História Shape of You - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Yu-Gi-Oh!
Personagens Personagens Originais
Tags Universo Alternativo, Yu-gi-oh!
Visualizações 6
Palavras 1.003
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Fluffy, Musical (Songfic), Shoujo (Romântico), Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Essa one estava mofando a espera de ser escrita e depois postada! Sério, mas como sou uma boa cidadã decide dar vida pra ela.

Pelo nome já sabem de onde eu tirei a inspiração né? Eu amo Ed Sheeran

Capítulo 1 - Capítulo Único


             Shape of you

                       ♥


Coloco minha mochila em um dos ombros saindo do meu carro. Sinto o frio me atingir como uma bala e a névoa tocar minha pele me causando arrepios.

Estão quinze graus hoje

Vejo a academia de boxe a minha frente sabendo que ninguém estaria aqui hoje. Entro me sentindo acolhida pela primeira vez hoje. Suspiro, espirro, e tapo meu nariz gelado.

Eu não deveria estar nesta academia. 

Tiro a corda para pular e aquecer meu sangue, cada vez que meus pés tocam no chão eu tento meu melhor para não voltar a pisa-lo. 

Tcha Tcha Tcha Tcha

O som da corda chicoteando o piso é o único que ouço eu enquanto ofego procurando sossego nesta academia vazia. 

Transpiro,  sentindo meu sangue aquecer.

E estão quinze graus hoje. 

Me abaixo tocando meus pés desejando me alongar o quanto meus ossos permitirem ergo meu corpo outra vez esticando meus braços para os lados e depois para cima. Fecho os olhos enquanto tento tocar no céu. 

E então me lembro que eu já o toquei uma vez.

Minha boca fica entreaberta enquanto minha garganta seca. Sinto gotas de suor passeando em meu corpo.

É estranho eu desejar que fossem dedos?

Chuk Chuk Chuk Chuk

Meu coração acelera, se desespera ao notar que não sou mais a única pessoa nessa academia antes vazia. O albino que eu muito bem conhecia aparece do mesmo jeito que eu indo deixar sua mochila em um dos armários. 

Seu perfume me invade em cheio, me fazendo lembrar a última vez que o senti.

E agora meus lençóis têm o seu cheiro. 

Ele não fala comigo, e ao agradeço sabendo que o mereço. Sinto o calor me invadir assim que seu corpo passa por mim. Meus olhos se desviam para seus ombros e braços fortes, minhas unhas fizeram tatuagens vermelhas neles, seus cabelos ondulados azuis-claros parecendo bagunçados,  eu ainda os sinto por entre os meus dedos, suas sardas que eu contei uma a uma com beijos. 

Desvio meu olhar quando seus olhos azuis cristalinos se prendem a mim.

Eu não deveria estar nesta academia. 

Disfarço,  querendo ser convincente no meu ato. 

Seguro minha corda com força suspirando outra vez ele passa por mim, ignorando minha presença. 

Nos atraímos e repelimos como um imã. 

Eu não o culpo, fui eu que quebrei seu coração quando ele era todo meu. Mesmo assim me sinto uma maldita egoísta por sentir agrado ao saber que ele ainda me pertence. 

Seu amor foi feito a mão para alguém como eu.

Ele coloca faixas em suas mãos,  protegendo-as como deveria ter si protegido de mim. Pego minha corda de novo.

Pulo alto, rápido tentando não pensar o quão minha pele está pegando fogo.

E estão quinze graus hoje.

Oiço o som do saco de pancadas levando socos aparentemente furiosos e imagino que meu rosto deve estar estampado nele enquanto sua voz rouca se sobre sai baixinho praquejando.  O que me faz lembrar de como ela é sussurrando:

Garota, você sabe que eu quero o seu amor.

Eu paro, procurando amparo em uma das cadeiras daquele lugar. Solto meus cabelos para prender los outra vez. Minha garganta seca me impede engolir a seco quando ele passa as mãos nos cabelos suados e limpa o rosto com a camisa, me dando visão do seu abdómen definido. Eu me lembro da sua textura em meus lábios.

Eu não deveria estar nesta academia. 

Seus olhos se desviam para mim. E eu não fujo das suas íris hipnotizantes. Nós duelamos para o domínio de poder nesse jogo que me desfaz...que nos desfaz por dentro. Mas eu sou egoísta o suficiente para não querer ser dominada e tal como uma hora eu fiz, eu fugi do seu olhar profundo me refugiando no banheiro feminino.

Eu tiro meus ténis, porém entro ainda de roupa porque elas estavam queimando.  Me coloco de baixo da água fria para arrefecer minha pele que ardia sem pudor. 

 E estão quinze graus hoje

Outra vez solto meu cabelo o sentindo se molhar aliviando minha dor de cabeça. As gotas de água fria cobrem meu corpo me refrescando. 

É estranho desejar que fossem dedos?

Meu corpo se arrepia ao notar que não sou a única pessoa nesse banheiro antes vazio e que a água do chuveiro foi  regulada para quente. 

- Se continuar assim vai pegar um resfriado - sussurrou rouco me fazendo sentir seu nariz tocar minha nuca e arrepios invadirem todas as minhas células. 

- Eu não me importo - respondi em um fino de voz que eu nem sabia que existia

Seu riso grave e baixo me fez fechar os olhos com força. 

- E com o que você se importa? - questionou posicionado seus braços ao redor de mim, me prendendo e fazendo com que eu apenas encarasse a parede e suas mãos pálidas. 

- Eu me importo c-com...- me calei mordendo os lábios antes de ofegar quando de surpresa ele segurou minha cintura por baixo da blusa.

Me pegue pela cintura e cole seu corpo no meu

- Estou apaixonado pelo seu corpo - repetiu o que uma vez me disse afundando seu rosto no meu pescoço me guiando cada vez mais para parede e pra loucura. 

Venha agora,  eu te guio

- Kiro eu...eu...- tentei achar palavras coerentes e reais pra dizer...Eu nem sabia o quê.

- Ah Seth... Isso seria muito mais fácil se você não fugisse de mim depois- disse me virando para encarar lo em um único movimento. 

Tentei argumentar, mas ele não permitiu se aproximando para morder meu lábio inferior enquanto seus dedos me apertavam, marcavam e eu sabia que não seria apenas aí. 

Ele não me beijava, apenas roçava e mordia minha pele enquanto eu arranhava a sua, me mostrando através dos meus urros impacientes e suplicantes que apesar de tudo eu estava dominada. 

E ele sabia...nós sabíamos que eu o machucaria outra vez depois. Mas isso pouco naquele momento em que eu me entregava a aquele calor intenso e avassalador que fazia naquela academia vazia. 




E estão quinze graus hoje



 




Notas Finais


AMO escrever Seto Kaiba na versão feminina, sério , ela -ele- é linda e complicada - como eu gosto-

Mas é você? Gosta ou não?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...