História Shooting Star - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, HyunA, IKON, Pentagon (PTG)
Personagens B.I, Baekhyun, Bobby, Chanwoo, Chanyeol, Chen, D.O, Donghyuk, E'Dawn, Hong-seok, Hui, HyunA, Jeon Jungkook (Jungkook), Jin-ho, Jinhwan, Jung Hoseok (J-Hope), Junhoe, Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kino, Kris Wu, Lay, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun, Shin-won, Suho, Tao, Woo-seok, Xiumin, Yan An, Yeo One, Yunhyeong, Yuto
Tags Autora, Bangtan Boy, Bobby, Chan, E'dawn, Hongseok, Hui, Hyuna, Ikon, Jay, Jihope, Jinho, June, Kino, Namjoon, Pentagon, Sabryna, Sasa, Shinwon, Shooting Stars!au, Song, Taejin, Tia-da-pipoca_3, Tia-sasá, Wooseok, Yan An, Yoe One, Yoonkook, Yuto
Visualizações 46
Palavras 1.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi! Aqui está minha mais nova fic Yoonkook, espero do coração que vocês gostem, e deem muito amor a ela, prometo que tudo será bem "fofinho" <33

Capítulo 1 - Prólogo


            Sobre uma criança contadora de histórias, e a estrela mais brilhante:

 

            <Jeon Jungkook>

 

            Jeon Jungkook, uma criança rica em conhecimento, o tornando assim, o prodígio da família, e o “nerd” da escola. O esquisito que ninguém queria por perto, o tornando agora, o “excluído”, que até mesmo seus pais o estranhavam, e por pouco não o rejeitavam.

            Bem, mais ou menos. Depois que seu irmãozinho mais novo nasceu, Jung Chanwoo (herdou o sobrenome do pai), os pais de Jungkook passaram a lhe deixar de lado. O Jeon acreditou que fosse porque, crianças, bebês, precisavam de mais cuidado, só que Chan como apelidara carinhosamente o próprio irmão – já tinha 5 aninhos, e era mais independente, e mesmo assim, os pais não lhe davam a devida atenção. E aquilo machucava. Muito.

            O prodígio de dez anos, já sabia ler e escrever, aprendeu com exatos 4 anos de idade. Tudo muito cedo e rápido, o que orgulhava a mãe grisalha que tinha. Porém, seu conhecimento, arrancou olhares invejosos de praticamente todos na escola. Mas... Nem tudo estava perdido, o pequeno, tinha Taehyung, e isso que importava, por mais que seu amiguinho raramente ia a escola, por estar doentinho nas últimas semanas, e matar aula, o que era impressionante para uma criança de apenas doze anos.

            Kim Taehyung, foi a melhor criança que Jungkook já conheceu em toda sua curta vida que teve até seus dez anos, onde estava no seguinte momento. Eles combinavam bem, Jungkook inteligente e impopular, Taehyung era burro porém popular. Os dois se completavam, e a amizade ia longe.

            Porém, naquela noite, fria, e sem sequer alguma estrela, Jungkook não estava triste por seus pais o excluírem, e o rejeitarem, ou pela falta do amigo. Mas sim, porque, o céu não estava estrelado. O Jeon estava bravo, com Deus – a criança realmente não sabia o sentindo da vida ainda, deem um desconto, tinha apenas 10 anos. – pelo simples fato, de O Todo Poderoso, não ter deixado as estrelas no céu, justo naquela noite, que ele havia acabado uma magnifica história, para ler para as estrelas.

            – Jungkook! – Ouviu sua mãe lhe chamar dentro de casa, mas nem se deu o trabalho de se mover, estava irritado demais para qualquer coisa. – Jungkook, filho, entre, já são 21:00hrs, da noite, hora de criança estar na cama.

            Jungkook, esperto que era, apenas se levantou, e seguiu, com seu pijama do Cooky, até sua mãe que sorriu, e se abaixou, a altura da criança, percebendo só agora que seu pequeno chorava, e não era um choro de tristeza, era um choro de raiva, raiva por algo que a mais velha até então desconhecia.        

            – Noona, e-eu... Estou bravo. – Revelou, enquanto enterrava seu rosto no ombro da moça, que retribuiu o abraço um tanto preocupada no momento. 

            – Por que, pequeno? Quem o deixou bravo? – Perguntou enquanto via o filho secar os olhinhos com a mão esquerda, enquanto segurava com a direita um enorme livro, de quase 500 palavras, um tanto “inapropriado” para crianças de tal idade.

            – Deus! – Respondeu meio a um soluço triste.

            A mulher deu uma leve gargalhada, se levantando, enquanto puxava a criança morena pela mão, fechando a porta atrás de si, enquanto ria gostosamente.

            Adorava o filho criativo e sem nexo que tinha, sem dúvidas idêntico ao pai, que era como ele, inteligente, esperto, e lindo, na visão da mulher, que sorriu lembrando dos momentos bons que aquela família tiveram, e que estavam escassos até então.

            – Por que meu filho? – Perguntou retórica, pegando a criança no colo, enquanto subia a escada, e via a criança engolir em seco para começar a passar o relatório a mãe.

            – Ele... Escondeu as estrelas de mim! – Resmungou cruzando os braços. – Ele é malvado! Tirou minha namorada de mim!

            A mulher abriu os olhos de maneira surpresa, enquanto colocava cuidadosamente a criança na cama. Não entendia e nunca entenderia seu filho mais velho, ele era, de certa forma, “complicado”.

