1. Spirit Fanfics >
  2. Shadow Grooves >
  3. The Sword Dancer

História Shadow Grooves - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite à todos!
Não é costume atualizar a história com tanta frequência, mas há um motivo: Este capítulo foi escrito, na verdade, antes dos dois anteriores. Mas enquanto o escrevia, senti que faltava algo, um "worldbuilding" maior, além de realmente trazer à tona os Warlords, os Four Generals, o passado de Kyoko, e os efeitos do de que seriam os equivalentes à ataques terroristas no mundo de Shadow Grooves, ou pelo menos como eles afetavam o reino. Por isso, os dois capítulos anteriores, que, como explicado antes, foram complicados de escrever por conta dos acontecimentos em minha vida.

De qualquer jeito, uma ótima leitura à todos, e obrigado.

Capa do capítulo: Kyoko, usando um longo vestido azul com as costas abertas, de pé em um largo campo de rosas vermelhas e azuis, seu olhar em direção ao céu escarlate, suas sete espadas fincadas ao chão próximas à si.

Capítulo 16 - The Sword Dancer


Como assim o Hyoru veio aqui e não me visitou?!” – Esbravejou uma mulher à Varkis, a mesma sentada à frente dele em sua mesa no bar, chamas rosas surgindo em seus braços e ombros. De corpo curvado e uma beleza jovial, ela tinha pele branca, media 1.62 metros e pesava 56 kg, tendo também longos e levemente ondulados cabelos vermelho-escuros, com duas orelhas de raposa ao topo de sua cabeça, olhos azuis marcados por uma sombra vermelha natural, dois piercings negros em cada orelha humana, lábios e nariz pequenos, e sardas em suas bochechas, clavícula, ombros, e largos seios, suas costas tendo uma tatuagem negra da cabeça de uma raposa envolta por uma vermelha e grossa marca de queimadura circular ao seu redor, suas unhas das mãos e pés levemente longas e meticulosamente cuidadas. Ela usava um corset negro, uma blusa branca por baixo que deixava seus ombros expostos e um profundíssimo decote, uma pulseira budista em seu pulso esquerdo, uma longa saia vermelho-escura que chegava à suas canelas, uma tornozeleira budista em seu tornozelo direito, e saltos plataforma baixos de madeira que atualmente encontravam-se descalçados. – “Como ele pôde...?”

“Sahra... a breve ida dele foi algo maior do que imaginávamos.” – Varkis a explicou, seus olhos agora contendo culpa e remorso. – “Foi a Garra Negra. Sonma.”

“Eu... ainda não consigo acreditar. O grupo que me salvou... terminar daquele jeito.” – Sahra disse, sua voz agora baixa e triste, suas chamas se desfazendo. – “Como...?”

“Um homem veio à mim, pouco antes do Hyoru aparecer por aqui, e me deixou um manacythe com imagens da Garra Negra, e sua localização.” – Ele explicou, e ela presenciou então um sorriso de medo vindo do senhor. – “Quem diria que aquele homem era, na verdade, um disfarçado Kensuke Vollmond...” – E então, notando a sobrancelha levantada dela, ele retomou um semblante mais sério. – “Um dos Seven Demon Warlords, um grupo de demônios extremamente poderosos que serviam ao Demon King na época deles. Foram dados como mortos, mas sobreviveram...”

“Mas... o que esse homem fazia, então?”

“Eu não sei, exatamente. Mas o que eu posso afirmar, é... Este homem foi o responsável pela destruição de Sanmore, ontem mesmo, enquanto Hyoru e seu grupo enfrentavam a Garra Negra.” - Ele então fechou os olhos, lamentando. – “Foi uma emboscada.”

O quê?!” – Ela exclamou mais uma vez, possessa, suas chamas retornando com total força ao que ela levantou-se, batendo ambas suas palmas na mesa, mas não a queimando. – “O que exatamente está acontecendo, Varkis?! E como está o Hyoru?!

A porta da sala foi bruscamente aberta por Yien, que encontrava-se de guarda, o rapaz pronto para tentar reprimir a moça, quando então Varkis levantou sua mão em sinal de “pare”.

“Não foi apenas Sanmore. Outras seis cidades também foram destruídas, pelos outros Warlords. Isto só pode significar que eles estão avisando à todos que eles retornaram, e possivelmente o Demon King também. Isso se tornou muito maior do que qualquer um jamais podia imaginar.” – O dono do bar dizia, fazendo um movimento de “vá” para Yien, que retirou-se de forma hesitante, e ao que ele o fez, Varkis pousou sua cabeça em seus punhos fechados. – “Quanto ao Hyoru e seu grupo... não houve notícias deles.”

“Não...” – A moça sussurrou, lágrimas começando a se formar em seus olhos, e ela desabou em sua cadeira novamente, suas chamas desfazendo-se novamente. – “Ele não...”

“Hyoru é um rapaz forte. Hikari e Leon também. O fato de não terem notificado ele, ou seu grupo, mas terem notificado a Garra Negra, me diz que eles estão vivos, mas provavelmente foram capturados pelo reino e levados à questionamento.” – Varkis teorizou, e se Sahra não estivesse tão conflita, ela teria notado o próprio conflito nos olhos dele.

E você fala com essa naturalidade?!” – Ela esbravejou novamente, batendo sua mão na mesa, suas chamas começando a retornar. – “Você...!

“Sahra, não há o que eu possa fazer no momento. E eu prefiro ter a esperança de que eles sobreviveram do que imaginar o pior, sendo que o pior ainda está por vir. Eu tinha alguém muito importante à mim com ele, também.” – Ele disse rispidamente, a calando, e então ele suspirou para acalmar-se, a moça fazendo o mesmo e retrocedendo suas chamas. – “Eu tentarei conseguir informações, e te passo o que receber assim que o fizer. Mas, por hora, só nos resta esperar.”

“Eu vou ficar no aguardo, Varkis.” – A moça disse, vestindo novamente seus saltos e levantando-se, seu olhar sério e sua postura rígida fazendo-o lembrar de quando ele primeiro a conhecera. – “Eu sempre vou ser grata à você pela ajuda inicial que você me deu, quando o trio me salvou da escravidão e me trouxe pra cá. Mas tê-lo enviado para enfrentar Sonma, sabendo que era uma emboscada... é algo que eu não vou perdoar tão cedo, ainda mais se ele não estiver mais vivo.”

“Eu sei.” – Foi a única resposta que Varkis pôde dar, e sem mais palavras, a moça deixou sua sala, Yien adentrando a mesma logo em seguida. – “..Eu não queria que as coisas terminassem assim. Não foi o que eu imaginei.

“Achei que ela fosse te atacar.” – Yien disse, justificando sua anterior entrada, cruzando os seus braços. – “Varkis... você confia muito nesses demônios.”

“Yien... não deixe que seu passado te consuma.” – O dono do bar disse, balançando sua cabeça. - “Eu sei o que demônios fizeram à sua família. Mas isso não significa que são todos ruins. Assim como nem todos os humanos são bons.” – Ele dizia, oferecendo um breve sorriso. – “E acredite, eu também tive minhas experiências ruins com eles na guerra. E continuo tendo...

“Você não entende, Varkis. Eu consigo ver... o que essa raça já fez, e o que ainda vai fazer. E eu tento te avisar...” – O jovem disse, abrindo a porta da sala e ficando de costas ao velho. – “Mas você não me escuta. Eu não quero...” – Sua cabeça baixou em tristeza. – “...que você tenha o mesmo destino que eles tiveram.”

E então, ele saiu, deixando Varkis à sós, o senhor reclinando-se em sua cadeira logo em seguida.

Tazuna, meu velho amigo...” – Varkis pensava, sua mão cobrindo seus olhos e testa ao que ele lamentava a situação. – “Eu nunca imaginei que as coisas fossem chegar à esse ponto. Eu a expus à perigos maiores que qualquer um de nós poderia pensar... e você me odeia agora por isso, com razão. E não apenas você... Hyoru, Hikari, Leon, Hakuro. Eu... não sei como pedir perdão à todos vocês. Eu espero apenas que vocês estejam bem... seja lá onde estiverem.

