História She Loves Control - Capítulo 12


Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Emily Fields, Hanna Marin, Spencer Hastings
Tags Emison
Visualizações 72
Palavras 1.533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoinhas, tudo bem com vocês? Esperamos que sim!
Obrigada pelos favoritos e pelos comentários, isso nos incentiva muito a continuar!
Esperamos que gostem do capítulo de hoje!
Boa leitura amores <3

Capítulo 12 - Pedra do Beijo


Fanfic / Fanfiction She Loves Control - Capítulo 12 - Pedra do Beijo

POV EMILY

—E você quer fazer o que em Paris com ela, Hanna? – Alison perguntou olhando diretamente para a loira.

—Não é óbvio? – Hanna perguntou e sorriu para mim.

—Emily?! – Ouvi alguém me chamando e respirei aliviada ao ver que era Verônica. —Pode vir até o meu escritório?

—Claro! – Falei e levantei rapidamente para correr até o escritório.

—Como foi o ensaio? – Verônica perguntou enquanto eu me sentava na cadeira de frente para sua mesa.

—Foi ótimo! Hanna é muito fotogênica, ela se saiu muito bem, as meninas me ajudaram muito, o ensaio foi maravilhoso… Foi tudo maravilhoso! E a Spencer é muito talentosa! Ela é muito detalhista, sabia? – Perguntei empolgada.

—Eu sei, ela se empenha muito em tudo que faz.

—Você deve ser uma mãe muito orgulhosa! – Falo sorrindo e Verônica sorri.

—Bom, mas não te chamei aqui para falar sobre a Spencer… Eu te chamei para te fazer uma proposta!

—Que proposta?

—Emily, eu quero ver as fotos que vocês e as meninas tiraram hoje e mostrar para algumas galerias de Filadélfia. Podemos começar por lá e depois ampliar os horizontes. O que acha?

—Perfeito! Pode fazer como achar melhor!

—E outra coisa... Eu recebi algumas propostas pela foto da Alison, mas acho que é melhor demorarmos mais para nos decidirmos, assim eles nos oferecem mais dinheiro, entende? – Assenti com a cabeça enquanto Verônica pegava alguns papéis. —Essas são as propostas até agora.

—Mas é muito dinheiro! – Exclamei surpresa.

—Não é o suficiente para você se reerguer, entende? – Assenti com a cabeça e a encarei. —Precisamos trabalhar bastante para retomar sua carreira!

—E eu vou! E assim que eu puder, eu vou te pagar por tudo que está fazendo por mim, a Spencer e…

—Emily, pare com isso! Nós estamos fazendo isso porque acreditamos no seu talento! Eu acredito no seu talento e vou fazer o que posso para te ajudar, tá bom?

—Hoje o dia foi muito divertido, acho que vou acompanhar vocês em mais ensaios! O Fofucho também amou, não amou Fofucho? – Mona perguntou ao cachorro que deu um latido.

—Foi bom ter vocês dois com a gente também! – Alison falou sorrindo e abraçou Mona para se despedir.

Repeti o mesmo gesto que Mona e agradeci pela força e apoio que ela estava me dando. Eu sabia que Mona falaria que não precisava, pois ela sempre foi e sempre será minha melhor amiga, mas mesmo assim, não custa agradecer, certo?

Entramos no carro e eu acelerei rumo a casa da Alison, ela não falou um a desde que saímos da casa da Spencer e eu temia puxar assunto com ela.

—Está tudo bem? – Perguntei insegura.

—Está sim, só estou cansada! – Alison afirmou sem nem me olhar.

—É, o dia foi bem cansativo mesmo, eu só quero um banho. – Falei e Alison apenas assentiu.

Fizemos o resto do trajeto em silêncio e sempre que eu estava falar algo, Alison respondia de forma breve e cortava o assunto.

Estava me perguntando se Alison tinha se incomodado com o que Hanna me falou lá na casa dos Hastings e queria perguntar se era esse o motivo pela expressão em seu rosto. Mas achei melhor ficar quieta e deixar ela falar no tempo dela.

—Eu te vejo amanhã? – Perguntei assim que estacionei o carro.

—Claro, eu te ligo! – Alison falou rapidamente e se aprontou para sair do carro.

—Alison, espera!

—O que foi? – Ela perguntou brava e se virou na minha direção.

Me aproximei dela com calma, puxei seu rosto para perto do meu e beijei seus lábios sem pressa. Deixei minha língua deslizar para dentro da sua boca sem pressa e degustei do seu hálito doce e quente.

—Boa noite amor! – Falei sorrindo.

POV ALISON

Emily me deixou em casa tarde da noite, passamos o dia todo tirando fotos e mais fotos. Entrei em casa, subi para meu quarto e tomei um banho demorado. A vontade de Hanna de ir para Paris com Emily me deixou irritada e consequentemente, de cara feia.

Eu sabia que minha amiga não tinha más intenções, mas não pude deixar de sentir ciúmes de Emily e de tudo o que vivemos na França.

Eu precisava controlar mais meu ciúmes ou acabaria “espantando” Emily para longe de mim. Eu precisava fazer algo para isso mudar, e acho que já sabia como, só restava saber se daria certo.