            – Não diga isso, não foi Deus que escondeu as estrelas de você, meu filho. – Suspirou beijando sua testa, ao mesmo tempo em que o cobria. – E quem disse que você tem uma “namorada”, hein menino? – Perguntou lhe fazendo cócegas, arrancando resmungos de reprovação vindos da criança que odiava cócegas, e odiava ainda mais ter que lembrar isso a sua mãe, mas não adiantava muito, sua mãe era “implicante” e “chata”, na cabeça do pequeno.

            – Quem foi que as tirou de mim? – Perguntou curioso, se sentando na cama, enquanto sua mãe resmungava, brava, por ele ter se levantado novamente, se descobrindo da mesma forma. – E eu tenho sim uma namorada, e eu até dei um nome pra ela!

            A mulher sorriu, a imaginação de seu filho era incrível. Ela sabia que não existia namorada alguma, e isso lhe deixava mais tranquila para ouvir o restante. Jungkook sempre foi de criar personagens imaginários quando era mais pequenino, a mulher estranhou essa mania ter voltado, mas relaxou-se, ainda não passava de seu bebezinho de sempre.

            – Hmm... E qual é? – Perguntou novamente o cobrindo. Sorrindo pacientemente, mas no fundo, louca para se deitar e dormir, estava cansada do trabalho, ser médica foi mais uma escolha e tradição de família, mas ela até gostava do que fazia, e isso significava muito, a seus filhos.

            – Yoongi. – Respondeu sorrindo. Ao lembrar da noite em que estava conversando som sua estrela e lhe deu esse nome, ele pôde sentir que a estrela – menino ou menina havia gostado do nome por ter “brilhado” mais, e Jungkook jurou que ela lhe respondeu com um sorriso, e dizendo que adorou o nome!

            A mulher franziu o cenho. Aquele nome era masculino, e nunca avistou, sequer, um resquício sobre Jungkook falar do que gostava, por ser apenas uma criança!

            – Mas... Esse nome é de menino, filho! – Respondeu tentando encerrar o assunto, mas sabia que o filho nunca deixaria, porque se tratava de uma “namorada”, e não uma comum e sim uma imaginária!

            – É, eu sei... Mas é um nome lindo! – Retrucou esperto como sempre. – Estrelas são meninas mamãe?

            Novamente a mãe se tranquilizou, ele estava se referindo a uma estrela qualquer, e não a um “humano” em si.

            – Se você quiser que seja, então são...

            – Mas... Creio que sejam do sexo feminino. – Retrucou pensativo. – Mas não tem problema se minha namorada for brilhante, ser menina, e ter nome de menino?

            – Jungkook, pare de ser bobo. – A mulher gargalhou. – É somente as nuvens que estão tapando as estrelas, nada mais, criança! Agora durma, e sonhe com os anjos, uh? – A mulher sorriu pequeno.

            – Então eu sonharei com Taehyung? – A criança não economizava sequer um segundo nas perguntas.

            – Por que, menino?

            – As meninas da minha sala dizem que ele é um anjo! Mas anjos gostam de meninos? Se sim... Então o Tae é um anjo!

            – E por um acaso, ele gosta de meninos? – A mulher perguntou esbabaçada.

            – Gosta, ele até já deu um beijo na boca do Seokjin!

            – E esse menino tem quantos anos? – A mulher perguntou indignada.

            – 15! – Respondeu corado. – Quanto tempo leva para as nuvens irem embora, omma?

            A mulher se surpreendeu, com a maneira rápida com que seu filho se desinteressava com algo rapidamente, igualmente a seu pai, ao repensar isso sorriu, e se levantou, afim de enfim, ir embora dali e fugir das perguntas de Jungkook que começavam a se intensificar a qualquer momento...

            – Ah, depende, meu filho...

            O menino se emburrou, enquanto fechava os olhos para poder dar início a seu sono. Queria ver logo sua “namorada”, que na verdade era apenas uma estrela que brilhava mais que todas, se destacando assim no céu escuro.

            Toda noite, Jungkook pegava seu livro com mais de mil poemas e historias, e lia para a mesma estrela todas as noites, passava quase a madrugada inteira acordado, escondido da mãe, que não o deixava ficar acordado até tão tarde da noite. E lia, lia até perceber que sua estrela estava cansada de histórias, então ele cantava, e sentia que a estrela gostava.

            Ele conseguia ouvir o “obrigada”, quando terminava e se despedia com um aceno, quando o sono era enorme, e ele tinha que dormir por causa das necessidades básicas do dia seguinte.

            Jungkook amava. Uma estrela, mas amava. Algo metafórico, mas amava e aquilo que importava.

            – Boa noite, Yoongi. – Sussurrou enquanto encarava o vidro fechado da janela, e visualizava sua estrela favorita, que com o tempo já não estaria mais ali, e sim em outro lugar. Mandou um beijo no ar, e apagou os olhos, terminando por fim. – Eu te amo...

            E enfim, a criança eletrizante, e curiosa, o prodígio da família, estava imerso em seus sonhos, no dia em que encontraria aquela estrela pessoalmente, e se casaria com ela.

            Definitivamente uma criança apaixonada.

            Lhes apresento: Jeon Jungkook, e sua história, de como conseguiu tornar seus sonhos reais.


Notas Finais


E é isto^^ Espero que tenham gostado, enfim, é somente o prólogo, espero poder continuar aqui com esse plot, e todos você <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...