 

Hikari recobrou a consciência com certa dificuldade, ainda sentindo diversas dores por seu corpo. Havia um leve balançar, e abrindo os olhos, ela pôde ver-se dentro de um escuro vagão de trem iluminado apena pelas poucas janelas em seu teto, e passando seus olhos pelo resto do mesmo, ela pôde ver Hyoru e Leon, já acordados e sentados com as costas apoiadas no vagão, os dois com diversas bandagens por seus corpos, e novas cicatrizes por seus corpos. Sentindo pêlos em suas mãos, ela pôde ver que Hakuro dormia em seus braços, também enfaixado, e então, ela sentiu pesos em seus pulsos, notando então as algemas negras em volta deles. Ela também agora vestia um haori de capitão por cima de uma camisa do reino, juntas de sua saia rasgada, que agora também não contava mais com as pistolas vermelhas de Red, embora ela ainda tivesse os Dual Strikers de Tazuna em seu cinto branco.

“Ei, acordou...” – Hyoru disse ao vê-la acordada, seus olhos baixos. – “Como se sente?”

“Dolorida. Cansada. E vocês?” – Ela perguntou enquanto levantava-se, tomando cuidado com o Black Calamity, notando as similares algemas nos pulsos de ambos Leon e Hyoru, enquanto Hakuro não possuía nenhuma. – “Porque nós...?”

E então, as memórias e emoções dos recentes eventos preencheram sua mente de forma rápida e desorganizada, a chegada em Santuário, Shadow Grooves, o beijo com Hyoru, Roarna, o primeiro confronto com a Garra Negra, o hospital, Fran e Bancho, o segundo beijo com Hyoru, o breve confronto com Jack, o segundo e breve encontro com a Garra Negra, a chegada de Leon, a luta contra Red e seus demônios, a aura demoníaca de Hyoru, o estado de Leon, a morte de Oillai, a forma demoníaca de Hyoru, a execução de Kensuke, a queda sangrenta de Hakuro, os quatro derrotados no chão, a morte de Jack e seus soldados, a destruição da cidade, e então, Kensuke, finalmente tomando forma em seus pensamentos, pronto para matar os quatro, quando então Kyoko o impediu, e suas memórias então tornaram-se negras por sua perda de consciência.

Ela chorava compulsivamente, tomada por suas próprias emoções e memórias, além de dores, memórias e emoções alheias que a preenchiam, as lágrimas negras escorrendo por seu rosto livremente, e sem que ela percebesse, ela chorava sobre o peito desnudo e enfaixado do rapaz, que a trouxera para si para confortá-la, usando seu braço direito para abraçá-la enquanto mantinha seu esquerdo o mais escondido possível.

“Eu peço desculpas, Hika.” – O Darkslayer sussurrou ao ouvido da moça em seu colo, tentando acalmá-la com gentis carinhos em seu cabelo enquanto ele sentia o peso da culpa sobre seus ombros. – “Você tem todo o direito de chorar. Foi uma tragédia que eu não pude impedir. Mais uma... e uma que eu causei.

“Eu consigo sentir... o que todas aquelas pessoas sentiram...!” – A garota balbuciava, agora agarrada ao corpo de Hyoru em primal necessidade de conforto. – “Eu ouvi antes, eu senti, eu juro, e agora... meu deus, que tragédia, e eu... eu não consegui fazer nada, e...!”

“Fui eu quem te arrastou até lá. E fui eu quem não conseguiu fazer nada.” – O mestiço então ouviu, aos fundos de sua mente, um grito negro familiar, e ele então a abraçou com seu braço direito com mais força, trazendo seu rosto mais próximo ao pescoço dela. – “Por minha culpa... vocês estão aqui. Mas eu lhe protegerei... assim como eu não consegui, diversas vezes antes.” – E então, ele sentiu sede; não por água, mas por algo diferente, algo que ele só sentira poucas vezes no passado; sede por sangue, o sangue dela, e ele sentiu sua boca abrir subconscientemente, revelando seus dentes caninos extremamente afiados. – “Essa sede... nunca foi tão forte. Isso é coisa sua, seu desgraçado...?!” – Ele debatia-se, quando então ele virou seu rosto para longe, quebrando seu trance.

Então, seu braço esquerdo e seu lado demoníaco vão ser problemáticos...” – Leon pensava, assistindo a cena a sua frente com um gentil, triste sorriso em seu rosto, que agora possuía uma enorme e irregular cicatriz deixada por Oillai, começando em sua mandíbula esquerda e subindo até acima de seu olho direito, cruzando seu nariz. – “Ei, eu não estou aqui por culpa sua. Eu fui para Sanmore por vontade própria... eu também sou procurado pelo reino. E... se nós não estivéssemos lá, você acha mesmo que teria sobrevivido? Ou que nós teríamos sobrevivido sem você?” – O Ironheart disse, tentando amenizar a tristeza de ambos à sua frente, um ato que Hyoru entendeu, o Darkslayer assentindo com a cabeça em resposta. – “Pequena, não chore. Vai ficar tudo bem.”

“Ei... o que houve... em Sanmore...?” – Hikari questionou após acalmar-se um pouco, dando conta que eles já não estavam mais lá. – “As algemas... onde... nós vamos...?”

“Vocês foram detidos.” – Uma voz relativamente desconhecida respondeu, trazendo a atenção de Hikari à si, a Lightslinger então tomando as feições de Kyoko, sentada à “frente” do vagão de forma a observar todos enquanto levemente escondida pela escuridão, notando então que ela não tinha seu haori em sua cintura, o mesmo usado agora pela garota. – “...e estão a caminho de Enbaur.”

Sonma, Oillai, Red, Jack, Vash, e todos os soldados e civis que morreram... me perdoem. Eu não pude nem ao menos dar-lhes tumbas melhores.” – Hyoru lamentava por trás de sua face séria, ouvindo, por trás de tudo, um grito negro em sua mente. – “E, aos cidadãos e soldados que restaram... me perdoem por toda a destruição que eu causei, e as que fui incapaz de impedir. Agora, vocês...

“Eu agradeço pelo haori e camisa. E você é... Kyoko, correto?” – Hikari questionou enquanto limpava suas lágrimas, recebendo um aceno de cabeça da capitã. - “Enbaur...?” – A White Dancer continuou, confusa. – “Mas, e Sanmore...?”

“Parcialmente destruída. Muitos mortos e feridos. Não é lugar para questioná-los ou mantê-los.” – A capitã respondeu. – “Portanto, então sendo transportados à minha cidade para serem questionados e julgados.”

Varkis havia comentado que os trens estavam parados até segunda ordem do rei. Então, ou ela tem permissão especial, ou ele decidiu isso depois dos eventos... eu não sei quanto tempo faz desde Sanmore.” – Hyoru pensava enquanto ouvia a conversa, observando a capitã. – “Elas são similares...

Foram sete ataques separados em diferentes partes do continente, mas todos de forma similar... um único demônio ou demoniza aparece, destrói uma cidade, mata seu capitão ou seus capitães, e deixa poucos sobreviventes. E, aparentemente, Sanmore foi a que menos sofreu...” – A Sword Dancer pensava solenemente. – “Ragnar... eu não me lembro muito, mas eu sei, de alguma forma... eu queria tanto que você estivesse aqui, comigo.”

“Ei, agora que eu paro pra perceber, vocês duas são bem parecidas...” – Leon disse, tomando melhor a aparência da capitã agora que a situação era mais calma, como se na mesma linha de pensamento de Hyoru. – “As tatuagens, as marcas, as orelhas... É por isso que fala com a pequena e não conosco?”

“Não lhe devo satisfações.” – A Bluerose disse em um tom firme, passando seu olhar pelo ruivo. – “Red Beast... uma recompensa de 108 mil moedas de ouro, pelos confrontos com capitães e soldados, e ignorância das leis do reino.” – Leon sorriu de canto de boca, e Hikari surpreendeu-se com o tamanho da recompensa pela cabeça do ruivo, a capitã então dirigindo seu olhar à Hyoru. – “E Darkslayer... por toda a destruição e morte que você já causou, ainda mais com os incidentes em Rosário e Sanmore... uma recompensa de um milhão de moedas de ouro.”

Um milhão?!” – Leon surpreendeu-se, levantando uma sobrancelha. – “Sim, você tem sua transformação demoníaca e sua magia de gelo, mas são novas, ao que entendo... mesmo contando com o meu Awakening e minha falta de magia, nós tínhamos níveis de força relativamente iguais, considerando a nossa luta e agora com Kensuke e a Garra Negra. Mas ainda sim, você não é o vilão que o reino te faz parecer; eu consigo perceber, em combate, de certa forma, quem meu oponente é, e você não é isso. Então porque toda essa diferença entre nós em recompensas? Porque você, que não efetivamente debocha do reino e faz até mesmo aquilo que o reino não consegue fazer, é tão procurado e temido, enquanto eu, um arruaceiro que já derrubou diversos capitães, e que também já demonstrou estar muito acima de um capitão comum em termos de força, não sou tão temido?

