História Shotting Star: Uma Vida De Mistérios. - Temp.1 - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Dipper Pines, Mabel Pines, Personagens Originais, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines
Tags Dipcifica, Mabill, Mawill, Mizeria_hannya, Wendipp
Visualizações 175
Palavras 2.386
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção Adolescente, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


uuuuuuuuuuu
AAAAAAAAAAAAAAAA
EPA EPA CHEGUEI
DE NOVO
CARAIO TA DE TARDE
QUE RANÇO VÉI
NOUSSA
odeio escrever de tarde mas né
se não escrever agora não escrevo mais
tô com soluço, quero me matar :v
Enfim, hoje não tem lenga-lenga, bora logo pro capitulo, beijos sabor pastel de flango na bundinha de cada um de vocês e boa leitura!

Capítulo 13 - O Início de Tudo.


Fanfic / Fanfiction Shotting Star: Uma Vida De Mistérios. - Temp.1 - Capítulo 13 - O Início de Tudo.

{Recapitulação}

- Você fala demais, garoto - Wendy fala, logo depois puxando Dipper pela gola da camisa, dando-lhe um beijo, logo depois de se dar conta do que estava acontecendo, Dipper retribui o beijo, fechando os olhos e ficando cada vez mais corado, assim, Wendy sobe suas mãos até a nuca do rapaz, logo brincando com os fios de cabelo castanhos que o mesmo tinha enquanto ele ousava descer as mãos até a cintura da mulher.

Enquanto isso com Ford e Stan...

- Droga! Nós temos a mesma idade, como consegue correr e eu não?! - Stanley pergunta, ofegante e indignado, apoiando as mãos no joelho enquanto seu irmão abria a carta desesperadamente, ignorando tudo e todos a sua volta, ele começa a ler.

 

 

"Caro Stanford Pines, você não me conhece, eu sei, mas eu te conheço como a palma de minha mão. Enfim, por essa carta vim tratar de o avisar que sua sobrinha corre perigo, e eu realmente não quero ter que machucar ela, mas caso ela continue no meu caminho, terei que fazer isso. Espero que entenda. Além disso, eu quero que me devolva o colar demoniaco que me roubou, não gostei nada de ter uma pessoa tão querida roubando minhas criações, então, se quiser algo, PEÇA diretamente para mim, bem, nesse caso poderei recusar com gosto, não gosto tanto de um humano assim. E por ultimo: Controle bem o líder do seu universo, ele tem me causado problemas sérios e eu não quero ter que substituir ele.

Com prazer, O Imperdoável."

 

(Capitulo atual.)

(O Começo de Tudo.)

Autora on

 

"Como seria possível eu cair em amores por alguém tão sádico, cruel e sem sentimentos?"

É isso que Will Cipher se perguntava no momento que sentia o gosto amargurado e metálico do sangue em sua boca enquanto olhava o clima frio do lado de fora da janela do quarto de sua dona e amante. Ele abraçava os joelhos, sentado em cima das almofadas que o acento imaculado com a enorme janela tinha, com a cabeça caída na parede e como sempre, um olhar melancólico. Acabará de ser espancado por Dipper Glefful, seu dono, ele havia o aborrecido após sem querer quebrar-lhe uma xícara velha, por isso a punição.

O jovem olhava o horizonte enquanto se curava de suas feridas pela surra recente, com frio por estar apenas vestido com uma bermuda velha (como sempre se vestia quando estava na mansão, fora do alcance dos olhos do público). As correntes grossas feitas de magia azul pesavam nos pulsos e pescoço do garoto, logo, ele vê Mabel entrar, aparentemente cansada, logo ela o olha com desprezo e tira seu blazer azul claro, passando a mexer em alguns livros em suas estantes e deixando o azulado admirar cada curva de seu corpo, ele sabia que a mesma estava brava com ele por ter chamado Pines de Mab, um simples apelido provocou um ciumes obsessivo na garota. Ela era realmente maniaca por Will, não admitia que o garoto nem mesmo sorrisse pra alguém além dela, queria cada pedaço do azulado apenas pra ela.

