História Shadow Haven - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Bdsm, Emma Swan, Homossexualidade, Lésbico, Regina Mills
Visualizações 252
Palavras 5.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, eis aqui um capítulo com muita emoção pra vcs kkkk desculpem por não ter postado antes rsrs <3

Capítulo 12 - A gentle touch


"Então, como estão as coisas em casa?" Regina perguntou enquanto se sentava à mesa, esperando o forno fazer sua mágica na comida que ela e Ruby tinham feito.

"Estão boas. Vovó está ocupada trabalhando na lanchonete, tenho certeza que ela está feliz por eu não ficar por aqui por alguns dias", Ruby sorriu. "Ela está ficando mais velha, quero dizer, ela não é como a velhice antiga, mas às vezes eu noto que ela demora mais para terminar depois do turno." Ela olhou para Regina com um raro vislumbre de timidez em seus olhos. "Ela quer me treinar para que eu possa tomar conta dela quando chegar a hora."

"Isso é algo que você quer também?"

"Sim," Ruby falou lentamente, "Talvez não imediatamente, mas eu cresci com aquele restaurante, eu não quero que esteja nas mãos de algum estranho."

Regina assentiu: "Tenho certeza de que você fará um bom trabalho, Ruby. Você deveria estar orgulhosa de si mesmo, você percorreu um longo caminho". Ela sorriu quando viu a luz corar nas bochechas de Ruby. "Como se sente por estar aqui?"

Ruby franziu a testa: "O que você quer dizer?"

"Quero dizer, o que você acha de estar aqui com Belle? Normalmente, quando você vem para cá, é para jogar, porque esse é o espaço que você pode fazer isso. Eu só quero ter certeza de que você está tudo bem para ir. Eu não quero que seja confuso para você ", disse Regina sinceramente.

"Eu sei. Eu me sinto bem, eu quero fazer isso com a Belle. É um pouco estranho, eu suponho, mas não é como se nós nunca estivéssemos perto um do outro sem fazer qualquer tipo de jogoa. Além disso..." ela sorriu. "imagine tudo o que posso fazer agora sem me meter em encrencas! "

Regina riu: "Boa sorte com isso". Sua expressão ficou mais séria quando ela se inclinou para frente e inalou bruscamente: "Ruby, estou feliz por você ter encontrado Belle e estou honrada por você querer que eu te ensine, mas você sabe o que isso significa para nós, certo?"

Ruby assentiu, ela sabia o que aconteceria a seguir, ou melhor, o que nunca aconteceria de novo. Regina havia dito a ela a primeira vez que eles se conheceram, era uma das poucas regras que ela tinha. "Você não joga com trocas", disse suavemente Ruby antes de se levantar de sua cadeira e se mudar para a de Regina.

"Me agradeça corretamente, Red", Regina disse com firmeza.

Ruby sorriu quando se ajoelhou e apoiou a cabeça nos joelhos de Regina, "Obrigado por tudo. Eu não estaria onde estaria agora, se não fosse por você."

Regina enfiou a mão no cabelo de Ruby e segurou-o com firmeza no punho e puxou a cabeça de Ruby para trás. "Estou muito orgulhosa de você", ela disse amorosamente. "Eu gostava de jogar com você e vou gostar de ensinar você." Ela soltou o cabelo de Ruby, levantou-se e puxou Ruby para os pés antes de puxá-la para um abraço. "Você tem sido uma boa cadela para mim, Ruby."

"Obrigada", Ruby murmurou baixinho antes de se afastar do abraço. "Eu deveria ir verificar Belle, o jantar está quase pronto, certo?"

Regina sorriu: "Sim, eu vou acordar Emma". Ela levantou a mão quando Ruby abriu a boca para falar: "Tudo a seu tempo, Ruby. Eu sei que você está morrendo de vontade de fazer perguntas sobre ela, mas ela define o ritmo nisso, não eu."

Ruby assentiu: "Ok, mas você gosta dela, certo?"

"Eu gosto."

"Aw, que fofo!" Ruby ficou impressionada antes de dar alguns passos para trás quando viu o rosto de Regina. "Eu estou indo agora", ela estendeu a língua antes de desaparecer.

