1. Spirit Fanfics >
  2. Shonen 21 >
  3. Alice...

História Shonen 21 - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Alice...


Fanfic / Fanfiction Shonen 21 - Capítulo 7 - Alice...

                                                                        Parte 1 - Alice...

Meu pai é um defensor. Eu descobri com 8 anos, quando segui ele até o trabalho, e o vi usando os poderes de Muiraquitã. Ele me viu e me explicou. Eu iria me tornar a sucessora dele. 

No melhor dia, meu aniversário, eu voltei pra casa depois da escola como sempre e ele estava me esperando na escada.

Pai: Filha, eu consegui um Muiraquitã pra você: Flores! Você ama!

Eu: TÁ DE BRINCADEIRA!

Pai: Ah, também, outra coisa que você sempre quis. Me siga!

Eu acompanhei ele toda animada, andamos por toda a casa até chegar ao nosso quarto. Ele abriu a porta e...

Pai: Foi difícil convencer sua mãe de aceitar um cachorro aqui dentro, mas acabou tudo dando certo!

Eu abracei ele e comecei a chorar. 

Depois disso nós saímos com a mãe para o shopping, era minha primeira vez lá, tudo brilhava! Vimos uma apresentação incrível! O MELHOR DIA!! 

Pai: São 22:45, já deu por hoje... Depois nós voltamos aqui!

Mãe: O que achou de hoje, querida?

Eu: O MELHOR DIA DE TODOS!!!!

Voltamos de táxi para casa, meu pai ficou conversando com o motorista e minha mãe caiu no sono comigo. Quando chegamos em casa, antes de pegar o elevador ele disse:

Pai: Olha para a parede e conta até 100! 

Eu: Que?

Mãe: Rápido, querida!

Eu: Tá bom...

0,1,2,3,4,5,6,7,8,9,10...

To curiosa...

11,12,13,14,15,16,17,18,19,20...

Huuummmmm

21,22,23,24,25,26,27,28,29,30...

Demora demais!

35,40,45,50,55,60,65,70,75...

Se eu for muito rápido eles podem acabar chateados...

76,77,78,79,80,81,82,83,84,85,86,87,88,89,90...

91! 92! 93! 94! 95! 96! 97! 98! 99! 100!

Virei e eles não estavam mais lá. Que estranho... Vou pegar o elevador. 

-- Qual andar fofinha?

Eu: Para o sétimo depois da lua!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Pai: Estou sentindo uma presença de outro Muiraquitã por aqui... Acho que vou atrás da Alice, não muda a surpresa da festa dela.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ela riu e me levou pro sétimo andar. Sai do elevador e olhei para os dois lados do corredor, a direita estava a minha casa e a esquerda eu vi um homem alto, com os olhos vermelhos, que deu um sorriso assim que a porta do elevador fechou. Eu virei e comecei a correr em direção a porta de casa. Um buraco apareceu no chão, parecia um tipo de portal. Quando cai no buraco eu gritei:

Eu: PAI! MÃE!

Pai: Alice?

Só conseguir ver o rosto dele por um segundo. Uma escuridão completa tomou conta, eu havia sido engolida...

Pai: Muiraquitã Infernal, Lança do diabo.

Em uma grande velocidade, meu pai apareceu, rodeado de chamas, naquele lugar. O rosto do homem apareceu em um tamanho gigantesco, olhando para nós.

-- QUE SURPRESA BOA! 

Pai: Excalibur, venha.

Uma espada envolta de chamas veio rapidamente até meu pai. Ele a levantou e cortou o horizonte.

Pai: Anhangá, Circulo De FOGO!

Uma rajada de fogo de incontáveis metros de comprimento foi em direção ao monstro. O rosto dele sumiu, porém, ele apareceu na frente do meu pai em forma humana.

-- Vamos, quero brincar de espadinha também.

Ele fez uma espada formada de um líquido preto. 

Pai: Você é muito burro, vai ser mais fácil do que eu pensava.

-- BURRO?! Sou um general! Servo do Meia-Noite...

Meu pai ficou surpreso, e depois ficou sério.

Pai: Acabou pra você.

Ele se lançou para frente com a espada, fazendo um corte na vertical, o monstro parou o corte com a espada e sorriu. 