- Oque está olhando tanto, Will Cipher? - A mesma pergunta num tom provocativo sem tirar os olhos dos seus livros enquanto fazia poses na tentativa de provoca-lo, claro, não iria fazer nada com ele, ela apenas queria deixar ele com a vontade, por puro ciúmes de Mabel Pines. Logo, o garoto balança a cabeça e vira sua cabeça pra janela de novo.

- Perdão, Senhorita.. - Ele se encolhe mais conforme sussurra, logo Mabel não fica satisfeita por só isso é caminha até ele, logo o forçando a esticar as pernas e soltar os joelhos.

- Olhe Will, você sabe que eu estou muito decepcionada com você, não? - Ela pergunta após sentar no colo do mesmo, fazendo o mesmo se encolher, com medo e logo assentir, respondendo a pergunta e abaixando a cabeça, assim, sua dona coloca o dedo em seu queixo e levanta sua cabeça, o fazendo olhar pra ela. - Pois você merece uma punição, não é? - Ele assenti, assustado e não percebendo o tom malicioso na voz dela, assim achando que iria ter mais uma sessão de tortura.

- M-Me perdoe, Senhorita, eu só falei aquilo p-porque... Porque acabei me distraindo e-e isso não... V-Vai se repetir... - Ele gagueja com medo, fechando os olhos de pavor da pequena garota que estava em seu colo. Ironia. Will era bem mais forte que os dois gêmeos juntos e triplicados, e mesmo assim continuava se torturando daquela forma. 

- Hmm... Ótimo... - Ela sussurrou no ouvido do menor, logo sentindo o doce aroma que o mesmo tinha, junto com o odor de sangue que vinha do mesmo. - Oque ele fez com você, Will? - Ela pergunta totalmente seria, percebendo o odor de sangue e imediatamente se afastando e botando as mãos nos ombros dele, logo o mesmo desvia o olhar.

- E-Eu... bem.. quebrei uma xícara... E...- Antes de falar qualquer coisa ela suspira pesadamente, chamando a atenção do mesmo.

- Nesse caso, não se preocupe, farei-o pagar. Já não basta seu irmão te espancando sem nem mesmo poder, agora Dipper.. Ele está realmente passando dos limites, já é a quinta vez que ele te tortura por coisas bobas nessa semana! - Ela fala, sem admitir que alguém machuque seu pequeno Coelhinho, que não entendia essa proteção extrema dela, mas ao mesmo tempo se sentia extremamente lisonjeado por sua dona sentir isso por ele.

- M-Mas eu mereci e- Ele é brutalmente interrompido por Mabel, que agarra a mandibula do maior com uma mão e olha fixamente o garoto, que já espera uma surra enquanto aperta os olhos, com medo enquanto sente as luvas pretas de Mabel em seu queixo/mandíbula.

- Você se subestima demais, Will - Ela fala enquanto passa a massagear a onde estava com a mão, logo descendo a mesma até o pescoço do mesmo e colocando uma mexa da franja dele pra trás. - Você é perfeito, tente entender isso, querido. - Ela pela primeira vez em muito tempo da um sorriso, um verdadeiro sorriso que faz o jovem se derreter e corar violentamente, retribuindo com um sorriso bobo ao perceber o quão amado por Mabel ele era. O unico, verdadeiro, e talvez um pouco toxico amor de Mabel. O primeiro dela. E o unico verdadeiro.

Enquanto isso com Mabel Pines e Bill Cipher...

 

A pequena Estrelinha ainda estava inconsciente na cama, Bill suspirou e começou a conversar com ela, mesmo sabendo que ela não o ouviria.

