1. Spirit Fanfics >
  2. Shades of cool >
  3. Ele e seus tons de azul

História Shades of cool - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Hai, sou novata aqui e essa é a minha primeira fanfic Rivamika espero que gostem da história e se divirtam lendo.
Bjjss

Capítulo 1 - Ele e seus tons de azul


Fanfic / Fanfiction Shades of cool - Capítulo 1 - Ele e seus tons de azul

 

Mikasa 

 

O meu amor vive em tons de frieza.

Olhos azuis, o coração frio, mãos e aptidão.

Sempre me deparo olhando para ele e memorizando cada detalhe seu, porque quero  guardá-lo em minha mente para visitar quando eu sentir falta. Pois não posso tê-lo por inteiro, não sou digna de seu amor, apesar de não saber se o tenho. Mas eu não posso consertá-lo, fazê-lo melhor. Ele é inconsertável. E eu não mudaria nada porque foi assim que eu, Mikasa Ackerman me apaixonei perdidamente por ele, somente por ele, Levi Ackerman.

Me pergunto como pode eu, uma pessoa que sempre teve medo de se apegar, para não me tornar dependente daquele afeto, cá estou perdida, minha fortaleza impenetrável foi quebrada tão rapidamente e com tão pouco, como por exemplo, o modo doce e educado que ele me trata sempre, respeitando meus limites. O toque em minha mão quando está me orientando a algum lugar -parece que sou uma relíquia valiosa- ,quando me fala  sobre seu trabalho, conta os detalhes com tanto amor pelo que faz e isso me deixa fascinada. Ah, aquele olhar, como eu adoro aquele par de olhos azuis acinzentados, porque é só dele, com aquele sorriso. Essa é a gota d'água! É o meu ponto de fusão. São rara as vezes que ele sorrir, mas nesses raros momentos, é para me foder com todas as forças. É o meu ponto fraco. Parece que eu conheço Levi a anos, o modo como somos  conectados é muito bom, sinto que vivi e viveria o resto da minha vida ao seu lado. A questão é, tudo isso aconteceu em 1 mês! A porra de 1 mês e era pra ser só um trabalho.

1 mês atrás

Annie chegou em casa às 1h45 da madrugada, eufórica para me contar sobre seu jantar em uma confraternização com o novo empresário que chegou em Sina recentemente.

Ela entregou em meu quarto, toda escandalosa e se jogou na cama.

- Ahh, Mikasa... hoje eu tive um encontro maravilhoso, com o senhor capitão América e  um amigo dele. Depois do jantar fomos para um hotel chique terminar os negócios, se é que me entende. E nossa, como ele era bom. _ Ela me olha com um sorriso malicioso. 

-Uau, mas senhorita Annie... não era apenas um jantar de confraternização?

- Sim, amiga. Mas fomos nos conhecendo e flertando no decorrer do tempo, ele disse que pagaria sem problemas e como ele era maravilhoso eu abri uma exceção. E mulher, como valeu a pena! 5 vezes Mika, 5 fucking vezes tanto eu quanto ele. _ Começamos a gargalhar.

- Às vezes a profissão tem seus benefícios, mas me conte os detalhes sobre ele. _ Pedi com empolgação.

- Nome dele é Erwin Smith, meu Deus, tenho um orgasmo só de pronunciar o nome dele. Ele é alto, por volta de 1,80 de altura _ umas das curiosidades sobre Annie é que ela é super detalhista em questão de altura, ela sabe quanto você mede só de te olhar, é algo bem peculiar dela e inteligente da parte dela. – 31 anos, dos olhos azuis, sobrancelhas grossas bonitas e ele é loiro. Um pitel, senhorita Mika.

- Amiga, falando assim você parece uma puta apaixonada. Falou soltando risadas sarcásticas _ sempre pego no pé dela por causa disso. Nossa vida não é igual aos filmes, como Pretty Woman ou Bruna Surfistinha onde tem o homem dos sonhos que vai nos tirar dessa vida. Digo a ela que somos só nós contra tudo, e só assim podemos dar a volta por cima.

- Eu sei, Mika chatonilda. Não estou criando expectativas em Erwin, só estou cansada disso. _ ela faz uma expressão de chateada, reconheço pelo biquinho fingindo chateação.

Annie já se apaixonou por um cliente na época em que trabalhávamos em um bordel. Seu nome era Armin. Ele era o típico cara legal e amoroso, porém casado e tinha filhos, tiveram um caso durante 1 ano mas já sabemos o final da história. Ela ficou com o coração partido e eu lhe ajudei a recuperar cada pedaço. Eu também estou cansada dessa vida, só mais um pouco e vamos ficar bem.

- Relaxa, estamos quase alcançando a meta, vamos sair dessa juntas. Eu prometo An. _ puxo ela para meu colo e faço cafuné em seus cabelos loiros.

Annie é uma linda mulher de cabelos loiros acima do ombro, belos olhos azuis claro. É uma mulher baixa, aproximadamente 1,55 cm de altura e belas curvas.

- Ahh, antes que eu esqueça, lembra que eu falei que estávamos acompanhados de um  amigo dele?

