1. Spirit Fanfics >
  2. She Loves Control >
  3. Pressentimento ruim

História She Loves Control - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura ;)

Capítulo 21 - Pressentimento ruim


As coisas de Lena estavam dentro de uma mala. Havia feito sua escolha e no fundo elas sabiam que ela precisava desse pequeno passo para finalmente colocar um ponto final em toda aquela história.

-Então... é isso – Disse Kara tentando inutilmente quebrar todo o gelo que as envolvia, não queria que Lena partisse.

-Não é como se fossemos ficar longe – Lena tentou sorrir e tudo que recebeu foi um olhar triste e um sorriso amarelo –Kara, nós vamos nos ver – Assegurou Lena, segurou as mãos da pqeuena Danvers e essa foi a deixa para que as duas outras mulheres saíssem do quarto e as deixassem se despedir.

-Não vai ser a mesma coisa – Afirmou Kara cheia de melancolia.

Kara a envovleu a Luthor em seus braços, a apertando como se não fossem se ver tão cedo. E no fundo tinha muito medo de que isso fosse acontecer, inalou o perfume dos cabelos negros e quando seu rosto ficou relativamente próximo ao de Lena, seus lábios se tocaram em um beijo singelo. Avisaram que a carruagem a esperava e Kara demorou o máximo de tempo possível para largar a Luthor. Mesmo sabendo que cedo ou tarde ela iria embora.

-Fique com isso – Kara tirou de seu pescoço o colar que carregava como se fosse seu amuleto da sorte, o colocou no pescoço de Lena e deixou um brevíssimo beijo em sua testa –Promete escrever para mim assim que chegar lá?

-Eu prometo Kara.

 

                                          *** *** ***

 

-Vai adorar a mansão – Lex parecia genuinamente feliz ao ponto de contagiar até mesmo a própria Lena, mesmo que sentisse falta de uma pequena parte sua, levou sua mão ao peito onde o colar que Kara a dera pesava com o significado.

-E quando vou poder ver a Kara? – Perguntou Lena

-Quando estiver acomodada a mansão, eu mesmo escrevo a ela – Assegurou Lex e segurou a mão de Lena –Estou muito feliz Lena que tenha aceitado, vamos ser uma família...

Ela ainda não tinha um sentido para aquela palavra, é claro tinha uma família, Sam e Ruby se tornaram a sua família, mas não era a mesma coisa. Era um tipo diferente de família, porque elas a acolheram e Lena as escolheu como uma parte grande de sua vida. Mas não era a mesma coisa do que o laço que unia os dois Luthor. A carruagem finalmente parou diante da vasta mansão Luthor. Estava claramente desconfortável, mesmo com seu irmão a assegurando que agora a protegeria.

-Senhor Luthor – O servo leal, como Lena passaria a chamá-lo, os recebeu, olhou Lena de cima a baixo e não pode deixar de notar na cicatriz em seu rosto –Vejo que conseguiu trazer a senhorita Luthor com o senhor...

-Sim e leve as coisas dela para o seu quarto... Lena – Lex segurou a mão da irmã –Eu quero que você conheça tudo, venha...

Ela só precisou de um simples olhar do homem parado com suas malas, para saber que ele não era confiável.

 

                                          *** *** ***

 

-Mas veja quem finalmente lembrou-se que tem amigos na cidade – Winn recebeu a pequena Danvers com um longo abraço –Tenho muitas coisas para contar e pelos rumores que ouvi – Kara enlaçou seu braço ao de seu melhor amigo, já podia sentir seu rosto queimar com os olhares sobre os dois, mais necessariamente sobre ela, cheios de julgamentos e até mesmo raiva –Venha, eu pago seu sorvete...

Eles caminharam pela praça, Kara contou a Winn tudo que havia escondido dele pedindo inúmeras desculpas.

-Eu também tenho uma coisa para contar – Disse Winn e observou sua amiga terminar seu sorvete –Na verdade eu esperava poder contar isso antes, mas... bem... não tinha certeza sobre o que pensava em relação a isso, agora que sabe... é melhor dizer de uma vez...

-Winn, pode parar de enrolar, pensei que eu fosse assim – Kara interrompeu o amigo, suas bochechas estavam levemente ruborizadas e um brilho diferentes decorava seus olhos negros.

-Kara.

A conversa dos dois foi interrompida pelo filho único de Cat Grant. Winn se tornou repentinamente nervoso, o que não passou despercebido pelos dois.

-Adam, é ótimo revê-lo – Disse Kara e cumprimentou com um brevíssimo abraço.

-Estive ocupado, estava pensando em escrevê-la – Ele tirou o chapéu de sua cabeça e ajeitou seu cabelo, estava diferente do que Kara se lembrava –Olá Winn...

-Oi Adam – Os dois apertaram as mãos cordialmente.

