História ShadowHunters - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sasusaku
Visualizações 179
Palavras 4.336
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vollllltei mi amores ^^

Espero que gostem do capitulo.

Boa Leitura...

Capítulo 3 - Três pessoas podem guardar um segredo...


Fanfic / Fanfiction ShadowHunters - Capítulo 3 - Três pessoas podem guardar um segredo...

 

- O que? – Sakura indagou surpresa – Gravida? Ficou maluca mãe?

- Se não tem com o que se preocupar então vamos até o laboratório e confirmamos isso agora mesmo.

- Estamos no meio de um ataque e a senhora quer fazer um exame de gravidez em mim?

- Ora Sakura, deixa de bobeira. Os melhores caçadores estão defendendo o instituto, precisaria de uma legião inteira para saquear esse lugar.

Sakura bufou irritada, jamais tinha pensado na possibilidade de ficar gravida. Claro, eles estavam bem relapsos ultimamente, mas ainda sim não conseguia formular a ideia de uma gravidez em sua cabeça.

- Vamos – Kushina puxou a filha até o elevador e aperto o botão do laboratório – Francamente, eu esperaria isso da Ino ou do Naruto... mas você? – ela suspirou – Pensei que Sasuke fosse mais responsável.

Sakura arregalou os olhos e mirou a mãe.

- Sasuke?

- Se existe um pai para essa criança, eu tenho certeza que ele é o Sasuke.

- O que? – Sakura estava estupefada, desde quando sua mãe sabia sobre os dois – Desde quando...

- Sakura, eu não sou idiota. Praticamente criei vocês dois, uma mãe sempre sabe o que acontece com seus filhos.

- Mas... e porque insistia em me casar com outro?

- Eu jamais faria o mesmo com você que meus pais fizeram comigo – ela revirou os olhos e saiu assim que o elevador parou, sendo seguida pela filha – eu apenas queria força-los a ser sinceros comigo, mas pelo visto nem minhas ameaças com a Karin colocavam medo em vocês.

Sakura sorriu olhando para o chão, como pode ser tão boba... nenhum segredo ficava escondido quanto Kushina Uzumaki estava por perto.

- Agora vamos, me de seu braço – ela pegou uma seringa e Sakura suspirou entregando a veia sem discussão. A ruiva pegou o sangue e colocou em uma lamina de vidro, em seguida pegou sua estela e passou pelo liquido viscoso que, instantaneamente ficou roxo – Parece que eu vou ser avó.

- Pelo anjo – Sakura disse surpresa, ainda acreditava que sua mãe estivesse errada – O que eu vou fazer?

- Sinceramente? – Kushina a olhou seria – eu espero que façam a coisa certa. Já fizeram muita besteira de ontem para hoje... e além do mais...

Um barulho estrondoso fez as duas se calarem e correrem até o elevador. Sakura empunhou as adagas enquanto Kushina pegava seu chicote, uma das armas mais letais dos caçadores. Entretanto quando o elevador abriu não viram ninguém, apenas passos apressados para a sala principal.

Eles entraram no instituto correndo levando Ino o mais rápido possível para um lugar seguro.

- O que aconteceu? – Kushina disse desesperada ao ver o estado em que a filha estava, nem se preocupava em ver Vampiros, feiticeiros e lobos dentro do instituto – Minha filha....

- Gaara – Sakura disse – o que aconteceu?

- Estávamos cercados – ele disse depositando o corpo da jovem em uma mesa – eles atacaram por trás.

A pele branca de Ino estava tomada por veias grossas e roxas, a boca estava manchada de sangue e ela parecia estar febril.

- O veneno está chegando ao coração – Naruto disse tentando inutilmente passar a estela sobre a runa de cura – nem a runa está funcionando... ela está morrendo.

- Não... – Sakura sentiu o coração apertado e os olhos cheios de lagrimas, não poderiam perder sua irmã – é minha culpa, eu deveria estar lutando no lugar dela...

- Ninguém tem culpa – disse Kakashi.