Regina sorriu e suspirou profundamente. Ela realmente teve uma boa corrida com Ruby, apesar deles nunca serem mais do que amigos íntimos. Ruby foi a primeira submissa que Regina trouxe para Shadow Haven e a jovem tinha crescido imensamente e Regina não poderia estar mais orgulhosa dela. No final, todas as coisas tinham que terminar, e ela não se sentia à vontade para continuar as sessões de jogo, já que Ruby estava embarcando em uma jornada diferente. Ela iria guiá-la o máximo possível, mas quando chegar a hora de jogar, não terá mais."

***

Regina riu baixinho quando ela entrou em seu quarto e viu Emma dormindo, esparramada na cama. Ela rastejou na cama e colocou uma mão em cada lado de Emma enquanto ela pairava sobre ela. Seu rosto estava a centímetros de distância de Emma e um sorriso se espalhou em seu rosto. Seria tão fácil beijar Emma acordada e ela estaria mentindo se dissesse que não era exatamente o que ela queria fazer. "Emma", ela sussurrou enquanto aproximava a boca do ouvido de Emma. "Acorde."

"Vá embora", Emma murmurou.

"Isso definitivamente não é um comportamento recompensador de chocolate", Regina repreendeu brincando antes de colocar um beijo suave na bochecha de Emma. Ela sorriu quando os olhos de Emma se abriram com a ação: "Oi".

Emma corou quando ela virou a cabeça para o lado, envergonhada pela pulsação entre as pernas com a proximidade de Regina.

O coração de Regina vibrou quando seus olhos viram a visão abaixo dela. Emma era absolutamente linda, com seu cabelo loiro todo emaranhado e seus olhos brilhavam com timidez. Era ao mesmo tempo carinhoso e delicioso. "Você dormiu bem?"

"Mhm", Emma assentiu enquanto mordeu o lábio enquanto tentava olhar em qualquer lugar, menos nos olhos de Regina.

"Você é fofa," Regina disse e sorriu quando o rubor de Emma se aprofundou. Ela queria provocá-la ainda mais, mas deixou-se cair na cama ao lado de Emma. "Como é que eu faço todo o trabalho por aqui e você tira todas as sonecas?"

Emma riu: "Talvez você devesse ir abraçar algumas árvores também. Ouvi dizer que é uma receita perfeita se você quer que as pessoas façam todas as suas licitações."

Regina apoiou-se em um cotovelo enquanto olhava para Emma, que ainda estava teimosamente olhando na outra direção, "É isso mesmo? Por que, me diga Senhorita Concussão, como posso atendê-la?."

Emma sorriu quando ela virou a cabeça: "Sério?"

Regina assentiu: "Claro, você recebe um último pedido". Ela arqueou uma sobrancelha antes de severamente acrescentar: "Depois disso, você está acabando com essa concussão por tudo o que vale a pena. Então, eu pensaria sobre isso com cuidado."

"Tudo o que eu quiser?"

"Dentro da razão," Regina rosnou. "Eu tenho o direito de dizer não se isso me envolver."

"Eu tenho que te falar neste exato momento?"

"Sim."

Emma franziu a testa, essa não era a resposta que ela esperava. Ela não tinha ideia do que pedir. Bem, ela poderia pensar em uma coisa, mas ela tinha certeza que Regina a fecharia imediatamente e não lhe daria uma segunda chance para fazer outro pedido. Seus olhos se fecharam por um breve momento enquanto ela ponderava suas opções. Ela poderia pedir uma quantidade ilimitada de chocolate, mas isso tiraria toda a diversão do seu pequeno jogo. Seus lábios se curvaram em um pequeno sorriso antes de abrir os olhos e olhar para Regina. "Eu sei o que quero."

"Compartilhe, senhorita Swan."

"Espere", disse Emma, franzindo as sobrancelhas. "Eu faço algo se você disser não?" Regina não respondeu e apenas olhou para ela. "Não acho que sim", Emma bufou quando ela se deixou cair de costas novamente. "Você realmente acha que eu estou explorando minha concussão?"

