1. Spirit Fanfics >
  2. Shit, I fell in love with a man! (Yaoi) >
  3. Três

História Shit, I fell in love with a man! (Yaoi) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpe a demora. Fiquem com o capítulo :)



(Obs: Eu tentei fazer esse capítulo ser triste, então se ficou ruim, me perdoem)

Capítulo 5 - Três


Na hora do intervalo, a morena ficou falando pra caralho na minha cabeça, dizendo que queria muito saber com quem eu estava conversando e se era amigo ou namorado meu, como sempre eu só ignorei, não quero arranjar mais problemas para a minha vida!

Mas mesmo assim ela insistiu, deu vontade de arrancar a boca dela e jogar num poço sem fundo! E isso foi até na hora da saída, não vejo a hora de sair daqui e deixar os meus ouvidos descansarem um pouco!

Eu estava prestes a sair do colégio quando alguém me impediu, segurando o meu braço com força, olhei pra ver quem era, era a Gioavanna.

- Deixa eu adivinhar, vai perguntar de novo? - eu pergunto sem interesse, isso já está começando a ficar muito chato! 

- Mex por favor, só fala para mim, eu estou com uma dúvida muito grande mesmo, só responde, eu prometo guardar segredo!

- Eu não vou contar Giovanna, eu já disse! Não importa o que você acha ou pensa sobre isso, vai continuar com suas dúvidas e ficar guardadas para si, apenas me deixe em paz e esquece desse assunto, esse assunto já morreu a partir de hoje! - os seus olhos vão em direção ao chão, depois vão ao meu rosto, ela estava com um semblante triste, eu deixei ela magoada e eu não queria que isso tivesse acontecido, mas agora já foi.

- Tá bom então, mas se estiver pronto para contar, eu estou disponível - ela larga o meu braço, começo a ver fios de lágrimas descer livremente em seu rosto, Giovanna sai do colégio correndo, sem olhar para mim, me esquecendo, esquecendo que existo em sua vida.

Eu fui completamente idiota, como pude falar isso pra ela? Ela é a minha melhor amiga, e   a magoei e muito, até chorou por minha causa. Tive que ter ido atrás dela, mas em vez disso fiquei apenas a observando ir embora chorando com o coração partido, com sua alma sendo destruída por milhões de sentimentos.

Já posso sentir o seu hálito cheirando bebida alcoólica, eu sei que ela vai atacar a geladeira e pegar garrafas de cerveja para beber e esquecer desse sofrimento horrível que adquiriu por minha causa. Eu preciso impedi-lá antes que ela acabe com sua saúde por minha causa! Mas primeiro eu preciso avisar a minha mãe.

Vou até em um canto fora do colégio e pego o meu celular de dentro de minha bolsa, eu procuro o número de minha mãe, tendo lugar mas o meu crédito acabou, merda...Eu coloco o meu celular dentro de minha bolsa novamente e fecho a mesma. Eu preciso ir para casa logo e avisar a minha mãe o mais rápido possível!

Começo a correr, correr muito até minha casa, se eu não chegar pode ser que Giovanna acabe com sua vida bebendo, ou pior, se matando...


Minutos depois...


Abro a porta fazendo um barulho muito grande, é bem provável que a minha mãe tenha ouvido, já que nessas horas ela deve estar fazendo almoço.

Ela percebe e começa a falar comigo, perguntando o motivo de eu ter entrado em casa daquele jeito.

- Oi filho, o que aconteceu? - minha mãe pergunta com um semblante de pergunta. Agora não mãe, agora não é hora de perguntar! Agora é hora de eu salvar a minha melhor amiga!

- Oi mãe...Eu não posso responder agora, eu preciso ir urgentemente até a casa da Giovanna, eu só vim aqui para te avisar e deixar a minha bolsa aqui! - ela fica logo preocupada.

- Por quê? O que aconteceu com Giovanna?

- Não há tempo de explicar, só confie em mim mãe, por favor! - eu pego o meu celular, coloco em meu bolso e deixo a minha bolsa no sofá.

- Está bem filho, mas se acontecer alguma coisa, me avise! 

- Está bem mãe.

- Quer que eu te leve? 

- Pode ser - ela pega a chave do carro, e vai em direção ao carro, vou junto com ela e nós dois entramos no mesmo. 

Ela dirige até a casa de Giovanna, dirige o mais rápido possível para chegar na casa de minha melhor amiga.


...


Quando chegamos, desço do carro apressadamente e vou em frente à porta da casa de Giovanna, vejo que está aberta e entro na casa. Olhando ao redor vejo que não tem ninguém, a casa está silenciosa, silenciosa que nem o vento.

Me aproximo mais da escada e escuto o que parece ser alguém chorando. - Giovanna... - penso logo quando eu escuto o choro, ela deve estar acabada, deve estar com o pior sentimento possível...o sentimento de dor...

