1. Spirit Fanfics >
  2. She-ra e algumas aventuras >
  3. XIX - De Volta ao Lar

História She-ra e algumas aventuras - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Adiantei tudo aqui nesse dia de folga e estou dando continuação mais rápido ao capítulo. Boa leitura amores

Capítulo 19 - XIX - De Volta ao Lar


POV FELINA

Foram duas longas horas até chegarmos a Etheria. Estava claro que não haveria pouso, D tentava de todos os modos ajeitar parte da nave até mesmo com magia e eu só me preparava para a morte. Era estranho pensar que eu tinha passado tão pouco tempo namorando a Adora. A três meses atrás ela havia me pedido em namoro e nenhuma daquelas datas de mesversários eu tinha passado ao lado dela. Me encolhi em um canto da nave abraçando os joelhos me entregando a dor que sempre esteve ali desde que eu parti. Se eu tivesse sorte, meu corpo poderia ser enterrado. Fiquei imaginando como Adora ia ficar quando soubesse que eu tinha morrido. Talvez ela estivesse no espaço agora a minha procura. Pior era pensar que talvez ela nunca voltasse para Etheria na intenção de me achar, a loira nunca desistiria de mim, disso eu tinha certeza.

Fechei os olhos e vislumbrei um futuro em que eu e a Adora não estaríamos juntos. Consegui ver o Melog correndo com o Ventania, os braços de Arqueiro em volta da Cintilante, Gélida e Micah como pai e filha. Vi minha amiga que eu tanto tentei afastar segurando um buquê de rosas enquanto Perfuma acariciava seus cabelos. Netossa e Spinnerella com dois gêmeos as rodeando enquanto Falcão segurava a mão de Serena. E em um laboratório distante estaria o Hordak e a Entrapta junto ao Hordak errado. Todos felizes com seus pares, com as pessoas que eles escolheram estar.

Numa visão, imaginei a Adora. Ela não estava sorrindo como todos os outros, seus olhos azuis como o céu tinham perdido o brilho, os cabelos soltos como se já não ligasse para manter o velho penteado. Ela não estava bem. Tentei imaginar um futuro em que a minha namorada ficasse bem sem mim. Eu estava falhando todas as repetidas vezes que eu tentava fazê-la sorrir. Achei que era arrogância minha pensar que ela não seria feliz sem mim em sua vida e pressionei os olhos na intenção de enxergar esse futuro. O futuro que iria acontecer. Balancei a cauda frustrada.

* Atmosfera de Etheria se aproximando, permissão para pousar? *

- Permissão negada.

- O que está fazendo aí? Se entregando a morte mais rápido? — Não respondi. Ele ainda tinha a audácia de tentar zombar de mim. Nós íamos morrer e a culpa era dele.

- Caso você não saiba, sem sistema de pouso, sem pouso, nós vamos cair e depois a nave vai simplesmente explodir, gênio — Eu estava sem paciência já, mas tive que responder para ver a reação dele.

- Você não vai morrer — Ele falou de modo sombrio. E dessa vez eu simplesmente surtei, não acreditava que ele estava sendo tão estúpido.

- VOCÊ É BURRO OU SE FAZ? — Perguntei gritando a plenos pulmões.

- Você não vai morrer, mas eu vou — Fitei-o confusa e ele completou — A nave tem um sistema de ejetar, mas só está disponível para uma pessoa.

- Porque está fazendo isso por mim? — Nunca tinha o enxergado como nada mais que um idiota ladrão de vidas.

- Porque a Adora já perdeu coisas demais e eu sei que você é a coisa mais importante para ela — Ele confessou cansado, pela primeira vez em dias eu vi um homem refém das perdas, seus olhos estavam fundos por causa das noites sem dormir e o rosto aparentava ter envelhecido cem anos em apenas algumas horas.

- Eu trouxe você porque você é a pessoa mais parecida comigo, eu queria te conhecer, e não vou mentir, o principal era ter controle sobre a Adora também — Encarei ele.

- Podia ter chegado de uma maneira mais amistosa — Falei enquanto ele sentava em uma cadeira.

- Eu perdi toda minha família, Felina, só me restou a Adora. Entre correr o risco de ser rejeitado e levá-la para começar uma nova vida acha que qual a alternativa seria mais segura? — Eu não respondi. No lugar dele, eu teria tomado a mesma decisão. Tentei transformar a realidade em um lugar que eu queria viver junto com Adora e quase a destruí, não tinha moral para julgar escolhas.

- Temos quanto tempo? — Perguntei e senti um puxão para baixo. Já estávamos caindo.

- Iniciar protocolo ejetar em emergência Ele gritou para nave e uma cadeira brotou do chão metálico.

- Sente-se e respire fundo — Ordenou rapidamente.