"Emma"

"Certo. Um último pedido. Você sabe que parece que você está prestes a me jogar em um calabouço e nunca me deixar sair de novo, certo? 'Alguma última palavra, detenta?'" Ela zombou com uma voz baixa.

Regina riu suavemente quando ela balançou a cabeça e antes que Emma soubesse o que estava acontecendo, Regina estava em cima dela, abrangendo suas coxas. Ela agarrou as mãos de Emma e prendeu-as sobre a cabeça, "Está tudo bem?"

Emma engoliu em seco e lentamente assentiu.

"Boa menina. Agora me diga, o que você quer, Emma?"

"Regina", Emma sussurrou suavemente quando ela involuntariamente puxou seus quadris.

Regina gargalhou: "Sim, Emma?" Ela sabia que estava fazendo um jogo perigoso, os olhos fixos na ponta da língua de Emma que lentamente traçava seu lábio inferior. Aqueles lábios deliciosos seriam sua ruína um dia, ela tinha certeza disso. "O que vai ser, hm?"

"Uma massagem", Emma murmurou.

"Uma massagem?"

Emma assentiu: "Eu quero te dar uma".

A mandíbula de Regina caiu lentamente, ela não estava esperando, "Você quer me dar uma massagem?"

"Sim," Emma franziu a testa, um pouco surpresa. Ela não pretendia dizer isso, ela ia pedir a um de Regina, não oferecer para dar uma.

"Seu último pedido para explorar sua concussão é que você quer me dar uma massagem?", Regina perguntou novamente.

"Aparentemente sim."

Regina sorriu, "Bem, você definitivamente ganhou pontos de brownie com isso, Srta. Swan. Pergunte-me muito bem."

Emma revirou os olhos e zombeteiramente disse: "Por favor?"

Regina balançou a cabeça: "Eu acho que você pode fazer melhor que isso, não é?"

Emma exalou antes de respirar fundo: "Posso fazer uma massagem?" Ela corou quando viu o sorriso de Regina se transformar em um sorriso de dentes.

"Eu acho que você esqueceu de dizer por favor", Regina murmurou, divertindo-se com o fato de que Emma estava praticamente se contorcendo debaixo dela, tão desesperada pela aprovação de Regina.

"Posso te dar uma massagem, por favor?"

"Boa menina, você pode. Hoje à noite, depois do jantar. Tenho certeza que Ruby e Belle poderiam ter uma noite mais cedo, nós pedimos licença antes. Eu espero que você faça um trabalho completo e quando você fizer isso, eu recompensarei você "

A respiração de Emma engatou em sua garganta, "Chocolate?"

Regina balançou a cabeça: "Não, essa recompensa triunfa a recompensa de chocolate."

"O que vai ser?"

Regina sorriu: "Deixe ser um mistério, Emma. Não seria muito divertido se eu desse todos os meus segredos. Você confia em mim?"

"Até um certo nível."

Regina não pôde deixar de sorrir. "Veja o progresso que estamos fazendo!" Ela saiu de cima de Emma e saiu da cama: "Vamos lá, é hora do jantar". Ela olhou para Emma antes de sair pela porta, "Você deveria comer muito, tenho certeza que você poderia usar a energia para mais tarde."

Emma corou furiosamente quando saiu da cama e seguiu Regina de volta para a sala de estar. Ela não tinha certeza do que Regina estava implicando, mas ela duvidava que fosse apenas um comentário inocente.

***

Emma gemeu quando se deixou cair no sofá. Ela estava continuamente impressionada com as habilidades culinárias de Regina e o prato de abobrinha que ela tinha feito estava absolutamente delicioso. "Eu posso contratá-lo como minha chef pessoal para quando eu for para casa", ela murmurou.

Regina riu quando ela bateu os pés de Emma no sofá, "O que faz você pensar que pode me pagar?" Ela se sentou no sofá e deu a Emma um olhar de nem-pense-nisso quando ela tentou colocar os pés no colo de Regina.

"Tenho certeza de que posso pagar de outras formas", disse Emma, sem dar muita atenção à afirmação.

"Sexo em troca de comida? Legal!" Ruby exclamou e riu quando a cabeça de Emma virou para onde Ruby estava sentada.

