História She's Different - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Visualizações 412
Palavras 1.653
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Harem, Hentai, LGBT, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Cá estou trazendo o capítulo da semana.

Apenas quero dizer uma coisa sobre a fanfic que esqueci de dizer no primeiro capítulo. Eu tenho uma mania de modificar um pouco a personalidade e possíveis atitudes dos personagens do universo que estou utilizando. Então não estranhem o jeito dos Sakamakis e da Yui pois essa é uma maneira que eu encontrei de adapta-los a minha escrita

Boa leitura

Capítulo 2 - Quem é ela?


Fanfic / Fanfiction She's Different - Capítulo 2 - Quem é ela?

Algum tempo depois

Eu estou acordada já faz uns minutos, Dream foi gentil comigo hoje que milagre, eu estou com bastante preguiça mas quero conhecer a mansão, então pego meu óculos e o coloco, me levanto colocando minhas botas e começo a caminhar para fora do quarto, eu vou primeiro conhecer a mansão por dentro para depois conhecer a parte externa já que é relativamente mais prático para mim

Andava por vários corredores, céus essa casa é tão grande quanto o castelo do Papi, nos corredores só escutava o barulho do salto alto em contato com a madeira, como está muito quieto comecei a cantar para não me sentir tão sozinha

- “Anos a fio memórias e medos que, hoje esquecemos, seguimos enfim. Coisas ocorrem a dor pode ser cruel Isso é real? Ou só déjà vu e agora a festa acaba o público se foi, já passa da nossa hora o dia já começou” – Eu sempre amei essa música pois é ela que meus irmãos cantaram para mim quando estávamos livres daquele monstro, eu já tinha passado por diversos lugares, sala, cozinha, sala de jantar, sala de música, onde Shu estava dormindo profundamente, agora estou indo em direção aos fundo da mansão – “Como balões nós vamos voar livres enfim da dor do nosso lar e como balões que soltos estão livres da história que não saberão”

Algumas pequenas lágrimas escorriam involuntariamente pelos meus olhos fazendo aquelas lembranças voltarem com mais força, enquanto tentava fazer as lágrimas pararem encontrei um belíssimo jardim de rosas brancas

- Que lindo, flores são os únicos seres que a própria Afrodite admira a beleza – Digo me aproximando delas, sei que não estou sozinha, sinto a presença de Subaru por perto – Temos tanto em comum, tão belas e delicadas mas tão bem protegidas com afiados e mortais espinhos, não é Subaru-kun? – Pergunto me virando a tempo de ver ele aparecer na minha frente segurando meu pulso com força

- Fique longe das minhas rosas – Vejo que ele estava extremamente irritado, dou uma pequena risada

- Não farei mal algum a elas, sei que são importantes para você – Digo vendo ele afrouxar um pouco meu pulso – Elas foram plantadas por Christa certo? – Vejo ele se assustar

- Como sabe disso? – Pergunta soltando de vez meu pulso

- Minha mãe me disse, Christa amava rosas brancas e falava que iria ter um jardim só delas, elas são tão lindas quando a própria dona – Digo sorrindo me afastando de Subaru – Sei sobre o que pensa Subaru, quem sou eu? Só o tempo dirá, descobriram sozinhos, apenas irei dizer que estou aqui por vontade própria

Vou andando vendo ele travado no lugar, virando em um corredor me teletransporto para o corredor do meu quarto, onde vou andando até trombar com Reiji que fez o favor de aparecer na minha frente, eu fiquei muito puta da vida porque meu óculos caiu e eu tive que me abaixar para pegar, quando levantei dei um sorriso extremamente falso para o ser a minha frente

- Me perdoe Reiji-san, eu estava um pouco desatenta nem vi você aí – Digo abrindo a porta do meu quarto, vejo ele me estender um uniforme. Ótimo vou ter que voltar pra esse inferno

- Tome cuidado da próxima vez, o jantar será servido daqui a 1 hora, sem atrasos – Diz indo embora.

Entro no meu quarto, pego uma toalha e vou para o banheiro, coloco a banheira para encher e começo a tirar minha roupa em frente ao espelho, vejo minhas diversas tatuagens, dou um sorriso lembrando o significado de cada uma

- Não esperava que tivesse tatuagens – Vejo Ayato brotar, eu simplesmente prendo meu cabelo e entro na banheira

- Sempre gostei de tatuagens, então eu fiz, mesmo meu pai não gostando nada – Digo de olhos fechados escutando os passos do ruivo se aproximarem da banheira – Eu odeio receber ordens então raramente obedeço, meu pai sabe muito bem disso então não teve como me impedir, mas nem todas são tatuagens. – Toco na cobra que tem a cabeça no meu seio esquerdo e vai se enrolando, seu final é na coxa direita, as outras tatuagens são os nomes ou símbolos dos meus irmãos espalhados pelo meu corpo – Essa é minha marca de nascença. A pergunta que não me deixa quieta, o que você faz aqui?

- Estou com sede – Diz se aproximando mais da banheira

- Tem a Yui, ela está no quarto dela deitada na cama, garanto que sua sede vai passar – Digo dando um sorriso extremamente sarcástico – Não é porque eu estou aqui que eu sou obrigada a dar meu sangue para vocês

Quanto mais ele se aproximava mais eu usava meus poderes deixando a água fervente ao ponto do vapor ficar denso e pronto para queimar tudo e todos de tão quente, eu não sou afetada pelo calor então fico de boas, até não sentir mais a presença do Ayato no banheiro fazendo tudo voltar ao normal

- Idiota, pensa que seria tão fácil assim? Pensou errado trouxa – Digo sozinha, depois de mais uns 20 minutos eu resolvo sair da banheira, me seco, passo creme, coloco o uniforme e saiu do banheiro, meu guarda-roupa se abre e de lá sai um sapato de salto alto estilo sapato de boneca na cor preta.