Gaara olhava incomodado de um lado para o outro, se demorassem mais a garota iria morrer. E ele não iria se culpar pela morte de mais uma pessoa.

- Tenha paciência... ela está morrendo – ele tomou a frente, com as presas cortou a carne em seu pulso e colocou na boca da garota.

- O que está fazendo? – Kushina disse desesperada.

- Salvando a vida da sua filha.

Hinata olhou para o primo e depois para Kakashi, se Ino sobrevivesse ao sangue de um vampiro ela voltaria a vida, porém seria uma recém criada e ninguém sabe bem como um shadowhunter seria como vampiro.

Aos poucos Ino foi voltando a coloração normal, as veias foram retrocedendo e a ferida em seu abdômen desapareceu. Gaara se afastou e viu o próprio pulso se curar, agora estava feito.

- E agora? – Sasuke fez a pergunta que todos queriam fazer.

- Quando ela acordar ainda será uma caçadora – o ruivo disse – porem em 48 horas o organismo dela vai começar a pedir por sangue, vocês terão duas escolhas... ou deixa-la morrer ou entrega-la para mim, eu prometo que irei cuidar dela até que ela aprenda a se controlar.

- Isso quer dizer que ela vai se transformar em uma vampira? – Kushina disse com os olhos cheios de lagrimas.

- Tecnicamente sim, por ter sangue de anjo algumas coisas serão diferentes... mas ainda não posso afirmar com certeza – ele suspirou e olhou para Sakura – é importante explicar a situação para ela, já que se ela se alimentar, essa será sua vida por toda a eternidade.

Todos ficaram em silencio e Kakashi suspirou.

- Já fizemos o que tinha que ser feito, se encontrarmos o cálice entramos em contato.

Hinata sorriu para Naruto e seguiu o resto dos lobos. O loiro engoliu em seco e suspirou, aquela feiticeira o fazia sentir coisas estranhas e ele não sabia se gostava disso.

- Gaara – Sakura disse – Obrigada.

Ele assentiu.

- Espero que façam a escolha certa, sua irmã não merece morrer assim.

Eles saíram deixando apenas os caçadores em volta de Ino. Sakura e Naruto ficaram responsáveis por cuidar da irmã até que ela acordasse. Enquanto isso Sasuke iria reportar a corte o ataque junto com Kushina e Minato.

 

{...}

 

Algumas horas depois, Ino começou a se mexer. Naruto se levantou rapidamente e se posicionou ao lado da irmã. Sakura acordou de seu transe e fez o mesmo, ela ainda não sabia como contar a Sasuke sobre a gravidez, mas sabia que precisava agir rápido. Sua mae não costumava guardar segredos por muito tempo.

- Merda – Ino reclamou e abriu os olhos – o que aconteceu?

- Você foi atingida – Naruto disse – Irmã, você esta bem?

- Acho que sim, nossa – ela se levantou – parece que um caminhão passou por cima de mim.

- Ino – Sakura a chamou – precisamos conversar.

Pela expressão dos irmãos, a loira se preocupou.

- Ai caramba, não me fala que eu fiz merda durante a batalha? Acho que fiquei distraída com aquele vampiro bonitinho.

- Não Ino – Naruto disse – Você foi ferida e Gaara te trouxe aqui, acontece que o veneno estava se espalhando muito rápido e nem sua runa de cura estava funcionando. Nós estávamos te perdendo, não sabíamos o que fazer.

Ino franziu o cenho nervosa, não estava entendendo.

- Gaara salvou sua vida, ou... quase.

- Testuda, o que aquele vampiro fez comigo?

- Ele te deu o sangue dele.

Ino arregalou os olhos surpresas.

- Então... eu sou uma vampira?

- Ainda não – Naruto disse segurando a mão da irmã – Você tem 48 horas para decidir.

- Decidir se eu quero me tornar vampira ou não? – ela disse confusa – Eu tenho escolha?

- Em 48 horas seu corpo vai começar a pedir por sangue, se você não se alimentar... bem – Sakura suspirou – você morre.

