1. Spirit Fanfics >
  2. Shadow (G!p) - Michaeng >
  3. Carta de demissão

História Shadow (G!p) - Michaeng - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Carta de demissão


ー Saia da empresa, Chaeyoung. ー Jackson falava ー Saia ou você será presa. 

Fiquei aterrorizada com aquilo, era uma ameaça claramente e ele tinha provas. Chaeyoung, o que você fez?

ー Você não pode fazer isso, Jackson. Essa gravadora é minha e da Mina. ー Falei tentando manter a calma. 

ー Passe tudo para a Mina, deixe que ela toque a gravadora sozinha. Você só vai nos afundar ainda mais. 

Ele tinha razão, eu era péssima com os negócios, eu só tive uma ideia brilhante e escrevi algumas músicas que jamais seriam boas. Ele tinha razão de novo e eu não queria passar o resto dos meus dias de vida preso.

ー Eu posso pensar? ー Fiquei de pé e o encarei.

ー Não vai adiantar muito, mas pode. Te dou uma semana. Aproveita e tira a semana de folga, você saiu do hospital agora e estávamos todos preocupados. ー Jackson piscou e saiu da minha sala. 

Eu me sentei no sofá e chorei. Eu estava tão acostumada com esse lugar que não queria me desfazer dele. 

Algumas horas depois fui com Sana para o apartamento dela. Sana dirigia o carro, Tzuyu estava no banco do passageiro e eu estava sentada atrás apenas olhando através da janela e sem falar nada. Eu nem tava prestando atenção no que as duas estavam falando. 

ー Chaeyoung tá tão calada. ー Tzuyu falou se virando para mim. 

ー O que foi meu bebê, aconteceu alguma coisa? ー Sana perguntou. 

ー Quando chegarmos em casa eu conto. ー Limpei uma lágrima que rolava pelo meu rosto e voltei a encarar a paisagem. 

Quando chegamos no apartamento de Sana eu comecei a chorar e Tzuyu me abraçou, já que ela estava mais perto de mim.

ー O que aconteceu? Foi algo com a Mina? ー Sana perguntou me encarando. 

Me acalmei e contei para elas calmante o que tinha acontecido. Tudo o que Jackson me falou e o que eu havia feito, eu não, Chaeyoung. Depois que terminei de contar encarei Sana e Tzuyu que estavam boquiabertas. 

ー Isso tudo é real, você realmenta roubou a gravadora? ー Tzuyu perguntou. 

ー Foi, mas isso foi antes, hoje em dia eu sou totalmente diferente daquela pessoa. Vocês precisam acreditar em mim. ー Implorei para que acreditassem. 

ー Isso é muito grave. Você não podia ter feito isso. ー Sana parecia revoltada. 

ー Eu sei, eu sei. Eu tô muito arrependida. Eu tô muito ferrada. ー Falei encarando o chão. 

ー Tá, mas o que pretende fazer? 

Encarei Tzuyu assim que ela perguntou e eu não sabia o que fazer direito. Eu estava desesperada, eu não precisava que me fizessem perguntas, mas sim de solução e amparo. 

ー Eu preciso pensar. ー Falei.


• 

Soube por alguns funcionários que Chaeyoung tinha saído do hospital e que veio para a empresa. Eu queria falar com ela, eu queria me desculpar. 

ー Você viu a Chaeyoung? ー Perguntei a Chaeryeong quando a vi passar pelo corredor. 

ー Sim, eu a vi, mas ela foi embora com Sana e Tzuyu. ー Chaeryeong respondeu. 

ー Tudo bem, obrigada. ー Voltei para a minha sala e fiquei sentada esperando Jackson, que não demorou muito.

ー Terminei, vamos para casa? ー Jackson sorria bondosamente para mim. ー Vamos descansar um pouco pois fiz reservas em um restaurante para comemorarmos. 

ー Comemorar o quê? ー Eu o encarei.

ー Que eu estou de volta. As coisas sempre pode mudar, não acha? ー Jackson me puxou até ele e me beijou. Desconfiei de sua atitude, mas deixei pra lá, talvez ele estivesse afim de alguma coisa. 

Depois que chegamos em casa e fomos para o restaurante fiquei pensando em Chaeyoung. 

ー O que você tem, amor? 

Olhei para Jackson lembrando que ele estava ali. 

ー Você por um acaso viu Chaeyoung hoje? ー Perguntei. 

ー Eu trombei com ela sim, mas foi bem rápido. Por quê? 

ー Por nada. ー suspirei. 

ー Chaeyoung faz mal para aquela empresa...

ー Que é tão dela quanto minha! ー Fiquei irritada. 

ー Tá bom, eu não quero falar sobre isso. Eu te trouxe aqui por um motivo especial. ー Jackson sorria.

ー E o que é? 

ー Eu andei pensando em tudo o que a gente viveu até chegarmos aqui e foi um longo caminho bem construído. Nosso relacionamento é orgânica, amorosa e profissional, então eu queria... ー Jackson tirava algo do bolso, foi quando me mostrou uma caixinha veludo preta. ー Mina, aceita noivar comigo? 

Fiquei surpresa. Jackson estava com um sorriso tão inocente e eu não sabia o que responder, eu ainda estava em choque com tudo o que aconteceu com Chaeyoung, eu ainda precisava falar com ela. 


Acordei no dia seguinte com dor de cabeça. Eu chorei muito na noite anterior mesmo depois que Sana e Tzuyu me consolaram. 

