História ShadowHunters - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sasusaku
Visualizações 168
Palavras 4.334
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vorteeei!!

Com um dia de atraso, mas estou aqui...

Tenho alguns recados importantes, então nao deixem de ler as notas finais...

Espero que gostem do capítulo, Boa leitura ^.^

Ah, os comentários que nao respondi, estou indo responder agr kkkk

Capítulo 4 - ... Se duas delas estiverem mortas!


Fanfic / Fanfiction ShadowHunters - Capítulo 4 - ... Se duas delas estiverem mortas!

Ino suspirou entediada, já havia decidido ser uma vampira, agora ela precisava aceitar a ideia de que teria que alimentar-se de sangue. Sabia que os vampiros não matavam mais para se alimentar, e isso a deixava ainda mais curiosa sobre a origem do sangue que os mantinha vivos.

- Também está brava comigo? – Sakura apareceu na porta.

- Eu não – ela riu e sentou-se na cama – Sempre soube que você tinha uma quedinha pelo Uchiha delicia e vocês dois tinham um trelelê, apenas não sabia que esse lance era tão profundo.

Sakura suspirou e deitou na cama ao seu lado.

- Acho que Naruto nunca mais vai falar comigo.

- Acho difícil – a loira sorriu – sabe como aquele bobão tem o coração mole. Ele só está magoado, e com razão. Você sabe que ele sempre foi um peixinho fora d’água dentro da equipe de vocês.

- Eu sei, com o tempo o lance de parabatais e namorados secretos acabou nos afastando ainda mais do Naruto, nós sempre treinávamos em horário diferentes e bom... sempre arrumávamos um jeito de ficarmos juntos. Eu fui muito burra em pensar que isso não afetaria o Naruto.

- Bota burra nisso – a voz de Naruto as fez olhar para a porta, ele suspirou e sorriu – mas não estou mais bravo.

Ele se jogou no meio das duas irmãs e suspirou.

- Parabéns pelo bebe, ainda não sei se estaremos vivos quando ele nascer – Naruto fez uma careta – mas estou feliz.

Ino riu.

- Eu também estou feliz, preciso de uma criança para mimar e ocupar o tempo agora que serei uma vampira e estou oficialmente banida de todas as funções da corte. Nossa, eu vou ter muito tempo de sobra.

- Já decidiu quando quer ir para o castelo do conde Drácula? – Sakura indagou e eles riram.

- Eu sei que tenho 48 horas, na verdade agora só me resta umas 38... Acho melhor ir o quanto antes, não quero correr o risco de ficar aqui e surtar do nada. Já me imaginei voando na garganta de algum caçador e sugando todo o sangue dele.

Sakura e Naruto se olharam e Ino riu.

- a última parte foi brincadeira, mas acho que realmente prefiro ir para o Gaara o quanto antes. minha mala já estava pronta já que eu nem a desfiz quando cheguei a Londres...

- São dez e meia – Naruto disse – se quiser podemos te levar.

- Pode ser – ela suspirou – será que a transição dói?

Naruto e Sakura ficaram em silencio, nenhum deles sabia sobre assuntos de vampiros.

- Isso só o Gaara pode te responder – Sakura disse – e fique tranquila, por mais que eles sejam criaturas magicas e tal, nunca tivemos problemas com a família deles.

- Verdade, o clã Sabaku é o mais tranquilo da Europa, eles quase nunca estão relacionados a assassinatos ou coisas do tipo. Só não são mais de boa do que os lobos, Kakashi tem feito uma gestão e tanto como alfa.

Todos riram.

- Bem – Ino se levantou – Acho que está na hora, é muito longe?

- Não – Sakura fez o mesmo – Fica ao norte, alguns minutos de caminhada.

- Então vamos, mande um beijo para meu cunhado quando o papai acabar de massacra-lo no escritório – ela riu – eu mando mensagem assim que puder.

- não finja que isso é uma despedida – Naruto disse – ainda estamos no seu quarto.

- verdade – ela suspirou – deixa o discurso para quando vocês estiverem saindo do castelo do drácula. Será que é desrespeito ao meu líder falar isso?

Eles riram.

 

{...}

 

Quando Minato o chamou para uma conversa, Sasuke esperava tudo, menos aquilo.