"O quê? Não! Eu não quis dizer isso", ela murmurou. "Eu realmente aprecio comida de verdade e ainda não estou pronto para dizer adeus a ela".

Regina acariciou sua coxa: "Não se preocupe, querida. Vou lhe dar aulas de culinária antes de ir para casa, para que você também possa comer saudável e nutritivamente".

Emma fez uma careta: "Se você colocar assim, tira toda a diversão. Eu não quero saudável e nutritivamente, quero delicioso e lambendo os dedos bem".

Seus olhos vagaram para Belle, que estava sentada no chão, apoiada nos pés de Ruby da mesma maneira que ela tinha feito com Regina antes. Ainda era estranho ouvir Belle falar com Regina como "senhorita" e ver como Regina reagiu diferente a Belle do que a si mesma. Com Belle, ela estava mais distante e enquanto seus sorrisos eram sinceros, Emma sentia falta do riso real de Regina. Ela se perguntou se era isso que Regina queria dizer quando dissera que ela era diferente em relação aos clientes. Exceto, Belle não era uma cliente e isso a confundia.

Ela olhou para os traços faciais animados de Regina enquanto falava com Ruby sobre algo que realmente não lhe interessava. Sua respiração engatou em sua garganta quando Regina olhou para ela enquanto dava a Emma a piscadela mais sutil que ela já tinha visto. Ela não pôde deixar de sorrir, tão diferente quanto Regina estava em torno de Ruby e Belle, ela ainda podia ver o Regina que ela tinha conhecido sempre que olhava para ela e parte dela não podia esperar por Ruby e Belle irem embora de novo. Ela sabia que estava sendo totalmente egoísta, mas queria Regina para si mesma.

"Emma?"

"Hm?" Emma olhou para Regina, "Desculpe, eu estava distraída." Seu coração vibrou em seu peito quando viu os olhos de Regina brilharem e ela sabia que o sorriso que ela deu a Emma era cheio de desejo e desejo.

"Eu perguntei se você está pronta para se retirar agora? Se não estou enganada, você e eu fizemos planos, correto?"

Emma corou, "Certo. Sim. Estou pronta." Parecia uma mentira, embora ela realmente não pudesse esperar para ficar sozinha com Regina novamente. A ideia de que suas mãos estariam em Regina em apenas alguns instantes a assustou até a morte e ela se perguntou o que diabos ela estava pensando quando pediu para dar uma massagem a Regina. Foi uma receita para o desastre.

Ela deixou Regina colocá-la de pé, "Eh, boa noite, suponho? Foi bom conhecer vocês duass."

"Noite, Emma", Ruby disse com uma piscadela. "Não faça nada que eu não faria."

"Ruby", Regina disse em tom de aviso e Ruby ergueu as mãos antes de murmurar uma desculpa.

Belle sorriu: "Obrigado pela sua hospitalidade, senhorita Regina. Foi um prazer conhecê-la, Emma. Suponho que amanhã seja um longo dia, estou ansiosa por isso."

Regina assentiu. "Descanse um pouco, Belle. Você vai precisar disso. Noite, Ruby."

Ela estendeu a mão para Emma e arrastou-a para o quarto. Ela deu uma leve empurrão em Emma para dentro do quarto antes de fechar a porta e se encostar nela. "Isso não foi tão ruim, foi?"

Emma sorriu: "Não, não foi." Ela se arrastou de pé, sem saber como proceder. "Então," ela hesitantemente disse enquanto desviou os olhos.

Regina meneou as sobrancelhas enquanto se aproximava de Emma, "Eu acredito que você queria me dar uma massagem?" Seus dedos trataram o cabelo de Emma e ela sorriu quando Emma fechou os olhos brevemente. Ela segurou a bochecha de Emma e passou o polegar sobre o lábio inferior de Emma. "Tire a minha blusa, Emma."

Os olhos de Emma se arregalaram: "O-o quê?"

"Tire minha blusa", Regina repetiu com mais firmeza enquanto movia a mão para a de Emma e a pegava. "Você não pode me dar uma massagem adequada se eu estiver vestida, pode?" Ela moveu os dedos de Emma para um dos botões e sussurrou: "Tire isso."

