1. Spirit Fanfics >
  2. Shirt - Jackson Wang >
  3. 0.1 - "Sua garotinha."

História Shirt - Jackson Wang - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


A fanfic em si, foi inspirada em uma prévia de uma música.
Isso mesmo, a música nem lançou e me inspirei nela, link aí, para quem querer ver.

https://youtu.be/KfdVelu_-gc



O nome real da protagonista é Katya Sinak, quem querer ir pesquisar para ter noção de como é a personagem.



O capítulo não está revisado, então, qualquer erro, me desculpem.


A sigla S.C.S, significa; Super Club By Seductions.

Boa leitura😊🙌🏽

Capítulo 1 - 0.1 - "Sua garotinha."


Fanfic / Fanfiction Shirt - Jackson Wang - Capítulo 1 - 0.1 - "Sua garotinha."

Point Of View _ Zoe Duncan


Acordo com uma ressaca horrível, mesmo depois de algumas horas, o efeito do álcool parecia pairar sobre meu corpo. Olho a barra de notificação do meu celular, e vejo várias, várias mensagens, Jackson, BamBam, Mark, Jay, Jisoo e Jennie, aproveito e olho as horas, as sete horas da manhã? O quê eles querem comigo? Deixo o celular de lado e vou em direção ao banheiro, tirando minha roupa e jogando-á em qualquer lugar, e entro debaixo da água gelada, que arrepia pele. Enquanto eu secava meu cabelo, e terminava de tomar meu café, ouço o toque do meu celular, saio da frente do espelho com a escova de seca cabelo na mão, e vejo no visor do celular, Jackson, atendo e coloco no viva-voz e volto para frente do espelho.



— Bom dia. — Sorrio ao ouvir a voz rouca do mesmo no outro lado da linha.



— Bom dia, Wang. — Digo e o mesmo resmunga.




— Você sabe que eu não gosto dessas formalidades. — Ele parecia irritado, não por causa da formalidade, mas, sim por outra coisa.




— São sete da manhã, eu perdi alguma coisa? — Digo ainda com sono, mas, tomando meu café, meu vício cotidiano.



— Não posso falar por telefone, posso ir para ir? Ou nos vemos a noite? — Ele pergunta e eu estranho, talvez por quê ele me via com SUA garotinha, SUA pequena, então, quando eu e Jackson conversávamos não tinha esse negócio de 'posso', era 'eu vou para aí".




— Você que decide, você é meu chefe, não? — Digo em tom sarcástico, ele sabia melhor que ninguém, que eu odiava faltar aos ensaios.




— Passo no ensaio para nós almoçamos juntos. — Ele diz e eu murmuro um ok, desligando o celular, vejo que falta quinze minutos para oito, visto minha roupa, pego meu carro e vou para S.C.S, assim que chego Jisoo me arrasta pelos braços.






— Sua louca, está atrasada dois minutos. — Ela diz e eu reviro os olhos.




— Sem neurose hoje, por favor? Já acordei um porre. — Digo fazendo expressões nada boas, e ela fica na sala novamente, assim que entro na sala, vejo Jay B, Mark, Bambam e Youngjae, fecho meus olhos, respiro fundo, e vou para o lado de atrás trocar de roupa, quem lhe disse que ser Stripper é fácil? Se te disseram isso, mentiram, eu comecei a dançar achando que era só isso, mas não é não.




Além de dançar, você tem que ter o "corpo perfeito", ser simpático, e dançar muito, muito bem, mas, além disso, a gente fica horas e horas dançando, por isso trabalhamos no máximo três vezes na semana, mas, um dia, nos deixar cansados por um mês. Quando passo por trás do palco, ouço a voz de Mark, dizendo que eu não preciso me trocar, assim faço, deixo o minha bolsa atrás do palco, e subo no mesmo, descalça, e com uma um short mais comprido, legging, e um moletom, como eu vou dançar na barra de moletom? Não sei, mas, Mark deve saber já que pediu para eu não me trocar.
A roupa tendia a deixar a barra escorregadia, aquilo estava me irritando, tudo estava me irritando ultimamente. Isso era fato. E a ideia de me mudar de Dubai com Jennie e Jisoo só aumentava a cada dia, a única coisa que me prendia nessa selva de concreto era, Jackson Wang, CEO da Wang's By Productions.



Passei meu vida inteira sem me prender a ninguém, ai quando eu chego no auge dos meus vinte e um anos de paciência, serenidade e sanidade, chega o Wang, meu superior inclusive. Começamos A trocar palavras, como chefe e subordinada, obviamente, ao longo dos meses isso se tornou, muito, muito mais que uma amizade, agora eu me vejo em noites cheias de desejos impuros e sensações inexplicáveis com Jackson, mas, antes do dia amanhecer visto minha roupa e sumo, assim como o mesmo faz quando resolve aparecer no meu apartamento, ou pelo menos, era assim, hoje em dia, nos agirmos como se não fôssemos apenas um casinho que não vai dar em nada, além de sexo. O por quê disso? Um noivado, é, ele está noivo, por causa de acordo entre a família dele e a da noiva dele, coreana por sinal, Park ShuNa, tem uma beleza surreal, um corpo escultural, a mulher e simplesmente perfeita, até eu queira está noiva dela, mas, parece ser uma coisa que Jackson não gosta muito, ele e a garota se odeiam e isso é fato.
Resmungo a ouvi BamBam, falar alguma coisa comigo pela vigésima vez.




