História Shoothing Star : - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 0
Palavras 3.402
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - Mais De Você :


Fanfic / Fanfiction Shoothing Star : - Capítulo 7 - Mais De Você :

Thomas :

Fico parado na calçada , vendo Isabelle se afastar cada vez mais de mim. É , pelo visto ela não vai voltar ...- falo em pensamento.- Droga , isso é tudo culpa minha ! Eu e a minha boca grande ! Malditos nervos de aço ! Eu realmente preciso aprender a me controlar melhor !  - Solto um suspiro . Tomo o último gole da bebida ainda quente na minha mão . Assim que todo o conteúdo no recipiente acaba , jogo o copo de plástico numa lixeira próxima e volto a caminhar. Paro de andar novamente. Finalmente me dei conta que novamente não sei pra onde ir . Também não tenho mais companhia . Acabei de perde-la no instante em que comecei a falar , e sem pensar , devo dizer.  Isabelle com certeza deve estar zangada comigo. Ela certamente não voltará a falar comigo tão cedo . Não a julgo . Se estivesse no seu lugar , se ela tivesse feito comigo o que fiz com ela , eu também faria a mesma coisa . Cara , eu  fui um idiota e me ignorar é o mínimo perto perto do que eu mereço. Preciso cosertar as coisas , mas não agora . Isso com certeza só geraria outra discurssão e eu não estou com paciência pra isso . Já tive problemas demais por hoje.  No momento eu só preciso , ir para casa , talvez jogar mais uma partida no meu videogame e descansar . É , eu com certeza vou fazer isso . Mas e seu pai ? Ele ainda está na sua casa lembra ? Droga ! - diz uma voz na minha mente . Paro de andar . Eu realmente não estava me lembrando disso. Estava tão distraído vendo Isabelle partir , tão concentrado nela , pensando no que fazer ou dizer para me desculpar que simplismente não me lembrei disso , ou mais precisamente dele . Encontrar ele em casa com certeza seria um problema ... Que se foda ! O apartamento é meu ! Dessa vez é ele quem terá que sair , não eu ! - Falo em pensamento ,já colocando um sorriso cínico no rosto e colocando as mãos nos bolsos , volto a caminhar . E enquanto o faço , volto a pensar em Isabelle e nas palavras dela .

" Deveria aproveitar essa oportunidade para tentar melhor a relação entre vocês dois ..." 

- Jamais ! - falo irritado em voz alta , assustando as pessoas ao meu lado . Que se fodam ! Elas é que estão erradas bisbilhotando a vida alheia ! Embora Isabelle esteja certa , eu jamais darei o meu braço a torcer . Eu realmente não sou do tipo de cara que acredita em segundas chances , remissão de pecados ou em " mudanças " . Esperei tempo demais por isso . Passei anos torcendo para que meu pai mudasse da famosa  ' água pro vinho '  . Esperei tempo demais por uma mudanças  drásticas  na sua postura fria  e rude . Nem preciso dizer que isso não aconteceu.  Minhas esperanças morreram com o tempo ,bem como os sentimentos entre " pai e filho " , se é que eles de fato existiram . Eles morrem no instante em que fui expulso de casa e se depender de mim , não voltarão  a existir. Não mais ...