Eles se olharam, o encontro não demorou muito. E quando Adam partiu, poderia ser loucura dela, mas viu seu melhor amigo o observando se misturar entre as pessoas.

-O que foi isso Winn? – Perguntou Kara e Winn tentou esconder suas bochechas coradas.

-Isso o que? – Desconversou, mesmo sabendo que sua amiga insistiria até que ele contasse a verdade.

 

                                          *** *** ***

 

A madeira vitoriana não deixava de chamar sua atenção, parecia que tudo no cômodo havia sido planejado pessoalmente.

-Espero que goste, Lilian... – Lex parou de falar assim que o nome saiu de sua boca, era como se estivesse falando alguma maldição e não o nome de sua mãe –Desculpe...

-Está perfeito Lex - Ela assegurou.

-Vou deixar você sozinha...

Enquanto estava caminhando pelos jardins ao lado de seu irmão e ouvia falar sobre seu pai, coisas de sua infância, tudo estava na mais pura felicidade de se estar com a família, mas agora, sozinha naquele quarto elegante, ela só conseguia pensar em uma única pessoa. Estava começando a se sentir mais sozinha do que quando fugia de seus parentes. Então decidiu que escreveria uma carta para ela.

 

-Então diga a ele que quero tudo isso resolvido o mais rápido possivel, quero o terreno limpo...

-Sim senhor – O mensageiro colocou as cartas do Luthor dentro da bolsa que carregava.

-Lex – Lena desceu as escadas da luxuosa mansão, felizmente a tempo de ver o mensageiro dos Luthor ainda parado na porta –Pode entregar essa carta? – Perguntou ao garoto.

-Lena, você não precisa pedir a ele para fazer isso – Lex entregou a carta ao garoto, não sem antes ver o endereço –Venha tenho um recado ao prefeito – Lena os viu atravessar a porta, Lex tinha o braço em volta dos ombros do garoto –Essa carta não precisa chegar lá.

O garoto só precisou dar uma brevíssima olhada no patrão para saber o que ele queria insinuar, sempre tinha calafrios toda vez que olhava tempo demais aqueles olhos cinzas. Já havia ouvido rumores do relacionamento entre as duas, não que tivesse uma opinião formada sobre isso diferente de todos da cidade, enquanto corria pela estrada de terra se atreveu a dar uma olhada no endereço da carta, era para Kara Danvers, particularmente ele gostava da filha mais nova dos Danvers, ela sempre foi gentil, com todos os garotos da cidade. E alguns até guardavam uma paixão secreta por ela, e ele era um desses garotos. Entregou todas as cartas do chefe e continuou com aquele peso em seu bolso, porque estava com a impressão de que o papel em seu bolso estava pesando, talvez fosse a culpa de obeceder seu chefe. Apanhou mais uma vez o envelope bem dobrado, a casa dos Danvers não estava tão longe tudo que precisava fazer era correr um pouco mais e estaria lá.

-Se não perder essa cara de tristeza eu vou dar a você uma razão de verdade para estar assim – Alex assegurou cansada de olhar para irmã e ela demonstrar cada vez mais sua infelicidade –Por favor – implorou e Kara ajeitou sua postura na cadeira.

-Eu quero voltar para o meu quarto...

-Você não vai mofar naquele lugar, precisa de sol, de pessoas a sua volta. Não fez nem um dia em que Lena foi morar com o irmão.

Só estavam as duas no jardim. Então, quando ouviram os passos apressados viraram-se para o garoto suado e ofegante...

-Senhorita Danvers – o garoto quase tropeçou nos proprios pés quando se aproximou das duas.

-É o mensageiro dos Luthor.

-Tenho uma mensagem para você – Disse e entregou o papel amassado dado sua correria.

-Finalmente Lena me escreveu – Kara apressou-se em abrir a carta, enquanto o garoto bebia a água oferecido por Alex.

 

Querida Kara,

Tenho certeza, de que deve estar ansiosa por notícias. Bem, tudo esta indo muito bem. Bem até demais eu diria. Meu irmão me apresentou toda a mansão, pelo menos a parte que acreditava ser de importância, é uma linda casa e com um quarto decorado especialmente para mim, quero muito que conheça e aguardo ansiosa a sua visita. Estaria mentindo se disse-se que não sinto sua falta, me sinto sozinha nessa casa exageradamente enorme. Gostaria de vê-la o mais breve possível.

Com amor,

Sua Lena.

 

-Então o que ela disse? – Perguntou Alex assim que a irmã sentou-se novamente.

-Está se sentindo sozinha e quer me ver.

-Vocês não enjoam uma da outra? – Alex tentou fazer sua irmã sorrir, mas a sentiu mais preocupada do que antes –Qual o problema Kara?

-Só um pressentimento ruim.


Notas Finais


Comentários? ;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...