História Shards. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Sasuke Uchiha
Tags Gaaino, Hinasasu, Hinata Hyuuga, Naruto, Sasuhina, Sasuke Uchiha
Visualizações 81
Palavras 2.962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amorexx. Estamos aí com mais um capítulo, espero que gostem.

Capítulo 3 - Capítulo dois.


 

Todo o time oito se encontrava no Ichiraku. Logo após o treino, Shino e kiba a convenceram de almoçar com eles, e ela é claro, aceitou de bom grado.

- Pois, é Hina, a missão foi de mais. Devia ter visto a cara daqueles caras quando eu e Akamaru fizemos nossa combinação. Não é mesmo Akamaru? – Kiba se virou para o enorme cachorro branco ao seu lado que latiu como se concordasse com seu dono.

- Que bom que deu tudo certo na missão, Kiba-kun. Não suportaria ver vocês feridos. – Hinata olhou carinhosamente. Seguiu para dentro do estabelecimento e se sentou numas cadeiras ao fundo, sendo acompanhada por seus colegas. Akamaru no enquanto, ficou do lado de fora.

-Como você está Hinata? – Shino perguntou ajeitando os óculos. – Sabemos que não está sendo fácil para você. Nos desculpe não estamos por perto por esse tempo.

- Esta tudo bem, Shino-Kun, de verdade. Estou recebendo apoio da Ino-Chan e da Nee-san. É impossível esquecê-lo, mas tomei a decisão de tentar seguir em frente. Está na hora não é. – Ela sorriu, mas seus olhos ainda havia tristeza. Foi uma decisão recente, iria levar tempo, mas iria dar certo.

- Você está certa, Hinata. Neji não iria te ver triste como estava. – Shino segurou levemente sua mão em sinal de conforto.

- Isso ai Hina! Esquece o passado, bola pra frente. – Kiba colocou sua mão sobre as dos amigos. Levantaram as mãos e as soltaram juntos, rindo.

-Com licença. – Uma garçonete apareceu anotando o pedido de todos rapidamente, sem os olhar. – Tudo bem, logo trarei o pedido de vocês.

- Uhn – Kiba a olhou se afastar e olhou para Hinata. – Sabe Hina, não ia falar nada, mas, sabe, eu e Shino reparamos a mudança na sua roupa. Está linda. Mas linda do que nunca, devia parar de se esconder por trás daquelas roupas largas.

-Obrigada, Kiba-kun – Hinata ficou corada, esse era um habito difícil de mudar. Mas ao menos estava melhorando a timidez, deveras excessivas.

“Isso ai, dancinha da Hinata interna, UHUUU!”

- Viu isso Shino, ela nem mesmo gaguejou. To orgulhoso Hinatinha. – Kiba pulou sobre a mesa a dando um beijo estralado na bochecha, que a essa altura já estava escarlate.

-O-obrigada, K-Kiba-kun. – “Estava bom de mais ne, Hinata.”

Para a felicidade de Hinata, um garçom chegou com seus pedidos. Kiba acabou se distraindo com a comida e não tocou mais no assunto de sua mudança. Continuaram conversando sem ver a hora passar. Ela sentia falta disso, de se sentir leve, de rir e esquecer um pouco. “Eu vou consegui Nee-san, vou segui em frente. Nunca te esquecerei.” Estavam todos tão concentrados que levaram um susto quando uma loira chegou afobada, puxou uma cadeira e foi se sentando.

- Nossa Hina, como você ta linda! – Ino abraçou a amiga que retribuiu. – Temos um compromisso, ne. –Ela se virou para os dois que cumprimentavam Hanabi que chegava calmamente. – Ohayo, Shino-kun, ohayo Kiba-kun.

- Yamanaka. – Kiba a olhava de jeito debochado. – Você não pode roubar a Hinatinha de nós, ela é nossa.

-Hina! – Ino olhou pra ela com olhinhos pidões, do outro lado Kiba fez a mesma cara. Hinata olhou de um para o outro. “Meus amigos são tão maduros.”