- Eu sempre quis ter um neto – ele disse rindo e abraçando o Uchiha – Fico feliz por ser meu genro, Sasuke.

- Hm... Obrigado?

Ele riu e se afastou.

- Eu sei que posso ter te assustado um pouco com a forma como te chamei para a conversa, mas a verdade é que sempre imaginei que você e a Sakura acabariam juntos, então já estava meio acostumado com a ideia – ele suspirou – mas vocês foram irresponsáveis, trazer uma criança para esse mundo com uma ameaça iminente como essa que está nos assolando.

- Eu sei, também estou preocupado com isso.

Minato suspirou.

- Sasuke... eu preciso te falar uma coisa – ele se arrumou na cadeira – você sabe que eu fui parabatai do seu pai, não sabe?

Sasuke assentiu.

- Nós sempre fomos muito amigos e muito íntimos por causa da ligação, quando ele começou com a ideia de revolucionar a corte e livrar o mundo de uma vez por todas das ameaças mágicas eu quase concordei com ele – ele suspirou – Fugaku sempre foi muito persuasivo e um excelente orador. Conseguia ganhar multidões com suas palavras, foi por isso que muitos caíram com ele.

- Eu sei – Sasuke fitou o chão – minha mãe foi uma das que caiu com ele.

- Não Sasuke – Minato disse – Mikoto realmente acreditou nas palavras do seu pai por mais tempo que eu, mas ela não foi com ele até o final. Quando ela percebeu o que o plano do seu pai levaria ao extermínio de todas as raças que não fossem puras como os caçadores e os humanos, ela se voltou contra ele. Na verdade, se não fosse por ela a corte jamais teria conseguido detê-lo.

Sasuke estava impressionado, nunca havia ouvido essa parte da história.

- Mas... e o meu irmão?

- Infelizmente nunca o encontramos – ele suspirou pesadamente – eu tentei de tudo para localizar Itachi, mas parecia até que ele estava em outra dimensão. Não conseguimos encontra-lo de forma alguma. Mas não é por causa disso que entrei nesse assunto, eu tenho um palpite sobre a identidade da pessoa que está nos atacando – ele levantou a blusa e mostrou a marca em seu abdômen.

Sasuke sentiu o peito arder e os pulmões queimarem pela falta de ar. Seus olhos estavam arregalados e ele sentiu que poderia desmaiar a qualquer minuto. A marca dos parabatais ainda estava negra na pele branca do mais velho.

- Como? Desde... quando? – Sasuke mal conseguia falar.

- Desde que nós o enfrentamos – ele abaixou a camiseta – na verdade, a marca havia enfraquecido e quase desaparecido após nossa batalha. Eu pensei que a corte havia enterrado o corpo dele assim como de todos que morreram naquela tarde, porém após algumas semanas a marca voltou. Eu comuniquei a minha mãe e ao conselho, apenas algumas pessoas sabem que seu pai ainda está vivo porque sabemos que essa informação pode criar um pânico em massa.

- Se ele está vivo, por que não atacou durante todos esses anos?

- Ele poderia estar arquitetando um plano – Minato mexeu no computador e depois mostrou as imagens do instituto de Paris pouco depois de ter sido atacado. O homem de capuz sabia exatamente onde a espada da alma estava – Ele teria que ser um caçador ou ter acesso ao sistema para saber exatamente qual pedra abrir... tudo isso só me faz crer que seu pai voltou e está reunindo os instrumentos mortais para concluir seu plano de anos atrás.

- Isso é absurdo, precisamos fazer alguma coisa. O ultimo instrumento é o espelho e está aqui – Sasuke se levantou – com o cálice e a espada ele se tornará quase invencível, quando ele resolver atacar estaremos em uma situação complicada.

- Eu sei disso – Minato se levantou – mas temos uma esperança maior, algo que nem seu pai sabe.

- O que?

- Os pure blood.

- Minato, com todo respeito, não posso ariscar a vida da Sakura e do meu filho em uma luta como essa.

- Eu sei – ele suspirou – mas talvez não precise, não sabemos até onde os poderes do sangue puro pode fortalecer um caçador. Talvez você sozinho consiga detê-lo.

