História Shooting stars. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Dean Winchester, Sam Winchester
Tags Cas, Castiel, Dean, Destiel, Spn
Visualizações 136
Palavras 1.998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, esse cap tá tão triste, meu coração se parte :(

Capítulo 3 - Capítulo dois.


Dean. 

 Hoje faz mais um ano.

 Mais um ano que meu pai nos deixou. Não que eu sinta sua falta ou do que tínhamos como pai e filho, afinal nossa relação não era das melhores, mesmo assim, hoje é um dia difícil para todos nós.

 Eu precisei me reconstruir e ver minha mãe e meu irmão, o meu melhor amigo, destruídos.

 O fato de entender melhor que talvez ali não fosse o lugar dele, porque ele nos fazia mal, me ajudou. Porém, não era apenas eu, éramos nós três e Sammy o amava, apesar de não ter o seu melhor. 

 E minha mãe, minha mãe o amava acima de qualquer coisa, ela sustentava o casamento nas costas e aguentava tudo, pois ela dizia que isso era o amor, o amor é benigno, o amor tudo crê, tudo espera. O amor tudo suporta.

 Mas ele não nos amava, certo? 

Pois se nos amasse, ele estaria aqui e não o ter aqui talvez tenha sido melhor, melhor para nós.


 Para reconstruir meus muros precisei enfrentar minhas ruínas, e avaliar o que me trouxe até aqui. Pensar nas minhas escolhas e ações da vida, sem pensar no que poderia ter sido melhor. 


 As vezes, não nego, ainda te vejo passar por aquela porta e nos diz que é sábado e que eu, você e Sammy precisamos ir pescar ou caçar. 

 Deus sabe como eu queria que isso acontecesse. Mas não por mim, eu queria isso por Sammy, eu desejava com todas as minhas forças que ele não tivesse que passar por nada de mal, que ele não tivesse mais que sofrer.

 Eu agradeci aos céus quando Liv e Cas entraram em sua vida. Mas no dia de hoje, nem aqueles olhos azuis nos traziam paz. 


 Eu não tinha coragem de descer, não queria ter que olhar para minha mãe e ver o seu olhar perdido ou vê - la se questionar onde errou, no que ela não teria sido suficiente. 

 Deus sabe o quão perfeita ela havia sido. 

 Tomado por toda coragem e nenhuma disposição que havia em mim, eu sai do quarto, mas ainda assim fiquei bons quinze minutos ensaiando descer a escada. 

 E quando finalmente cheguei a sala, me arrependi. Sam estava no sofá, deitado com seus fones de ouvido e o rosto vermelho, ele claramente havia chorado.

 E minha mãe estava na cozinha, separando os feijões para cozinhar, mas sua mente não estava ali, estava com o olhar na parede e o pensamento provavelmente em meu pai. 

 Eu não suportava mais isso. 

 Foi quando ouvi a campainha tocar e quando abri, lá estava ele, seus olhos azuis estavam ansioso e eu presumo que seja pelos potes de sorvete que ele e Liv traziam em mãos.

 - Oi Cas, Liv. Não é cedo?

 - Dean, não seja rude, nós viemos animar vocês! 

 - Nos animar?

 - Oh, sim, meu amor, animar vocês. 


 Meu amor, meu amor. Então tudo em mim foi balançado e eu senti aquela sensação quente por dentro, de um jeito bom. 

 Em questão de duas horas, Liv e minha mãe tinham o almoço pronto e Cas e Sammy performavam Dua Lipa em minha frente, ora me fazendo chorar de rir e ora me fazendo perder a compostura e me repreender mentalmente quando Cas dançava tão perto que eu podia sentir sua respiração na minha. 

 Deus, aquilo era demais para mim. Eu o queria e isso era um fato.

 Eu resolvi sair e encontrar Gabe e Benny em uma lanchonete qualquer, pois sabia que uma hora Liv e Cas iriam embora e eu precisaria estar lá. 

 Meus amigos não sabiam sobre o dia de hoje, sobre meu pai ou sobre mim. Sabiam o que eu permitia que chegasse a eles e aceitavam assim, isso era uma coisa minha. 

 E lá estávamos nós, sentados em uma lanchonete qualquer com lanches e uma dose na mão, quando Benny desgraçadamente tocou em um assunto que eu não queria ouvir. 

