História Shikamaru e Naruto - Um amor inesperado. - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Personagens Originais
Tags Naruto, Romance, Shikamaru, Shikanaru, Yaoi
Visualizações 50
Palavras 1.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


(nem sei se alguém ainda lembra da minha existência)

eu sei que eu sou uma péssima autora que demora séculos para postar capítulos, mas me dêem um desconto.

eu fiquei muuuito feliz quando vi que a fanfic bateu 81 favoritos, eu nunca imaginei que teria essa proporção. Arigatou, Minna. *-*

boa leitura!

obs: se existe alguém que ainda lê a fic, da um sinal de vida :'D

Capítulo 10 - Veneno


Naruto e Shikamaru se comunicavam por cartas. O vazios dos dois era enorme. A cada carta trocada, um pedaço do coração de ambos ia junto, e cada vez mais a saudade aumentava.
Naruto não consegui dormir direito, duas noites de sono foram roubadas pela saudade imensa que sentia do seu noivo. Queria sentir novamente o calor de seu corpo ao dormir, enquanto suas mãos faziam carinho em seus cabelos. Os dias não eram os mesmo sem ouvir o "Eu te amo" de Shikamaru ao acordar. Dos beijos... Não aguentava mais.

...

Shikamaru agora estava deitado no colchão no esconderijo que dividia com Kakashi, relendo a última carta que Naruto lhe mandou. A saudade não cabia mais em seu peito. Queria que seus dias fossem iluminados pelo sorriso cheio de alegria de Naruto, aquele verão que ele carregava consigo. Agora que ele pôde dar conta do quanto amava aquele loiro cheio de energia. Que saudade ele sentia do seu garoto!

Ele está trabalhando assiduamente com Kakashi no covil de Orochimaru. Estavam em constante perigo, já que ficava em uma Vila povoada em sua maioria por subordinados da Cobra.

Seus pensamentos logo se dirigiram a Konoha, aonde seu noivo residia. Numa noite fria como aquela, o que mais queria era poder abraçar o corpo do seu Loiro, e lhe fazer carinho até pegar no sono. Sentia até falta dos roncos de Naruto, e de como era chutado toda noite pelo seu noivo espaçoso.

A saudade então apertou, e resolveu escrever uma carta pro sei loirinho. Amanhã seria o dia em que ele costumava enviar as cartas.

" Loirinho,

A saudade está apertando cada vez mais, mas acho que cada dia fico mais perto em voltar para seu aconchego.

As coisas estão bem avançadas por aqui, talvez possamos terminar a missão antes de completar um an..."




Foi interrompido , quando ouviu um ruído ao lado de fora. Rapidamente direcionou seu olhar à Kakashi, que fez um aceno dizendo que iria verificar.
Agora havia uma tensão circulando no recinto. Shikamaru esticou as mãos e pegou algumas kunais que estavam na bolsa ao lado de seu colchão.

Um calafrio percorreu sua espinha, ao sentir o roçar de uma língua em sua orelha.

— Shikamaru Nara, hihi. Pelo que pude observar, você está revirando as pistas que deixem para trás. – Shikamaru logo reconheceu a voz de Orochimaru.

— Então essas pistas foram planejadas?! – Shikamaru agora estava aflito.

— Por acaso você estava me subestimando, criança? Acha mesmo que deixaria pistas para trás "sem-querer"? Como você é ingênuo. – Shikamaru consegui se soltar dos braços que lhe prendiam, do mesmo jeito que uma cobra enrola a sua presa.

— Aonde está o Kakashi-Sensei? – Shikamaru estava atordoado, tentando pensar em algo pra sair dessa, mas nada lhe cabia. Afinal, ele estava de frente de um dos Sannins Lendários.

— Não se preocupe, seu sensei está batendo um papo com Kabuto, hihi. – Aquela risadinha só estava deixando Shikamaru ainda mais nervoso. Aquele sorriso cínico não sumia dos lábios de Orochimaru, enquanto uma gota de suor frio brotava na testa do Nara.

— Algo sério deve ter acontecido para você aparece aqui pessoalmente, não é mesmo? – Shikamaru estava realmente curioso. Sabia que Orochimaru não era atencioso assim com todas as vítimas, ainda mas quando estava em lugar repleto de seus subordinados medíocres e iludidos.

— Só existe uma coisa que me deixa com mais raiva do que ninjas intrometidos: ninjas intrometidos da Folha. Eu carrego comigo uma ódio dessa aldeia, aquele velhote do Terceiro Hokage que o diga! Não poderia perder a oportunidade de apagar um ninja dessa aldeia falida com as minhas próprias mãos!.

— M...

Shikamaru estava se preparando para indagar mais alguma coisa, para que desse tempo de Kakashi chegar. Mas foi surpreendido com um golpe em sua barriga que o fez tossir e cuspir um pouco de sangue. Logo sentiu uma leve picada em seu ombro.

Sua visão foi escurecendo, e aos poucos foi perdendo os sentidos. Juntou as únicas forças que tinha, e consegui sussurrar algo que só poderia ser ouvido por ele.