Sasuke permaneceu em silencio, se isso afastasse o perigo de Sakura e seu filho ele faria, ele daria sua vida se preciso fosse.

- Tem mais uma coisa.

Sasuke quase revirou os olhos.

- mais?

- Sim, Kushina e eu decidimos omitir a informação sobre a descoberta dos pure blood da corte, ela já deve ter orientado os caçadores que estavam presentes e até mesmo os membros que vieram conosco, acontece que agora que Sakura esta gravida, a criança em seu ventre corre ainda mais perigo. Ela será a junção perfeita das duas famílias originais, a linhagem direta de Mito e Madara, fora que será filha de dois pure blood. Tem noção do poder que seu filho pode ter?

Sasuke ainda não havia pensado nisso.

- Isso o coloca em perigo.

- Sim – Minato disse – se pessoas erradas tivessem acesso a essa informação iriam querer impedir que essa criança nascesse ou até mesmo sequestra-la após o nascimento. De todas as formas, vocês precisam tomar cuidado.

- Eu vou cuidar disso – Sasuke disse – Ah, e pode falar para a Kushina que Sakura e eu vamos nos casar em breve, ela não precisa surtar com isso. Eu amo a sua filha mais do que tudo nesse mundo e o que eu mais quero e viver ao lado dela para sempre.

Minato sorriu e assentiu.

- Obrigado, Sasuke.

O moreno saiu do escritório rumo ao quarto da amada, porém não a encontrou. Sasuke correu até o quarto dele, de Naruto e de Ino, até viu se ela estava treinando ou conversando com alguém na sala de armas. Mas ela simplesmente havia desaparecido.

- Kushina – Sasuke se aproximou – viu a Sakura?

- Não querido – ela disse – algum problema.

- Eu... – Sasuke suspirou e olhou em volta, não podia alarmar o instituto – Nada, eu apenas preciso perguntar uma coisa para ela com relação ao sistema de segurança. Se a ver me avise, por favor.

- Senhor Uchiha – um caçador se aproximou – a senhorita Sakura saiu há algum tempo com seus irmãos. Eles foram levar a senhorita Ino para o clã Sabaku.

Kushina suspirou.

- Então ela decidiu ir antes – a ruiva olhou para o moreno ao seu lado – não se preocupe Sasuke, Ino sabe o que está fazendo, obviamente ela achou que seria mais seguro estar cercada por vampiros do que por caçadores, eu compreendo minha filha, ela só não quer machucar alguém.

- sim – Sasuke suspirou – Acontece que eu não me despedi – ele sorriu amarelo – acho que consigo alcança-los – Kurenai, me informe se algo acontecer, coloquem o instituto em segurança máxima assim que eu sair.

- Sim senhor.

 

[MANSÃO SABAKU]

 

- uau – Ino disse assim que chegaram perto do enorme portal, a enorme mansão que mais parecia o palácio de Buckingham ficava ao fundo do enorme terreno, milimetricamente decorado.

- Pois é – Sakura disse rindo – eles são excêntricos e gostam de viver no luxo.

- O que eu faço agora? Aperto a campainha? – Ino questionou e do nada um vampiro apareceu, assustando os três – Desgraça, avisa.

- Perdão – ele riu – posso ajudar, caçadores?

- Eu vim falar com o conde Gaara – Ino disse – sou a nossa estagiaria ou algo do tipo.

Ele arqueou a sobrancelha e assentiu.

- meu mestre comentou que iriamos receber uma recém-criada, esperem um pouco – e como apareceu, desapareceu.

- Eu hein – Naruto disse olhando em volta – povo doido.

- Naruto, o que você estava falando sobre a Hinata? – Sakura indagou.

- ah... – ele suspirou – não sei, pode ser coisa da minha cabeça, mas acho que ela está interessada em mim.

- Huuuum – Ino sorriu – essa família vai longe hein, uma pure blood, outra vampira, e outro namorando uma feiticeira de quase mil anos.

- ela ainda nem chegou a 800 anos Ino – disse Naruto e as duas riram.

- De qualquer forma, por que acha isso? – a loira indagou.

- bom... ela fica me olhando... de uma forma – ele revirou os olhos – não sei explicar, fora que quando estamos sozinhos ela fica fazendo comentários de duplo sentido e me, como eu posso dizer, devorando com os olhos.