A mão de Emma tremeu quando ela soltou os botões um por um, ela engoliu em seco com cada pedaço de pele que descobriu. Regina era absolutamente deslumbrante.

"Boa menina", disse Regina quando Emma gentilmente tirou a blusa dos ombros de Regina e colocou-a na cadeira. Ela tirou os sapatos e puxou Emma para perto dela novamente. "Calça seguinte, por favor."

"Você não pode estar falando sério?" O olhar de Emma caiu para o peito de Regina e os seios que estavam escondidos sob o sutiã atado.

Regina riu, "Estou falando sério, Emma. Tire-as. Eu te disse, espero que você faça um trabalho completo e não pode fazer isso enquanto eu estiver vestida."

"Foda-me", Emma murmurou. Ela não sabia o que ela esperava, mas isso definitivamente não era isso, tudo o que ela sabia agora era que ela estava em um mundo de problemas. Seus dedos se atrapalharam com o botão da calça jeans de Regina e ela teve o cuidado de não tocar a pele de Regina.

"Tudo a seu tempo," Regina gargalhou quando Emma abaixou o zíper e moveu as mãos para o cós da calça, lentamente puxando-as para baixo enquanto ela caía de joelhos.

"Bom Deus." Emma tinha certeza de que ia morrer a qualquer segundo agora. A pele cor de oliva parecia incrivelmente convidativa, ela olhou para Regina quando ela saiu de suas calças. "Você é linda", ela disse timidamente quando se levantou novamente.

"Obrigada" Regina sorriu. "Adivinhe o que vem a seguir", disse Regina quando se virou e olhou para Emma por cima do ombro.

"Eu não posso."

"Você irá."

Emma respirou fundo antes de abrir o sutiã e imediatamente deu um passo para trás.

Regina riu quando ela tirou as alças de seus ombros e jogou o sutiã na cadeira. Ela cobriu os seios com o braço e caminhou até a cama. "Você não pode usar sapatos na minha cama, Emma," Regina disse enquanto se movia para se deitar de barriga para baixo.

"Certo," Emma disse quando ela tirou os próprios sapatos, os olhos fixos no corpo na frente dela. Regina estava absolutamente deslumbrante e o mero pensamento de Regina estar praticamente nua, além de sua calcinha, fez Emma se perguntar como diabos ela iria passar por isso. Houve um leve baque entre suas pernas enquanto ela se arrastava em cima da cama.

"Há uma garrafa de óleo na minha mesa de cabeceira", disse Regina.

Emma se inclinou e abriu a gaveta e não pôde deixar de bufar: "Isso não é tudo o que está lá!" Ela pegou a garrafa e fechou a gaveta novamente. "Você não tem vergonha", brincou ela.

"Como se você não tivesse nenhum brinquedo na sua mesa de cabeceira", retrucou Regina. Ela esperou que Emma fizesse o próximo movimento, não querendo deixá-la mais desconfortável do que provavelmente já estava.

"O que eu faço agora?", Emma disse calmamente enquanto virava a garrafa em suas mãos.

"Eu recomendo que você comece a colocar suas mãos em bom uso", disse Regina severamente.

Emma raspou a garganta: "Eu posso-"

"Sim."

"Sério", Emma murmurou. "Você nem sabe o que eu ia perguntar."

"Monte em mim, Emma."

A declaração não deixou espaço para discussão e verdade seja dito que era exatamente o que Emma queria perguntar. Ela moveu-se para montar em Regina e engoliu em seco enquanto destampava a garrafa e esguichava óleo em suas mãos. Ela esfregou as mãos para aquecer o óleo enquanto seus olhos examinavam cada curva das costas de Regina.

"É só uma massagem", Regina disse mais gentilmente dessa vez.

"Certo," Emma assentiu antes de mover as mãos para os ombros de Regina. Ela deslizou as mãos por toda a parte inferior das costas de Regina e mordeu o lábio inferior quando Regina fez um som de aprovação. "Está tudo bem?", Emma perguntou enquanto aplicava mais pressão antes de deslizar as mãos de volta para os ombros de Regina.

"É perfeito", Regina murmurou. "Suas mãos são muito macias." Ela gemeu quando Emma amassou os ombros, "Se você continuar assim, você definitivamente vai receber uma recompensa mais tarde".