- ah ta! – ela começou a andar pelo quarto – Então pelo visto eu estou entre a cruz e a espada, ou decido morrer como uma caçadora digna ou ressurjo como uma sugadora de sangue amaldiçoada por toda a eternidade... Ótimas opções.

- Eu sei que é egoísmo da minha parte – Naruto se aproximou da irmã – mas eu prefiro ver você como uma vampira do que nunca mais poder te ver.

Ino suspirou.

- Pelo menos o Uchiha bonitão conseguiu uma aliança entre nós – ela fez uma careta – mesmo sendo um ser magico ainda poderei trabalhar com vocês.

- Nunca deixaremos de ser uma família – Sakura puxou os dois para um abraço – independente do que aconteça daqui pra frente, ainda seremos nós e nada nesse mundo ou em outro irá nos separar.

- Concordo com a Sakura – Naruto disse – estamos com você não importa a decisão que você tomar.

- Isso é lindo – ela sorriu e limpou os olhos marejados – Porque eu não to afim de morrer.

- Agora vamos – Sakura disse – mamãe vai embora daqui algumas horas e quer conversar com todos antes de ir.

- Como sempre – Ino bufou – Espera, dessa vez ela não vai poder me arrastar para Elissium com ela.

- Não – Naruto riu – pela primeira vez em um século nós três estaremos juntos em Londres por tempo indeterminado.

- Espero mesmo que isso seja uma coisa boa – Sakura riu e saiu do quarto sendo seguida pelos irmãos.

Assim que chegaram a sala de controle, Kushina e Minato estavam terminando de conversar com Sasuke. Os membros da corte e a equipe de Karin também estavam presentes.

- Ino – Kushina correu para abraçar a filha – Que bom que esta bem meu amor.

- Mamãe – ela disse nervosa – se eu decidir me tornar uma vampira, vocês ainda vão me amar?

Kushina sorriu.

- É claro que não era o que eu sonhava para você, mas nada nesse mundo vai me fazer te amar menos. Seu pai e eu estaremos com você em qualquer escolha que fizer.

- ótimo – ela sorriu com os olhos marejados – Eu amo vocês.

- Eu também amo vocês, mas agora... – ela respirou fundo e limpou os olhos – Vamos voltar para a corte em duas horas e preciso deixar o instituto em ordem. Karin, você irá para Elissium comigo, Ino não poderá mais entrar na corte se decidir se tornar uma vampira e eu preciso de uma sensorial a minha disposição.

- Vocês não vivem se gabando de que a Sakura é a melhor sensorial? Porque não levam ela? – a ruiva disse de braços cruzados.

- Os poderes sensoriais de Sakura só irão voltar ao normal quando ela completar quatro meses de gestação, antes disso eles vão oscilar e eu não posso correr esse risco.

Todos olharam para Sakura surpresos e Sasuke sentiu o coração parar de bater. Já Sakura, apenas suspirou e olhou para a mãe.

- Essa era a maneira discreta de anunciar minha gravidez?

- Ah, desculpe querida – Kushina disse constrangida.

- Grávida? – Minato disse – Mas como?

- Pai, essa não é a melhor pergunta – Naruto fez uma careta.

- Digo – ele respirou fundo – Minha princesa, eu... eu... eu nem sei o que dizer.

- É melhor ninguém dizer nada – Sakura cruzou os braços – a única coisa que importa no momento é a segurança dos outros instrumentos mortais, não é mãe?

- Oh, sim – Kushina disse suspirando – Como não é bom que Sakura saia em missões externas eu gostaria que ela continuasse na administração, Sasuke.

O moreno assentiu, sem tirar os olhos de Sakura, que olhava para todos os cantos, menos para ele.

- já informamos a corte sobre todos os acontecimentos e também enviaremos caçadores para ajudar na busca pela criatura. Quanto aos pure blood – ela suspirou – não vamos reportar por enquanto, a prioridade é encontrar o cálice, todo o resto pode esperar. Karin, esteja pronta me duas horas – Kushina terminou e saiu da sala junto com Minato e os membros da corte.