- Simm??

- Mui bonito.

- Ohh, não me diga. _ faço uma cara de chocada e ela pega um travesseiro e joga em mim. – Prossiga

- Enfim!!! Cabelo preto, olhos azuis acinzentados, um pouco baixo, chuto dizer que tem 1,60 cm de altura, mas minha filha, ele compensa na beleza, tão lindo quanto Erwin, me arrisco a dizer que ele é mais! Tipo, ele tem um ar misterioso e super sexy, sem ser vulgar. _ rimos juntas da discrição super detalhada da minha amiga.

 

- Nossa, deve ser mesmo para você ter reparado nele tudo isso, mesmo estando com o seu Capitão América do lado.

- Amiga, eu só reparei no final, porque antes de Erwin e eu sairmos ele me perguntou se eu tinha uma amiga para indicar a ele e eu disse que sim e dei o seu cartão. Tudo bem pra você mô?

- Sim, amiga. Perfeito.

Conversamos mais algumas asneiras e quando olhamos o relógio, já era quase 3h da madrugada e resolvemos ir dormir, a gente tinha que acordar cedo pra ir para o curso pela manhã.

Eu e a Annie Leonhardt somos garotas de programa, bom, ela prefere chamar de acompanhante de luxo ou putas autônomas, sem essa de cafetão. Já trabalhamos em um bordel em Rose mas foram os 2 anos mais horríveis da minha vida.

Comecei a me prostituir aos 17 anos, quando fugi do orfanato onde fui abandonada ainda bebê, enfim, precisava comer e me manter viva e fui para o bordel do Pixies. Lá conheci Annie, ela tinha a mesma idade que eu, tinha entrado 1 ano antes, bom, ela me ajudou e me ensinou como aguentar a trabalhar naquele lugar moribundo, gostava de  tê-la por perto. Eu era virgem quando cheguei em no bordel, garotas virgens sempre são  bem-vindas pois os homens gostam de se sentir únicos tirando algo valioso de uma garota inocente. Homens veem virgindade como troféu. Quando eu perdi minha virgindade, foi uma experiência horrível, tão doloroso mentalmente quanto fisicamente, depois que passou o trauma tive que ir seguindo a vida, pois tinha que ganhar dinheiro. Pixies era ganancioso, sempre explorava todas nós, eu e An fizemos um plano de guardar tudo o que ganhamos e juntar pra sair daquele lugar. Com 19 anos saímos e compramos uma casinha simples em Sina, nos mudamos de Rose -cidade maldita-, compramos nossas coisas  aos poucos, assim que as coisas estavam dando certo, fizemos supletivo. Quando o dinheiro acabou, nós resolvemos virar acompanhantes de luxo, aqui em Sina só tem empresários super bem sucedidos e solitários, às vezes só querem companhia em jantar a dois, confraternizações dos seus negócios e as vezes sexo. Ganhamos muito mais em 2 meses como acompanhante do que trabalhando no bordel em 1 ano, estamos guardando o dinheiro pra realizar nosso sonho de construir nosso SPA. Já fizemos vários cursos profissionalizantes em estética para dar do bom e do melhor para as nossas futuras clientes. Estamos com 21 anos agora e quase alcançando a meta, vamos deixar essa vida de prostituição para trás.

Acordei 7 horas, fiz minha higiene matinal, me arrumei e fui fazer o café da manhã.

Encontrei Annie já acordada esperando o café, pois 8hr tinha que estar no curso o horário era bem flexível das 8h até o 12h de segunda à sexta. O bom é que tínhamos a tarde livre para descanso e lazeres, e a noite livre para o trabalho.

- Bora Mika, estou morrendo de fome. _ Annie gosta de ser pontual.

- Calma, mulher. Já estou coando o café.

 

Comemos assistindo desenho e fomos para o curso. Quando acabou, fomos basicamente correndo pra casa, bem, eu arrastando Annie, pois ela disse que faria macarronada de Bacon, e como eu amo a comida dela. Annie para mim é uma grande cozinheira. Assim que chegamos ela começou a fazer os preparativos para o nhame.

- An, você é uma deusa.

- Para de babar meus ovos imaginários vai que dessa vez sai ruim! E seu celular tá tocando senhorita desligada!

Faço careta pra ela e vou atender o celular, deve ser algum cliente novo pois o número é desconhecido.

- Mikasa Ackerman falando.

- Ora que coincidência Mikasa Ackerman, sou Levi, Levi Ackerman. Sua amiga Annie me deu seu cartão, gostaria de saber se, bom, como eu posso dizer... ahnn, quais os seus serviços???

Ele pergunta meio exitante, foi engraçado. Acho que era a primeira vez que contratava uma acompanhante. Mas tinha algo muito diferente nele que mexeu comigo, era a porra da voz mais bonita que eu já tinha escutado, rouca e grossa que arrepiou até os cabelos do meu cóccix.


Notas Finais


Espero que tenham paciência comigo, assim, pq sou nova em escrever então pode ser q demore um poquito para o próximo capítulo, mas vou fazer de tudo pra não demorar muito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...