— Mas, que caralhos, como você quer que eu me equilibri na barra sendo que eu estou de moletom? A roupa faz com que meu corpo escorregue. — Digo me irritando, e Jay pede para eu ir trocar de roupa, junto com as meninas, são vinte e quatro no total.




— Está estressada hoje, meu amor? — Jisoo diz me dando um beijo na testa, essa daqui é quase minha mãe, por quê ela é a mais velha do nosso grupinho, Jisoo tem vinte e seis anos, Jennie tem vinte e cinco, Lisa e Rose tem vinte e quatro, e eu tenho vinte e um.




— Ultimamente a virtude chamada PACIÊNCIA, está me faltando. — Digo, fazendo ela rir.




— Falta quase sete meses para os nossos apartamentos ficarem prontos. — Ela diz animada e eu comemoro junto.




— Não sei por quê, nos não moramos juntas. — Rose diz atrás de nós e Jisoo me olha com uma expressão engraçada.




— Somos melhores amigas, sim, mas, com gostos totalmente diferentes, e temperamentos também, então, para preservar a amizade, nos somos vizinhas mesmo. — Jennie diz e agora sou eu quem dou risada.




— Isso aí. — Digo e Rose me dá língua, quanta maturidade, né — Quem dá língua pede beijo. — Digo indo em direção dela, fazendo um biquinho e a mesma saí correndo.




— Você para, por quê você sabe que é bonita, e que eu sou bi. — Ela diz fazendo careta e eu dou risada.



— Já estão prontas? — Jisoo diz, e nos concordamos e vamos em direção ao palco.




— Rose, Jisoo e Zoe, quero as três dançando Shirt, desenvoltura na dança, por favor, e sexualizem. — BamBam diz se colocando para trás na cadeira, se escorando, com um olhar sacana no rosto, para mim.





A música começa a tocar, e particularmente, eu amava o o ritmo, eu, Rose e Jisoo, dançávamos em sincronização, esse era o ponto que, Youngjae sorria ao ver que nos estávamos sem errar um único passo, no final, nos estávamos quase ajoelhadas no chão, fazemos o último passo, que era sensual, vejo os quatro a minha frente sorrir, e vejo minhas amigas se alegrarem, por quê até o Youngjae estava sorrindo, e de todos, ele é o mais rigoroso. Passamos horas ali, já era meio dia e dez, e Mark não tinha liberado ninguém, sento na canto do palco ofegante, e com muita sede, eu tinha esquecido de trazer minha garrafinha de água.





— Bom dia, meninas. — A voz de Jackson ecoa pelo o estabelecimento, e algumas ficam rígidas, outras soltas, até demais, porém , eu entendo, a postura de Jackson era firme, a camiseta social entreaberta por debaixo do terno, o cabelo com fios rebeldes que existiam em caí, e a expressão no rosto que você não sabia se ele está querendo te matar, ou se quer apenas seduzir, elas têm razão, ou você se intimidar ou você fica molhada.






— Bom dia. — Todos respondem juntas e em coro, mas, eu continuei calada, por bem da saúde da minha garganta que estava terrivelmente seca, vejo ele caminhar em minha direção, com minha garrafa de água na mão, e me entregar a mesma, sorrio tímida, e pego a garrafa de sua mão.




Jackson não gostava, e muito menos queria esconder que tem algo comigo, ele sempre deixava bem claro, não importava como, seja lá com olhares, provocações, ou em momentos como esse aqui, até eu tinha me esquecido que ele tem a chave do meu apartamento.




— Podem ir se trocar, meninas. — Youngjae diz, e a sala é tomada de suspiros aliviados, tiro o salto, e caminho em direção ao camarim para trocar de roupa, tomo um banho rápido, término de molha o meu cabelo, já que ele estava molhado de suor, hoje o céu estava limpo, poucas nuvens, devia fazer uns 24°c.




— Bom dia, meu amor. — Jackson diz assim que entro no carro dele, e o mesmo deixa um breve selinho nos meus lábios.




— Bom dia, Jackie. — Respondo conectando meu celular no som, e Jackson coloca a mão na minha coxa, isso me deixava nervosa no começo, nervosa por causa de uma excitação enorme, mas, com o tempo eu acostumei, olho para o mesmo, e vejo que ele está tenso, travando a mandíbula, ele está nervoso — Está nervoso por quê?





— Nada demais, coisas da empresa. — Ele diz e sou eu quem suspiro.




— Coisas da empresa, essa coisa tem nome e sobrenome, Park ShuNa. — Digo e ele aperta minha coxa, fazendo carinho e subindo a mão pata o meu short, paro a mão dele — Se concentre no trânsito, Jackson.



