1. Spirit Fanfics >
  2. Shikamaru e Temari: O Amor é Problemático. >
  3. Conversa

História Shikamaru e Temari: O Amor é Problemático. - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá❤❤

Passando aqui no início para dizer que minha fic de "Dia dos Namorados em Konoha" já teve seu primeiro capítulo publicado, convido vocês à darem uma olhadinha❤

Façam uma boa leitura❤

Capítulo 6 - Conversa


As palavras de Temari ecoaram na cabeça de Shikamaru de um jeito que não lhe agradou. Ele estava nervoso e não se sentia pronto para falar de seus sentimentos com a garota que mexia com ele desta forma.

Ela o encarava timidamente, obviamente, com o que tinha acabado de acontecer. Este fato era mais uma dor de cabeça para Shikamaru; ele não queria ter se deixado levar pelos seus desejos sem se importar com um compromisso. Jamais seria o tipo de homem que faz sexo casual e depois nunca mais fala com a pessoa. Isso não era de seu feitio. A dor de cabeça aumentava ainda mais quando Shikamaru sabia do fato de que Temari é uma mulher da elite ninja, irmã do Kazekage e uma Jounnin famosa pelos seus feitos na guerra.

Ela era muito areia para o caminhãozinho dele.

- Temari, eu...

- Você sabe que precisamos ter esta conversa. - ela o interrompeu, levantando-se bruscamente e indo até ele.

A aproximação de Temari fez com que Shikamaru se sentisse intimidado. Temari tinha o poder de mexer com seus sentidos e já estava com vontade de beijá-la novamente. Mas ela queria ter uma conversa séria com ele.

- Eu sei... - ele respondeu, passando a mão no rosto e bufando.

Temari entendeu que Shikamaru estava desconfortável, mas ela precisava entender o que ele sentia por ela, para que ela entendesse o que ela sentia por ele.  Nunca foi apaixonada por alguém, nunca se sentiu atraída por alguém, não sabia o que era o amor e, definitivamente, não entendia o que Shikamaru causava nela. Era algo bom, mas ela temia. Ela precisava colocar estes seus devaneios para fora, pois isso estava causando uma angústia em seu peito.

- Eu gosto de você... - ela disse, simplismente.

As palavras de Temari foram como um golpe de martelo. Shikamaru não estava esperando por isso e até pensou que poderia ter ouvido errado. Mas quando seus olhos se encontraram com os dele, teve certeza de que ele ouviu bem... Enquanto ela, parecia estar falando sério.

- Eu sei que este sentimento é... - ela hesitou, colocando as duas mãos juntas sobre o peito. - É-é algo bom, mas... - ela respirou fundo. - Eu não sei o que é...

- Temari... - Shikamaru colocou as duas mãos sobre as de Temari.

Por um tempo, ambos ficaram olhando para suas mãos juntas, respirando fundo e controlando seus batimentos cardíacos que estavam à mil. Temari levantou seu olhar para encarar Shikamaru e ele fez o mesmo.

- Eu gosto de você, também... - Shikamaru falou, olhando no fundo dos olhos dela.

Os olhos verdes de Temari brilharam ao ouvir aquelas palavras da boca de Shikamaru. Ela não sabia se o fato de ser recíproco tornaria tudo mais difícil ou mais fácil.

Temari desvincilhou suas mãos das de Shikamaru e as colocou no rosto dele, acariciando em baixo dos olhos dele com os polegares. Eles se olharam no fundo dos olhos, com Temari comprimindo seus lábios.

- Eu tenho medo deste sentimento, Shikamaru... - ela confessou.

- Por que? - ele perguntou, afim de ajudá-la, sem julgá-la, por mais estranho que pudesse parecer.

- Acho que... - ela abaixou o olhar e sentiu ele acariciando seu queixo com o polegar dele, levantando o rosto dela para que ela o encarasse. - Acho que é porque eu nunca senti isso antes.

- Então vamos descobrir isso juntos. - Shikamaru colocou as duas mãos no rosto de Temari. - Essa é a primeira vez que eu gosto de alguém e... - ele sorriu de canto. - Acho que quero ficar com você.

Temari respirou fundo e fechou os olhos ao ouvir as palavras de Shikamaru. Ela tirou as mãos dele de seu rosto e as abaixou.

- São muitos fatores que dificultam isso, Shikamaru... - Temari andou de volta até a cama, abraçando o próprio corpo e se sentou. - Eu moro longe, Shikamaru.

- Temari... - Shikamaru ajoelhou-se na frente de Temari e encarou-a de baixo para cima. - Não vamos pensar no futuro agora, está bem? Até você voltar para casa, durante o tempo em que está aqui, podemos ver como isso pode acontecer.

- Shikamaru...

- Temari! - o tom de voz dele foi mais alto, para cortá-la e continuar seus argumentos. - Você quer ficar comigo?

Temari travou. Era fato: ela queria estar com Shikamaru. Queria beijá-lo, sentí-lo, aprofundar estes toques futuramente, além de aprofundar estes sentimentos. Mas nada do que ele falasse, iria fazer com que ela se sentisse confortável com estes sentimentos novos que afloravam seu coração.

- E-eu, eu... - ela não conseguiria olhar nos olhos de Shikamaru para responder esta pergunta, e abaixou o olhar. - Eu não sei...

Shikamaru franziu as sobrancelhas, mas qualquer pensamento seu foi interrompido quando Temari colocou as mãos entre eles e as balançou.

