1. Spirit Fanfics >
  2. She Is Art - Timothee Chalamet >
  3. SHE, pilot

História She Is Art - Timothee Chalamet - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


— Ela é como um
personagem de um livro,
ela é perfeita e moldada,
sua beleza contagia
qualquer homem
seus olhos castanhos,
me deixam alucinado.
Latifa é como uma oba de arte.

Capítulo 1 - SHE, pilot


Fanfic / Fanfiction She Is Art - Timothee Chalamet - Capítulo 1 - SHE, pilot

NEW YORK, Timothee Chalamet

ADENTREI O ESTABELECIMENTO, enquanto ajeitava meus cabelos negros com meus dedos. Alguns olhares voltaram-se para mim e meus passos iam seguidos para o balcão. Onde eu me inclino e levanto um dos meus dedos para fazer o pedido de toda manhã. 

— Oi, Timothee! Bom dia! — Alika cumprimentou-me. — Vai querer o mesmo de sempre? — a própria sorriu, ajeitando os pratos sobre o escorredor. 

— Bom dia. O de sempre, Ali! — respondo a mulher, sorrindo largo e vendo ela anotar no papel, pendurando-o sobre a pequena janela.

Assim que faço, aguardo para que ele fique pronto. 

No mesmo instante em que tiro minha atenção do movimento que estava na cozinha, percebo alguém dar um pequeno tropeço e algumas coisas caírem sobre o chão. Incluindo o livro de Dune, uma das obras que estou trabalhando duro e me preparando para dar vida. Sem ao menos pensar, abaixei-me na altura da mulher – que abaixou-se rapidamente, começando a recolher tudo, assim que recebeu alguns olhares, comecei a recolher e organiza cada pasta branca que estava jogada sobre o chão bem limpo e brilhoso da cafeteria. O tom marrom era maravilhoso, fazendo contraste com o tom cinza e branco daquele lugar. 

— Olha, estou te dando trabalho. — disse ela, em meio aos resmungos. 

Pude ri baixinho e organizar tudo no balcão, assim que me levanto. 

— Jamais. Estou te ajudando. 

Recolho seu aparelho celular e o livro, após vê-la se levantar. 

A mesma ajeitou os cabelos feitos pelas tranças finas, enquanto eu me levantava e ficava ao lado da mesma, que estava entretida demais, organizando cada folha que havia se perdido ou misturado.

— Me perdoe, pela confusão. Eu estava sendo muito, desastrada. A correria para estar disposta ao próximo trabalho, não é fácil. — disse e finalmente tive sua atenção. 

Suas bochechas tinham uma cor carmesim fraca, juntamente dos seus olhos um pouco estreitos, através da armação divertida de seus óculos. Que me lembrava muito Harry Potter. Por algum motivo. Mas seu rosto me era familiar, teria o visto em algum tipo de programa ou talvez vagando pelas ruas de Nova Iorque. 

— Da para ver o quanto está... apressada. Gostei das armações dos óculos, me lembra Harry Potter. — por algum motivo, a mesma sorriu sem jeito e desviou o olhar.

— Para alguém, que é uma super fã. — ajeitou os óculos com cuidado. — Além do mais, eu te conheço. The King é um grande filme, Chalamet. Um dos meus favoritos. — disse ela, em um tom divertido. 

— Ah, isso é bom. Obrigado. — agradeço abrindo um sorriso largo e orgulhoso. — Mas somente The King?

— Sim, por enquanto. Aliás, não querendo te surpreender ou assustar, mas de alguma forma, trabalharemos juntos em Dune. — acabo por ficar surpreso e aos poucos me recordar de onde a conhecia. 

Os olhos castanhos não mentiam, quando eu a conheci em pleno reunião para Dune. Isso, para o filme e a semelhança se Rue Bennett batia IGUAL a dela. Bingo! Era Ltifa Malaika. Uma garota extraordinária e bem sucedida. Tinha um potencial incrível. 

Agora eu sabia de onde a conhecia.

Só não pude reconhecer tanto – de cara, pelos cabelos e as roupas. Que para ela, pareciam confortáveis. Latifa estava diferente da mulher, a qual conheci antes.

— Oh céus! Me perdoe, não a reconheci. Pelo cabelo e as roupas. — passo a mão no rosto, rindo e negando. — Latifa! 

— Well... em carne e osso. — disse em um tom brincalhão, erguendo sua mão. — Eu te perdôo. Não há problema nisso, Chalamet. Eu estou diferente, reconheço esse fato. 

— Fato? — nós rimos. — Você literalmente está diferente daquele dia.