-Kiba-kun, fiz um compromisso com a Ino-Chan e com Hanabi-Nee, me desculpa. Podemos marcar outro treino.

-Tudo bem Hinata, pode ir nós entendemos. – Shino as acompanhou se levantarem. Hinata colocou o dinheiro sobre a mesa e deu um abraço em cada um.

-Logo vejo vocês, meninos. – Ela se despediu e foi indo em direção a porta.

-Tchau Kiba, Shino. – Ino deu um tchauzinho com a mão e acompanhou. Enquanto isso Hanabi balançou a cabeça pra Shino em sinal de despedida e olhou debochadamente para Kiba. – Até Cachorro-Kun.

- O que disse, pirralha! – Kiba foi segurado por Shino enquanto Hanabi saia mandando beijinhos para Kiba.

Do lado de fora elas seguiam em direção ao centro comercial. Ainda era possível ver sinais da guerra por toda parte, mas eles estavam se reconstruindo rápido. Alguns escombros podiam ser vistos, mas quase umas boas partes das lojas já estavam reformadas ou estavam em reforma, isso graças à ajuda que Tsunade deu aos comerciantes, almejando fazer o comercio voltar a funcionar logo.

O dia foi tranquilo, as meninas visitaram varias lojas, e por mais que quisesse mudar, algumas roupas ainda eram impensáveis para si. Como um “vestido” que a Yamanaka insistia para que ela usasse, para o próximo evento do sábado.

-Vai Hina. Usa, vai.

-Isso Nee-Chan. Por favor, você vai ser a mais gata. Esse vestido vai ficar um arraso em você.

-Vestido? Cadê o resto dele? Por Kami, meninas, olha o tamanho disso. – Hinata levantou o vestido se encarando no espelho. Ele era completamente cinza com paetês, completamente lindo. Mas o problema é que ficava curto na Hyuga, provavelmente ficaria na metade da cocha. Só de imaginar usando aquilo, a velha Hinata falou mais alto e jogou a peça para Hanabi.

- O que custa, Hina. Ao menos experimenta. – Ino disse, Hanabi concordou e jogou o vestido para ela novamente. – Já quebrou tantas barreiras hoje, só experimenta vai.

- Hina-Nee-Chan, lembra do motivo para fazer isso? Te mostrar o quão maravilhosa você é. Confia na gente, experimenta o vestido.

-Ta tudo bem, experimento. – Hinata se deu por vencida e entrou no provador.

Trocou de roupa e se olhou no espelho do provador. O vestido tinha uma gola que arremetia a um colar de metal que dava varias voltas em seu pescoço, uma dessas voltas descia até o decote, um decote generoso, indo até o inicio da cintura, e como tinha muito busto, seus seios acabavam ficando uma parte exposta. Descendo o vestido ficava no meio de suas cochas, as valorizando. O vestido modelava suas curvas não apertava, não era incomodo. Tinha as costas totalmente exposta. Tinha que admitir estava linda, mas teria coragem de usar? Tomou coragem e saiu do provador. Hanabi, Ino e a atendente estavam tomando algo numa taça e rindo de alguma coisa, mas assim que saiu, a atenção foi totalmente pra ela.

-H-Hinata! – Ino a olhou de boca aberta.

-Nee-chan! – Hanabi abriu a boca.

-Ficou incrível na senhorita.

- Meu deus Hina, sabia que você era linda, mas que corpão você tem. Kami-Sama. –Ino andou em volta dela olhando o resultado. E Hanabi andou em volta dela embasbacada.

- Desculpa o jeito mana, mas você é muito gostosa. Se eu fosse homem e não fosse seu irmão, eu te pegava. – Hanabi disse rindo. – Você definitivamente tem que comprar esse vestido! – Ela fez uma pausa pensativa. – Porque você tem tanto peito e eu quase nada?! Poxa Hina, você é muito egoísta, passou na fila do peito tantas vezes que faltou para mim. – Hanabi fez um biquinho.

-Hanabi! - Hinata ficou vermelha e por reflexo colocou a mão sobre os seios, como se fosse escondê-los. Então espirou fundo. - Eu não sei se o levo. Ele chama muita atenção. - Hinata estava vermelha, se virou para outro espelho da loja e se admirou.