- Sabe, Mabel, eu realmente queria que Will estivesse errado.. - Ele fala enquanto cobre Mabel delicadamente, cuidando de colocar os braços dela em cima do cobertor logo após a cobrir. - Você é identica a ela... - E pega um pequeno pano úmido, logo limpando o rosto dela com cuidado, observando o mesmo com um pequeno olhar de admiração, o mesmo que ele escondia enquanto a observava antes. - Gostaria que fosse ela.. - Ele fala de um modo angustiado, logo secando o rosto dela, e passando a mão em sua bochecha, fazendo-lhe uma caricia. - Eu realmente gostaria que fosse... - Ele aproveitou que ela estava inconsciente pra demonstrar ali seu "lado" delicado, que na verdade não passava de uma fraqueza dele. A fraqueza de um demônio.

Ele se levantou da borda da cama e passou a arrumar alguns medicamentos enquanto a pequena começava a acordar, de novo, com o corpo ardendo e sem poder se mexer.

- Sabe, as vezes eu fico imaginando se você não é ela - Ele fala, ainda achando que ela está inconsciente, quando a mesma já está ouvindo, mesmo sem entender muito. - Tipo... Uma reencarnação, entende? - Ele da uma risadinha, logo ficando com um olhar angustiado e decepcionado. - Aaah... oque estou falando? A Morgana tá morta, essa garota não tem nada a ver com ela.. - Ele se senta na frente da cama, evidentemente triste, passando a admirar Mabel enquanto a mesma acorda lentamente.

- Aaaahn? - Ela fala assim que acordar, logo tentando se mexer e conseguindo com muita dificuldade, assim, ela se senta e observa Bill, que reconstrói a figura horrenda e insensivel que Mabel conhece.

- Aah.. Você acordou.. - Ele resmunga, passando a fingir um olhar de nojo e encostando as costas na cadeira com as pernas cruzadas.

- Onde eu estou? - Ela pergunta, séria e ainda tentado digerir oque acabou de ouvir. - E... Quem é Morgana? - Ele muda de expressão na hora, arregalando os olhos e os direcionando a ela, logo engolindo a seco e cruzando os braços.

- Ninguém que te interesse - Ele fala, logo bufando e se levantando, saindo da sala e depois de pouco tempo ele volta com duas toalhas. - Você precisa tomar banho, o banheiro é ali - Ele aponta a porta do banheiro, num tom de voz mais calmo.

- Eu não vou tomar banho com você olhando - Ela revira os olhos e bufa.

- Eu não vou ficar olhando essa sua carcaça humana, Estrelinha, seu corpo não tem nada demais - Ele fala, bufando de volta e balançando as toalhas pra ela pegar, a mesma não gosta da ideia, mas pega as toalhas, logo indo pro banheiro e se despindo, assim, Bill escuta o barulho da torneira da banheira sendo ligada e suspira, se sentando na cama.

 

Enquanto isso com Wendy e Dipper...

 

Dipper apertou levemente a cintura da mulher enquanto a mesmo brincava com os cabelos dele, com as mãos em sua nuca. Logo que a falta de ar se fez presente eles se separaram, ofegantes, se olharam e finalmente perceberam oque acabaram de fazer ali, logo ambos coraram violentamente.

- M-Meu deus, Dipper... AAh, eu.. - Ela tenta se explicar, assim como ele, sem coragem de olhar nos olhos do garoto, totalmente envergonhada, colocando uma mecha o longo cabelo ruivo atrás da orelha.

- AAh, não, n-não, ta tudo bem, eu que... - Ele gagueja, logo se afastando e suspirando silenciosamente de alivio ao seu Tivô Ford interromper o momento constrangedor de forma inusitada, logo o mesmo se aproxima da mesa sem tirar os olhos da carta em suas mãos, sendo seguido pelo irmão.

- Ahn... Eh...bem... eu já vou agora... - Wendy se despede antes de Ford poder falar algo, logo puxando o "seu" boné pra baixo e correndo pra fora do porão, envergonhada e fazendo os dois tivôs se perguntarem oque aconteceu ali pra ambos os jovens estarem corados, logo Stan da um sorriso malicioso e sussurra pra si mesmo.

- Não vou nem perguntar oque aconteceu, he he - Ele fala e olha diretamente pra Dipper, levantando as sobrancelhas com um olhar malicioso.

