História Shadow of Your Love - Slaxl - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Guns N' Roses, Slash
Personagens Axl Rose, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, Personagens Originais, Slash, Steven Adler
Tags Axl Rose, Duff, Izzy, Slash, Slaxl, Steven, Yaoi
Visualizações 118
Palavras 944
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


PESSOAS LEIAM AQUI AAA
RECADOS:
🔫 Então, gente, esse capítulo foi mais pra introdução do personagem que vai entrar, ( não vou dar spoiler ), o próximo vai ser MUITO fofo, eu garanto pra vocês! TALVEZ eu escreva ele hoje, e poste ainda hoje. Vou ver como vai ser.
🔫🌹 Guns n' Roses tá chegando...
🌹Boa leitura 🌹

Capítulo 3 - Drunk, But Cool


Fanfic / Fanfiction Shadow of Your Love - Slaxl - Capítulo 3 - Drunk, But Cool

POV Axl Rose

- Você o que?! Não! Cala a boca, Saul! - Eu balancei a cabeça, representando negação. As palavras dele ecoavam na minha cabeça de um jeito estranho. Eu o encarava boquiaberto. Saul estava com seu sorriso característico no rosto, me encarando fixamente nos olhos.

- Eu te amo, Axl... William.

- Não. Você não me ama e não sabe do que está falando. Você está bêbado e delirando. Precisamos ir pra sua casa.

- Qual é... Vai dar uma de mãezona? Eu ainda nem injetei nada...

- E nem vai! Puta que pariu, você precisa dormir urgentemente... - Revirei meu olhos e os rolei pelo bar, procurando a porta de entrada/saída. Se eu não tirar ele daqui é capaz de ele entrar em um princípio de coma alcoólico... Continuei a procurar a porta, havia muita gente no local. Bêbados e drogados, pra ser mais exato. O cheiro de maconha estava exalando pelo ar, e eu não iria me queixar, era algo agradável, com certeza para Saul também era, mas ele não pode ficar aqui. Vai piorar se ficar.

- O que você está tanto procurando? - Ele perguntou em um tom baixo, mas suficientemente alto para que eu ouvisse.

- Nada, não é nada... - Menti.

- Ok, então acho que não vai se importar se eu beber mais alguma coisa antes de irmos, certo?

- Não vou me importar desde que essa porra de "coisa" seja água. - Eu respondi firme. Ele não disse nada, apenas continuou bebendo, e eu, continuei procurando. Para minha surpresa, quando a achei, alguém estava adentrando o local. Eu não consegui reconhecer, ou até mesmo ver o rosto, os cabelos da pessoa o tampava... Os cabelos... Esses eu reconheço, muito bem. A pessoa veio se aproximando do balcão, onde eu e Saul nos encontrávamos, e quando ela se virou, eu pude ver, era mesmo quem eu esperava que fosse: Izzy.

- Uma Jack Daniels, por favor... - Izzy, que até então não havia notado a minha presença, pediu para o garçom com um sorriso simpático, que só ele sabia fazer.

- Vejo que não perdeu os velhos costumes, Stradlin...

- Como sabe meu... William?! Porra! - Ele se aproximou de mim e nós nos abraçamos. Fazia alguns meses que eu não via esse filho da puta... - Por onde você andou, caralho?

- Bom, as pessoas andam pelo chão, normalmente... - Brinquei.

- Eu estou falando sério... Porra! Faz tempo que não nos vemos! E... Quem é o arbusto que está com você? - Izzy perguntou curioso, encarando Saul, que estava com a cabeça deitada de lado, brincando com os próprios dedos.

- É uma longa história... - Eu suspirei e o encarei também. - E por falar nele, eu preciso de sua ajuda. É sério.

- Te ajudar? Em que? Você quase nunca tem problemas tão graves. Normalmente é algo como: "Eu estou de TPM, compre absorventes pra mim, Izzy? " - Ele tentou fazer essa incrível interpretação da minha voz, que parecia mais um Exu do que a própria. Izzy pode ser insuportável quando quer.

- Eu tô falando sério, filho da puta! Isso envolve esse cara!

- Ok, me desculpe. Mas eu só posso te ajudar se você me contar ao menos quem é o arbusto.

- Ok, merda... Vou resumir tudo o máximo que eu puder. - Eu contei tudo, ainda que sim, resumidamente, do que aconteceu desde o momento que conheci Saul até aquele momento. - E agora eu estou aqui com um bêbado louco, sem saber o que fazer. E você vai me ajudar, não é?

- É claro que sim. - Ele sorriu simpaticamente e intercalou seu olhar entre eu e Saul. - Bom, deixá-lo aqui não é uma opção, certo?

- Claro que não! Sem nenhuma chance de deixarmos ele aqui!

- Ok, vamos pensar, então... Bem, sua casa é um pouco longe daqui, não é?

- Sim, um pouco, mas também não é uma opção. Os filhos da puta devem estar em casa, e... É, você sabe. Não.

- É, eu sei... Tudo bem, então. Talvez eu tenha outra opção, mas... - Eu fiz menção de gritar um "fale logo!", mas Izzy levantou a mão, e eu deixei que ele falasse. - Continuando... Eu preciso saber se esse cara é confiável.

- Bem, é... - Eu cruzei os braços, realmente pensando nisso. Eu havia conhecido Saul hoje, ele parecia ser alguém legal, de bom coração... Mesmo o conhecendo pouco, não parece ser uma pessoa maldosa. Eu preciso ajudar ele e vou fazer de tudo. - Sim. Totalmente.

- Você conheceu ele hoje, William.

- Eu sei. Mas eu sei do que estou falando.

- Eu confio em você. Se ele quebrar alguma coisa na minha casa, você vai ver. - E com essas poucas palavras, eu entendi o que ele quis dizer. Cederia sua casa, por essa noite ao menos. Se não fosse ele, não sei o que eu faria.

- Eu não sei como agradecer. - Eu não gosto de falar "obrigado", mas ele já se acostumou.

- Eu sei. Paga mais uma garrafa pra mim.

- Mercenário... - Eu revirei os olhos e deixei 14 dólares no balcão, ao lado dele.

- Mais 14, Sr. William.

- Mais? Caralho, você acha que eu sou o que?

- Bem, esses 14 foram por passar a noite na minha casa. Agora, os outros 14... - Ele apontou para Saul, o que me fez olhar para ele rapidamente. Ele estava dormindo. Só faltava roncar. - Vai ser por te ajudar a carregar o arbusto.

- Ótimo... - Eu coloquei mais 14 dólares na mesa, os meus últimos, me levantei. - Vamos lá.

Continua...


Notas Finais


Espero muito que tenham gostado... Comentem, yay! 🔫🌹❣️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...