- Você vai levar sim. Seria um crime, deixá-lo aqui. Pode ir se trocar. – Ino falou tão decidida e séria que Hinata não tinha mais o que dizer, então apenas entrou no trocador, se admirando mais uma vez antes de tirar o vestido. – Por favor, pode separar todos eles mais aquele que ela usou. Pode entregar no clã Hyuga?

- Claro que sim. Vou embalar tudo, com licença. – A moça deu um sorriso doce e saiu.

Hinata saiu do provador indo ao caixa e entregando a atendente. Depois de pagar e a moça confirmar que enviaria para o clã, saíram atrás de uma sorveteria. No caminho Hanabi encontrou alguns colegas, se despediu e foi se juntar a ele. Compraram cada uma um sorvete e caminharam em direção a floricultura, que não ficava muito longe. Estavam em silencio, o que estranhou a Hyuga.

-Sabe, Ino-Chan. – Hinata começou, chamando a atenção da Yamanaka que naquele momento estava um tanto quanto avoada. – Eu aprecio o silencio, vivi com ele e consigo perceber as coisas através dele. Como por exemplo, você está estranhamente quieta e se esquivar sempre que me dirijo a uma pergunta sobre você. – Ino a olhou surpresa e logo abaixou a cabeça. – Tudo bem se não quiser conversar, não quis ser intrometida. Mas se precisar de uma amiga...

-Não, Hina, é que eu... – A Yamanaka a olhou com olhos marejados. – Não sei como falar sobre isso.

- Vem. – Hinata a chamou pra se sentarem em frente à praça, localizada a frente da academia ninja. Como ainda era horário de aula estava vazia. Teriam privacidade. Ela segurou na mão de Ino e sorriu. – Pode me contar Ino-Chan.

-É o Sai. – Ela ficou novamente com os olhos marejados. – Ele era tão carinhoso comigo Hina. Me chamava pra sair, ficávamos no monte Hokage, sabe? Apenas admirando as estrelas. – Ela olhou através de Hinata, como se estivesse relembrando as memórias, e sorriu triste. – Mas, de uns tempos para cá, depois... – Ela não conseguia olhar para Hinata.

-O que Ino? Pode me contar. – Ela apertou a mão da Yamanaka para lhe passar confiança.

-Eu... Eu... - Ela respirou fundo, sentindo começar a chorar ao mesmo tempo em que ficava corada. – Eu não quis fazer, sabe... Aquilo?

-Aquilo...? – Hinata demorou um tempo até entender do que a Yamanaka dizia. – Ahn, eu... Aquilo, eu entendi. – Disse corada.

-Pois é... – Ino respirou fundo, limpando as lagrimas. – Eu não estava confortável, eu tentei dizer isso pra ele, mas ele ficou nervoso. Disse que eu já tinha feito e estava com vergonha. Ai, eu bati nele. – Ela suspirou, olhando para Hinata que parecia surpresa. – Desde então ele está estranho comigo.

-Ino-Chan, eu sinto muito. – Hinata a abraçou forte, sentiu ela começar a chorar e seu corpo tremia. Passou-se um tempo e elas se soltaram.

-Hoje de manhã, eu o vi com a Sakura. Eu posso está errada, mas... Hina, eu o viele comendo ela com os olhos.

-Oh meu Kami-Sama. – Hinata ficou realmente surpresa. Até porque, diziam que Sakura e Naruto estavam saindo. E até onde sabia, Sai era amigo dos dois. – Ino, você tem que falar com ele. Não pode fazer uma acusação dessas e não ir atrás. Tem que perguntar a ele.

- Como eu gostaria Hinata, ele nunca tem tempo. Depois daquele dia ele sai todas as noites para alguma missão de vigia na vila. Não sei mais o que fazer.

- Converse com ele. Tenho certeza que Sai não está fazendo nada de errado. E sobre vocês, não... Bom, vocês são um casal e se gostam. Também tem que conversar sobre isso. Você só deve fazer se tiver vontade. E se ele não conseguir entender isso, Ino, então ele não serve para você.