— Naruto...

...

Naruto não estava conseguindo pregar os olhos naquela noite. Por algum motivo desconhecido, sentia o peito doer e a garganta queimar. Logo pensou em Shikamaru, e se ele deveria estar bem.

A saudade rasgava seu peito, mas nem por isso deixou de amá-lo, muito pelo contrário, o amor só aumentou. Mas uma angústia incomum latejava em seu peito.

Se levantou, abriu o guarda-roupa e pegou uma camisa preta de Shikamaru. Essa é a camisa preferida do moreno, que deixou propositalmente ali para quando o loiro sentisse saudade.

Voltou para cama e abraçou a camisa. Ela ainda carregava o cheiro amadeirado que Naruto tanto amava. Roçou os nariz levemente na camisa, pra que pudesse se embriagar de seu cheiro.

Como em um passe de mágica, Naruto pegou no sono. Dormia abraçado com a camisa, enquanto balbuciava algumas palavras impossíveis de serem entendida, enquanto um breve sorriso surgia em seus lábios.

...

Kakashi entrou o mais rápido que pôde no local aonde estava Shikamaru. Ele desconfiava e temia que algo ruim tivesse acontecido, já que sem motivo aparente, Kabuto se retirou da luta.

Ao entrar prendeu a respiração e arregalou os olhos ao ver Shikamaru desmaiado no chão. Kakashi se aproximou e viu uma seringa caída ao lado de Shikamaru. Ao pegá-la, a levou até o nariz e sentiu um cheiro horrível saindo da ponta da seringa.

Kuchiyose no Jutsu!

— Kakashi! Fala a boa!

— Não tem boa, Pakkun. Preciso que você vá para Konoha imediatamente, e diga a Godaime que estamos em uma situação de risco!

Pakkun observou Shikamaru no colo de Kakashi e percebeu que a situação era crítica. Kakashi lhe passou o que havia acontecido e Pakkun rumou a Konoha o mais rápido que pôde.

...

— Envenenado por Orochimaru? – Era nítida a preocupação de Tsunade.

— Sim, essa foi a informação que Kakashi me passou, Godaime-sama.

— Obrigada, Pakkun. Dispensado. – O que faria agora? – Shizune!

— Hai!

— Quero que mande a equipe médica para a Vila do Som imediatamente. Vá ao encontro de Kakashi e ajude o Nara. Pelo que me foi informado, no meio de uma batalha o Shikamaru foi envenenado.

— Hai! Irei providenciar o mais rápido possível!

Tsunade se sentou com as mãos na frente do rosto. Uma parte disso era sua culpa. Não deveria ter mandado um ninja tão jovem em uma missão de tão alto nível. O que estava pensando quando o enviou?

— Shizune, antes que saia quero lhe pedir um favor: Não diga nada a Naruto.

— Claro.

...

O loiro acordou naquela manhã meio agunstiado. A camisa de Shikamaru ainda estava entrelaçada em seus braços e ele sentia uma saudade fora do normal. Seu peito estava pesado, e sem que perdesse uma lágrima escorreu de seu olho esquerdo. Se sentou na cama e tentou organizar os seus pensamentos, logo menos ele estaria junto de Shikamaru.

Se levantou e foi fazer sua higiene matinal. Algo dentro dele sabia que estava acontecendo algo ruim.

...

A equipe médica havia chegado de madrugada para fazer o resgate de Shikamaru. Como eles haviam imaginado, Orochimaru usou um veneno que não era conhecido, então seu antídoto era desconhecido também. Fizeram os primeiros socorros e o encaminharam para o hospital de Konoha.

Por volta das 7 horas da manhã, a equipe médica chegou e instalou Shikamaru devidamente no local. Logo em seguida chegou Tsunade, que faria uma bateria de exames para saber o que estava se passando.

Ficaram exatamente duas horas naquela agonia para descobrir um antídoto, mas não houve progresso. Foi descoberto que o suposto veneno atacava diretamente o sistema nervoso de Shikamaru, e em forma de se proteger, o organismo do mesmo o colocou em uma espécie de coma, e assim se manteu.

A boa notícia é que o próprio corpo de Shikamaru iria combater o veneno, e ele despertaria no final do processo, mas não se sabia quando isso poderia acontecer, dias, meses, anos.

Tsunade tirou as luvas cirúrgicas que usava e a máscara. Soltou um suspiro e massageou as têmporas, ela mantinha uma expressão de cansaço.

— Kakashi...

Logo o platinado que ficou no hospital todo o tempo, se levantou da cadeira e foi até a loira.

— Quero que você vá avisar o Naruto sobre a situação. Faça de tudo para dar a notícia de maneira calma.

— Sim, farei o máximo para acalmá-lo.

Kakashi seguiu rumo para a casa de Naruto.




continua...




Notas Finais


hehe, jaa nee. sz

comentem alguma coisa, quero saber se o andamento da história da bom ou cansativo :'D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...