                         🎶

Minutos depois , estou adentrando o prédio do meu apartamento , enquanto travo uma luta interna . Porque , puta que pariu , quero muito ver a cara do meu pai novamente , se humilhando , implorando por minha ajuda, sendo que a anos atrás essa seria última coisa que ele faria . Saber que posso finalmente tê-lo em minhas mãos , sob meu controle é animador ! Mas ainda assim , tenho o meu orgulho próprio e a última coisa que quero é feri-lo .Quando saí de casa a anos atrás , prometi para mim mesmo que me esforçaria  ao máximo para tentar ser sempre diferente dele . Sempre disse que agiria com superioridade ao não agir como ele e pra falar a verdade a anos que me sinto assim mas ,agora estou me sentindo exatamente ao contrário . Um merda , devo dizer . Finalmente estou me sentido por baixo . Sempre esperei por esse dia e sempre disse para mim mesmo que seria firme com minhas futuras  decisões , que não sentiria pena . Mas hoje ... Estou sentindo exatamente o contrário. Ou melhor , agora. Tudo por causa dela ... Droga Isabelle , o que você fez comigo ? Tudo por causa de um beijo ? Puta que pariu , ela vai mesmo fuder comigo , com a minha vida . Talvez já esteja até fudendo com minha mente ... Não vai demorar muito pra ela chegar no meu coração!  Apesar de toda raiva que estou sentido do meu pai ,ainda estou com pena dele , me sentido mal , e sei que não deveria. Ou será que deveria ? - Afasto Isabelle e suas ideias do meu pensamento. Não posso deixá-la me influenciar dessa maneira ! - Entro no elevador fico esperando que chegue ao meu andar . Quando o faz , saio do mesmo e vou até o meu apartamento. Abro a porta , entro e para minha surpresa , não encontro meu pai , e sim o lugar totalmente vazio. Saio do mesmo e vou até o apartamento de Verônica . Bato na porta e minha amiga rapidamente a abre .

- Thomas ...- ela diz fazendo cara feia pra mim e cruzando os braços .- O que você quer ? 

- Você viu meu pai por aí ? - pergunto . Ela solta uma gargalhada .

- Ah então agora você se importa ? - Verônica diz .

- Puta que pariu Verônica ! Você sabe onde ele tá ou não ? - falo irritado. 

- Isso não é da sua conta , lembra ? Foi você quem disse . - Ela fala indiferente. Suspiro. Verônica já está tirando a minha paciência , ou com o que sobrou dela.

- Por favor Verônica...- falo.- Eu sei o que eu disse tá ? Foi babaquice da minha parte , eu admito. Mas você não pode esquecer que o que ele fez comigo ...

- Nada justifica.- Minha amiga me interrompe. - Quer dizer eu entendo mesmo , eu estava lá lembra ? Sei o que aconteceu entre vocês e imagino o quanto deva ser difícil pra você ter que aturar isso, mas , nada justifica. Foi tão decepcionte...Eu sinceramente esperava mais de você , que fosse ... Diferente. Sempre esperei isso de você. 

- É eu sei .- falo olhando para os meus pés. - Vevê...- falo lhe chamando pelo apelido.- Não vou me desculpar como ele mas , se me disser onde ele está , prometo que tentarei ... Amenizar as coisas , sabe ? Ser mais ... Gentil.- um sorriso surge no seu rosto e ela diz :

- Vai mesmo fazer isso ? 

- Vou tentar.- Verônica sorri. Minha amiga se afasta da porta e diz :

- Está bem. Pode entrar. - Ela aponta para a parte interna do seu apartamento. Lhe olho confuso e então lhe obedeço  e entro. Fico paralisado ao ver meu pai sentado no sofá da sala de Verônica , com uma xícara branca na mão, esbanjando tranquilidade. Só mesmo o meu pai para ficar tranquilo durante uma situação como esta. Típico dele não se importar ...

- Verônica você ...- digo olhando para ela. Minha amiga sorri fazendo cara de inocente.

- Sim, eu sabia onde ele estava. O apartamento é meu esqueceu ? Eu não podia deixa-lo na rua , podia ? - Ela pergunta me olhando atenta , esperando minha resposta. Engulo em seco . Claro que poderia.

- Não.- respondo sem olhar para ele. Vou  até o meu pai. Me sento  ao lado dele. Assim que me vê , ele abre um grande sorriso e diz :

- Oi filho .

- Oi. Me desculpa por ... Antes.- falo. Não vou dizer que estou feliz com sua visita , porque não estou mas... Sei lá ... Embora eu continuei acreditando que passar a noite é o mínimo que o Sr. merece , não posso deixar que faça isso. 