- Obrigada Hina. – Ela ficou pensativa olhando para alguns balanços, maneou a cabeça e se virou para ela. – Está mais que certa, tenho que resolver isso. Não podemos ficar assim.

As duas terminaram em silencio seus sorvetes que aquela altura já derretia. Continuaram conversando sobre assuntos banais até que chegaram à floricultura da família de Ino. A mãe dela atendia os clientes e sorriu ao vê-las.

- Oi, meninas. – Ela sorriu pra elas que corresponderam e continuou atendendo os fregueses.

-Obrigada pela conversa Hina. – Ino disse sorrindo para amiga.

-Obrigada pela ajuda com os vestidos. – Hinata disse brincando.

- Não agradeça, é bom passar o tempo com vocês. Melhor que ficar dentro de uma penitenciaria. – Elas riram e se abraçaram.

-Ahn, Ino, poderia separar um ramalhetes de lírio para mim?

-Mas é claro, Hina. – Ino sorriu saindo pela loja e separando algumas flores de lírio. Colou uma fita azul e entregou para Hinata. – É um presente, pela conversa. Ah, e diga ao Neji que todos sentimos sua falta.

- Obrigada. Eu direi. – Hinata olhou para as flores com o olhar marejado. Iria colocá-los no túmulo de Neji. – Até Ino.

-Até Hina. – Ino deu tchau pra ela, e um pouco antes delas desaparecer pela porta lembrou-se do aviso. – Hinata! – Ela gritou assustando alguns clientes. Correu até ela que ficou parada na porta esperando. – Esteja amanhã as oito, no escritório da Hokage.

-Obrigada, eu estarei. – Ela sorriu, sabia que a amiga havia feito e seria imensamente grata.

Hinata partiu, iria ao cemitério ver Neji e depois tinha que arrumar as compras que fez. Foi um dia cheio, com toda certeza tinha muito que contar a Neji. Então ela sorriu e começou a andar.

 

 

 

 

~+~

 

 

 

 

 

O Uchiha estava deitado. Passava uma grande parte do dia assim. Estranhou que Ino ainda não tinha chegado, mas estava feliz em ter mais tempo para ele, e mais feliz ainda em ver o tempo passando, já era o terceiro dia desde que a Yamanaka lhe contara sobre seu julgamento. Mas fechou a cara assim que ouviu os passos característicos acompanhado de outros três.

-Kami-Sama me dê forças.

Esperou mais um pouco e ouviu a grade ser aberta. Isso era novidade. Sentou-se despreocupadamente em sua cama e ouviu apenas um passo entrando, logo foi fechada novamente.

-Ohayo, Sasuke-kun. – Ouviu a voz da Yamanaka, logo sentiu encostando-se a seu rosto, e por extinto desviou delas. – Sasuke-kun, Tsunade falou com o conselho sobre seu bom comportamento, e decidiram tirar sua venda.

-Hm. – Ele apenas maneou em concordância, mas no fundo estava muito feliz por poder ver novamente.

Ela se aproximou novamente, e retirou as trancas, mas antes de desfazer o selo falou baixinho para que apenas ele escutasse.

- Ela também liberou algumas visitas controladas. Algumas já estão aqui. – Depois disso ela fez o selos e a venda soltou do rosto dele.

Levou um tempo para que se acostumasse, tampou os olhos e foi abrindo aos poucos se acostumando por fim, á claridade. A primeira coisa que estava a sua frente eram as grades que o dava visão do lado de fora, e ele percebeu que o dia ainda estava amanhecendo. Ficou um tempo observando as poucas estrelas ainda restantes no céu, e principalmente para a lua.

-SASUKEEEE ! – Ele respirou fundo, virando e dando de cara com Naruto o gritando do lado de fora da cela, junto com Sakura e Sai.

-Não grita, idiota. – Sasuke disse com um leve sorriso.  

- Está tudo bem, Sasuke-kun? – A Yamanaka perguntou o encarando. Ele apenas maneou com a cabeça.