“O quê?!” – Hikari exclamou, ainda mais surpresa com a recompensa por Hyoru. Ela levantou seu olhar à ele, vendo a feição séria e aparentemente não afetada pela revelação, ao mesmo tempo em que ela sentiu, onde suas mãos o tocavam em seu peito e seu braço esquerdo, sentimentos dele que contradiziam a seriedade dele, e então ela fechou os olhos. – “Eu consigo sentir dele, também... ele carrega tanto ódio contra si mesmo, incerteza, tristeza, culpa... como ele se manteve todo esse tempo, com todo esse peso e sem conforto nenhum?!” – A White Dancer pensava, embora ainda sim houvesse algo errado. – “Eu também consigo ver algumas memórias... memórias da ShadowCross, uma demoniza, seus confrontos, nosso encontro... mas eu consigo sentir, também... uma crescente presença negra. Será...?

Sua presença aqui não é bem vinda, garota.” – Uma voz negra similar à de Hyoru ecoou em sua mente, esclarecendo as dúvidas da garota, que, ao abrir os olhos, viu-se de repente em um enorme templo ou castelo de teto extremamente alto, com diversas estátuas parcialmente destruídas de soldados de armadura e magos de capuz, a maior estátua aos fundos sendo de uma mulher encapuzada segurando em seus braços uma criança, com um enorme dragão rugindo atrás deles. Havia chamas negras e vermelhas espalhadas por toda a extensão do local, iluminando-o macabramente ao que certas partes ainda eram cobertas por escuridão.

“Hikari...?” – Ela ouviu a voz de Hyoru chamá-la, e virando-se à sua esquerda, ela pôde ver o rapaz a observando com olhos curiosos, notando também como ele não possuía mais as algemas em seus pulsos, mesmo quando sua aparência era igual à de “fora”, fazendo com que ela notasse não possuí-las mais também. – “Como você...?”

Eu também não sei. Mas...” – Ela dizia, estendendo sua palma direita à sua frente, e com um pouco de esforço ela criou uma orbe de luz na mesma. – “Minha magia é limitada, mesmo sem as algemas. Estamos... dentro da sua mente...?”

Está correta.” – A voz negra a respondeu, trazendo a atenção dos dois à si ao que seu dono saía da escuridão logo abaixo da estátua maior aos fundos, fazendo com que ambos os jovens arregalassem os olhos em surpresa.

Sua aparência física era igual à de Hyoru em sua forma demoníaca, embora, ao contrário de Hyoru, ele fosse predominantemente branco com os cabelos negros, com exceção de seu braço esquerdo e a tatuagem em suas costas, que eram negros e vermelhos assim como os do Darkslayer.

Enfim, o Blaze Demon faz sua aparição.

Desgraçado...!” – O Darkslayer rosnou, instantaneamente tomando uma posição de batalha, mas ao tentar mover seu braço esquerdo ou exercer sua aura, ele percebeu ser incapaz de ambos. – “Mesmo aqui, eu não...?!”

Tentando usar o MEU poder aqui dentro, Hyoru?!” – O demônio questionou, rindo maliciosamente ao que ele exerceu sua aura de chamas negras e vermelhas, para a surpresa de Hyoru. – “Você já tem o seu, não?” – Ele dizia sarcasticamente, mencionando com seu dedo indicador as tatuagens azuis-escuras no braço direito do rapaz, que arregalou os olhos em surpresa.

“Você tem...!” – A moça exclamou, vendo o demônio fechar e abrir sua mão direita, e então ela notou algo errado. – “Deve ser pelas algemas, mas... a aura, as chamas são mais fracas do que as do Hyoru. Além disso, ele não tem a zanbatou...?

Está correta, de novo. Mas assim como a sua magia não pode ser contida tão facilmente, essas algemas não podem me segurar por muito tempo de novo.” – O demônio disse, rindo brevemente com a surpresa de Hikari ao ler sua mente, então tomando uma posição mais bestial ao curvar seu torso ao chão, como se se preparando para avançar contra os dois a qualquer momento, Hyoru tomando a frente da garota instantaneamente. – “Ainda sim... o que quer aqui, garota?!

“Sua luta é comigo, maldito.” – O Darkslayer disse, retirando uma breve risada do demônio. – “Mas porque ele se importa tanto com a presença dela...?

Se é entre nós dois, então porque a trouxe aqui?” – O Blaze Demon o questionou, inclinando seu “rosto” para baixo, o sorriso sinistro de sua “máscara” parecendo aumentar também. – “Percebeu que, mesmo com o poder daquela vadia, você não seria capaz de me enfrentar, e trouxe outra?!” – Ele provocou, vendo com satisfação a expressão de Hyoru tornar-se uma de raiva.

Eu vou destruir você.” – Hyoru rosnou, exercendo de forma inconsciente sua aura de gelo e preparando-se para avançar contra o demônio, quando então, para a sua surpresa, a pequena mão de Hikari em seu braço direito o impediu de continuar, a garota então voltando a ficar ao seu lado. – “Hikari?”

“Estou tão surpresa quanto vocês em estar aqui. E embora minha magia seja efetiva contra demônios, eu não desejo lutar contra você, ou ajudar diretamente o Hyoru.” – Ela disse ao demônio, desfazendo então sua orbe de luz, para a surpresa do demônio, a única luz agora no templo sendo das chamas do demônio branco. – “...Essa não é minha luta. Você é parte do Hyoru, parte da força e dos poderes dele. Eu lutar contra você não resolveria nada... E se eu eliminasse você, eu estaria matando metade do Hyoru.”

Você, me eliminar? Não me faça rir.” – O demônio disse, desaparecendo de vista em um estouro de velocidade ao que ele desfez todas as chamas do local, emergindo o mesmo em completa escuridão, para a surpresa dos dois jovens.

“Hikari?” – O Darkslayer a chamou, estendendo seu braço direito à escuridão em direção à ela, não encontrando a garota. – “HIKARI?!” – Ele exclamou, sua aura exercida junto com a crescente adrenalina, mas ele não conseguia encontrá-la, não importava o quanto ele procurasse ou tentasse sentí-la. – “O que está acontecendo... Porquê ele se importa tanto com ela?!” – Levado por sua raiva, ele exerceu ainda mais sua aura, sua katana formando-se em sua mão direita inconscientemente. – “SE VOCÊ PUSER UM DEDO NELA, SEU DESGRAÇADO, EU VOU ACABAR COM VOCÊ!

“Hyoru?” – A White Dancer chamou, não recebendo resposta em meio à escuridão. Ela não sentia medo, e por opção própria, ela não exerceu sua aura de luz, curiosa pelo desenrolar da situação. – “Ele nos separou. Mas ainda estamos na mente do Hyoru... Qual o real objetivo dele?

Eu devo admitir... você é curiosa, garota.” – A voz demoníaca ecoou pela escuridão, sua respiração profunda e as palavras proferidas em um tom baixo, sinistro, o demônio tentando intimidar a garota. – “Eu não consigo sentir medo em suas palavras, em suas ações.” – O Blaze Demon disse, reaparecendo alguns metros atrás da garota, sua voz agora mais próxima dela. – “Não me teme? Na escuridão, sozinha, contra um monstro que já tentou te matar, e é mais do que capaz de eliminá-la agora...?

E, para a surpresa e dúvida maior do demônio branco, foi a vez dela de rir brevemente.

“Eu sei por que você tentou me matar enquanto controlava o Hyoru. Eu sei porque você não tenta aqui, agora, mesmo tendo a vantagem de terreno e tendo separado eu e o Hyoru. Porque tenta me intimidar, ao invés de me matar, mesmo aqui dentro, onde você tem vantagem.” – Ela disse, e então, ela exerceu o pouco de sua aura que conseguia, surpreendendo o demônio por ainda estar de costas à ele, um leve sorriso presente em seus lábios ao que ela virou seu rosto ao demônio, como se ela sempre soubesse que ele estava ali. – “É porque você tem medo de mim.”