- Cuidado Naruto – Sakura riu – ela é bem mais velha que você, e todos sabemos que Hinata é um espirito livre, ela nunca se envolve com uma pessoa por muito tempo.

- isso eu posso assegurar – Gaara apareceu – Madames – ele beijou a mão das duas e acenou com a cabeça para Naruto – Interessado na bruxinha, jovem Uzumaki?

- Bem... – Naruto disse em graça – eu não sei.

- Suas irmãs estão certas, Hinata nasceu para o amor, isso significa que ela precisa de varias formas de amor para sobreviver. Eu mesmo já fui vitima de suas teias de luxuria.

Naruto se surpreendeu.

- Isso foi há séculos, irmão – uma loira apareceu – Olá, eu sou Temari. É um prazer finalmente conhece-la Ino.

- Oi – Ino sorriu.

- Enfim – Gaara sorriu – Se quer um conselho, deveria investir em Hinata. Ela é intensa e algo me diz que é justamente disso que você precisa, apenas não se apegue demais.

- Ou vai acabar com o coração partido, como certas pessoas – Temari comentou.

- Ino – Gaara fingiu não ouvir a irmã – fico contente que tenha escolhido a coisa certa, detestaria saber que você decidiu morrer.

- Pois é – ela suspirou – ainda não sei sobre muitas coisas e sei que somente vocês vão poder me ajudar, por isso decidi vir antes.

- Quanto tempo ela terá que ficar aqui? – Sakura indagou.

- Por que? – Gaara sorriu maldoso – o instituto está permitindo moradores mágicos?

Ela revirou os olhos.

- Quando vamos poder vê-la novamente?

- Espero que em breve – ele olhou para a loira – Realmente não posso te dizer com como um caçador irá reagir ao sangue de um vampiro. Mas eu te garanto que vamos cuidar de sua irmã da melhor forma possível, ela agora faz parte do nosso clã e nós damos a nossa vida pelos nossos se necessário.

- É bom mesmo – Sakura disse e Gaara sorriu.

- Finalmente – Sasuke se aproximou, como todos estavam bem ele apenas suspirou – Eu vim me despedir, escandalosa.

- Não precisava Sasukito, eu sei que meu pai estava comendo o seu fígado agora que você engravidou a filha favorita dele.

Gaara arqueou a sobrancelha e sorriu.

- Eu bem que suspeitava.

Sakura revirou os olhos.

- Nos avise assim que acontecer – ela abraçou a irmã – Se cuida porquinha, eu te amo.

- Não se despeça de mim, testuda. Eu não vou morrer – ela disse respondendo ao abraço.

- Se cuida escandalosa – Sasuke a abraçou.

- E você cuida da minha irmã e do meu sobrinho, se não eu juro que sugo seu sangue.

Sasuke fechou a cara e ela riu.

- Até logo, irmã – Naruto a abraçou – eu te amo.

- também te amo caçulinha – ela suspirou – E vê se vive um pouco, acho que o lance com a Hinata pode ser interessante, mas se previna, não quero mais sobrinhos.

O loiro ficou completamente corado e suspirou.

- Então é isso – Ino sorriu – na próxima vez que nos vermos eu terei olhos vermelhos e hábitos de morcego.

- Isso foi ofensivo – disse Gaara e Ino abaixou a cabeça.

- Droga, já dei bola fora.

 

{...}

 

Assim que chegaram ao instituto, Sasuke os puxou para a sala de controle.

- Preciso falar com vocês – ele suspirou.

- Querem que eu saia? – Naruto provocou e Sasuke ficou sério.

- Irmão, eu sinto muito – ele começou – realmente fizemos errado, mas não estou falando sobre isso. É um assunto muito sério e que pode mudar tudo e nos colocar mais ainda em perigo.

- O que aconteceu, Sasuke? – Sakura indagou.

- Meu pai está vivo.

Naruto e Sakura se olharam assustados.

 

[IGREJA ABANDONADA DE LIVERPOOL]

 

O homem entrou calmamente pela entrada lateral da igreja sem preocupar-se em estar sendo seguido. Agora, com o cálice e a espada poucos seriam loucos o suficiente para enfrenta-lo.