Sakura suspirou, vendo que todos a encaravam esperando respostas, obviamente ela apenas deu meia volta ao dizer um simples “desculpe” e correu para o seu quarto.

 

{...}

 

Sasuke entrou no ambiente que conhecia bem e viu a rosada debruçada na sacada. Suspirou e caminhou até ela.

- Eu sei que você está aí – ela disse.

- Que bom – ele cruzou os braços e encostou na parede – Acho que mereço uma explicação.

Ela respirou fundo e se virou.

- Pelo anjo... que dia – ela mordeu os lábios – Não era para você saber daquela forma, mas minha mãe não sabe guardar um segredo.

- Quando você descobriu?

- Hoje – ela apertou os dedos em nervosismo – Minha mãe achou estranho meus poderes não estarem funcionando e insistiu para fazer um exame em mim.

- No meio de um ataque?

- E isso lá é desculpa pra ela? – Sakura sentou no banco perto da porta – Eu fiquei em pânico, mas então vocês apareceram com a Ino naquele estado... Eu queria contar para você hoje a noite, depois que todos fossem embora.

- Disse para sua mãe que eu sou o pai? – Sasuke se aproximou dela, sentando-se ao seu lado.

- Ela já sabia – Sakura revirou os olhos – disse que sabe sobre a gente desde pequenos, ou seja... antes de nós mesmos.

Ele sorriu de canto.

- eu bem que desconfiava.

- Pois é.

Sasuke suspirou e entrelaçou seus dedos nos dela.

- Então vamos ter um bebê?

- É o que parece.

Ele a puxou para seus braços.

- Eu sei que esse não é o melhor momento para termos um filho, ainda mais com essa ameaça de morte iminente – Sakura disse revirando os olhos – Mas eu estou feliz.

- Eu também estou – ele beijou seus cabelos – mas estou com medo por vocês.

- Eu prometo que vou me cuidar.

- Eu vou garantir isso pessoalmente – ele disse e ambos sorriram – Acho que agora não tem mais como esconder nosso relacionamento.

- Triste? – ela fez uma careta e ele sorriu de canto.

- Ao contrário, assim nenhum dos caçadores metidos a besta irão tentar algo com você, porque todos vão saber que você é minha e carrega um filho meu.

- Nossa, que possessivo – ela disse maliciosa e Sasuke a beijou com paixão. Não demorou para o moreno pegar o corpo da rosada e levar até a cama, os beijos começaram a ficar cada vez mais afoitos e necessitados. Com a estela, Sakura fez o sinal e trancou a porta certificando-se de que ninguém os atrapalharia.

- Parece que faz anos que eu não te toco – Sasuke disse baixo. Sakura gemeu ao sentir a mão dele entrando por debaixo de sua blusa e acariciando seus seios – O que você quer amor?

- Quero que me devore – ela disse com os olhos banhados em desejo.

- Com prazer – disse com a voz mais grave.

Com afobação eles começaram a tirar a roupa um do outro sem se importar com onde as peças iriam cair. Eles só precisavam sentir um ao outro, o mais rápido possível. Sasuke sugou o seio de Sakura sem delicadeza arrancando um gemido longo da rosada em resposta. Com agilidade, Sakura inverteu as posições e sorriu maliciosa.

- Você vai me chupar – disse rebolando em cima do membro ereto no moreno – e só vai parar quando eu gozar.

- Sim senhora – ele sorriu ladino.

Sakura virou o corpo encaixando sua intimidade no rosto de Sasuke enquanto ela mesma se deliciava com o falo ereto a sua frente, em um perfeito 69. Sem perder um segunde sequer, ela engoliu o membro o máximo que pode e sentiu a língua quente de Sasuke sugando sua intimidade com prazer. Um queria sentir e dar mais prazer ao outro, batalhando incessantemente para chegarem ao clímax mais intenso possível. Os dedos de Sasuke brincavam dentro da vagina de Sakura, enquanto a rosada quase se engasgava engolindo o máximo possível de Sasuke, nenhum deles se importavam com o tempo ou com qualquer coisa que estivesse fora daquele quarto, a única coisa que queriam era se devorar.