— Quer ir para Miami, comigo? — Ele diz aleatório.




— Está pergunta assim do nada? — Pergunto fazendo ele rir.




— É sério, eu já estava pensando em te levar lá, aí apareceu dois contratos para fechar, só fiz junta o útil ao agradável. — Ele diz e eu concordo.




— Comprou o quê para gente comer? — Pergunto fazendo carinho em sua mão.





— A sua preferida. — Ele diz e eu sorrio de lado, apenas concordando, é escorando minha cabeça no vidro, ele comprou comida mexicana.




●○●




Minha relação com Jackson era totalmente confusa, uma hora estávamos rindo e brincando feito duas crianças, na outra agindo como os adultos que nos somos, e trocando várias palavras de dulpo sentindo. É algo inexplicável.
Estava deitada no sofá, assistindo um programa qualquer, vejo Jackson aparecer na minha frente, com os cabelos molhados, os fios caindo na sua testa, e sem camisa, apenas de calça de moletom, o ar-condicionado deixava o apartamento um pouco frio, o mesmo caminha em minha direção com cautela, abrindo minhas pernas, e se encaixando dentro, e escorando seu rosto em meu busto. Apenas me concentro em fazer cafuné, para ele dormir. E assim ele faz, dormi com a respiração tranquila, eu ainda não tinha sentindo fome, ele também não, então, dormimos.






Abro meus olhos com certa dificuldade, e sinto meu celular vibrar pela vigésima vez. Resmungo pegando o mesmo, e resmungo por meu corpo está dormente, Jackson é pesado, faço a senha do celular e vejo mensagens de Lisa.




Lisa: Quais são as minhas performances?



You : Playing Games, Girls Need Love, Streets, Rules, Candy e Comeback, Juicy, Privaty, No Guindance, Candy, Ali The Time.


You: Essas são as que eu sei, por quê nos cinco vamos dançar, de resto você tem que mandar mensagem pra BamBam, Mark, Jay ou Youngjae.



Lisa: Obrigada, e o seguinte aqui, vai preparar algo para mim comer aí, por quê eu estou com fome, e ainda falta três horas de vôo.


You: Folgada.



Lisa: Vou considerar isso um "Eu te amo, Lisa.".



Com muito esforço saio debaixo de Jackson, e o deixo no sofá, e vou preparar algo para Lalisa comer, depois de cinco minutos sentada em cima do balcão da cozinha, resolvo fazer tortinhas de maçã e frutas vermelhas, afinal o quê não fazemos por nossa melhor amiga não é mesmo? Invés de corta a maçã, quase cortei foi minha mão, pego meu celular e coloco músicas no fone, e término de fazer a parte do recheio, e vou pegar a coisas para fazer a massa, porém, esse apartamento foi feito para uma pessoa alta, não para mim com meus um metro e secenta e um, e eu tenho que ficar subindo nos armários para pegar o quê eu quero, então assim faço. Subo em cima do balcão, ficando de joelhos, e tentando pegar a farinha de trigo, e quase me desequilibro quando sinto as mãos de Jackson da minha cintura.





— Você tem que mudar esses armários. — Ele pegando a farinha de trigo para mim.




— Verdade. — Digo sem graça, e ele me puxa fazendo com que eu sente no balcão, e ele se encaixa entre as minhas pernas.




— Eu te amo, sabia? — Quando ele diz isso, meu coração palpita, mas, logo passa, tem que passar.




— Sabia, mas sabe como é né, é sempre bom ouvir isso sair da sua boca. — Digo e o mesmo sorrir, se ele soubesse que esse sorriso acaba com meu psicológico, e o quanto essas frases quase puras que ele solta para mim, fazem o meu sentimento por ele aumentar, acho que ele ficaria comigo só por pena.




— Então, eu te amo, Zoe Duncan. — Ele diz, e eu sorrio indo da um beijo no mesmo, que desce com as mãos, sobe o meu short, que era fácil demais de tirar.




— Lisa irá chegar, Ja-ckie. — Digo e um arfo saí da minha boca.



— Lisa está vindo da Tailândia, vai demorar para ela chegar. — Ele diz, e minhas pernas estavam rodeada a sua cintura, ele me tirar de cima do balcão, me colocando no chão, e eu guio o mesmo em direção ao sofá.




Tem escolhas na nossa vida que a gente se arrepende, Jackson pode até ser a mais errada que eu fiz nos meus vinte e um anos, sim? Mas, eu faria tudo de novo para está com ele nesse exato momento aqui, o corpo molhando me ajudando a motivimenta meu quadril com força, por que não importa o quão selvagem seja o sexo que a gente faz, não importa quantas vezes eu precise subir naquele palco com pouco roupa e com aquela máscara vermelha, e dançar o jeito mais sensual possível. Para os outros eu sou uma vadia qualquer, mas, Jackson é o único que me ver com a pureza dês do dia em que me conheceu, a stripper virgem que foi conversar com ele, por que precisava de folga, não importa como me vejam, ele sempre me tratará como sua garotinha.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...