Ele então riu maniacamente, a garota virando-se completamente à ele ao que ele exerceu novamente sua aura com força, chamas negras e vermelhas alastrando-se pelo templo novamente, iluminando-o de novo e revelando, para a surpresa de Hyoru e Hikari, que ambos estavam lado-a-lado novamente, Hyoru instantaneamente trazendo-a contra seu corpo e dando as costas ao demônio ao mesmo tempo em que ele criou uma enorme parede de gelo atrás de si por puro instinto, protegendo-os da enorme rajada de fogo que o demônio cuspira.

“Você está bem?” – O Darkslayer a perguntou ao que as chamas cessaram, sua parede também se desfazendo, a garota assentindo com a cabeça, embora Hyoru ainda não a tivesse deixado sair de seu abraço ao que ele virou seu rosto para trás novamente, observando o demônio. – “Espere. Não acabou.”

Ótima resposta, Hyoru... será divertido enfrentá-lo, em breve.” – O demônio disse, e Hyoru conseguia sentir em seu tom a promessa de uma tempestade de fogo. – “E você, garota, você é corajosa... Mas, como eu disse antes, sua presença não é bem-vinda aqui.” – Ele então desfez sua aura, escondendo-se na escuridão mais uma vez, quando então, para a surpresa dos dois, eles sentiram-se imersos em uma nova escuridão, similar à um oceano, e então, eles viram a enorme cabeça flamejante de um dragão branco surgir em direção à eles, e sem conseguirem mais usar suas auras ou fugir, Hikari fechou os olhos ao que Hyoru a tomou em seus braços novamente e pôs-se de costas ao crescente dragão, protegendo-a do iminente impacto. – “Portanto... SAIAM DAQUI!!”

Pequena!” – Ela ouviu a voz de Leon a chamar, sentindo a mão de aço dele balançando seu ombro, e ela abriu os olhos em surpresa, rapidamente tomando seus antigos arredores novamente, notando que o tempo não parecia ter mudado desde o início da viagem mental. Ao vê-la “retornar”, ele ofereceu um breve sorriso, retirando sua mão, e Hikari teve tempo de notar como os braços dele agora também possuíam “cicatrizes”, mesmo em seu aço. – “Tudo bem? Vocês apagaram.”

“Eu...” – Ela começou, quando ela então percebeu estar tocando o braço esquerdo demoníaco do Darkslayer, o quão duro, ríspido e quente o mesmo era, mas, contra seu instinto natural, ela manteve sua mão direita no mesmo, e ela então retornou seu olhar à frente, tomando a feição de Hyoru novamente, os olhos heterocromáticos pesados encontrando os seus cinzas, e ela sentiu-se novamente imersa na maré negra de ódio, culpa e vergonha. – “Hyoru...?”

“Você viu.” – O Darkslayer abaixou seu olhar em puro ódio ao que ele proferia suas palavras, sentindo, por um breve momento, um tremor em seu braço esquerdo. – “Quem eu realmente sou. O que eu vou me tornar. O que eu mais odeio, e...-”

Ela o interrompeu ao beijá-lo de forma rápida, mas determinada, usando seu braço esquerdo de suporte no peito do rapaz, tocando-lhe a bochecha direita com a mão. Ele pousou a mão direita dele sobre seu quadril, a trazendo mais para si, quando ela então separou-se dele novamente.

“Você adora me interromper assim...” – O rapaz de cabelos brancos disse em uma voz baixa, observando-a fundo nos olhos, retirando um gentil suspiro da garota, que continuou a acariciar a bochecha dele. – “...mas não muda quem eu-“

“Você é você, Hyoru.” – A garota o interrompeu novamente, dessa vez com um sussurro, acariciando as cicatrizes no rosto dele enquanto falava. – “Eu sei... que você odeia demônios, e mais do qualquer outro, a si mesmo. Eu sei o quanto você se culpa, o quanto você se odeia, e o fardo que você carrega.” – Então, ela abaixou sua mão direita à esquerda dela, entrelaçando seus dedos aos dele, sentindo o calor, a rispidez, e a imobilidade deles. – “Você tem, sim, um lado demoníaco. Mas você não é um demônio; não como aqueles que enfrentamos. Você está... descobrindo novos poderes, assim como eu descubro os meus a cada dia. Infelizmente, essa é uma luta que você, e só você, pode lutar... mas você não está sozinho. Você... sempre terá à mim.” – E então, ela beijou-lhe suavemente a testa, deixando seus lábios continuassem silenciosamente sua mensagem, sentindo ele suspirar carregadamente em resposta.

“Akali me disse algo parecido, uma vez.” – O Darkslayer respondeu pesadamente, e Hikari sentiu o turbilhão de ódio, saudades, culpa e tristeza dele por seu toque, vendo em sua mente de forma borrada as memórias da promessa dele com a moça ruiva. – “Eu não posso deixar isso acontecer de novo. Você não vê?” – E então, ele levantou levemente seu olhar, e em seus olhos ela pôde ver, mais do que ela pôde sentir, a pura tristeza que o consumia. – “Todos ao meu redor morrem. Eu atraio... não, eu sou a destruição, a morte que já castigou tantos, e vai continuar castigando, enquanto eu continuar vivo.”

“Hyoru, cara... depois, precisamos ter uma conversa de homem pra homem.” – Leon exclamou em falsa incredulidade, relembrando aos dois que ele e Kyoko ainda estavam ali, os jovens de cabelos contrastantes virando seus olhares ao ruivo. – “Uma mulher linda e forte dessas, e você a rejeitando...?” – E sabendo a resposta do Darkslayer, o Ironheart continuou enquanto revirava os olhos. – “Você não é uma pessoa ruim. Você é uma pessoa boa, a qual coisas ruins aconteceram.” – E então, vendo a expressão de feliz surpresa de Hikari, e levemente cômica dúvida de Hyoru, ele revirou os olhos mais uma vez. – “Isso é entediante. Eu prefiro lutar do que ter esses papos sentimentais.”

Kyoko observava a cena a sua frente com olhos sérios, porém curiosos. Ela contemplava o desenrolar da conversa entre os três silenciosamente, levando em conta as palavras de Hikari e Leon à Hyoru, e como o Darkslayer culpava-se pelos acontecimentos. Além disso, por um breve momento, ela sentiu a aura de ambos pulsarem, mesmo com as algemas, surpreendendo-a com as forças das auras. Havia muitas questões a serem feitas, e muitas contradições que preenchiam a mente da capitã de Enbaur.

Ela tinha as pistolas de Red com ela, que eu confisquei, além de dois tonfas, que, se não me falha a memória, pertenceram à Tazuna, que morreu em Vila Rosário. Essas marcas de queimadura em seu lado direito parecem relativamente recentes; mas o relato oficial é que Rosário não teve sobreviventes. Uma contradição...” – A Bluerose pensava, tentando entender a situação da garota. – “E, de acordo com os soldados em Sanmore, ela também ajudou a conter a invasão de demônios, e posteriormente lutou contra Kensuke. Mas não há registros seus nos arquivos do Reino; até o momento, nunca a notaram, ainda mais na companhia do Darkslayer e do Red Beast. E essas tatuagens, as orelhas, a magia... ela é especial. Não é a toa que ambos estão ao redor dela.” – Ela então passou os olhos à Hyoru, que agora confortava Hikari em seu abraço, visto que ela voltara a chorar. – “E ele... sim, é o Darkslayer, mas... porque ele protegia uma cidade, sendo um destruidor? Ele era taxado como um demônio, mas seu braço demoníaco nunca foi notado, então entende-se que é recente, assim como sua magia de gelo. E... como ele sabia de Sanmore, a Garra Negra? Porque ele se envolve com essas pessoas, sendo que ele sempre foi sozinho, segundo o Reino? Quais são suas intenções, seu alinhamento?” – E então, ela observou Leon, que tinha a cabeça levantada ao alto e os olhos fechados. – “E ele... um arruaceiro, extremamente forte, mas um “simples” arruaceiro... então porque ele também estava em Sanmore, protegendo a cidade? Ele nocauteia capitães sem preocupação, e então faz o que eles não conseguem fazer? E... eles dois se conhecem faz tempo? Eles conversam com muita naturalidade...

“Vai ficar me secando?” – Ela ouviu o Red Beast provocar, retirando-a de seus pensamentos ao que ela viu o leve sorriso nos lábios do ruivo. - ”Eu sou bonito, eu sei.”

A resposta dela veio em uma sobrancelha levantada, fazendo com que o sorriso do ruivo se tornasse maior.