Subo as escadas rapidamente, vejo uma das portas abertas, é o quarto da Gi. Deis de pequenos eu visito a sua casa, era muito raro quando eu não fazia visitas a morena.

Vou até ao quarto de Giovanna, vejo a mesma ajoelhada no chão, com os braços apoiados em sua cama. Vou até ela com cuidado, me abaixo e coloco minha mão em seu cabelos, fazendo um leve carinho. 

Eu não suportava ver ela desse jeito, é tão duro e pesado aguentar a sua dor, a sua dor de sofrimento. Para uma garota como ela, é bem difícil ver a tristeza em seus olhos, ela sempre foi bem alegre, é tão diferente ver ela assim agora nesse estado.

- Me desculpe Gi...eu...eu não queria te ver sofrer assim...Eu fui um idiota... - o seu rosto sai de seus braços e vira para mim, vejo as lágrimas escorrendo pelo seu rosto, os seus olhos inchados de tanto chorar. Logo eu vejo sangue descendo de sua cabeça e testa, se misturando com suas lágrimas transparentes - O que aconteceu com você? Você está sangrando...

- F-Foi o meu pai...ele... - a morena tenta falar, mas falha em dizer o que o pai dela fez.

- O que ele fez? Por favor, me diga. 

- Ele...Ele sempre bate em mim, me agride quando a minha mãe não está em casa ou está no trabalho...Ele sempre bate até ficar com marcas roxas em meus braços e pernas, por causa disso que eu bebo e fumo tanto, para esquecer o que ele faz. Quando ele descobriu que eu faço isso, ele só piorou - mais lágrimas escorrem, ela soluça um pouco e volta a falar - Ele fala que não era para eu ter nascido, que eu fui um erro em sua vida...Quando eu comecei a chorar no colégio, não era por sua culpa, era por causa de meu pai. Quando eu pensei que eu iria ver esse monstro de novo, eu não aguentei e comecei a chorar...Quando eu cheguei, ele me viu chorando, ele estava bêbado, pegou uma de suas garrafas fazias e acertou em minha cabeça, logo disso eu fui correndo para o meu quarto, ouvi o seu carro saindo da garagem, e é bem provável que ele tenha fugido...

- Por que você não me falou antes sobre o seu pai? Eu poderia ter te ajudado.

Mais lágrimas caíram, mais sangue escorreu, mais abalada ela ficou.

- Eu não contei p-porquê eu tive...m-medo... - suas palavras ficaram falhando e em certos momentos sua voz falhava - Eu tive medo de...acontecer algo de ruim com você... 

Eu abraço a Giovanna, seu choro aumenta e seus soluços aumentavam a cada minuto. Eu não aguentei e chorei junto, eu não podia acreditar no que eu tinha ouvido.

- Eu tenho depressão Mex, desculpe por não ter contado antes... - dizia em meio de soluços.

- Eu te entendo...

Ela se solta de mim, fazendo o abraço se desmanchar.

- Pegue um copo d'água por favor...

- Não, eu não vou te deixar aqui sozinha...E se...acontecer alguma coisa ruim?

- Confie em mim Mex, por favor - eu iria hesitar, mas logo eu confio em minha amiga.

- Tudo bem, eu pego pra você - eu me levanto é saio do quarto da mesma, desço as escadas e vou até a cozinha. Abro um armário, pego um copo e coloco água no mesmo. 

Subo as escadas e vou em direção ao quarto de Giovanna, mas me deparo com uma cena horrível...Vejo ela segurando uma faca em suas mãos, coloco o copo em cima de sua cômoda e me aproximo de Giovanna.

- Gi por favor, não faça isso, por favor...

- Mex, me entenda, eu já estou cansada de ter essa vida, essa vida que eu nem mereço, adeus Mex - ela enfia a faca em seu peito, logo ela vai no chão. O seu sangue começa a escorrer. 

Eu não acredito que ela fez isso...NÃO, NÃO, NÃO,  NÃO!!! 

Vou correndo até seu corpo. Não consigo nem tocar, nem me mover, só olhar para o corpo de minha amiga, que segundos atrás, era a minha amiga...

Começo a chorar, chorar muito, eu não acredito nisso...

- NÃO, POR FAVOR NÃO... NÃO FAÇA ISSO COMIGO...NÃO ME ABANDONE GIOVANNA, POR FAVOR... - logo sinto uma não passar pelo meu ombro, uma mão carinhosa e macia, a mão de minha mãe.

Ela me abraça e eu retribuo o abraço.

- Calma, pode chorar...Isso... - eu choro muito até os meus olhos arderem.

Giovanna, por que você fez isso?


Notas Finais


Não vou mentir, chorei um pouco enquanto eu escrevia...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...