História Shadows Of Oblivion - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Arkhamq, Cavaleiros, Medieval, Oblivion, Reino
Visualizações 7
Palavras 1.722
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - - Chapter Six -


Ellrick abriu os olhos, um gosto amargo em sua boca, um incômodo em suas costas. O witcher estava deitado sobre o chão desconfortável e quente da floresta. Onde estava os cadáveres de Carniçais? O sangue em suas vestes e tripas no chão? Nada, sem cadáveres, sem sangue, sem ninguém, nem mesmo o resto do pessoal. Ellrick estava sozinho no local. 

O Bruxo fechou os olhos por um instante, os abriu novamente, fitou os céus, ainda era dia. Uma voz rouca e abafada ecoou por sua cabeça, ele não fazia ideia de onde surgiu essa voz, de quem era essa voz? "Mas que desejo estranho, Witcher... Se declarar enquanto mata criaturas e confunde o nome da amada com o de uma ex... Witchers realmente não sabem como sentir algum tipo de sentimento..." 

Essa voz esclareceu o necessário para Ellrick, agora tudo fazia mais sentido. Os Carniçais, o momento em que saíram do castelo, a floresta, tudo não passara de um sonho, uma ilusão criada por alguém com bastante poder. Mas quem? E por que? 

Ellrick se levantou, ele notou que não estava de armadura, utilizava apenas uma calça comum, sem camisa, sem seu medalhão, sem suas botas. Witcher fechou os olhos, assim que abriu, estava deitado sobre sua cama. Havia um  unicórnio empalhado posicionado ao lado de um armário feito com uma madeira Elfica, moldado e esculpido da maneira mais elegante e graciosa que alguém pode imaginar, só podia ter sido feito por um Elfo. 

Ellrick olhou em sua volta, ele estava em uma casa, um quarto, a única iluminação era algumas velas, o cheiro doce de lilás e groselha passou por sua mente. O Witcher olhou para frente, Yenn caminhava seminua em sua direção. 

– Ellrick, meu amor, você teve um dia difícil hoje, não é mesmo? Você precisa descansar... Conte-me, qual foi a fera que você caçou? – Yenn subiu na cama, engatinhou de uma maneira sexy até o witcher, passou suas unhas levemente sobre o abdômen de Ellrick, ela já se encontra sobre o corpo de Dragneill. A feiticeira o beijou, em seguida deitou ao seu lado. 

– Eu matei um vampiro comum... Eu me pergunto como alguém pode ser daquele jeito? Assassinou brutalmente um grupo de comerciantes só por diversão, ele disse que fazia arte com as tripas e intestino daqueles coitados... Eu tive prazer em matar aquele monstro – A expressão do Witcher mudou, ele estava tenso e com raiva só de lembrar daquela luta, além de ser uma luta chata e difícil, os atos da criatura havia enfurecido Ellrick. 

– Sshh... Não precisa dizer mais nada... Não vamos trazer stress para nosso lar... – Yenn retirou suas roupas, em seguida, beijou Ellrick, descendo suas mãos até as calças do witcher. – Vamos apenas deixar o momento nos levar...

Ellrick não disse nada, apenas aproveitou o momento. O Witcher levou suas mãos até os seios de Yenn, quando ele foi se preparar para descer suas mãos para as partes mais baixas de Yenn... A feiticeira o interrompeu. 

Yenn olhou para o unicórnio empalhado ao lado do armário. 

– Espere... Um momento... Eu nunca fiz sexo encima de um unicórnio empalhado... 

– Não, Yenn... Você não está pensando em.... 

– Não seja sem graça, Ellrick. Vamos expandir nossa relação...   – Yenn levou Ellrick até o bendito unicórnio, os dois estavam lá, sentados nas costas do animal empalhado, os dois completamente nus. Fazendo sexo sobre um unicórnio. 

Por estarem sozinhos na cabana, eles não se seguraram. Os gemidos de Yenn ecoavam pela casa, a porta do quarto estava destrancada, mas o momento estava bom de mais para se preocuparem com a possibilidade de alguém chegar. 

Após uma hora e meia de prazer, a porta do quarto foi aberta, Yenn e Ellrick caíram do unicórnio, os dois olharam surpresos e envergonhados para Natsu que acabara de retornar para o local. O garoto não sabia se ria por perceber que aqueles dois tinham usado um unicórnio empalhado como cama ou ficava envergonhado por ter pego os dois  em um momento íntimo de mais. 

– Err... Ahm... Boa noite. – Natsu apenas recuou alguns passos, fechou a porta lentamente e fingiu que nada aconteceu. 

Yenn e Ellrick se encararam por um tempo, a feiticeira estava bastante corada. Ellrick fechou os olhos involuntariamente, assim que os abriu, percebeu que estava sobre uma cama mais simples, em um quarto mais simples, em uma casa em alguma cidade movimentada, já era manhã. 

 O Bruxo notou que ao seu lado, tinha uma bela feiticeira, linda e ruiva, ambos nus sobre a cama, a feiticeira estava dormindo, pelo jeito, teve uma noite bem agitada, Ellrick se virou para a dama, assim que a abraçou, percebeu que estava em um local diferente, não em uma cama, mas em um Barco. Não mais com a feiticeira de antes, mas sim com uma outra bela garota ruiva de cabelos na altura do pescoço, a jovem estava sobre o colo do bruxo, os dois nus. 

Ellrick parecia estar vivendo o passado, cada garota que ele levou para cama, os momentos mais marcantes, sim, ele estava em um sonho, vivendo cada coisa que fez com garotas entre quatro paredes no passado, mas Ellrick não notara isso, ele aproveitava o momento  nem sequer notando que tudo aquilo já havia acontecido antes. 