- Pelo anjo... você conseguiu – a voz chorosa da mulher o fez sorrir.

- Ainda tinha dúvidas, minha querida?

- Fugaku, você irá matar a todos... irá mata-lo também.

- Sasuke terá que escolher um lado Mikoto. Torça para seu filho escolher o lado certo.

Ela abaixou o rosto sentindo as lagrimas caírem, estava presa a tanto tempo dentro daquela sala que mal conseguia se colocar em pé, estava fraca e debilitada, jamais poderia detê-lo como antes... ela precisava de um milagre e torcia para que Sasuke fosse ele.

- Sasuke é o líder do instituto de Londres, não pode atacar seu próprio filho.

- Mikoto... você dizia o mesmo sobre Itachi – ele riu maligno – e nós dois sabemos como isso terminou.

Ela sentiu o peito arder ao lembrar-se do filho mais velho.

- Mas não se preocupe, não planejo atacar o instituto de Londres ainda – ela suspirou e olhou os dois instrumentos mortais a sua frente – primeiro preciso encontrar uma forma de ativar a espada.

- Somente um pure blood pode ativar a espada da alma – Mikoto disse com ar de riso.

- Não diga tolices, mulher – ele gritou – Você sabe que essa história é apenas um mito para encantar os caçadores jovens, eu posso ativar essa espada. Só me de algum tempo.

- Você sabe Fugaku que o maior cego é aquele que não quer ver.

Ele se aproximou da grave e a segurou pelos cabelos.

- Já me cansei de você por hoje, meu amor – ele pegou uma seringa.

- Não Fugaku, por favor... não.

- Silencio – ele aplicou o liquido no pescoço dela que foi adormecendo aos poucos – Isso querida, descanse... eu preciso de concentração para o que estou fazendo e não consigo com você tagarelando para mim o tempo todo – ele suspirou e a largou no chão frio da sala – Descanse, em breve iremos reencontrar nosso filho.

 

[INSTITUTO DE LONDRES]

 

Sasuke e Sakura estavam se preparando para dormir, agora que todos sabiam que eles eram um casal não se importavam mais de esperar todos adormecerem para ir ao quarto um do outro.

- Se ele tem a espada e o espelho, por que não nos atacou ainda? – Sakura disse deitada na cama.

- Eu também fiquei pensando sobre isso, mas então me lembrei de algo – Sasuke se virou para ela – somente um pure blood pode ativar a espada.

- Ou seja, ele só pode controlar o cálice – Sakura riu e depois ficou séria – mesmo assim é perigoso.

- Claro que é – Sasuke suspirou – Ainda mais se ele souber que nós somos esses anjos.

- Que bela jogada dos meus pais – ela suspirou – esconder a descoberta até derrotarmos seu pai.

- Eles também estão preocupados com nosso filho – Sasuke a abraçou, puxando o corpo da rosada para mais perto do dele – Meu pai pode permanecer em silencio como fez por todos esses anos até nosso filho nascer.

Sakura sentiu uma raiva enorme misturada com medo.

- Eu mato qualquer um que tentar tirar nosso filho de mim.

Sasuke riu e beijou os cabelos dela.

- Eu sei mamãe, e tenho pena de quem se meter entre você e nosso filho.

Sakura riu.

- Como está se sentindo com isso?

Ele suspirou.

- Confuso, até hoje eu tinha certeza que meus pais estavam mortos e minha mãe havia morrido como uma traidora. Agora tudo isso mudou e ainda por cima recebo a noticia que serei pai e tenho que proteger nosso filho do próprio avô.

- E ainda tem que cuidar do instituto, do acordo com os seres mágicos, sem falar na caçado pelo seu pai.

- Pois é – ele suspirou.

- Sabe que estou aqui para o que precisar.

- Eu sei, amor.

- Que bom – Sakura se aconchegou mais para poder dormir, mas Sasuke sorriu e se levantou – Ei, eu estava quentinha.

- Eu quero te dar uma coisa – ele mexeu em algumas gavetas e por fim tirou o saquinho de veludo – Kushina me deu isso quando eu fui morar com vocês, disse que os caçadores retiraram do corpo da minha mãe e ela achou que deveria ficar comigo.