- Adeus, Felina, cuide bem da minha sobrinha e não se esqueça da profecia. Eu sei que não acredita, mas ela é real. Mande as minhas sinceras desculpas para Adora por sua memória — Ele apertou dois botões e imediatamente as correias presas ao meu corpo a três meses atrás saíram e eu nem pude responder nada. Já estava em queda.

O ar foi sugado dos meus pulmões e um buraco se abriu na espaçonave em queda. Amaldiçoei D por não me explicar antes e pensei logo em seguida que nós não tínhamos tempo. O chão se aproximava com rapidez quando algo eclodiu da superfície metálica. Um paraquedas, ou mini paraquedas e eu parei de cair começando planar. Observei a trajetória da nave, mal sabia eu que aquela cena me assombraria nos meus piores pesadelos.

- Adeus, D — Foram as únicas palavras que eu consegui dizer antes que a carcaça de espatifasse no chão e explodisse causando um enorme estrago em parte da floresta.

Lágrimas brotaram dos meus olhos e eu não sabia que nutrir algum tipo de simpatia por ele era absolutamente normal. Ele tinha apagado a memória da minha namorada, me levado a força e por fim, salvado a minha vida. Tentei conter o choro. Como ele era idiota. O sacrifício corria na veia da família de Adora, parecia que eles sempre estavam prontos para salvar alguém. Tentei me concentrar no fato de que iria ver a loira depois de três meses e meu coração acelerou em resposta. Eu estava em casa.



POV ADORA



Me arrumei rapidamente e fiquei ponderando sobre a roupa que eu deveria ir. Cintilante e Arqueiro me esperavam para nós conferirmos qual era a situação da nave e depois seguirmos rumo a nossa busca espacial. Pensei o quanto seria legal se eu desse uma variada no visual antes de irmos e logo desisti da idéia, o básico era muito mais bem-vindo no momento.

- Vamos Adora, tá botando um ovo aí dentro? — Cintilante me chamava impaciente.

Saí do quarto com meu traje habitual e eles se entreolharam.

- Tem um buraquinho aqui — Arqueiro apontou e foi generoso com o comentário, a gola da minha gandola vermelha estava praticamente destruída.

- Argh — Reclamei em forma de grunhido.

- Acho que tá na hora de mudar seu visual, Adora, dar um up — Cintilante falou animada.

Arranquei a blusa vermelha, abri a porta do quarto novamente e joguei-a no chão.

- Tudo bem, depois veremos isso — Falei enquanto caminhavamos para o local.

- Então vamos lá — E no mesmo instante Cintilante nos teletransportou para o local do acidente.

Me assustei assim que chegamos ao lugar. Não era comum que nós conseguíssemos chegar tão perto assim, com certeza Cintilante previu ficar pelo menos a alguns metros de onde ocorrera a queda, mas a verdade é que tinha feito um estrago enorme e tudo a um raio de 1km estava danificado. Um grande buraco estava feito no chão e a nave se encontrava totalmente carbonizada. Consegui ver algo de familiar na nave, era parecida com a Darla, tinha o mesmo formato e identifiquei como a nave de um dos Primeiros. Meu coração gelou. Cintilante e Arqueiro já haviam chegado mais perto enquanto eu não conseguia me mexer. Aquela nave era do homem que havia levado minha namorada.


- Adora, porque tá parada aí? — Arqueiro e Cintilante tinham parado de vasculhar.


Não respondi e continuei paralisada.


- Adora, tá assustando a gente o que foi? — Cintilante perguntou e teletransportou ela e Arqueiro para próximo de mim.


Eu continuava parada, prendendo a respiração.


- Essa nave é... É do meu "pai" — Finalmente respondi e desabei.


Cintilante e Arqueiro ficaram triste e surpresos imediatamente.


- Vamos enfrentar essa dor juntos — Eu nem conseguia falar. As lágrimas vieram aos meus olhos e eu saí em disparada pela floresta enquanto a forma de she-ra tremeluzia. Não podia ser verdade.


Estava tonta, desorientada, buscando alguma coisa. Alguém. Alguém que eu sabia nem quem era. Tropecei em várias raízes e caí sujando meu rosto, cortando minhas mãos com espinhos. Cintilante e Arqueiro vinham atrás de mim, podia ouvir seus passos mas mantinham uma distância considerável. Até que finalmente encontrei um rio e me ajoelhei. Vi o reflexo da Felina, fiquei ali minutos admirando aquela miragem até que eu cheguei tão perto que caí. Eu sabia nadar, sabia como sair da correnteza mas simplesmente não quis. Deixei que a água entrasse em cada poro possível e minha mente mergulhar na escuridão. O problema é minha mente se recusava a encontrar o vazio. A dor me inundou junto com a água. Pensei em tudo que tinha sonhado viver ao lado da mulher que eu amava. Imaginei tudo que eu gostaria de construir. Eu não teria um final feliz.


Notas Finais


Aaaaaaaaa, ansiosos?????? Prometo que uma fase boa está próxima, amando ler todos os comentários, rindo demais com vocês, bjx mores e aguardem o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...