“Capitã.” – A Bluerose ouviu Hikari chamá-la, a capitã notando então que a garota parara de chorar, embora as marcas negras de lágrimas ainda fossem visíveis em sua bochechas. –“Nós... nós não somos criminosos. Nós estávamos...“ – A Lightslinger começou, sendo interrompida ao que Kyoko levantou sua mão prostética.

“Os soldados de Sanmore os defenderam. Disseram que vocês estavam lutando contra a Garra Negra e Kensuke. E eu sei que o Reino não diz a verdade sempre.” – Kyoko respondeu, balançando levemente sua mão esquerda. – “Ainda sim, há muitas incoerências. Como vocês sabiam da localização da Garra Negra? Como você possui os Dual Strikers do Tazuna? Porque você, Darkslayer, é culpado pela destruição de diversas vilas, mas também assassinatos de criminosos, e protegia Sanmore? Além disso, seu braço esquerdo demoníaco, e sua segunda magia de gelo, nunca foram notadas pelo Reino. Porquê?” – Ela então virou-se ao Red Beast. – “Você, Red Beast, um arruaceiro, que, embora nunca tenha sido efetivamente um criminoso, lutando contra a Garra Negra? E ao lado do Darkslayer, e do reino? Muitas coisas não fazem sentido.”

“Eu luto por diversão. Não ligo se são criminosos ou protetores; eu não sou um santo, nem um herói. Eu só quero me tornar mais forte.” – O Red Beast declarou, um breve sorriso em seus lábios. – “Foram apenas coincidências.”

“Isso não ajuda muito o seu caso, Red Beast.” – A capitã declarou, fazendo com que o sorriso de Leon aumentasse momentaneamente, retornando seu olhar à Hyoru e Hikari. – “E vocês?”

“Tenho certeza que conseguiremos esclarecer tudo, capitã.” – Ela dizia, quando ela então sentiu Hakuro mexer-se em seu colo, sua atenção indo instantaneamente ao animal, que despertava desconfortavelmente. – “Hakuro, você acordou... como se sente?”

“Hikari... onde...?” – Com sua mente confusa e o corpo dolorido, o Black Calamity questionava enquanto observava seus arredores, surpreendendo a capitã. – “Sanmore, nós...?”

“Ele fala...?” – A capitã questionou, trazendo os olhos de Hakuro à si.

“Hikari, quem é ela...?” – O animal questionou, já que não estava consciente quando a capitã fez sua aparição em Sanmore, notando então as algemas nos pulsos dela. – “Porque você...?”

“Estamos em um trem para Enbaur. A capitã, Kyoko, obrigou Kensuke a fugir, mas nos trouxe para sermos questionados.” – A White Dancer explicava, Hakuro arregalando os olhos em pânico em resposta, pulando então do colo da garota. – “Ei, o que houve?”

“Não, esse não pode ser o fim.” – O Black Calamity disse, sua aura começando a se fazer presente, e Hyoru arregalou os olhos ao mesmo tempo em que Kyoko, em um piscar de olhos, reapareceu atrás do animal.

Muito rápida...!” – Leon pensava, sentindo por instinto que as coisas piorariam, o ruivo começando a levantar-se.

“É melhor se acalmar.” – A capitã disse, e Hakuro olhou para trás, vendo a capitã sumonar uma de suas espadas flutuantes à sua mão esquerda. – “Ou as consequências serão severas.”

Droga, ele vai...!” – Hyoru percebeu tarde demais, estendendo seu braço direito ao animal. – “Hakuro, não!

“Eu prefiro morrer, mas... EU NÃO SEREI PRESO DE NOVO!” – O shingo exclamou, avançando em direção à capitã enquanto ele era completamente envolto em chamas.

Uma explosão de chamas estourou grande parte do vagão onde eles estavam. Da mesma, Hakuro, em sua forma maior e encoberto em chamas, surgiu empurrando Kyoko, que bloqueava seu avanço com sua espada, os dois caindo em direção à terra do morro pelo qual o trem passava, Kyoko aproveitando então para usar o focinho de Hakuro como impulso para pular para trás, distanciando-se do animal. Com a explosão, o trem freou bruscamente, e dele os outros três jovens surgiram, tomando o lado de Hakuro enquanto observavam a capitã recuperar-se, e então, a cidade atrás da capitã.

“Já estamos próximos de Enbaur. Um ato desnecessário.” – A Bluerose dizia, suas outras seis espadas surgindo às suas costas em pequenos turbilhões de rosas azuis e vermelhas. Ela então percebeu os soldados que começavam a sair do trem em surpresa, a capitã estendendo uma das mãos em direção ao trem. – “Não se aproximem! Vocês não são páreos pra eles. Fiquem à postos.”

“Hakuro! Não precisava ser assim!” – Hikari exclamou, tocando o animal em seu rosto na tentativa de acalmá-lo, sem efeito. – “Nós estamos todos feridos, você ainda mais, e ela é ainda mais forte que o Kensuke!”

“Mesmo que minha lealdade caia à você, dama...” – O Black Calamity se justificou, não tirando os olhos da capitã, exercendo sua aura com mais força. – “...Eu vou morrer antes de entregar minha liberdade de novo.”

“Mas não foi assim em Roarna!” – A White Dancer disse, lembrando-os dos acontecimentos recentes. – “Porquê –“

“Bancho não quis nos prender.” – O animal justificou-se novamente, bufando chamas. – “E não era tão forte quanto ela.”

“Estou decepcionado. Eu esperava mais de você, Hakuro.” - O Darkslayer disse, trazendo a atenção de ambos à si, seus olhos extremamente sérios e pesados focados na capitã. – “Esperava que fossemos diferentes. Que você cuidaria dela como eu não sou capaz.” – E então, sem esperar uma resposta, ele analisou a situação atual, uma gota fria de suor descendo sua testa. – “Eu não tenho ambas as minhas magias, não tenho minha zanbatou, e ainda estou enfraquecido. Hakuro tem sua magia, mas ainda não se recuperou também, e seus machucados são ainda piores que os meus. Leon também está muito ferido e sem sua aura. Hikari, ironicamente, é a mais apta, mesmo sem sua magia, que não iria funcionar tão bem contra ela de qualquer jeito. Mas eu não posso deixá-la assumir uma luta dessas. Minhas opções estão limitadas...!” – E então, ele ouviu a risada negra em sua mente.

Você terá que me deixar sair, Hyoru...” – O Blaze Demon ecoou em sua mente, sua voz transbordando um maligno sorriso. – “Ou prefere deixá-la matar todos vocês...?!

“Se preparem.” – Leon disse, estralando seus dedos e seu pescoço, tomando então uma posição de luta e sorrindo, mesmo com as algemas em seus pulsos. – “Vai ser divertido.”

“Eu vou dar uma última chance de se renderem pacificamente.” – Kyoko ofereceu, vendo que Hikari ainda não parecia disposta à enfrentá-la e Hyoru parecia debater-se internamente. – “Mesmo depois disso...” – Ela apontou com uma das mãos ao vagão parcialmente destruído do trem. – “...ainda podemos resolver isso enquanto vocês estão conscientes.

A resposta dela veio em forma de um Blazen Breath cuspido por Hakuro, criando uma enorme explosão ao atingir a capitã.

“Não, Hakuro! Eu não quero lutar!” – A Lightslinger exclamou, vendo então as chamas se dissiparem com um corte de espada, revelando novamente a capitã em sua estância Roseguard, sem qualquer dano. – “Não precisa ser assim!”

Eu não imaginei que aquele animalzinho... eu fui distraída.” – A Angelblade pensou, preparando-se para seu próximo movimento. – “Tarde demais para arrependimentos.”

Eu não tenho escolha.” – O Darkslayer concedeu, sentindo a queimante escuridão o envolver. – “Mas você... é parte dos meus poderes, assim como ela. Eu mando em você! E VOCÊ NÃO VAI ME CONTROLAR!

Em um borrão vermelho e azul, Kyoko sumiu de vista em um movimento de extrema velocidade.

E, no mesmo instante, sem que ninguém pudesse acompanhar, um enorme estrondo de chamas negras e vermelhas ocorreu, revelando então Hyoru, já em sua forma demoníaca e com sua zanbatou negra em mãos, em um confronto de lâminas com a Bluerose, impedindo-a de avançar. A aura dele então fez-se presente, esmagadora e carregada de sede de sangue, empurrando os jovens alguns metros para trás, e forçando os soldados ao longe à seus joelhos.