O witcher já não estava em um castelo com uma bela princesa loira, nem em um bordel com uma linda elfa de cabelos negros. Ele estava em um completo vazio, sem nada ao seu redor, ele não conseguia respirar, não conseguia escutar e nem se mover. Ellrick abriu os olhos, desesperadamente, ele notou que estava em sua cabana na floresta, no meio da madrugada. 

Enmi entrou em seu quarto, seminua, a garota caminhou até Ellrick, com um sorriso malicioso em seu rosto. 

– Você parece tenso, Ellrick. Não consegue dormir? Desculpe, cheguei apenas agora... Estava ocupada coletando  algumas recompensas... Mas sei que você também voltou de um contrato, diga-me, qual fera você caçou? –Enmi foi até Ellrick, engatinhou sobre a cama em direção ao bruxo, passou levemente suas unhas sobre o abdômen do Witcher. 

Enmi ficou sobre Ellrick, o beijou,  em seguida, deitou-se ao lado dele.  

– Eu matei um vampiro comum... Não acredito que há pessoas assim no mundo... Matou cruelmente um bando de comerciantes, ele dizia que o que fazia era arte, arte com os intestinos e tripas dos pobre coitados... Eu tive prazer em matar aquele desgraçado. – Disse Ellrick, se irritando só de lembrar da batalha. 

– Sshh... Não precisa dizer mais nada... Não vamos levar stress para o nosso lar... – Enmi passou seus dedos sobre o abdômen do Witcher, em seguida, desceu até suas calças, – Vamos apenas.... Deixar o momento nos levar. – Enmi já estava nua, sobre o corpo também nu de Ellrick, eles se beijaram. 

Enmi soltou um gemido, interrompeu Ellrick no meio do ato, a garota fitou um unicórnio empalhado, ao lado de um armário, o mesmo armário de antes. O mesmo unicórnio de antes. 

– Ellrick, eu nunca fiz sexo em um unicórnio empalhado... 

– Não, Enmi... Você não está pensando em.... – A expressão de prazer do bruxo foi alterada para um olhar tenso e sério, ele tirou suas mãos dos seios de Enmi. 

– Ellrick? O que aconteceu? Por que parou? 

– Não.... Não.... Nada disso é real... Como não percebi isso antes?! Estamos fazendo a mesma coisa que fiz com a Yenn. O que o Velho V. diria se visse que eu deixei me levar por uma ILUSÃO sem nem perceber?! – Ellrick tirou a suposta Enmi de cima dele, saiu da cama, bateu a cabeça com força sobre a parede da cabana com a intenção de tentar sair daquele sonho. 

Tudo escureceu, Ellrick abriu os olhos. Notou que estava em uma floresta, já era tarde, por volta das 18:50, a mesma voz de antes ecoou em sua mente "Witcher... Visões do passado... Desejos pervertidos... Um Witcher que sente amor... Note que seu primeiro sonho foi pedindo ela em namoro, depois sonhou com as garotas que você levou pra cama, e em seguida, sonhou que estava fazendo sexo com Enmi, da mesma forma que fez com Yenn.... Qual das duas você ama?"

Ellrick pensou em responder, porém foi mais forte, levantou-se rapidamente do solo, percebeu que agora sim estava com sua armadura, suas espadas e seu medalhão, não estava mais em um sonho. 

Mostre as caras!! Lute como homem! – Ellrick gritou para o nada, na esperança que alguém finalmente mostrasse as caras. E dito e feito. Um mago com roupas negras, uma máscara de crânio de demônio cobrindo seu rosto, deixando apenas sua boca a mostra. 

– Eu amo fazer isso com Witchers, o fato de terem emoções fortemente reduzidas, é muito mais fácil iludir e criar algo na mente de vocês... – Disse o mago, em seguida, uma perversa e longa risada. – O resto de seu pessoal está por aí, e bom você estar torcendo para que eles estejam vivos... O meu pessoal luta com uma única intensão.... Matar.

– Sabe quantos merdas que se acham invencíveis eu já matei? Exato, muitos. Você é apenas mais um merda que se acha o centro das coisas. – Ellrick sacou sua espada de aço, a lâmina afiada e brilhante apontava diretamente para a cabeça do mago, Ellrick estava pronto para avançar, mas preferiu deixar o oponente tomar a primeira atitude para tentar um contra-ataque. 

– Hahahahah! Que assim seja, Witcher. Saiba que já matei muitos Witchers por aí. – O mago retirou do bolso interno de seu sobretudo negro, cinco medalhões. Dois da escola do Lobo, outro da escola do Urso, outro do Grifo e outro do Gato. – Não... Não sou o centro das coisas... Eu sou apenas... IMPLACÁVEL. 

Natsu estava frete a frente um com enorme e musculoso Orc, um Orc florestal, ele usava um elmo de aço, manoplas de aço, calças de couro, ombreiras de ferro, o Orc carregara consigo uma enorme clava em uma mão, e um machado na outra, por ser musculoso e grande, o Orc era pesado, ele leva vantagem na força, porém na agilidade e velocidade, Natsu era melhor. 

– Eu vô tirá tua cabeça, depois eu vô rancá tuas perna, vô cume teu coração, humano frango, pessoa fraca! –O Orc soltou um longo rugido feroz e intimidador, Natsu notou seus caninos afiados e grossos, dava pra mastigar pedra com aquilo. 

– Tente me ferir se for capaz, seu Orc de merda. Pelo menos saiba o nome de quem te matará, sou Ustan, e quem arrancará corações aqui, serei eu. 




Notas Finais


Então pessoal, o que acharam do cap? Comentem e avise-me se achar algum erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...