 - Então, os irmãos de vocês estão juntos?

 - Como? - Gabe pergunta tão confuso quanto eu.

 - Cas e Sammy, eles têm algo?

 - De onde você tirou isso? 

- Aaa, qual é, eles estão sempre juntos e eu pensei que... Você sabem...


 Então minha mente foi inundada por vários momentos dos dois, várias imagens que eu realmente nunca levei por outro ângulo, não até agora. 

 Sammy limpando a boca de Castiel quando ele derrubou o bolo. 

Sammy sentado no colo de Castiel quando haviam vários lugares na sala.

Sammy dizendo que eu devia investir, pois Cas sabia o que fazia.

 Bom Senhor, será que eles tem alguma coisa? 


 - Não, eles não estão juntos. - Gabe foi rude e seu tom mostrava que não queria prosseguir o assunto. 

- Calma, eu apenas queria saber se eles estavam solteiros. Isso tudo é proteção? 

- Sammy e eu conversamos e nós vamos até sair, então não, eles não estão juntos e Sammy não é para você.

 - Não faz diferença, eu quero seu irmão. - céus, eu vou quebrar os dentes de Benny. 

 - É um encontro duplo, Cas estará comigo, seja o que for que queira no caminho, é melhor que mova-se.


 Depois disso Gabriel me avisou que castiel já havia chego em casa, o que me levava a crer que estou a muito tempo fora.

 Quando parei o impala na porta de casa não tive tempo para pensar, ouvi o barulho de vidro quebrando e soube que era Sam. 

 Minha mãe o segurava abraçada em suas costas o pedindo para parar e seu desespero era palpável.

Eu apenas fui até eles e os abracei, os ouvindo chorar e me dando por vencido, derrubando todas as lágrimas que eu tentava esconder. Sammy era quem mais sofria com isso, mas o ver assim derrubava a todos nós.

 - Mãe, suba, vá tomar um banho, eu deixarei a água do chá no fogo. - Ela não hesitou, apenas subiu. 

 - Venha, vou colocar a água no forno e nós vamos conversar, mais tarde eu tiro o vidro do chão.


 Com a água no forno, minha mãe no banho e Sammy no sofá, eu apenas conseguia pensar no que dizer para ele agora. 

 Eu era uma montanha e podia resolver qualquer coisa, menos quando via meu irmãozinho tolo chorar. Isso acaba comigo. 

 - Sammy, você estava bem, você estava cantando e dançando quando sai daqui.

 - Eu estava me sentindo mais leve enquanto eles estavam aqui, mas droga, eu continuava mal, esse peso não me deixava e me fazia pensar coisas horríveis, me faz querer coisas horríveis.

 - Como assim?

 - COMO? COMO? DROGA DEAN, ELES ESTÃO AQUI AGORA E EU OS AMO DEMAIS, MAS EVENTUALMENTE ELES VÃO ME DEIXAR, COMO TODOS.

 - Sammy, não grita, olha, eu sei que tá difícil, todos esses anos, para todos nós, mas você não é isso. 

 - COMO NÃO SOU? PORQUE ELE SE FOI DROGA? NO QUE NÓS NÃO FOMOS SUFICIENTES?

- Sammy, você não errou em lugar algum, você é a melhor pessoa que qualquer um poderia querer ter na vida. 

- Quem? Quem? Me diz quem? Se nem nosso próprio pai quis ficar, quem ficaria??? 

 - Eu fiquei, droga Sammy, eu fiquei. Eu sofri e eu chorei, mas eu fiquei. E o que me matava era te ver mal, porque você é meu irmão, Sam. Você é meu melhor amigo, todos os dias em que eu te via chorar, Sammy, cada parte de mim se quebrava, cada parte de mim queria morrer. Mas eu queria estar para vocês, nós não precisamos de mais ninguém, somos nós três e somos um bom time, isso é a nossa família. 

 - Eu quero ficar sozinho. 

 - Eu não vou te deixar só, nem por um minuto. 

 - Dean, você tem que prometer que será meu melhor amigo irmão para sempre, eu sei que parece besteira, mas quando dói, só dói na gente e eu não quero ficar sozinho, eu tenho pavor de não ser suficiente, eu não aguentaria perder vocês também.