Então essa é sua forma demoníaca...” – Kyoko pensava, empunhando uma de suas espadas em sua mão direita para confrontar o mestiço, que empunhava a sua zanbatou com ambas. – “Sua força é notável, assim como sua aura.

CAPITÃ!” – Um dos soldados exclamou, preocupado e, ao mesmo tempo, sentindo-se sufocado e como se espadas flamejantes perfurassem seu corpo. – “A aura dele é mais forte que a dela...?!”

“Hyoru...!” – A White Dancer sussurrou, notando como ele já não tinha mais algemas em seus pulsos, derretidas pelas chamas, e como ele tinha recuperado o uso de seu braço esquerdo. – “Nós não temos como enfrentá-la do jeito que estamos...!

Eu... consegui...!” – O Darkslayer pensava, no controle de seu corpo, embora ele lutasse constantemente contra a envolvente escuridão em sua mente. – “Eu voltei a ter controle do meu braço... E as algemas, eu não as tenho. Então agora...!

E então, com um rugir e um brusco balançar de sua zanbatou, Hyoru lançou a Bluerose voando para trás. Ao que ela “quicou” do chão ao bater sua mão no mesmo, ela desapareceu em um novo borrão de extrema velocidade, reaparecendo alguns metros atrás do Darkslayer, que teve tempo apenas de colocar sua zanbatou a sua frente para defletir com dificuldade sete golpes praticamente invisíveis da Angelblade, Hyoru virando-se à sua oponente a tempo de ver as sete espadas da moça reaparecendo às suas costas. Sem dar-lhe tempo para recuperar-se direito, porém, ela avançou novamente contra o demônio, reaparecendo a frente dele já no ar e com suas espadas também presentes, fazendo um movimento de downcut com sua mão esquerda, e então suas espadas avançaram em um similar movimento contra o demônio, obrigando-o a bloquear novamente com dificuldade os sete golpes sequenciais da moça, que ao voltar ao chão continuou a pressioná-lo com seus movimentos de dança, suas espadas seguindo-os e mantendo o mestiço puramente na defensiva.

Deixar que meu poder o transformasse, mas, no último momento, ter lutado por controle...” – O Blaze Demon notava em sua mente, dando uma breve risada. – “Inteligente, e eu fui descuidado. Mas não acontecerá de novo. Agora, vamos ver... o quanto você aguenta...

“Não é possível...” – A White Dancer sussurrou, tendo dificuldades em acompanhar a velocidade dos confrontos, ouvindo apenas os sons e vendo borrões. Aquele era Hyoru, em sua forma demoníaca, com sua aura esmagadora e sua força aumentada, sendo completamente dominado e sem qualquer chance de revidar. – “Ela é rápida e forte demais...! Pressionar o Hyoru assim, e na forma demoníaca dele?! Não tem como...!

“Comprou a briga, e não vai ajudar?” – A voz de Leon fez-se presente, atraindo a atenção da dama e da besta, que puderam ver o sorriso malicioso do ruivo enquanto ele observava a luta, vendo o demônio ser cada vez mais pressionado pela capitã. – “Eu não vou deixar ele ter toda a diversão.” – E então, ele desapareceu em um borrão de alta velocidade.

A capitã, em sua sequência de golpes, desferiu um particularmente poderoso uppercut com suas espadas, retirando o equilíbrio do demônio ao mandá-lo vários metros ao ar, onde ela então reapareceu bem à frente dele, girando sobre seu próprio eixo por diversos ângulos, atingindo-o então com uma rápida e violenta sequência de golpes com suas espadas, cortando-o inúmeras vezes antes de desferir um Rosestrike que atingiu em cheio o peito do Blaze Demon, mandando-o voando violentamente contra uma rocha ao longe e quebrando-a com o impacto, um rastro de sangue negro por sua extensão.

E então, sem dar à ela tempo de recuperar-se, Leon reapareceu bem a frente dela no ar, já com um soco carregado à caminho.

“TE PEGUEI!” – O ruivo exclamou, desferindo o soco, quando então, para a sua surpresa, ela segurou seu soco sem qualquer dificuldade com sua mão esquerda, suas espadas desaparecendo momentaneamente para reaparecem bem acima dele, a capitã atingindo-o com seu Rosefall em cheio, o mandando violentamente de volta ao chão junto com suas espadas em um fortíssimo impacto, que quebrou o chão por vários metros e levantou uma grande camada de poeira.

HYORU! LEON!” – Hikari exclamou, mas antes que ela pudesse correr em direção à qualquer um dos dois, Hakuro pôs uma de suas patas à sua frente, cortando seu caminho. – “Hakuro?”

“Eles não estão mortos.” – Hakuro a impediu, seus olhos travados na capitã, que caía de volta ao chão e fixava seu olhar em si e na garota, fazendo com que a besta rosnasse. – “Leon está certo. Eu que causei isso. Portanto... serei eu quem vou terminar. E então, voltaremos para casa.”

Agora, eles...” – A Bluerose pensou, começando a tomar impulso para seu ataque, quando então, para a sua surpresa, ela sentiu uma nova, ainda mais poderosa aura, e olhando rapidamente em direção aonde ela havia jogado Hyoru, ela pôde ver uma enorme lâmina de gelo vindo em sua direção, para a surpresa de Hakuro e Hikari.

Rapidamente recuperando uma de suas espadas com sua mão esquerda, ela desferiu um uppercut ao que a lâmina aproximou-se de si, desfazendo-a em milhares de fragmentos. Sem se deixar enganar, porém, ela rapidamente recuperou outra de suas espadas com sua mão direita, girando sobre seus calcanhares para bloquear um golpe por trás de Hyoru, que reaparecera atrás de si em um movimento de alta velocidade, bloqueando a nodachi do rapaz já de volta em sua forma humana com relativa facilidade.

“Ele voltou à forma humana?!” – Hakuro exclamou, surpreso. – “Como...?!”

“Ele usou a forma demoníaca pra derreter as algemas, e conseguiu voltar...!” – Hikari disse, admirando a ingenuidade e o controle do rapaz, notando então como o braço esquerdo dele continuava demoníaco e continuava pendendo, e como seu peito ainda sangrava com o ferimento deixado pela capitã. – “Ainda sim, ele não consegue usar o braço esquerdo...!

Eu consegui...!” – O Darkslayer pensava, cansado e com sua visão escurecendo em suas bordas, tendo extremas dificuldades em manter o confronto com a capitã usando apenas seu braço direito. – “Mas, por quanto...?”

Como eu esperava... você é incapaz de realmente usar o meu poder sem algum selo.” – A voz do Blaze Demon voltou a preencher sua mente, e se Hyoru não estivesse tão focado, ele teria notado como o demônio proferira aquela frase com um tom mais calmo, quase decepcionado. –”Eu me pergunto... o que você fará agora, Hyoru?

“Inteligente.” – A capitã elogiou, notando então o suor na testa do rapaz e como seu braço esquerdo pendia, como se inútil. – “Mas não forte o suficiente.” – E então, aplicando um pouco mais de força, ela jogou o espadachim vários metros para trás, tirando seu equilíbrio, e então, em um movimento de extrema velocidade, ela reaparece atrás do rapaz, já em um movimento de dança e com suas espadas avançando contra o rapaz, que teve tempo apenas de virar seu rosto para trás, vendo as lâminas aproximarem-se de si sem que ele pudesse se defender.

Um fortíssimo punho de aço vermelho, porém, atingiu a capitã em seu rosto antes que ela pudesse concretizar seu ataque, lançando a capitã voando violentamente vários metros para trás, recuperando seu chão sem qualquer dano ou vermelhidão pelo soco do ruivo, já com seu Awakening ativado, o Red Beast ficando costa-a-costa com o Darkslayer. Os pulsos de aço do rapaz agora não eram mais adornados pelas algemas negras, cortadas e quebradas pelo Rosefall da Sword Dancer.

Da posição em que estavam, Hyoru agora conseguia observar a enorme e nova cicatriz de queimadura nas costas de Leon, lembrando-o de como ele havia, anteriormente, em sua forma demoníaca, tentado atingir Hikari com um Blaze Overdrive, obrigando Leon a protegê-la.

Eu fiz isso.” – O ex-Shadowcross pensava, uma breve imagem de Hikari sendo atingida pela lâmina preenchendo sua mente, sua aura gelada alterando-se momentaneamente. – “E poderia ter sido pior.