- Caralho – Sasuke rosnou enquanto massageava o clitóris de Sakura – Estou quase.

- Eu também – ela gemeu – continua...

Em um frenesi enlouquecedor, ambos aumentaram a velocidade de seus movimentos até se entregaram ao ápice juntos. Nenhum parou até ter sugado toda a essência do outro. Por fim, o moreno puxou o corpo da menor para ele e suspirou.

- Eu adoro o seu gosto – disse beijando seu pescoço.

- Eu também adoro o seu – ela lambeu os lábios – Isso foi muito gostoso.

- mas ainda não acabou – ele sorriu e voltou a devorar os lábios dela com mais fome do que nunca. Projetou-se para cima dela e se encaixou entre as pernas macias e torneadas. Seu membro que já estava ereto procurando por alivio novamente encontrou a entrada quente e úmida sem dificuldade, invadindo sem delicadeza.

- Aaaaaaaaaaah – Sakura arranhou as costas.

Sasuke não diminuía o ritmo das estocadas, fazendo ambos delirarem de prazer. Desde a primeira vez que se amavam os corpos reagiam a cada toque do outro. Poderia ser por causa da ligação parabatai ou simplesmente porque se amavam incondicionalmente, mas ambos sabiam que jamais encontrariam um amor tão alucinante nos braços de outras pessoas.

- Você merece ser castigada por não me contar sobre o nosso bebe primeiro – disse mordendo o pescoço da mesma.

Sakura revirou os olhos de prazer e mordeu os lábios.

- mas a culpa não foi minha, amor – disse gemendo – aaaah.

- mesmo assim – ele sorriu malicioso – deita de lado.

Ela sorriu ainda mais maliciosa e deixou-se ser colocada de lado como uma boneca de pano. O moreno voltou a penetrá-la com força, enquanto apertava um de seus seios e beijava o pescoço alvo. Desse jeito, ele conseguia atingi-la ainda mais fundo, causado sensações intensas para ambos.

- Nossa, assim está muito bom – ela gemia e quase rasgava os lençóis da cama.

- e se eu fizer assim? – ele desceu a mão até alcançar o clitóris rígido e estimulá-lo com movimentos circulares. Sakura sentiu a respiração ficar ainda mais ofegante e o prazer intensificar-se ainda mais – se continuar me apertando assim eu não vou conseguir me segurar por muito tempo.

- oooh Sasuke... não para, amor... aaaaah por favor.

Ele riu do desespero da companheira e começou a morder a pele alva de seu ombro, concentrando-se ainda mais em seu prazer. E em outra explosão de prazer, Sasuke se derramou completamente dentro dela, sentindo ser esmagado ainda mais pelas paredes vaginais da rosada enquanto ela mesma se entregava a um orgasmo intenso.

Ficaram inertes até suas respirações voltarem ao normal. Com gentileza, Sasuke saiu de dentro dela e a puxou para um abraço gostoso.

- Eu te amo.

- Eu também te amo – ela sorriu e o beijou com ternura – mas agora eu preciso de um banho.

- é – ele riu – acho que nós dois precisamos.

 

{...}

 

Os gritos e barulhos que vinham da sala de armas chamavam a atenção de quem passava por ali. Sasuke, que estava com um sorriso de orelha a orelha nem havia prestado atenção na confusão que começava em seu instituto, até que Naruto passou procurando por ele.

- Finalmente te encontrei teme.

- O que aconteceu?

- a Karin está discutindo com a mamãe na sala de armas, pelo anjo, eu nunca pensei que estaria vivo para ver alguém desafiar dona Kushina dessa forma.

Sasuke estranhou e correu até o final do corredor, onde os gritos ficavam ainda mais altos. Quando chegou na sala, Suigetsu e Juugo seguravam a ruiva mais nova que parecia transtornada. Já a mais velha permanecia imóvel na entrada da sala como os braços cruzados e uma expressão nada boa.

- O que está acontecendo aqui? – o moreno disse autoritário fazendo todas os olhares se voltarem para ele.