- N-não é nada com você, é só que... - ela comprimiu oe lábios para não falar demais.

Shikamaru percebeu que algo estava a deixando desconfortável. Ele, então, decide tomar uma atitude. Ele se levanta e caminha até a cama, se senta ao lado dela. Ela o encara achando estranha a atitude dele, mas ele ignora e, delicadamente, coloca uma de suas mãos na cabeça dela, puxando-a para que ela se deitasse em seu ombro.

- Por que tem medo, Temari? - a voz de Shikamaru reverberou nos ouvidos de Temari, causando-lhe arrepios. - Pode me dizer tudo, não irei te julgar.

Temari se sentia segura com Shikamaru. Se sentia bem em estar em uma posição na qual eles não poderiam se olhar nos olhos e ele percebesse o quão triste ela fica por falar de sentimentos. Apesar disso, quando estava com seu corpo junto ao dele, sentia-se à vontade. Ela se sentiu mais relaxada quando ele começou a acariciar os cabelos dela com as pontas dos dedos.

- Eu nunca me senti amada.

Foi o que Temari disse. As palavras dela foram como um soco no estômago de Shikamaru. Como alguém poderia não amá-la? Por que ela se sentia desta forma? Ele queria tanto olhar nos olhos dela, mas sabia que ela se sentiria mais confortável da maneira como estava.

- Minha mãe morreu muito cedo e eu nem me lembro dela. - ela continuou. - Meu pai nunca foi um pai... nem para mim e nem para os meus irmãos... principalmente se tratando de Gaara. - Shikamaru sentiu que a voz dela ficou trêmula. - E... meus irmãos... nunca foram próximos de mim, por mais que a gente tente... não é algo que me faz ficar à vontade...

Ela terminou seu lado da história com um suspiro, fazendo com que Shikamaru quisesse abraçá-la, beijá-la e dissesse à ela que tudo ficaria bem. Jamais imaginou que Temari fosse tão sensível por baixo desta casca grossa de garota rude.

- Você tem medo de se sentir amada pela primeira vez? - Shikamaru pergunta, ainda acariciando os cabelos de Temari.

- A-acho que sim... - Temari respondeu, abraçando Shikamaru pela cintura e enterrando seu rosto no ombro dele. - Me desculpe...

- Vamos dar tempo ao tempo. 

- Hãn? - ela ficou confusa, e encarou o perfil de Shikamaru.

- Vamos fazer isso no seu tempo. - Shikamaru virou minimamente o rosto para olhar para os olhos de Temari. - Eu quero ficar com você, mas não vou te apressar e nem te pressionar, está bem?

No momento em que Temari viu um sorriso reconfortante nos lábios de Shikamaru, ela sorriu também. Temari ergueu uma de suas mãos e depositou-a no rosto de Shikamaru, acariciando com o polegar e fitando a boca dele.

- Obrigada... - ela sussurrou, contra o rosto dele e sorriu, em seguida.

- Quer me dar um beijo? - ele sorriu de canto, percebendo que ela fitava a boca dele.

Temari corou com a astúcia e ousadia de Shikamaru. Tentou segurar a risada comprimindo os lábios, mas não deu certo. Ela começou a rir e abaixou a cabeça, enquanto Shikamaru ria com ela.

Depois de alguns segundos de risada, Shikamaru capturou o queixo dela com um de seus dedos, fazendo-a levantar a cabeça. Ele prebdeu o lábio infefior dela com os seus, selando seus lábios nos dela.

Temari aprofundou o beijo, enlaçando seus dedos na parte de trás da cabeça dele, beijando-o mais profundamente. De repente, Temari fez menção de subir em cima de Shikamaru e, foi neste momento, que Shikamaru se afastou dela, parando o beijo.

- É melhor eu ir embora... - Shikamaru disse, ofegante, tentando recuperar a respiração que se perdeu com este beijo intenso.

- Mas eu...

- Temos que dar tempo ao tempo, Temari... - ele interrompeu-a, colocando uma de suas mãos no rosto dele e acariciando com o polegar, sorrindo para ela.

- Me desculpe... - ela abaixou o olhar, envergonhada com sua impulsividade.

- Ei... - ele disse rindo. - Deixa de ser problemática, está tudo bem...

Temari sorriu minimamente e abaixou o olhar, corando. Esta visão da face de Temari fez com que Shikamaru não resistisse, ele aproximou-se do rosto dela e começou a distribuir beijos na boca, bochecha, mandíbula e testa de Temari, fazendo-a sorrir e corar.

- Nos vemos no casamento? - Temari perguntou, colocando uma de suas mãos sobre a de Shikamaru, que estava em seu rosto.

- Claro... - ele sorriu.

Shikamaru se levantou e começou a andar na direção da porta, enquanto Temari o observava. No momento em que Shikamaru colocou uma de suas mãos na maçaneta, ele ouve Temari o chamando:

- Shikamaru! 

Ele virou-se para ela e viu ela se aproximando dele, rapidamente. Assim que ficou próxima, ela ficou na ponta dos pés e o beijou. De início, Shikamaru se assustou, mas quando se rendeu, retribuiu o beijo, enlaçando a cintura dela com suas mãos.

- Até logo... - ele sussurrou contra o ouvido dela.

Ela ficou no quarto, com as mãos nos lábios, ainda sentindo o toque e o gosto do beijo dele.

- Tsc... problemático... 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...