- O que está tentado me dizer , filho ? - ele pergunta me olhando. Desvio o olhar. Solto um suspiro e então digo :

- Pode ficar lá em casa.- meu pai sorri.- Mas já vou logo avisando que não quero  aproximação com você , ouviu ? Pra mim não existe mais nenhum " laço " entre nós , nada que nos una. Também não quero falar sobre o que aconteceu porque não tenho mais nada para perdoar. Nada do que me disser me fará te perdoar. - O sorriso desaparece de sua face.

- Entedi.- ele fala.

- E tente se resolver logo com a mamãe , você sabe que ela não merece isso ! - falo me levantado do sofá. Olho para ele e digo : - Ah ... E só mais uma coisa... Não pense que estou fazendo isso por você. Estou fazendo por mim , apenas para te provar que posso ser diferente.

- Está bem , filho. - ele diz e eu vou até a porta. Me despeço de Verônica.

- Te vejo mais tarde.- meu pai diz e eu apenas balanço a cabeça e saio do apartamento de Verônica e volto para o meu. Assim que entro , vou direto para o meu quero , me jogo na cama e fechando meus olhos , pego no sono.

                           🎶

- Thomas...- ouço uma voz familiar dizer. Tento identificá-la. Abro meus olhos e vejo meu pai. O que ele está fazendo aqui ? - me pergunto mentalmente. Abro e fecho meus olhos numa tentativa de confirmar se o que estou vendo é de fato realidade ou sonho.

- Pai ? - pergunto confuso. Ele sorri e diz :

- Dormiu tanto que esqueceu de mim ? 

- Ah , então não é um sonho.- digo um pouco desapontado e me levantado da cama.

- Vejo que já voltou ao normal...- ele diz. 

- O que você quer ? Digo , aconteceu alguma coisa ? Por que me acordou ? - pergunto.

- Eu só ... Vim te chamar para jantar... Achei que poderíamos fazer isso juntosque ...- meu pai fala. Sorrio debochadamente. Vou até ele e digo :

- Você não sabe o quanto que esperei por isso ...

- Filho ...- ele diz em tom de advertência , mas eu o ignoro.

- Quando eu era criança , passar tempo com você era o meu maior sonho.- sorrio com desdém.- Pena que nunca se tornou realidade.

- Mas pode ser agora ...- meu pai diz sugestivo.

- Infelizmente pai... Estar com você é a última coisa que quero agora. Deixei de sonhar com isso a muito tempo. Não pretendo voltar a começar agora.- caminho e parando ao lado dele , digo :

- De qualquer maneira , muito obrigado. Realmente é muito gentil de sua parte. Só é uma pena que não poderia desfrutar de sua gentileza agora.- digo e vou até o banheiro. Tomo um banho demorado e assim que termino, volto para o meu quarto. Para minha felicidade e sorte , não encontro meu pai. É , pelo visto ele desistiu da minha companhia. Finalmente ! - Me seco e troco de roupa rapidamente , colocando algo um pouco mais confortável e quentinho. Pego meu celular , coloco o no bolso e saio do quarto , passando direto pela cozinha. Saio do apartamento para tomar um pouco de ar e acabo me deparando com Angélica e a namorada , carregando várias caixas de papelão.

- Oi.- Allie diz com seu costumeiro skmostico sorriso. Sorrio para ela.

- Oi.- respondo.

- Olha só quem está aqui...- Angélica diz colocando a caixa no chão perto da porta do seu apartamento.

- Oi pra você também Angélica.- falo lhe cumprimentando.- O que estão fazendo ? - pergunto.

- Estamos terminando a mudança. Sabe , colocado as coisas no apartamento novo ...- Allie diz.

- Entendi...- falo.- Queen ajuda ? - pergunto.

- Seria ótimo ! - Allie diz animada.- Aqui.- ela fala me entregando duas caixas de papelão aparentemente pesadas. Angélica abre a porta e Allie e eu entramos e colocanos as caixas do chão.