“Ei, você me deve. De novo.” – Leon disse, seu tom um pouco mais sério, ainda mantendo os olhos focados na capitã. – “Sem efeito, mesmo no Awakening...

Essa aura vermelha, diferente... neste modo, ele é tão forte quanto o Darkslayer em sua forma demoníaca?” – A Bluerose analisava, começando a tomar impulso para seu próximo movimento. – “...Não. Ainda mais forte, porém mais lento. Eu tomarei cuidado.

Uma enorme pata flamejante desceu contra a capitã violentamente, Hakuro tendo reaparecido atrás da capitã em um movimento rápido que desmentia seu tamanho, seu Rake criando um poderoso impacto de chamas ao completar seu movimento e trincando o chão próximo de si com a força de seu golpe.

“Hakuro!” – A White Dancer exclamou enquanto o via desferir o golpe, surpresa com a quietude do movimento de Hakuro. – “Quando ele...?!

Porém, para a surpresa deles, o animal sofreu diversos cortes invisíveis por seu corpo, e então a capitã reapareceu bem a frente de Hakuro no ar em um borrão, sem qualquer dano, fazendo um movimento para baixo e trazendo todas as suas espadas em seguida, as sete cortando o rosto de Hakuro diagonalmente sem que o mesmo pudesse desviar e retirando uma grande quantidade de sangue, além de um rosnado de dor da besta, que, em puro reflexo, desferiu um novo Rake contra a capitã, dessa vez a atingindo e a lançando voando vários metros para trás, em direção aos dois rapazes, que desapareceram simultaneamente em borrões de alta velocidade.

HAKURO!” – A Liightslinger gritou, reaparecendo à frente da besta e tocando-lhe o rosto ensanguentado, tentando acudí-lo de qualquer forma. – “Você precisa...!”

“Eu estou bem.” – O Black Calamity rosnou, contrariado. – “Mas eles... não ficarão.” - E então, virando seu rosto para trás, a Lightslinger pôde ver o desenrolar da luta entre os dois rapazes e a capitã.

Ainda desacostumado com sua nova magia, Hyoru procurava lutar da mesma forma que ele lutava com sua zanbatou e magia de fogo agora com sua nodachi e magia de gelo. Seu Sweeping Blaze, Dancing Flames, Flash Fire, Flame Descent* agora eram substituídos por versões imbuídas em gelo, e seus próprios cortes deixavam lâminas azuis cortantes secundárias por seu caminho, similares, porém mais fracas, que seu Overdrive Zero. Porém, todos os seus golpes eram nulificados pela capitã, que cortava seu gelo enquanto defletia sua nodachi e sua força sem qualquer dificuldade ou ferimento.

* As técnicas de Hyoru com sua magia de gelo serão nomeadas, respectivamente, Sweeping Glaze, Icy Dance, Frost Flash, e Frozen Descent.

Não importa o quanto tentemos, ela não deixa brechas...!” – Hyoru pensava, frustrado com a defesa perfeita da capitã, suas espadas flutuantes defletindo todos os seus ataques enquanto ela dançava e avançava pelo campo de batalha. – “Eu tenho que lutar contra esse demônio, não estou acostumado com a minha magia e essa nodachi, estou cansado... e Leon está no mesmo barco.

Embora com seu Awakening ativo, Leon também tinha dificuldades em acompanhar a capitã. Seu Lion Fist, Dragon Rage, e Rising Dragon eram defletidos sem qualquer dificuldade pela Bluerose, e ele não tinha tempo de “carregar” suas técnicas mais poderosas, pondo-o em ainda maior desvantagem. Ele tentava também encontrar alguma brecha para desferir seu Turtle Revenge, os cortes que surgiam em seu corpo denunciando seu fracasso.

Ela é muito rápida... e essas espadas se movem de forma muito diferente, eu não tenho o timing para usar meu Turtle Revenge... e minhas outras técnicas são ignoradas.” – Ele então sorriu, mesmo com toda a situação. – “Essa mulher...!

Eu já disse... você terá de me deixar sair. Você não sabe usar sua magia de gelo, e está cansado...” – O Blaze Demon o provocou em sua mente, rindo sombriamente. – “Se isso continuar, você irá morrer...

Heh, eu ainda estou fodido de ontem...” – O Red Beast pensava, sentindo a cada novo golpe seu, a cada novo corte deixado pela capitã, seu corpo enrijecer como aço, seus movimentos tornando-se mais lentos e selvagens. – “Eu não sei como eu ainda me recuperei tanto assim da noite passada, e como eu estou usando meu Awakening agora... mas, se continuar desse jeito...!

“Ela ataca e defende ao mesmo tempo... Leon é totalmente corpo-a-corpo, e Hyoru ainda não controla sua nova magia. E nenhum de nós se recuperou direito...” – O animal notava, arrependendo-se de seus atos. – “E mesmo de longa distância, não temos poder de fogo para enfrentá-la. Ela é, afinal, ainda mais forte que aquele homem...”

“Mas os movimentos dela... de alguma forma, eu consigo acompanhá-los.” – A garota revelou, para a surpresa da besta, a morena retirando suas mãos do rosto de Hakuro para pousá-las em seus tonfas, trazendo a atenção do Black Calamity às algemas negras que ainda permeavam os pulsos dela, que pareceram então trincar ao que a garota começou a exercer sua aura. – “Eu não queria lutar, e quase não tenho minha magia... mas eu sou a única capaz de impedi-la.”

Eles são fortes... isso está demorando demais.” – Kyoko pensava, vendo seus dois oponentes alguns metros à sua frente, suas posturas curvadas em cansaço e dor, mas, mesmo com o cansaço e seus diversos ferimentos, eles não pareciam dispostos a desistir, seus olhos sérios e as auras ainda exercidas. – “Eles não desistem nunca. Eu não tenho a intenção de matá-los, mas...” - Decidindo-se rapidamente, ela exerceu momentaneamente sua aura, azul e fluída e extremamente forte, e então, em um flash, ela desapareceu da vista dos dois rapazes.

Foi então que, para a surpresa maior de todos ali, a capitã foi impedida de atingí-los ao que Hikari apareceu em um movimento de extrema velocidade à frente de ambos, um de seus tonfas bloqueando a primeira espada da capitã.

E, mais do que a velocidade, a força ou a aura, Hikari tinha a mesma exata posição de dança de Kyoko.

“Você...!” – Kyoko sussurrou, estupefata. – “Ela ainda tem as algemas, mas exerce sua aura... além disso, ela foi capaz de me enfrentar, e mais do que isso, usando a mesma dança... Eu sabia, ela é especial!

DAMA!” – Hakuro gritou, mas antes que ele pudesse fazer algo, Hikari o interrompeu ao apontar sua mão “livre” em sua direção.

Não interfiram. É uma ordem!” – A Lightslinger vociferou, determinada, sem tirar os olhos da capitã. – “Vocês entenderam?!

“Heh... você tem sorte, Hyoru.” – Leon comentou, um largo sorriso em seus lábios, quando ele então caiu de joelhos no chão, usando uma de suas mãos como apoio para não tombar. – “E eu... heh, eu já não consigo me levantar mais.”

Eu tinha razão... sua aura cresce muito rápido. E, enfrentando oponentes como estes, ela está se tornando fisicamente mais forte com extrema rapidez...” – Hyoru pensava, admirado. – “Talvez seja cedo... mas ela não é humana.

“Eu não esperava que você fosse me enfrentar.” – A Angelblade disse, recompondo sua seriedade. – “Achei que você fosse a que tivesse mais senso.”

“Me desculpe, capitã...” - A White Dancer respondeu, dando um breve, triste sorriso. – “...mas eu não posso mais ficar assistindo. Eu não vou mais deixar...” – Sua aura começou a ganhar mais força, e então, para a surpresa maior de todos, as algemas quebraram-se por completo, a aura massiva e pura de Hikari fazendo-se presente, envolvendo a garota no que agora pareciam chamas brancas por sua pura intensidade, a garota devolvendo seus tonfas à seu cinto ao que ela sumonou suas pistolas à suas mãos.  – “...aqueles que eu amo sofrerem!

E então, ambas desapareceram em movimentos de extrema velocidade, e o que seguiu foi algo que impressionou à todos ali.