— Tecnicamente, estava em gravações para Euphoria. E tinha acabado de chegar de um dia exaustivo. — sorriu sem jeito. — Vou querer este, Ramalho. — apontou para o pedaço de torta. — E um capuccino. — o homem concordou com um sorriso em seu rosto. 

— Como vai seu papel como Rue? — sou curioso. 

— Está indo bem. Tecnicamente, otimamente bem. Estamos entrando nos fins das gravações e logo estarei me enquadrando a Dune. — disse ela, pegando seu capuccino e o pequeno prato que carregava o pedaço de torta.

Alika trouxe minha bandeja e eu peguei.

— Isso é bom. Mal posso esperar para pode te ver. — ofereço minha bandeja. — Melhor por as coisas aqui. Não irá conseguir carregar tudo isso e seu café da manhã. 

Sua risada anasalada soou e a mesma depositou seus pedidos. Concordo e sigo com ela em direção a mesa que a própria escolheu, assim que recolheu seus pertences. 

— Esqueceu seu celular. — olho para o balcão e volto alguns passos, pegando o aparelho. Voltando a seguir a mesma.

— Esqueci? — virou-se confusa e eu mostrei o aparelho fino, sorrindo. — Oh, Timothee. Você é um anjo. — riu e negou. — Obrigado.

Por fim, nos acomodamos na mesa e observamos o movimento ao lado e fora. 

Os olhos castanhos dela me chamavam a atenção, eles estavam tão fixos e dispostos a capturar cada pessoa que andava sobre a calçada ou movimento ali. Eu analisava cada careta ou até mesmo sorrisos curtos que ela dava. Tinha medo de tirar a atenção da mesma, já que ela estava perfeita observando cada detalhe que ocorria ao meio daquela manhã movimentada em Nova Iorque. 

— Está empolgada, para Dune? — comi um dos meus biscoitos, vendo a mesma retornar sua atenção para mim. 

— Muito. — sorriu grandemente. — É um trabalho incrível e eu estou animada para isso. — disse em um tom ansioso, pegando o garfo e enterrou o mesmo sobre um pedaço da torta. — E você? 

— Ansioso. — nós voltamos a ri. — Espero que tudo ocorra bem e tenhamos um bom desempenho. — bebo um gole do café.

— Eu também espero. Mesmo que fique insegura algumas vezes. — confessou, rindo baixinho.

Ela assumiu um semblante um pouco cabisbaixo, mas não deixou o sorriso morrer, apenas o diminuiu. O que me fez deixar de lado um pouco daquele café e focar diretamente nela. 

— Ei, estarei lá com você. Mesmo estando com medo. Vai por mim, para quem faz Rue, pode enfrentar o papel da Chani. — Malaika acabou por sorri e eu ofereci a mão, vendo ela encara-la e logo segura-la. — Estarei te apoiando e ajudando, Latifa.

— Obrigado, Timothee. — concordou, mordendo seu lábio inferior com cuidado e sorrindo. 

Pude sorri, enquanto observava ela degustar de sua torta e voltar a falar sobre seus papéis. Eu não me cansaria de ouvi-la todos os dias, se possível fosse. Cada traço dela e cada detalhe, jeito, modo de falar. 

Por céus, como ela era tão... ela?

— Obrigado, o café foi maravilhoso, Timothee. — disse ela, abrindo um sorriso largo.

— Que nada. Ainda estou super magoado por você não ter deixado com que eu pague a conta. — deixo um pequeno bico transparecer e a própria corou, soltando uma risadinha.

— Afinal, eu acharia estranho, se deixasse você pagar. Sou muito... chata com coisas assim. — concordo e acabo sorrindo. — Mas, quem sabe da próxima?

Pude sentir meu coração acelerar levemente e um sorriso crescer em meus lábios, quando ela disse que talvez acontecesse a segunds vez. O que me fez criar ou alimentar uma pequena esperança dentro de mim. A mesma acenou para o taxi, enquanto eu estava parado, observando cada passo dela. 

Tão perfeita e um pouco desastrada. 

Ela conseguia ser apenas ela. Sem menor esforço. 

— Eu preciso ir. — a morena disse, assim que o carro encostou ao lado. 

— Ah, é... — acordo dos meus pensamentos. — claro, claro. — concordo animado. — Então, te vejo?

— Sim. Amanhã o que acha? As oito, aqui em frente. — disse apressada, entrando. 

Seguro a porta para a mesma.

— Certo, te espero as oito, aqui. — antes mesmo de fechar a porta, pude vê-la sorri. 

Assim que a própria sorriu, fechei a porta e acenei, vendo o motorista da partida. Antes de voltar a andar, vejo ela se virar no banco de trás do automóvel e acenar. Retribuí o aceno, abrindo um sorriso largo em meu rosto. 

Ela era tão ela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...