Vou para frente da minha penteadeira e começo a escovar meus cabelos, só agora que percebo que ainda estou usando meus óculos, eu os tiro e limpo eles. Eu não tenho nenhum problema de visão, nenhum demônio tem, eu uso para conter um de meus poderes, ele é horrível pra mim me fazendo até desmaiar, voltando a realidade eu termino de arrumar o meu cabelo e passo um batom vermelho, um delineador e um lápis de olho básico

Depois de tudo pronto coloco meu fone e meu celular no bolso e vou até a sala de jantar onde estão Shu, Reiji e Kanato sentados, eu pego uma cadeira mais afastada deles e me sento, cruzo as pernas e começo a mexer em meu celular ignorando as três presenças ali, depois de uns 10 minutos todos chegam e a comida é servida. Eu como de maneira lenta e com uma postura digna de nobre

- Saya-chan porque come tão lentamente – A songa monga me pergunta, eu termino de mastigar e olho pra ela

- Para que eu não cortar todo o interior da minha boca, meus dentes são extremamente afiados feitos para dilacerar – Digo vendo cada um tendo uma reação diferente, Reiji estava desconfiado, era claro isso. O jogo está se tornando interessante – Mais alguma pergunta Yui-chan?

- Não, nenhuma – Responde com medo, eu volto a comer normalmente, fico pensando se meus irmãos estão comendo comida de verdade. – Saya-chan porque sua saia é maior que a minha?

- Porque eu odeio saia curta, então a minha é mais cumprida – Ela não tinha acabado de falar que não tinha nenhuma pergunta

- Você usa salto, como não gosta de saia? Você é uma mulher – Que comentário extremamente machista a mãe dela deve estar muito arrependida de ter colocado ela no mundo

- Só porque eu gosto de salto não quer dizer que eu tenha que gostar de saia! Que comparação mais retardada – Realmente até meu irmão que é um idiota não faz esse tipo de comparação – E outra eu uso o que quiser independente se sou ou não uma mulher, eu odeio rosa, odeio roupa curta mais especificamente saias, odeio sapatos baixos entre diversas outras coisas que a maioria das meninas da minha idade gostam. Eu não gosto de seguir um padrão, eu crio meu próprio padrão.

Depois disso a mesa ficou um completo silêncio, eu termino de comer, peço licença e me retiro indo até a varanda do meu quarto, falta uns 40 minutos para irmos pra escola, e lá eu vejo um cachorro

- Sei porque está aqui Kira, você sente muito a falta dele não é? – Pergunto ao cachorro que solta um latido em resposta – Eu também, eles são pessoas completamente diferentes agora, perderam o brilho no olhar e isso me machuca de uma forma que eu não sei explicar. Bem acho melhor você ir embora, Reiji não gosta de cachorros, lembre-se do que aconteceu da última vez

- Eu sei disso minha princesa – O cachorro me respondeu por telepatia, algo comum – Se toda essa situação te machucar mais você terá que contar tudo

- Esse é o problema, se eu forçar a memória deles, ela pode se corromper e isso iria destruir minha alma por completo – Digo soltando um suspiro – Bem volte para casa, e avise a ele que estarei voltando pra escola e que é bom ele ficar bem longe de mim caso o contrário o matarei da forma mais cruel possível, dispensado Kira, volte a seus afazeres normais

O cachorro some, eu pego minha mochila e desço as escadas calmamente dando de cara com Reiji

- Está adiantada – Ele diz sem tirar o olho do livro que estava em sua mão

- Odeio me atrasar, então costumo sempre chegar mais cedo do que o horário proposto – Digo calma, eles devem pensar que eu sou um anjo, iludidos

- O que você é? – Ele pergunta finalmente se concentrando em minha pessoa

- Quem sabe – Digo tirando os meus fones do bolso e conectando ao meu celular – Eu só sei que sou diferente de todas aquelas que por aqui passaram

- Porque te enviaram? A Yui não morreu para Ele precisar enviar outra – Shu aparece encostado na parede com a mesma cara de sono do dia inteiro

- Não me enviaram – Vejo a expressão de surpresa na feição dos dois Sakamakis – Como disse ao Subaru, estou aqui por conta própria só isso que posso revelar, o resto terão que descobrir sozinhos – Digo colocando meus fones e ligando a na música “Fake Love” do BTS, pego um livro da minha mochila “Five Night at Freddy’s: Olhos prateados” um livro da franquia de jogos que sou completamente apaixonada.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, qualquer erro por favor me informe.

⌑≫─━━━┉┅∎⋉⋇⋊∎┅┉━━━─≪⌑
╭┉┉┅┄┄┈ • ┈┄┄┅┉┉╮
Pergunta do capítulo:

Qual é o segredo da Saya?
╰┉┉┅┄┄┈ • ┈┄┄┅┉┉╯

Escrevam a resposta de vocês nos comentários.
⌑≫─━━━┉┅∎⋉⋇⋊∎┅┉━━━─≪⌑

Música cantada por Saya - Ballons Jonatas Carmona: https://youtu.be/4yxu4CeE-FY

Fake Love do BTS - https://youtu.be/XLUdnWsaurU

Beijão da sua autora do mal


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...