Emma riu enquanto usava os polegares para esfregar os nós nas omoplatas de Regina, "E qual será a minha recompensa?"

"Eu ainda estou pensando naquilo," ela inalou agudamente quando as mãos de Emma deslizaram abaixo seus lados, antes de ela rolou a pele entre seus dedos. "Eu suponho que isso depende."

"Do que?" Emma sussurrou enquanto pegava a garrafa mais uma vez, ela queria mais óleo, amando a maneira como brilhava na pele de Regina. Ela esguichou o óleo diretamente nas costas de Regina e riu quando Regina assobiou antes de espalhar o óleo com os dedos. Ela amava o quão sensível Regina era ao seu toque enquanto ela amassava a pele e sua boca se tornava cada vez mais seca com cada som de prazer que surgia da garganta de Regina.

"Depende do que você quer, Emma. Eu sei o que quero, mas não tenho certeza se você está pronto para isso." Ela gemeu baixinho quando Emma moveu seu corpo mais abaixo pelas pernas de Regina e involuntariamente empurrou seus quadris quando os dedos de Emma massagearam suas costas. "Deus, isso é bom", ela suspirou. "Eu posso fazer você fazer isso todas as noites antes de irmos dormir."

Emma riu enquanto aplicava mais pressão à pele macia sob seus dedos. Ela estava absolutamente encantada com a maneira como Regina quase parecia se contorcer sob seu toque. "O que você quer?" Ela voltou para o corpo de Regina e se acomodou em sua bunda quando suas mãos deslizaram até os ombros novamente. Ela afastou o cabelo do pescoço de Regina antes de usar os polegares para acariciar e examinar a pele.

"Eu vou te contar mais tarde" Regina murmurou. Os dedos de Emma trabalharam sua pele como mágica. Cada última tensão que ela sentiu se filtrou quando os dedos de Emma amassaram, acariciaram e sondaram sua pele. Ela tomou consciência da umidade que se formava entre suas pernas enquanto os dedos de Emma escovavam mais e mais, até subirem de novo. Ninguém jamais a fez se sentir assim e ninguém jamais poderia tocá-la assim. Ela nunca se expôs a alguém como estava fazendo com Emma neste momento, "Você é uma boa menina, Emma".

Emma sorriu timidamente, feliz que Regina não pudesse ver seu rosto. "Obrigada", ela sussurrou enquanto se levantava.

"Onde você pensa que está indo?"

Emma riu: "Em nenhum lugar. Apenas me reposicionando".

Regina não pôde parar o gemido que veio de dentro dela quando Emma se sentou na beira da cama e massageou a sola de seus pés. Foi um momento de absoluta felicidade quando os dedos de Emma se moveram de um pé para o outro, antes de seguirem para suas panturrilhas.

Emma tornou-se cada vez mais ousada enquanto passava as mãos pelas pernas de Regina, até as coxas. Ela entendeu por que Regina tinha falado em deixar verrugas vermelhas em sua pele quando eles entraram no salão de jogos. Arrastando as unhas nas pernas de Regina, era algo que ela provavelmente nunca faria, mas Deus, ela queria. Ela queria sentir Regina se contorcer debaixo dela, ela queria ver os vergões aparecerem em sua pele, antes de traçá-los com sua língua enquanto seus lábios mordiscavam a pele. Ela queria dar a Regina muito prazer e ela não podia esperar pelo dia que Regina deixaria.

Emma pensou que ia desmaiar quando Regina se virou quando as mãos de Emma deixaram sua pele por um momento para pegar a garrafa novamente. "O que você está fazendo?"

Regina sorriu e inclinou um dedo para chamar Emma mais perto, "Deite-se, Emma e feche os olhos."

Emma sabia que não era um pedido e felizmente obrigada quando se deitou ao lado de Regina, seu coração batendo no peito quando ela fechou os olhos.

"Obrigada pela minha massagem, Emma. Você fez maravilhosamente," Regina disse como ela própria em um cotovelo e traçou a mandíbula de Emma com seu dedo indicador. "Eu acho que você merece uma recompensa, não é?"