-- Pode não ser água mas, apaga fogo também! hihihihihi!

Pai: Chamas, Grau Três.

Meu pai deu um passo pra frente, e em segundos, efetuou 10 cortes no monstro.

-- DESGRAÇADO! MEU BRAÇO! EU VOU FUDER COM A SUA VIDA!

Ele mandou um braço em minha direção. 

Pai: Relâmpago Flamejante!

Após o barulho alto de corte, o braço do monstro errou minha cabeça. Quando olhei para os dois, meu pai estava com a espada fincada no peito do monstro. 

-- HAHAHA! AAHAHAHAHAHHA!HAHAH! HIHIHIHIHIH!!!

Meu pai se afastou e olhou para cima.

Pai: Vou fazer um teste.

Ele lançou a espada pra cima, depois de um tempo, ela sumiu.

Pai: Tem como sair!

-- NÃO MAIS! HIHIHIH!

Pai: Excalibur, Espiral Demoníaca.

Uma espiral de fogo surgiu no topo, que diminuía e aumentava de tamanho, lutando contra o poder do monstro. Meu pai foi até mim rapidamente lançando chamas pelos pés e me pegou, me carregando pelos braços. 

Pai: Que dia, ein?

Eu: Tô com medo.

Pai: Calma querida... Vai dar certo.

Subimos bastante em pouco tempo, bem rápido.

-- MORRA!

O monstro lançou um braço em nossa direção. Meu pai tentou desviar, mas acabei sendo atingida e apaguei.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quando abri meus olhos...

Vi meu pai lutando contra o monstro.

-- CHEGA! 

Shīfu, qiú qiú nín! Wǔyè shéi jiàng zài zhěnggè lìshǐ zhōng liú xiàlái.

     Hihihihihih!

Um braço gigantesco saiu do chão, atravessando a barriga do meu pai. 

Um homem de terno vermelho e dois brincos amarelos saiu do chão.

-- Quero que morra em sofrimento, vou te tirar daqui, defensor nojento.

O braço lançou meu pai para fora. O homem virou para mim e deu um sorriso.

-- Você precisou de minha ajuda pra matar um defensor? Sua punição é a morte.

No mesmo instante, o monstro de antes explodiu como se fosse um balão. 

-- Pode me chamar de Meia-Noite. Sou seu pai agora, garotinha.

Eu comecei a gritar e tentar correr... 

Meia-Noite: Apague.

De repente, toda minha força se esvaiu e eu caí no chão de imediato.

                                                          Parte 2 - Resgate

Estava correndo pelas ruas gritando:

Gabriel: CADE VOCÊ MATEUS!!!! 

Tenho que achar ele de algum jeito. Neste instante, escuto um estrondo gigantesco atrás de mim. Uma rajada de vento me lançou para trás com tudo. Percebi que o Mateus estava voando a uma altura gigantesca! Voando? NÃO! ELE TÁ QUASE DESMAIANDO PORRA!

Como é que eu pego ele ali?

Não dá...

Com a velocidade Mach 1 eu vou passar muito rápido e bater nele...

" Vai deixar todos morrerem por que é incapaz?"

" Então desista de tudo também"

Se eu ativar por um instante e desativar no mesmo, eu posso chegar lá em uma velocidade razoável!

Gabriel: Muiraquitã da Ventania, MACH 1!

VAMOS!!! Em um segundo, agarrei o Mateus, mesmo assim, por causa da minha velocidade, eu acabei subindo ainda mais.

Vou mirar no horizonte e...

Gabriel: MACH 1!

Em instantes, já estava perto do chão diminuindo a velocidade...

Ainda bem que deu certo... Não sou bom com o meu poder ainda, mesmo já tendo quase um ano na Abaiara. Quando finalmente paramos no chão, percebi que o braço dele estava todo ferrado. Não tenho nenhum poder de cura ou algo parecido... Vou ter que leva-lo para a Academia Abaiara. 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Senti que minha cara estava desfigurada, e uma dor gigantesca me alarmava a mesma coisa. Quando olhei para o lado, vi a cratera que aquele menino fez com o braço... Não acho que ele tenha matado alguém, mas tinha muita chance. Todo mundo vai notar isso daqui... É melhor eu sair enquanto da tempo...

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...