- Sasuke, meu amor... fala para essa bruxa que nós não podemos ficar separados. Ela não pode me arrastar para a corte como se eu fosse um dos soldadinhos dela.

Sasuke suspirou e cruzou os braços.

- Karin, todos sabemos que a Kushina é a responsável pelos institutos da Europa, se ela quiser pode me tirar do cargo a hora que quiser, ninguém aqui está acima da autoridade dela, muito menos você.

- Mas Sasukezinho, não podemos ficar separados.

- Karin – Sasuke disse mais sério – pela última vez, nós nunca tivemos e nem nunca teremos envolvimento algum, tira isso da sua cabeça.

A ruiva arregalou os olhos, mesmo a rejeitando o Uchiha jamais a tratou dessa forma. Os caçadores que estavam assistindo a discussão começaram a olhá-la de forma zombeteira e ela se irritou ainda mais.

- Mãe? – Sakura apareceu – Por que estão todos na sala de armas?

- Agora sim, o circo está completo – Karin soltou os braços dos amigos de time e sorriu irônica – Eu sabia que você era uma vadiazinha chiclete, mas abrir as pernas para qualquer um e engravidar assim, caramba... você se superou.

Sakura respirou fundo e sorriu.

- Karin o pai do meu filho não é da sua conta, preocupe-se apenas com o papelão que está fazendo agora na frente de todos do instituto.

A ruiva riu.

- Claro que não é da minha conta, você deve estar tão envergonhada por engravidar de um zé ninguém que não quer falar sobre o bastardinho em seu ventre.

Sasuke tomou a frente de Sakura com os olhos vermelhos e disse completamente irritado.

- Jamais chame o meu filho de bastardo.

A maioria presente já tinha as suas dúvidas, mas depois da explosão de Sasuke todos ficaram surpresos. Sakura sorriu ainda mais afrontosa e cruzou os braços. Karin estava com os olhos arregalados e cheios de lagrimas, era visível como aquela constatação sobre Sasuke e Sakura realmente terem um relacionamento havia afetado a ruiva.

Naruto olhava para o melhor amigo e irmã ainda surpreso, assim como Ino e seu pai. Entretanto a calma e o sorriso no rosto de Kushina denunciava que a mesma já soubesse.

- Primeiro a mamãe vem com a noticia de que você esta gravida e agora o teme é o pai? – Naruto disse – Por quantos anos vocês esconderam isso de mim?

- Naruto... – Sakura se virou para o irmão.

Sasuke respirou fundo e seus olhos voltaram ao normal, olhou para a expressão no rosto do amigo e se sentiu imensamente culpado.

- Dobe, eu...

Naruto saiu os deixando falando sozinho. E quando eles foram atrás dele, Ino os impediu.

- Não, não... ele precisa de um tempo. Acho que todos precisamos.

- Karin – Sasuke a olhou sério – Quando o portal para Elissium se abrir, você vai passar por ele e só vai voltar a Londres quando Kushina permitir, jamais questione as ordens de um superior. O resto de vocês – Sasuke olhou envolta – tenho certeza que todos tem trabalho a fazer.

Aos poucos todos foram se afastando, até mesmo Karin que foi levada por Suigetsu para seu quarto.

- Acho que precisamos conversar meu jovem – disse Minato.

Sasuke assentiu.

 

[LAGO SERPENTINE]

 

Naruto admirava as águas tranquilas e cristalinas no lago enquanto tentava deixar os sentimentos em seu peito serem levados pela correnteza. Estava tão absorto em seus próprios pensamentos que nem viu uma bela morena de aproximar.

- Então você também vem aqui para pensar? – a voz macia e envolvente de Hinata o tirou do transe.

- Só quando as pessoas me magoam – ele sorriu triste – Obrigado por nos ajudar hoje, se não fosse você fechando aquela fenda eu nem sei o que teria acontecido com o instituto.

- Realmente – ela sorriu – Por que está aqui sozinho?