No apartamento da Sana eu tinha um quarto só pra mim e era um quarto grande até. Era bom saber que eu não estava sozinha, mesmo que eu tenha assustado as meninas ontem com o que eu tinha dito. 

Fiquei deitada um pouco olhando para o teto e pensando no que fazer, quando bateram na minha porta. 

ー Pode entrar. ー Falei e Dahyun entrou. Ela a essa hora? ー Dahyun? 

ー Eu fiquei sabendo, a Sana me contou. Eu sinto muito que você tenha feito tudo isso e se tornado uma pessoa boa agora. Chae, eu acredito na sua evolução como pessoa, acho que passei tempo demais com você durante esses dias. ー Dahyun acariciou meus cabelos. ー Eu gosto de você, Chaeyoung, de verdade. Queria que entendesse isso e eu sempre irei te apoiar no que você for fazer de benéfico. 

ー Obrigada Dahyun. ー Sorri. ー Eu preciso te contar o que vou fazer. 

ー Antes disso que queria te mostrar algo, você iria saber mesmo então é melhor que saiba logo. ー Dahyun tirou o celular do bolso e eu fiquei muito curiosa, o que ela pretendia? Ela abriu o Instagram e me mostrou a conta do Jackson e uma foto onde tinha ele e Mina, que fora postada ontem. A legenda estava bem clara para todos "noivos". 

ー Então é isso. ー Fiquei pensando naquilo. Mina nunca mais iria amar Chaeyoung e nunca iria me amar. ー Mina gosta do Jackson, eles merecem essa felicidade. 

ー Mas Chae... 

ー Eu fiz coisas terríveis para a Mina e para a gravadora. Eu tenho que me afastar de todos o mais rápido possível. ー Falei. 

ー Eu não vou te deixar, não mesmo. ー Dahyun me abraçou e depois se deitou ao meu lado, ainda me abraçando. ー Você é boa, Chaeyoung. Você é pura. 

Eu duvidava disso. Eu não era boa e muito menos pura. Eu era um ser confuso e preso nos conflitos de Chaeyoung.

A semana havia se passado e na quinta a noite resolvi falar com Chaeryeong e pedi para ela agendar uma reunião com os acionistas da gravadora, com Jackson e com Mina. Nos falamos por e-mail, eu não estava bem para encarar a Chaeryeong que foi uma boa pessoa para mim. 

Na sexta-feira eu acordei cedo e fiquei sentada na cama pensando. Eu iria colocar um ponto final em tudo de uma vez, Jackson havia vencido. 

Quando sai da cama recebi um tratamento ótimo da Sana, que estava com um blusão social branco cobrindo a parte de cima e um pouco as coxas. Ela estava de meias nos pés e o cabelo desarrumado. Sana me abraçou por trás e beijou meu pescoço. 

ー Eu tô orgulhosa de você. ー Sana praticamente sussurrou no meu ouvido. 

ー O-Obrigada. ー engoli em seco. 

ー Vem, eu fiz café da manhã. ー Sana sorriu e me puxou pela mão até a cozinha, onde tivemos um café da manhã perfeitamente normal. Sana fazia piadinhas e soltava cantadas me deixando boba. A comida estava boa e o dia também. 

ー Sana, te vejo mais tarde. ー Suspirei nervosa. 

ー Sim, eu vou te esperar. ー Sana soltou beijinho de longe e eu sai assim que o meu Uber chegou, me levando até a gravadora. Na bolsa que eu levava estava todos os documentos necessários. 

Assim que cheguei na gravadora, que aliás, cheguei em cima da hora, subi para o meu andar e fui até a sala de reunião. Antes de entrar suspirei, estava me tremendo, mas era isso que eu tinha que fazer. 

Entrei na sala e vi Mina pela primeira  vez depois do que aconteceu entre a gente no seu apartamento. A japonesa se levantou quando me viu, ficando bem surpresa. Confesso que meu coração deu uma palpitada forte ao vê-la, mas eu jamais poderia tê-la, ela agora era noiva de Jackson, ela havia escolhido ele, só me restava aceitar. 

ー Alguns minutos atrasada, Chaeyoung. ー Jackson falou olhando para o relógio em seu pulso. 

ー Lamento, o trânsito. ー Sorri. 

ー O que tem para nos dizer, já que marcou essa reunião, mocinha? ー Perguntou um dos acionistas.

ー Eu estive pensando e minhas ideias para a gravadora mudaram, acho que nossas ideias não combinam mais. Vocês precisam de algo mais moderno e eu não acho que esse conceito combine comigo. ー Minhas mãos estavam tremendo, eu estava me despedindo. 

ー O que quer dizer? Seja mais objetiva.ー Jackson me olhava seriamente, fazendo o personagem dele. 

ー Eu quero dizer que estou deixando a gravadora. ー Botei uma pasta com documentos em cima da mesa. Documentos esses que continham assinaturas minhas passando tudo para Mina, agora ela era a maior acionista da gravadora. ー Nesses documentos estão todas as minhas ações, a partir de hoje eu me desligo da empresa. Desculpa por todos os transtornos e obrigada pela experiência. 

Sai da sala sem encarar a todos e principalmente Mina, mas não deu muito certo. Mina correu atrás de mim e me puxou pelo braço, fazendo eu me virar para ela. 

ー O que significa tudo isso, Chaeyoung? 






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...