- Muito obrigada.- A garota diz.

- Não há de quê.- falo. Angélica entra e vem até nós e diz :

- Olha só ... Garoto educado...- ela sorri maliciosamente.

- Parece um bom partido não ? - Allie diz sorrindo.

- Bom , só falta a Isabelle perceber.- Angélica diz. Sorrio sem jeito.

- Acho que isso não vai acontecer.- falo.

- E por que não ? - elas perguntam juntas , ambas confusas.

- Digamos apenas que eu ... Estraguei tudo. Fui um idiota com ela , é isso.

- Beckham ... O que você fez com a minha amiga ? - Angélica pergunta me olhando feio. Solto um suspiro e então digo :

- Nada. Apenas disse coisas que não deveria ter dito e acho que eu a magoei.

- Ah , ebtedi agora porque ela não quiz vir nos ajudar com a mudança.- Ela diz pensativa.

- Que mancada.- Allie diz.

- Eu sei - digo.- E sinto muito por isso. Não foi a minha intenção ser... Grosseiro.- Angélica cruza os braços e diz :

- Querido ,  não é pra nós que você tem que dizer isso.

- Eu sei.- falo.- Só queria desabafar , acho.- 

- Não precisa. Pode dizer isso pra ela pessoalmente.- Angélica diz com um sorriso nos lábios. Olho para ela confuso.

- Angélica , o que você... Quer dizer , eu não entendi.

- Apenas me diga , se você podesse falar com ela agora , o que diria ? Ou melhor , o que faria ? - ela pergunta. Fico em silêncio pensativo e então digo :

- Bem eu pediria desculpas. Admitiria  o quanto sou um idiota d diria que sinto muito pelas coisas que lhe disse. E sorria que sinto mais ainda por não saber dela...- Angélica e namorada sorriem satisfeitas da minha resposta. Olho para o lado , só para checar se Isabelle está me ouvindo. Infelizmente isso não acontece. Droga ! - Já disse o que faria. Agora eu quero saber o porquê.- falo.

- Digamos apenas que eu podemos te ajudar com isso.- Ela diz. Olho para ela ainda mais confuso.

- Ah é ? E como ? 

- Está ocupado ? - Allie pergunta. - Porque se não estiver , basta apenas nos seguir. Prometo que você não vai se arrepender. Fico em silêncio pensativo , decidindo se devo ou não ir. É acho que podo confiar nelas. Elas são as melhores amigas dela , com certeza não mentiriam pra mim. Fora que elas parecem serem a  favor de uma possível união minha com Isabelle. Que bom ,porque eu também sou.

- Ok. - digo .- Vou com vocês.- Elas  dizem juntas :

- Então vamos ! - Elas dizem e então saem do apartamento e eu as sigo. Não se para onde elas estão me levando , por isso vou apenas confiar e segui-las sem questionar.

                           🎶

Angélica bate na porta pela terceira vez desde que chegamos ao prédio do seu antigo apartamento e ainda atual moradia de Isabelle.

- Já tô indo ! - ouço a voz de Isabelle um pouco abafada pela porta fechada. Angélica e Allie olham para mim e Angélica diz sussurrando :

- Certo ,ela já tá vindo. Agora é com você ! 

- Mas ...- falo e elas saem correndo e entram no elevador ,me deixando sozinho no corredor , parado em frente ao apartamento de Isabelle. A porta finalmente se abre , e Isabelle surge na mesma. Fico paralisado ,sem esborçar nenhuma reação ,lhe admirando. Ela está linda e incrivelmente sexy , vestida numa casaco de moletom lilás com um unicórnio branco estampado na frente , além de uma calça jeans preta super justa , destacando cada uma de suas belas curvas. Eu realmente estou sentindo inveja dessas roupas. Gostaria que as minhas mãos e o meu corpo estivessem envolvendo seu belo corpo.

- Thomas , o que está fazendo aqui ? - Isabelle pergunta séria. 