Elas enfrentavam-se em movimentos fluídos, rápidos e precisos de dança, fazendo breves sequências de tiros e cortes, desaparecendo, e então reaparecendo em outro ponto para continuarem, seus movimentos sincronizados como se elas dançassem juntas desde sempre. Embora fosse visível que Hikari não possuía a mesma força e velocidade que Kyoko, suas veias saltadas ao que ela usava todas as suas forças para acompanhar a capitã, além da pura desvantagem de ter de atirar diversas vezes consecutivamente para bloquear todas as espadas de Kyoko, a Lightslinger compensava pela força de sua aura, que a curava enquanto deixava leves queimaduras na pele exposta da capitã ao que seus tiros a atingiam.

E, ainda mais curiosamente, a Bluerose parecia curar-se em velocidade similar, embora um pouco mais lenta, que a White Dancer, suas veias também saltadas, e pura curiosidade nos olhos azuis da capitã.

Houve um novo, rápido confronto de danças, quando então, em um flash, ambas encontraram-se no meio do campo de batalha, ambos seus braços direitos estendidos à frente e suas posições idênticas, o confronto agora tornando-se puramente de auras ao que elas continuavam a manter suas posições, uma tentando empurrar a outra. Era uma visão incrivelmente bonita, já que, mesmo tentando ganhar vantagem sobre a outra, nenhuma parecia conseguí-la, as auras misturando-se em espirais e formatos similares à de rosas brancas, vermelhas e azuis.

A dança das rosas.

Dama, você nunca para de surpreender...!” – O Black Calamity pensava, incapaz de mover-se pela pura pressão das auras, vendo o belo confronto à sua frente desenrolar-se sem real vitória.- “Há dois dias, sua aura não chegava perto do que é agora... você é, sem dúvidas, descendente de Sayah. Mas... como?

“E, no fim, ela nos salva... o quão irônico, huh?” – Leon dizia, tanto à si mesmo quanto aos dois ao seu redor, seu olhar então abaixando-se. – “Primeiro aquele cara, e agora essa capitã... o quão inocente eu fui, de achar que, mesmo capaz de me tornar mais forte, eu ainda era mais do que... só isso...?

Ela está em seu limite...” – Hyoru pensava, tentando forçar seu corpo à mexer-se, sem muito sucesso. Embora o confronto de auras lhe restringisse os movimentos, somente aquilo não seria capaz de imobilizá-lo; o cansaço das lutas recentes, os usos de sua forma demoníaca, os ferimentos ainda não completamente fechados. A visão de Hikari, com dificuldades e em seus limites, assim como Leon de joelhos e Hakuro ferido, o impulsionaram a sua decisão final. – “...Eu não tenho escolha. Eu terei de...

...Parar de lutar...” – A voz negra do Blaze Demon consumiu sua mente. – “E ME DEIXAR SAIR!!

Eu sabia, nossas danças são similares... eu não tinha como vencê-la em puro confronto físico. Mas mesmo a aura dela é muito forte...!” – Hikari pensava, tentando ao máximo vencer o confronto, sentindo o cansaço pesar em seu corpo, mesmo com sua aura a provendo forças e regeneração. – “Como...?

Ela... é muito mais forte do que eu imaginava. E sabe a mesma dança que eu, uma que eu desenvolvi sozinha... qual é a nossa relação? Ela também é...?” – Kyoko pensava, cada vez mais curiosa por Hikari, sentindo também o cansaço começar a pesar em seu corpo. – “Há quanto tempo eu não...? Eu não vou vencê-la com aura. Então, pra acabar logo com isso...” – Decidindo-se, ela deixou de exercer com força sua aura, a aura de Hikari instantaneamente consumindo o que restava da sua e seguindo em direção à capitã como uma onda.

Porém, para a surpresa de Hikari, ela sentiu a capitã desaparecer em um movimento de extrema velocidade, reaparecendo atrás de si. Sem tempo de revidar, e com o cansaço tomando conta de seu corpo, ela teve tempo apenas de virar seu rosto para trás, indefesa.

Naquele mesmo instante, a massiva aura demoníaca de Hyoru fez-se presente novamente, porém, desta vez, completamente descontrolada e selvagem, ainda mais carregada de ódio e sede por sangue, e então, em uma explosão de velocidade e chamas, Hyoru bloqueou o avanço de Kyoko ao reaparecer, já em sua forma demoníaca, entre ela e Hikari já com um Sweeping Blaze pronto, o impacto de sua chegada jogando a White Dancer vários metros para longe e surpreendendo a Angelblade, que agora segurava uma de suas espadas com ambas as mãos para bloquear a zanbatou do Darkslayer.

Como... essa força, ele não tinha antes...?!” – A Bluerose pensava, tendo dificuldades em segurar o demônio, a capitã começando a perder seu confronto. Suas seis espadas restantes então perfuraram o peito e costas do demônio, mas para a surpresa dela, ele passara a rir maleficamente, aparentemente não afetado, mesmo que as espadas agora fossem banhadas em sangue negro. – “Ele... deixou-se consumir...?

Hyoru!!” – A dama gritou ao recuperar seu chão, sentindo como ele agora estava completamente diferente. – “Não, você...!”

“Ele se deixou consumir, dessa vez...!” – O Black Calamity a explicou, aparecendo à seu lado. – “Eu não posso deixar isso se estender mais. Fui eu quem causou isso...” – Ele voltou à exercer suas chamas. – “E serei eu quem vai terminar!

Tch, lá vai você, querendo ser o herói de novo...!” – O Red Beast pensava, levantando-se com dificuldades, um novo sorriso brotando em seus lábios ao que ele ativou seu Awakening mais uma vez. – “Eu já disse... você não vai ficar com toda a diversão pra você...!

Minha força... será absoluta...!” – O Blaze Demon rosnou, e então, exercendo mais sua força, ele expulsou as seis espadas de seu corpo, lançando então a capitã voando vários metros para trás ao quebrar bruscamente o confronto.

Recuperando seu chão rapidamente, ela pôde ver Hyoru, Leon e Hakuro avançando simultaneamente contra si, Hyoru com seu Flash Fire, Leon com seu Lion Impact, e Hakuro com seu Blazing Charge. Ciente de que eles a atingiriam antes que suas outras seis espadas retornassem, ela rapidamente decidiu-se, e então, ela fechou os olhos, exercendo sua aura enquanto tomava uma posição parecida com iaido, lembrando também a posição que Kensuke tomava.

E Hikari pôde apenas gritar por seus companheiros ao que os três foram atingidos por um único, massivo, profundo e extremamente forte corte horizontal, sem que nenhum dos três pudesse reagir, cada um sendo lançado voando com extrema velocidade e força para longe, quebrando várias rochas e deixando rastros de sangue por seus caminhos até finalmente pararem, caindo já inconscientes.

Agora, era possível ver um enorme, espectral guardião demoníaco de armadura azul e asas vermelhas parecidas com as de um morcego segurando uma similarmente espectral e massiva espada serrada com ambas as mãos envolvendo a capitã, que já não tinha mais suas espadas flutuantes.

LEON! HAKURO! HYORU!!” – A White Dancer gritou, correndo em direção à Hyoru, o mais próximo de onde ela estava antes, jogando-se de joelhos ao lado dele, notando como ele retornara à sua forma humana em sua inconsciência, encoberto de sangue e com um novo, massivo corte em seu peito. Antes que ela pudesse acudí-lo realmente, porém, ela sentiu a presença de Kyoko poucos metros atrás de si, o espectro dela levantando sua espada ao ar. – “Por favor, Kyoko, não! Acabou! Por favor...” – As lágrimas caíam soltas perante à derrota e ao desespero ao que a dama pôs-se à frente do rapaz, seus braços abertos enquanto ela observava Kyoko fundo nos olhos através do guardião, protegendo o derrotado. – “Eles vão morrer se não forem tratados... eu não tenho mais forças pra lutar... mas se você for matar alguém... ENTÃO ME MATE!” – Ela gritou, seus olhos determinados mesmo quando ela chorava, surpreendendo a capitã de Enbaur, seu espectro abaixando lentamente sua katana.

“...Eu sinto sua sinceridade. Pois bem... Hikari.” – A Sword Dancer concedeu, desfazendo seu espectro em um turbilhão de rosas, reavaliando a situação enquanto retomava sua calma. – “Ainda sim... estejam preparados para o julgamento.”

E Hikari assentiu com a cabeça em derrota, temendo o pior.

E, ao mesmo tempo, o Essence Reaver aproximava-se, trazendo consigo o presságio da escuridão...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...