Fui dormir de madrugada, pois fiquei repassando todo meu plano na minha mente, eu queria que fosse perfeito e que nada saísse do controle. Emily merecia o melhor e eu faria questão de proporcionar isso a ela.

No dia seguinte, fui direto para o restaurante dos Fields, Emily estranhou minha presença ali, mas eu prometi que a ajudaria em todos os quesitos daqui para frente.

A ajudei lavar as louças, montar os partos e servir alguns clientes. No fim do dia, o senhor e a senhora Fields insistiram em me pagar, mas eu recusei o dinheiro deles, pois sabiam que estava sendo difícil para eles.

— Você quer carona para casa? – perguntou Emily.

— Na verdade, eu queria sair ainda hoje, queria te levar a um lugar.

— Que lugar? – perguntou ela curiosa.

— Não vou dizer, é segredo. – respondi sorrindo.

— Tudo bem então, vamos comigo deixar meus pais em casa e depois sigo suas coordenadas senhorita DiLaurentis. – gracejou Emily.

— Por mim tudo bem. – concordei.

Aproveitei a deixa e mandei mensagem para Spencer perguntando se tudo tinha dado certo, depois de reclamar mil vezes de Hanna, Spen acabou dizendo que estava tudo conforme eu pedi.

É claro que eu não poderia resolver tudo sozinha e sabia que minhas amigas me apoiariam na decisão que tomei, e ainda fizeram questão de me ajudar a acertar tudo.

Emily deixou os pais em casa e eu guiei pelo caminho que conhecia muito bem. Fazia muitos anos que não ia a esse lugar, mas eu sabia que era especial para muita gente e eu queria que fosse para nós também.

Fizemos o trajeto em completo silêncio, apenas se ouvia o som de nossas respirações e uma música leve que tocava numa rádio.

Depois de 30 minutos, finalmente chegamos no antigo acampamento de Rosewood, eu sempre vinha aqui com Spencer, Hanna e Aria quando éramos crianças. O lugar acabou sendo fechado e abandonado. Algumas pessoas ainda vinham aqui dar festas ou simplesmente fugir da realidade, mas principalmente para namorar.

Entrelacei a mão de Emily e a guiei entre as árvores que circundavam o local, a morena olhava tudo a sua volta sem esconder a curiosidade.

— Alison...

— Ainda não chegamos. – a cortei da forma mais gentil possível.

Chegamos até uma pedreira enorme, a famosa Pedra do Beijo, onde alguns casais iam para selar suas uniões ou simplesmente fazer suas juras de amor.

Havia uma mesinha ali como eu tinha pedido para minhas amigas, com um castiçal de velas vermelhas, pétalas de rosas espalhadas pelo chão, vinho e uma forma pequena de lasanha.

Dei instruções para as meninas organizarem tudo e rezei para que nenhum bicho devorasse nossa comida.

— Alison, você preparou tudo isso? – perguntou Emily enquanto nos aproximávamos da mesa.

— Como eu poderia? Estive o tempo todo com você. – falei puxando sua cadeira e depois me sentei a sua frente.

— Não me diga que Spencer...

— Hanna e Aria. – completei sorrindo. — É, foram elas. Mas a ideia foi minha! – falei convencida e Emily sorriu selando nossos lábios logo depois.

Nos ajeitamos a mesa e começamos a comer, Emily contava como foi o dia dela antes de eu aparecer e confessou-me que ficou preocupada comigo, pois achou que eu tinha ficado brava com ela por causa de Hanna.

— Não fiquei brava com você. – disse assim que ela terminou de falar. — E também não fiquei brava com Hanna. É só que...

— Paris é especial?

— Exatamente. E era até sobre isso que eu queria falar com você hoje. – falei bebericando meu vinho logo após. Emily se ajeitou na cadeira e me olhou ainda mais curiosa.

— As surpresas ainda não acabaram?

— Não. – falei sorrindo. — Bom, eu não sei como você vai reagir ao que vou te dizer agora, mas as vezes é preciso se arriscar, não? – perguntei e ela apenas assentiu. – Ontem eu percebi o quanto me sinto incomodada quando tenho que dividir sua atenção. Eu tenho pensado muito sobre nós duas Emily, e eu já não consigo não pensar em você, eu não consigo fazer algum plano sem você estar incluída nele. Pode ser cedo e eu posso estar cometendo o maior erro da minha vida, mas se tem uma coisa que eu aprendi é que as vezes temos que dar nossa cara a tapa, quem tem medo de sofrer, não merece o melhor da vida. Então eu quero me jogar sem medo nesse sentimento, eu quero poder olhar para você e saber que seu coração só pertence a mim. Eu quero te chamar de minha, quero morrer de ciúmes, quero brigar, quero chorar, desde que seja com você. Ontem, quando Hanna falou de Paris, quando ela falou que queria que você a levasse também... foi então que percebi, que não havia como negar ou fugir, eu preciso aceitar o fato de que mesmo cercada por uma multidão, tudo o que eu preciso, só consigo encontrar em você. Quer namorar comigo, Emily Fields?


Notas Finais


E ai? O que vocês acharam? Um beijo e até mais! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...