Sasuke sentou-se na cama e Sakura fez o mesmo, do saquinho caiu um anel de ouro rose com diamantes encrustados.

- Era o anel de casamento da família dela, foi passado de geração em geração – Sasuke sorriu de canto – E agora é seu.

- Meu? – Sakura disse surpresa.

- Ora, sim... Com quem mais eu iria querer me casar?

Ela sorriu e o olhou com os olhos marejados.

- Então... você está me pedindo em casamento?

- Apenas se você disser que sim.

Ela sorriu e se jogou em cima dele o beijando em seguida.

- É claro que eu aceito, meu amor.

- Que bom – ele sorriu e a olhou com ternura – Porque eu sempre imaginei que daria ele a você um dia.

Sakura sorriu e o beijou com todo o amor que sentia naquele momento. Mesmo com todos os problemas e perigos lá fora, naquele momento eles só queriam saber um do outro.

 

{...}

 

No quarto ao lado, Naruto sorria encostado na parede.

- Acho que agora é oficial – ele suspirou e sentiu o celular vibrando. Estranhou ao ver a mensagem de Hinata o convidando para sair aquela hora da noite e até pensou em questionar a onde ela havia conseguido o numero dele, mas achou melhor deixar para lá, afinal uma feiticeira de quase 800 anos deve ter seus truques.

Vestiu a jaqueta de couro e pegou a chave da moto, Ino tinha razão... ele precisava viver mais. Ainda mais agora que todos poderiam morrer a qualquer instante.

 

[CLÃ SABAKU – NOVO QUARTO DE INO]

 

A loira organizava suas roupas no closet com calma, o local era tão imenso que ela se sentiu deprimida por ter apenas uma mala de roupa. Suspirou e saiu do closet, já havia tomado um banho em seu novo e enorme banheiro e estava pronta para dormir, só lhe faltava uma coisa, o sono.

Ouvi as batidas na porta e foi atender, sorriu ao encontrar Gaara parado ali.

- Já está acomodada?

- Sim – ela sorriu – esse lugar é incrível, obrigada mesmo.

- Você é uma de nós agora – ele franziu o cenho – ou será daqui um tempo.

Ela riu e sentou-se na cama sendo seguida por ele.

- Todos parecem bem legais, admito que tinha outra visão de vocês.

- E qual visão era essa?

- Ah sei lá, pensei que dormissem em caixões ou tumbas, na minha cabeça a casa de vocês era tipo um mausoléu escuro e úmido.

- Você anda assistindo filmes demais mocinha – ele riu – Acho que dormir em caixões não seria tão confortável. Eu realmente não me sinto tão confortável em cemitérios e não moraria em nenhum lugar que tivesse uma grande taxa de umidade – ambos riram – pode nos chamar de excêntricos, mas gostamos do luxo. Eu estou nessa terra a tempo demais para viver com pouco, nós não quebramos as regras e vivemos o mais tranquilamente possível, teremos tudo o que queremos aqui.

- E... – ela suspirou – posso te fazer uma perguntinha?

- Claro.

- Por que só você e seu irmão estavam ajudando o instituto?

- Somente a minha família pode andar na luz do sol, porque somos os originais.

- Cacete, quer dizer que... – ela arregalou os olhos azuis – Sua mãe era a feiticeira que infringiu a lei natural da vida?

- Sim, ela e meu pai tinham o desejo de serem imortais, minha mãe já era uma feiticeira e não queria ver a família que ela criou com um mortal envelhecer e morrer, por isso ela nos sacrificou. Eu era pequeno na época, tinha uns cinco anos... mas meus irmãos lembram bem do quão doloroso foi o ritual.

- Eu sinto muito.

Ele deu de ombros.

- Hoje em dia eu entendo que ela passou dos limites, não sabíamos nos controlar e por isso nós matávamos os humanos com muita frequência. Depois de ver o que criou ela tentou reverter, porém não deu certo. No encantamento contrario que ela tentou com meu pai algo deu errado e ele morreu. Depois disso ela foi capturada pela corte e morta pelos seus crimes. Temari foi a primeira a conseguir se controlar e começou a nos ensinar, porém quando vimos já havíamos criado um pequeno clã de vampiros. Nos mudamos e começamos uma vida nova aqui.