Emma assentiu: "Definitivamente!" Ela estava convencida de que era isso, esse seria o momento em que Regina iria beijá-la. Ela merecia isso depois de tudo.

Regina riu: "Você já recebeu uma massagem, Emma?"

"Nunca", Emma disse suavemente.

"Bem, há algo especial sobre os dedos delgados que penetram em sua pele. Você fez um trabalho realmente esplêndido, eu me sinto incrivelmente relaxada, mas agora tenho essa dor que eu preciso cuidar."

Emma parou de respirar quando sentiu Regina se mover em cima dela, escarranchando-a. "O-oh", ela gaguejou.

"Você me fez sentir bem, Emma, mas eu quero me sentir ainda melhor." Ela agarrou a mão de Emma e prendeu-as sobre a cabeça, "Você está bem?"

Emma assentiu. "Porra."

"Qual é a sua palavra de segurança?"

"Wingardium Leviosa."

"Quando você o usa?"

"Quando eu quero que você pare," Emma resmungou.

"Você vai manter os olhos fechados, entendeu?"

"Sim."

Regina sorriu: "Eu quero jogar um jogo com você. Você quer brincar, Emma?"

"Sim."

"Boa menina. Você não vai falar, a menos que eu faça uma pergunta direta, entendeu?"

"Sim."

"Eu quero que você me chame de 'Senhorita' quando eu brincar com você, Emma. Você pode fazer isso por mim?" Regina ronronou quando ela se inclinou para frente e sussurrou roucamente no ouvido de Emma. "Você pode me chamar de 'senhorita'?"

A respiração de Emma ficou irregular quando ela ouviu as palavras de Regina. Ela sabia que havia apenas uma resposta correta, mas ainda assim a surpreendeu quando caiu de seus lábios: "Sim, senhorita".

"Boa menina. Você não tem ideia do quanto isso me agrada, Emma", Regina apertou as coxas quando seus olhos fecharam brevemente, ela foi tomada pelo desejo. "Você quer que eu pare?"

"Não", Emma se contorceu.

"Não o quê?"

Emma mordeu o lábio. "Não, senhorita." Seus quadris empurraram involuntariamente contra as coxas de Regina, o leve pulsar entre suas pernas aumentando a cada segundo. Ela tinha certeza de que estava molhada.

"Você me deixou molhada, Emma" Regina murmurou enquanto deslizava um dedo dentro do cós da calcinha. "Ninguém me deixou molhada. Eu brinquei com tantas pessoas, mas elas nunca me fizeram doer de desejo do jeito que você me faz doer". Ela gemeu baixinho enquanto deslizava o dedo pelas dobras molhadas.

Emma tinha certeza de que ela estava sonhando ou morrendo. Ela não tinha certeza de qual deles e achava difícil se importar.

"Abra sua boca, Emma," Regina rosnou quando ela tirou o dedo da calcinha. Ela ficou incrivelmente satisfeita quando os lábios de Emma se separaram. "Prove-me", ela sussurrou traçando os lábios de Emma com o dedo, antes de deslizá-lo dentro da boca de Emma.

Emma gemeu alto quando seus lábios se fecharam ao redor do dedo, sugando-o com toda a força. Ela choramingou quando o dedo foi puxado de sua boca. Sua língua saiu de sua boca e traçou seus lábios, ansiosa por mais.

Regina tirou a outra mão das mãos de Emma. "Mantenha-os lá", ela murmurou antes de usar a mão para segurar a bochecha de Emma, enquanto seu polegar traçou os lábios de Emma. "Uma garota tão linda que você é. Eu me pergunto se sua boca é tão talentosa quanto seus dedos. Diga-me, Emma. É?"

Emma engasgou, "Eu-eu .. Talvez? Sim".

Regina riu: "Você está nervosa, pequena?"

"Porra", Emma sussurrou quando sentiu o rubor se espalhar em seu rosto. "Sim, senhorita."

"Você quer descobrir?"

Emma perdeu toda a capacidade de falar enquanto assentia.

"Palavras, Emma."

"Por favor."