- Descobri que meu melhor amigo e minha irmã mais velha vivem um relacionamento secreto desde sabe lá Deus quando e agora estão esperando um filho.

- Está falando do Sasuke e da Sakura? – ela debruçou-se na ponte assim como ele – Qualquer um que olhasse mais atentamente veria que eles tem uma ligação forte demais, eu não imaginava sobre a gravidez, mas com certeza arriscaria um romance entre eles.

- Acho que todos percebia isso, menos eu – ele suspirou.

- Mas não é isso que te incomoda tanto né?

- Não a gravidez, ou eles serem um casal... pra ser sincero eu acho até legal os dois juntos. Mas o que me deixa chateado foi a mentira deles... nós três sempre fomos uma equipe, desde pequenos... mas de certa forma eu sempre me senti deslocado, Sasuke e Sakura são tão unidos que eu sempre os vi como a dupla perfeita e eu? – ele revirou os olhos – o ajudante café com leite.

- Café com leite? – Hinata riu – Se todos os caçadores cafés com leite lutarem como você eu vou começar a ter mais medo do instituto.

Ele riu.

- Eu sou um Uzumaki, desde sempre recebemos um treinamento mais rigoroso que os outros por sermos a família principal, eu luto muito bem com a Ino, acho que o lance de gêmeos nos dá uma vantagem, mas ela não é da minha equipe... então.

- eu sempre me senti deslocada na minha casa também – ela deu de ombros – Neji sempre foi o mais habilidoso e mais centrado, eu só queria curtir a vida e não pensar em liderar um bando de feiticeiros ingratos, mas ele não era da família principal então eu tive que assumir. Mas admito que não seria ninguém sem ele ao meu lado, eu sou muito poderosa, mas não sei nada sobre leis.

- Eu sei que essa não é uma pergunta que se faça para uma mulher, mas... – ele sorriu amarelo – Quantos anos você tem? Ouvi dizer que feiticeiros são um povo antigo.

Ela sorriu e olhou para o lado.

- realmente, comparada a você eu sou uma anciã – ela suspirou – tenho 753 anos, eu nasci no Egito, sou da linhagem do principal feiticeiro da rainha Cleópatra.

- Uau – Naruto disse impressionado – e eu achava que ter 112 anos era demais – ele riu.

- Mas é o que dizem – ela sorriu com malicia – com os anos veem a experiencia, foi um prazer reencontra-lo jovem Uzumaki. E não se preocupe sobre sua irmã, tenho certeza que eles esconderam isso por um bom motivo.

Ele riu e a viu se distanciar.

 

[INSTITUTO BETA – PARIS/FRANÇA]

 

A visão do sangue que saia dos corpos espalhados pelo enorme chão branco de marfim era assustadora. O alarme soava sem parar, porém não havia mais ninguém para defender a espada... o homem encapuzado sorriu maquiavélico e abriu a passagem secreta com o polegar do chefe do instituto que estava ensanguentado em sua mão. A imagem da espada da alma surgindo do meio da pedra era surpreendente e ele sorriu ainda mais. Agora faltava apenas um ultimo artefato magico para finalmente ter o controle sobre toda a magia nesse e em qualquer outro mundo.

Suspirou satisfeito e olhou para as linhas magicas em seu pulso, Londres seria sua última parada.

 

 

Continua...


Notas Finais


Lago serpentine - https://st2.depositphotos.com/4231041/6315/i/950/depositphotos_63154007-stock-photo-serpentine-lake-and-serpentine-bridge.jpg

*******

Revelações bombasticas kkkk AMOOOO KUSHINA!!
Espero que vocês tenham gostado tanto quanto eu, para a alegria de alguns... eu decidi estender a fic um pouco mais... por isso nao temos mais uma quantidade fixa de capitulo para o final da história!

Eu queria agradecer demais pelos comentários de vocês, isso me impulsiona a escrever ainda mais ^^

Então.... COMENTEM O QUE VOCÊS ACHAM QUE VAI ACONTECER NO PROXIMO CAPITULO :D

Beijinhos e até quinta-feira ^^ ouuu antes, tudo depende de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...