Ino saiu da cela a trancando novamente, depois ficou encostada na parede em frente a cela para dar o máximo de privacidade que a situação de Sasuke permitia ter. E Sasuke não deixou de perceber, ela estava longe de Sai.

- Sasuke-Kun, senti tanta sua falta. – Sakura disse se agarrando as grades. – Estão te tratando bem aqui?

-Ora, Sakura-Chan, mas é claro que estão. O teme está ótimo.

-Mas não é assim idiota. - Sakura deu um soco em Naruto. – Ele deveria ter uma medica especializada com ele o tempo todo para monitorar o implante do braço. – Ela olhou novamente para Sasuke e grudou nas grades. – Me desculpe não está aqui com você Sasuke-Kun, eu tentei. Juro que tentei.

- Menos, Sakura, eu estou ótimo. – Ele revirou os olhos, depois olhou novamente para Naruto. – Obrigada por tudo Dobe.

-Ah, deixa disso, Teme. Agora o time sete está oficialmente de volta. – Naruto abraçou Sakura e Sai sorrindo.

Eles conversaram por um tempo, onde Sasuke escutava e ocasionalmente concordava com eles, mas mesmo assim era muito para eles. Depois do tempo determinado Ino teve que parar a conversa.

-Desculpem-me. – Ela foi para frente da cela para que pudessem notá-la, por mais que a tivessem ignorado o tempo todo. – Mas acabou o tempo.

- Ah, foi tão pouco Ino-Chan. – Naruto a olhou com carinha que deveria ser para convencê-la, mas a Yamanaka só levantou uma sobrancelha. – O.k, Entendemos...

-Não! – Sakura foi até a frente de Ino com um dedo apontado em sua cara. – Exijo permanecer mais tempo. Na verdade, eu exijo entrar, quero poder ver como está o estado do implante do Sasuke-kun. Sei que ele não está sendo bem cuidado aqui com você.

-Sakura-Chan para com isso. – Naruto pegou o braço da rosada fazendo ela lhe olhar, mas estava com muito ódio, ele percebeu. – Tsunade que a colocou aqui, ela quem cuida do Sasuke-kun.

-Eu sei muito bem como ela cuida do, Sasuke-Kun. – Sakura a olhou de cima a baixo, com maliciosidade e raiva. Ino arregalou os olhos e olhos para Sai, este nem mesmo a encarava, e sim fuzilava o Uchiha com o olhar.

-Sakura. – Ino fechou os punhos em sinal de raiva. A moça a olhou com deboche. – Se não está contente por eu estar tratando Sasuke-kun, o problema é todo seu. A Hokage está satisfeita com o meu trabalho, e o implante de Sasuke está ótimo. Não venha até o meu trabalho me ofender. Se quiser está aqui, vá e fale isso diretamente a Tsunade-Senpai, por que eu não sou obrigada a te aturar. Agora, vá embora daqui.

-Eu vou, mas eu voltarei para tomar conta dele. – Sakura a encarou em fúria e saiu batendo o pé.

-Desculpa Ino-Chan, ela não está muito bem hoje. – Naruto sorriu e olhou para Sasuke. – Até mais, Teme.

O Uchiha maneou a cabeça em direção a Naruto como despedida. Sai ficou e olhou de um para outro, encarou o Uchiha uma última vez, e sem se despedir, saiu. Ino ficou a espera que ele voltasse e dissesse algo, mas ele não veio.

- Eu não acredito que Sai acreditou nela. – Ino levantou a voz e seu olhar foi pra Sasuke que estava com uma cara confusa.

- Tome cuidado Yamanaka. – Sasuke suspirou e a olhou. Não que fossem amigos, mas ela o ajudou, e de certa forma, tinha uma divida.

-Cuidado com quem Sasuke?

- Você sabe.

Sim, ela sabia. E ela não permitiria que aquela vaca de cabelo rosa atrapalhasse sua vida mais do que já atrapalhou, estava enganada.

 


Notas Finais


♥️♥️ link do vestido que a Hinata experimentou.
https://br.pinterest.com/pin/822962531889667527/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...