- Vim te ver.- falo. Sorrio , mas Isabelle permanece séria.

- Como descobriu meu endereço ? 

- A Angélica me deu.- responde.

- Cacete ! - Isabelle murmura baixinho.- E por que ela fez isso ? - ela pergunta me fitando com seus olhos azuis escuros , frios e profundos. Respiro fundo e então digo :

- Ela só queria me ajudar.

- Bom se atenção dela era te ajudar a me irritar , ela conseguiu ! - Isabele diz.

- Isabelle eu ...- falo , mas ela me interrompe.

- Thomas , pode ir parando com esse papinho! Eu não quero ouvir o que você tem pra me dizer , já sei o que vai me dizer. Acredite , eu já passei por isso mais vezes do que imagina. Então , não é uma novidade para mim um pedido de desculpas.- ela diz. - Agora se me dá licença , tenho mais o que fazer.- Isabelle diz entrando e fechando a porta. Coloco meu braço , impedindo que ela conclua o ato. Isabelle permanece parada do outro lado da porta , me fuzilando com seus olhos azuis intensos , impassíveis. Fico lhe encarando. 

 - Ok , você não quer me ouvir , mas vou falar assim mesmo ! - digo sorrindo.

- Você é muito insistente ! - Isabelle diz .

- Você não imagina o quanto ...- falo.

- Vai falar logo ou vai ficar. enrolando ? Porque eu tenho muito pra fazer ! - Isabelle diz indiferente. Respiro fundo reunindo forças e então digo :

- Me desculpe pelo que falei mais cedo. Eu fui um idiota. Eu estava zangado com a história do meu pai e descontei em você e ainda te julguei. Foi errado mas , eu não sabia nada sobre você. Mas sei que nada justifica meus erros , então , me desculpe Isa.- Ela fica me olhando em silêncio. 

- Está bem.- Ela diz.

- Só isso ? É  tudo o que tem pra me dizer ? - pergunto. Isabelle olha para mim e arqueia a sombrancelha :

- E o que quer que eu diga ? - Ela pergunta.

- Hum , não sei...- digo. - Só que ... Sei lá , me desculpa. Sei que fui um babaca por ter te tratado mal , mas , não é pra tanto.

- Você fala isso porque não me conhece , Thomas ! - Isabelle diz irritada novamente. Sorrio maliciosamente para ela e digo :

- Então deixa eu te conhecer. Seja minha guia.- Isabelle pisca os olhos confusa e diz :

- Oi ? 

- Foi isso mesmo que você ouviu. Me deixe fazer um tur por você , conhecer esse ponto turístico que é você , me deixe te visitar e revistar. Conhecer este belo cartão postal que é esse seu corpo. - falo olhando nos olhos dela e aproximando meu rosto do dela. Ela fica parada ,olhando nos meus olhos , paralisada. Sorrio.

- O que exatamente você quer de mim ? - Isabelle pergunta.

- Apenas mais de você. Isabelle ... Tudo o que eu quero é te conhecer e se possível bem de perto.- olho pra ela de cima abaixo e então volto a olhar em seus olhos e dou  uma piscadela. Ela Imediatamente sorri  envergonhada e então diz :

- Está bem... Eu aceito seu convite.

- Que convite ? - pergunto confuso. Ela sorri e diz :

- Qual é Thomas , eu sei que você quer sair comigo. Tudo bem , eu aceito.

- Se você diz ...- falo sorrindo.

- Apenas marque o lugar , antes que eu mude ideia. A gente se vê por aí Thomas..- Isabelle diz e dando uma piscadela para mim , ela fecha a porta. Assim que o faz , comemoro dando pulos e soquinhos no ar. Só então me dou conta ... Eu tenho um encontro ! Eu tenho um encontro com Isabelle ... Não tem com o que se preocupar . Digo para mim mesmo tentando me acalmar e com esse sentimento de paz preenchendo meu peito , deixo o apartamento de Isabelle. 















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...