"Boa menina", Regina sorriu quando colocou o dedo dentro da calcinha dela novamente e circulou seu clitóris, "Mas você não vai usar a sua boca." Um gemido gutural escapou de sua garganta: "Você nem vai usar os dedos". Ela aplicou mais pressão e esfregou o clitóris mais rápido: "Você nem vai me tocar". Ela tremeu contra Emma, "Você está molhada, Emma?"

"Sim, senhorita", Emma gritou. Ela queria tocar Regina mais do que queria que Regina a tocasse. Ela ansiava por isso e Regina a negando a coisa que ela mais queria a deixava absolutamente insana.

Regina sorriu, "Você quer vir, Emma?"

"Por favor", ela suspirou. Ela queria deslizar seus próprios dedos dentro de sua calcinha, desesperada por alguma liberação e quando Regina riu ela sabia que não ia acontecer.

"Você quer que eu venha?"

Emma assentiu, incapaz de falar. O jeito que Regina se contorcia contra ela a deixava louca, ela podia sentir o leve movimento do dedo de Regina enquanto roçava suas calças de moletom de vez em quando.

"Palavras, Emma. Você quer me ouvir gozar?"

"Sim, senhorita... por favor."

Regina gemeu alto: "Hm, você é uma boa menina".

Emma perdeu completamente quando a respiração de Regina se tornou mais irregular quando seus gemidos se intensificaram. Ela não queria mais nada além de ver Regina, para ver os rostos que ela fez quando veio.

"Foda-se", Regina assobiou quando ela esfregou seu clitóris mais rápido e enfiou o dedo dentro da boca de Emma. "Use sua língua."

A língua de Emma circulou o polegar e bateu contra ele enquanto ela chupava ainda mais em sua boca.

"Mais," Regina exigiu, apreciando completamente a sensação da língua e dos lábios de Emma quando ela chupou o polegar e jogou a cabeça para trás enquanto seu orgasmo ondulava através dela. Ela afivelou-se contra Emma enquanto se afastava das ondas de choque que pulsavam em seu corpo. "Você vê o que você faz comigo, Emma", ela sussurrou. "Você me faz sofrer por você, desejo seu toque e quero tocar em você, Emma." Ela desabou contra Emma e tirou as mãos da calcinha e da boca de Emma, sua língua foi para fora e lambeu a pele nua do ombro de Emma antes de sugá-la em sua boca.

Emma gemeu alto e gritou quando os dentes de Regina substituíram seus lábios.

"Abra seus olhos, Emma," Regina exigiu enquanto usava uma mão para se sustentar. Ela sorriu quando Emma olhou para ela timidamente: "Você é uma menina tão boa, Emma. Você merece uma recompensa real. Diga-me o que você quer."

"Me beije."

Regina sorriu: "Pergunte-me bem".

"Por favor, beije-me, senhorita", Emma murmurou, enquanto seus olhos se encobriam. Ela precisava de Regina para beijá-la, ela precisava senti-la perto. Ela sofria por seu toque e queria libertar-se do pulsar entre suas pernas, mas não havia mais nada do que desejava do que sentir os lábios de Regina nos dela. "Por favor, eu preciso de você."

Regina rapidamente segurou sua bochecha antes de concordar e ela pressionou seus lábios sobre os de Emma. Sua língua saiu de sua boca e traçou o lábio inferior de Emma antes que seus lábios se separassem quando ela capturou completamente a boca de Emma com ela própria.

O beijo terminou assim que começou e quando Emma choramingou, Regina riu e rolou para fora de Emma, puxando a garota para perto dela em um abraço. "Você foi incrível, Emma. Estou tão orgulhosa de você." Ela pressionou um beijo na testa de Emma enquanto a garota se agarrava a ela. "Obrigada pela minha massagem."

"De nada", Emma timidamente disse. Ela não tinha outras palavras, seus olhos pareciam pesados quando ela pressionou mais apertado em Regina. "Estou com sono", ela murmurou.

"Durma, baby", Regina disse enquanto esfregava as costas de Emma. "Durma e sonhe comigo".


Notas Finais


Provavelmente voltarei domingo ou segunda, pois não estou com muito tempo essa semana e preciso organizar e revisar os capítulos.
Porém, com esse capítulo, damos um passo a mais na nossa história <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...