- Bom.. - Ford suspira e tenta quebrar o gelo e o clima estranho, mexendo na carta enquanto levanta as sobrancelhas. - Eu sinceramente não entendi muita coisa disso aqui, vou ser sincero, Dipper..

- Oque? Nada? - Dipper se assusta, sempre pensou que Ford tinha controle de tudo.

- Não, é algo totalmente sem sentido, mas quem me enviou isso parece me conhecer, é estranho... - Ele analisa a carta, com o cenho franzido enquanto alisa a barba, logo Dipper toma a carta de suas mãos.

- Deixa eu ver - Ele diz logo após pegar, logo lendo a carta e levantando uma sobrancelha. - Ahn?

- É, eu tive a mesma reação, parece uma alguma brincadeira idiota, mas quem faria isso? - Ford.

- AAAh, sei la, tem uns moleques chatos no fim da rua, pode ser eles. - Stan.

- Não diga bobagens, Stan. - Ford reclama, revirando os olhos.

- Poderia ser o Bill, pra nos confundir e fazer a gente perder tempo - Dipper sugere, logo Ford abre um sorriso.

- Isso mesmo, Dipper, faz sentido.. - Ele sorri e logo suspira - Aquele mono-olho ainda acha que me engana, hehe - Ele diz enquanto amassa a carta e joga fora e faz não com a cabeça, com um olhar decepcionado por seu inimigo ser tão burro. Mal sabia ele que ele cometeu um erro enorme ao achar aquilo.

 

Voltando agora a Mabel Pines e Bill Cipher...

 

A garota acabara de sair do banho, coberta apenas com uma toalha, viu Bill roncando numa cadeira, com o paletó desarrumado, sapatos desamarrados, com a cabeça jogada pra trás, braço caído pra fora da cadeira onde dormia, com a boca levemente aberta e as pernas totalmente abertas. Relaxado. O momento perfeito pra fugir. "E pra que fugir? Eles iriam atrás de mim, a melhor solução é esperar alguém vir me buscar.." Foi oque Mabel pensou antes de se aproximar do demônio, que continuou dormindo tranquilamente, logo ela o cutucou e apesar do traje indecente, ela tentou ignorar a vergonha e o acordou.

- Aaah, oque você quer, garota? - Ele perguntou, cansado enquanto massageava os olhos sem nem ligar pro fato dela estar semi-nua.

- Roupas limpas, onde tem? - Ela fala rapidamente, levemente corada e ele aponta pra um criado-mudo ao lado da cama, com algumas roupas em cima, logo ela as pega e volta ao banheiro, porque, por mais que Bill estivesse dormindo novamente, ela não confiava no demônio. 

Após se trocar, assim estando vestida por uma calça apertada da cor verde, uma camisa longa e listrada de rosa e roxo e cheirando ao sabonete de amêndoas que havia usado no banho ainda com os cabelos úmidos, ela acorda novamente Bill, logo cruzando os braços e bufando.

- Oque foi dessa vez? - Ele pergunta, impaciente sem olhar Mabel, que bate o pé no chão.

- Terminei meu banho, oque quer agora? - Ela fala também impaciente, querendo logo sair dali e voltar pra sua familia.

- Aaaah, acho que agora já é hora do jantar, não? - Ele fala logo depois dando uma risadinha, se levanta e espreguiça, boceja e coloca o braço no ombro da garota, fazendo a mesma revirar os olhos. - Bem, vamos. - Ele a obriga a sair do quarto.

- Sai de perto de mim, Doritos Deformado - Mabel fala enquanto tira o braço de Bill de seu ombro e se afasta, observando a luxuosa mansão dos Reverse.

- Olha, eu tô realmente tentando ser legal com você... - Ele reclama, bufando e se calando assim como Mabel, que o observava escondido.


Notas Finais


eh...
ficou meio merda
ta curto pra caralho
eu me odeio
quero me matar
mas serio, talvez seja porque foi escrito de tarde, não de madrugada, sla
ou eu que seja uma merda mesmo
me matem




M.H <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...