- Mas então você é o caçula... como se tornou o líder?

Ele sorriu de canto.

- Com o tempo eu desenvolvi algo que nenhum dos outros pode fazer, eu consigo hipnotizar vampiros... até meus irmãos.

- Como?

- Eu não sei – ele deu de ombros – acabei me tornando o líder por isso, em nosso clã quanto mais habilidades você tem, mais preparado você está para proteger a família.

- Interessante – ela disse – Gaara.

- Sim?

- Por que me salvou.

O ruivo respirou fundo e olhou para o chão.

- Você não merecia morrer.

- Como sabe disso?

- Eu te distraí na batalha Ino, você estava indo muito bem antes de eu começar a brincar com você. Se você morresse a culpa seria minha.

- Quanta consciência para um vampiro – ela brincou e ele sorriu triste.

- eu tenho quase mil anos Ino, fiz coisas terríveis nesse tempo e carrego comigo um enorme número de mortes que não me deixam dormir a noite, a sua seria mais uma e eu não conseguiria conviver com ela.

Ino sentiu o coração apertar com a expressão do ruivo e quis consola-lo de alguma forma, apenas não sabia como.

- É melhor você descansar – ele se levantou – Amanhã seu organismo vai começar a dar indícios de abstinência e a transição irá começar.

- Gaara... – ela suspirou – vai ser doloroso?

Ele a olhou com pesar.

- Eu não sei Ino, mas de qualquer forma eu estarei ao seu lado até acabar.

Ela assentiu.

- Obrigada, por tudo.

Ele beijou sua testa e caminhou até a porta.

- Boa noite morceguinha.

- Boa noite, conde drácula.

Ele sorriu de canto e fechou a porta do quarto. Suspirou antes de começar a caminhar encontrando sua irmã no final do corredor.

- O que acha?

- Eu não sei, ela ainda está bem.

- Todos vamos saber quando começar – Kankurou disse – Sinto pena da garota.

- Eu só espero que ela sobreviva a transição – O ruivo disse antes de entrar no próprio quarto.

 

 

 

Continua...


Notas Finais


Anel de noivado Sakura: https://i.pinimg.com/564x/6a/8a/8d/6a8a8d2b07938dbdaee80d6c07425933.jpg
Quarto Naruto: https://www.decorfacil.com/wp-content/uploads/2016/09/20160912imagem-7-1.jpg
Quarto Sakura: http://s2.glbimg.com/eQadVQqnTDpwz6KWjGl7ChoIDAo=/smart/e.glbimg.com/og/ed/f/original/2014/08/13/mostra_quartos__etc_vitoria_12.jpg
Quarto Sasuke: https://www.decorfacil.com/wp-content/uploads/2016/09/20160912imagem-60.jpg
Mansão Gaara: https://images.immedia.com.br//7/7008_2_EL.JPG?c=201303130824
Quarto da Ino na mansão: https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTc5g3AcKR2qBBNPqtiqjLV_BCLDHpAU3eqZsa8JAfWG4nLRoHx

*******************************
POIS É MINHA GENTE, FUGAKU E MIKOTO ESTÃO VIVOS... ALGUEM CHUTA O QUE VAI ACONTECER? Ainda tem muita agua para rolar nessa fic, por isso estou escrevendo com muita calma para nao deixar nenhum ponto sem nó [É assim que se fala?enfim...]

Como eu disse na outra fic, semana que vem estarei participando de um evento a semana toda e isso tomará meu tempo, por isso a proxima atualização será somente NA SEMANA DO DIA 20.

Eu sei, é muito tempo para ficar sem saber sobre a transformação da Ino, sobre os trelelê do Naruto e da Hinata e dos pegas do Sasuke e da Sakura... mas nao se preocupem... prometo que recompenso vocês com um capitulo enorme e cheio de coisa boa. NAO DESISTAM DE MIM, é só uma semana longe... eu prometo!

ENFIM, NAO DEIXEM DE COMENTAR SOBRE O QUE ACHARAM DESSE CAPITULO E SOBRE O QUE ACHAM QUE VAI ACONTECER....

Desde ja agradeço pelos comentarios, vocês são sensacionais. AMO VOCÊS. Beijinhos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...