 - Sammy, você é tão mais que isso, você é mais que nosso pai, é mais que seus problemas e seus relacionamentos falhos. Samm você é tão melhor que tudo isso, eu te vi crescer, te vi chorar, te vi mudar. Você não é o que dizem. Não é o que pensa. Você não é a droga dessa situação.

 - Então o que eu sou? Droga, Dean. Eu nem sei quem eu sou.

 - Você sabe, o problema é isso que você faz consigo mesmo, se machucar, se botar para baixo, se deixar sofrer e ficar no chão. Irmãozinho, você não é você quando está assim e você sabe disso.

 - Nós podemos dormir agora? - Ele pediu chorando.

 - Vamos subir, eu vou ficar lá até você conseguir dormir. 


 E assim eu fiz, fiquei até lá até que dormisse, e quando o fez, passei no quarto, cobri minha mãe e desci. Tirei os vidros do chão e segui até o impala.

 A letra dizia tudo que eu precisava ouvir e eu apenas deixava as lágrimas caírem. 

 "Porque estamos dirigindo há tanto tempo

 Que não consigo lembrar-me como chegamos aqui

 Ou como sobrevivemos Por tanto tempo, tentando fugir de nosso orgulho 

Até que você incendiou minha atmosfera 

E eu me lembro como passei o vigésimo terceiro dia

 Sentindo-me seis pés para baixo enquanto estava a 30,000 pés acima no ar 

Perseguindo aquele pôr do sol

 Tão longe ao leste e estou indo para o oeste 

Sentindo como se a beira do mundo estivesse próxima.


  Mas você se sentirá melhor quando acordar 

Juro por Deus que irei compensar 

Por tudo e mais quando eu voltar algum dia

 Isso é mais que apenas uma fase, amor.

 As estrelas cadentes, todas se quebram 

E apesar de parecer meio mundo distante 

As coisas serão melhores na América 

Soube que as ruas são douradas lá 

Talvez eu possa fazer você voar para este lugar algum dia 

Perseguindo sonhos como se eu tivesse usado novocaína

 Gritando através de suas transmissões sonoras

 Olhando para trás, eu quase pensei ter ouvido você dizer 


 Fique, você não irá me deixar

 Esse lugar é bem onde você precisa estar 

E por quê suas palavras significam tanto para eles 

E elas significam nada para mim? 

Então fique, você não é o quê está ouvindo

 Pois tenho observado você mudar 

De qualquer forma, quem disse que você é um em um milhão?


 Porque você vê apenas o quê você quer 

Sua visão estreita é sua dona 

E você não pode ver o quê está errado

 Enquanto continua a dormir à tarde toda 

Olhos bem abertos quando está sonhando 

Você está um sonâmbulo

 Apenas continue falando 

Talvez você consiga falar seu caminho fora desse fim profundo 

Nenhum plano b em seu sistema

 Apenas me diga o quê você está pensando 

Estou com medo de que você possa cair

 Mas você não está 

Mas você não está...


E você se sentirá melhor quando acordar 

Tirando sua maquiagem

 O sol aparenta sempre lavar nossos medos 

E está sempre brilhando em algum lugar 

Eu só tenho que chegar lá 

E apesar de aparentar meio mundo distante 

As coisas são melhores na América 

Soube que as ruas são douradas lá 

Talvez eu possa fazer você voar para este lugar algum dia 

Perseguindo sonhos como se eu tivesse usado novocaína 

Gritando através de suas transmissões sonoras

 Olhando para trás, eu quase pensei ter ouvido você dizer 


 Fique, você não irá me deixar 

Esse lugar é bem onde você precisa estar 

E por quê suas palavras significam tanto para eles 

Enquanto elas significam nada para mim?

 Então fique, você não é o quê está ouvindo 

Pois tenho observado você mudar 

E quem disse que você é um em um milhão? 

 Você é muito melhor do que isso"

 Eden - Wake up. 


 Parei o carro na rodovia vazia e sabia do que eu precisava, o céu me dizia tudo. 

 Peguei meu celular e procurei o contato, no terceiro toque ouvi sua voz. 

 - Alô, Dean?

- Cas, eu preciso de você.



Notas Finais


Gente, ficou alguma coisa com no cap? É que eu copiei da minha conversa com a liv e acho que não saiu perfeito né, me digam o que estão achando AAAAAAAAAA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...