A água me acalmava, assim que me senti mais calmo sai do box e nesse momento percebi que esqueci minha roupa no quarto, mas antes de sair notei que elas estavam sobre a pia, devidamente dobradas, além disso havia uma cueca boxer, ainda fechada, e uma escova de dentes.

Ele havia feito isso por mim? Porque?

Depois de me vestir e escovar os dentes, sai do banheiro e me surpreendi quando não o vi ali. Suspirei aliviado. Escutei um barulho vindo de fora do cômodo, mas antes de sair para ver do que se tratava, ele apareceu. O moreno estava com uma toalha enrolada em volta da cintura, seu abdômen totalmente exposto me dava uma visão privilegiada dos seus músculos rígidos e seus ombros largos, ele passava a mão entre os fios negros molhados, provavelmente havia acabado de sair do banho. Ele me encarou e sorriu de canto, só então percebi que havia olhado demais pra ele, abaixei minha cabeça quando senti minhas bochechas se esquentarem.

Sai o mais depressa possível daquele quarto, escutei sua risada assim que passei pela porta. Parei no corredor e só nesse momento comecei analisar o local que me encontrava, não parecia ser um motel, provavelmente era a casa de Otabek. Segui pelo corredor e cheguei até a sala, sentei em um dos sofás que havia ali e fiquei mechendo no meu celular. Senti meu celular vibrar, quando olhei era uma mensagem de Mila pedindo para encontrá-la junto com Otabek num restaurante próximo. Quando iria me levar para avisar, o moreno apareceu devidamente vestido.

- O Victor me ligou, ele disse pra gente encontrar com ele pra resolver as coisas - disse assim que entrou no local.

- Tudo bem, vamos - me levantei e segui para a porta. Pegamos o elevador até o estacionamento em silêncio, me surpreendi quando o moreno se aproximou de uma moto. Não que eu tenha medo, mas acho o carro mais seguro, ele pareceu perceber quando hesitei e me encarou franzindo as sobrancelhas.

- Sobe ai - me entregou um capacete - Você está com medo? Eu vou andar devagar - disse me olhando - Prometo.

Suspirei baixinho e tomei coragem para subir, não vi nenhum lugar que poderia apoiar minhas mãos, senti minhas mãos serem puxadas e ele as envolveu em sua cintura. Pensei em retirar, mas era confortável sentir seu calor. Em silêncio foi o caminho todo até o restaurante combinado, o silêncio estava se tornando cada vez mais frequentes entre nós, mas sobre o que iríamos falar? Mal nos conhecemos.

Assim que chegamos no restaurante nos identificamos e fomos levados a mesa onde os outros já se encontravam, era uma mesa totalmente reservada, provavelmente era para evitar possíveis paparazzis.

- Yuri - Mila gritou - Eu achava que você era louco, mas nem tanto.

- Ei a culpa não é minha.

- Claro, você que se casou e a culpa não é sua - disse ironicamente, olhei para Otabek rapidamente, ele estava sentado a minha frente e parecia conversar seriamente com Victor - Mas não se preocupe, daremos um jeito.

- Como?

- Bom por causa das suas carreiras, a sua principalmente Yuri - disse Yuuri chamando atenção de todos na mesa - Vocês terão que ficar casados por um tempo, talvez um ano ou menos.

- Um ano? - Otabek e eu dissemos em uníssono.

- Ou menos - pontuou - Mas até lá vocês terão que participar de entrevistas e serem fotografados juntos, não queremos que sejam conhecidos como o "casal relâmpago" né - disse fazendo aspas com as mãos.

Ficar casado com um completo desconhecido por um ano? Isso realmente daria certo?

Acredito que não, mas como Yuuri disse minha carreira está em jogo, e eu não pretendo acabar com ela por causa de um casamento impensado. Fui tirado dos meus pensamentos quando escutei a voz de Otabek.

- E quando vamos começar a brincar de casinha? - disse e eu quase mandei ele limpar o veneno que escorria, quase. Eu precisava dele no momento, então teria que evitar qualquer tipo de discussão. Será difícil. Pensei revirando os olhos.

- Hoje vocês terão uma breve entrevista, não é muito, mas ainda sim é importante - Victor falou enquanto olhava algo no celular - Será daqui uma hora, então teremos que estar prontos para as possíveis perguntas... - a partir daí ele é Mila começaram a perguntar o que provavelmente os repórteres diriam.

(...)

Após um "treino" para aquela entrevista, finalmente estávamos nela, vários repórteres na nossa frente, o barulho tão alto quanto o do dia da luta de Otabek. Mila cordenava as perguntas apontando para cada um dos repórteres ali presentes, como no treino algumas vezes Otabek respondia, outras eu respondia.

- Vocês não parecem tão próximos, se conhecem a tanto tempo assim - uma das repórteres ali presente perguntou, não pude deixar de notar que estranhamente ela dirigia seu olhar para Otabek.

- Claro, nos conhecemos a um tempo e então decidimos nos unir eternamente - disse o moreno ao meu lado, ele tinha um sorriso singelo, mas para mim aquele sorriso era o mais falso possível.

- Tem certeza disso? Vocês realmente não parecem próximos - insistia a repórter.

- Yuri fique calmo - escutei a voz de Otabek próximo à meu ouvido e aquilo fez meu corpo se arrepiar, os momentos seguintes foram tão rápidos que nem tive tempo de reagir. Otabek colocou uma das mãos em minha coxa, fazendo meu olhar virá para ele, o moreno se aproximou e juntou nossos lábios, o ósculo era de tirar o fôlego, nossas línguas buscavam uma a outra, senti sua mão apertar minha coxa e quase soltei um gemido por isso. Naquele momento o mundo parecia totalmente em silêncio, era como se fosse somente nós dois ali, mas eu sabia que não. O ar faltou e tivemos que findar o ósculo, percebi que todos nós olhavam, apenas abaixei a cabeça e coloquei a mão no rosto para cobrir minha bochechas vermelhas.

- Acho que somos bem íntimos, não - a voz rouca de Otabek saiu divertida, e os jornalistas riram com isso.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro ❤️
Obrigada pelos comentários e favoritos ❤️
Até a próxima 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...