História Shouldn't Wait For Me. - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Agust D, Min Yoongi, Suga, Yoongi
Visualizações 38
Palavras 1.725
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - I wanna Talk With You


Fanfic / Fanfiction Shouldn't Wait For Me. - Capítulo 15 - I wanna Talk With You

O final de semana foi até divertido, saímos eu, YounHa, sua namorada Kim Hye Gun, e um amigo delas. Hye Gun é um pouco isolada, diferente de YounHa mas elas fazem um casal realmente lindo. Hye Gun parece ter um brilho nos olhos quando olha para a YounHa, minha meta de vida é encontrar alguém que me faça ter esse mesmo olhar.

O amigo delas é bem legal, ele é o tipo de amigo que você na primeira vista acha que está te secando com os olhos, mas ele só tem a mania de encarar as pessoas. Ele ficou tímido quando o encarei de volta na mesma intensidade, ele tem um sorriso realmente adorável. Não vou negar que ele é muito bonito, cabelos castanhos escuros quase tapando os olhos, pele não tão pálida, seus olhos eram quase que perfeitos que até faziam um belo eyer smile quando sorria, e ele aparentemente tem um bom gosto pra roupas. E seu nome? Eu sou terrível com nomes, só me recordo que seu sobrenome ser Park, mas prometo que da próxima vez que nos vermos perguntarei novamente.

Saímos pra tomar algo quente naquela tarde fria mas acabamos por ir no cinema, ou melhor, fazer da casa da YounHa um cinema, com direito a pipoca, refrigerante, sorvete, café, achocolatado e um sofá enorme, quase ocupava sua sala por completo.

"Eu comprei alguns filmes semana passada mas não tive a chance de ver. Escolham aí." YounHa estendeu um pequeno amontoado de DVD's, nem todo mundo tem Netflix acompanhada de internet boa não é mesmo?

Acabou que deixei que Hye Gun e o garoto escolhessem. 'Invasão Zombi' não foi uma ideia nada ruim. Só não esperava que esse filme me fizesse chorar horrores, implorar internamente de que nada tão forte acontecesse e falhar em minhas súplicas. 

No sofá se sentou Hye Gun, YounHa, Park e eu. Nessa mesma sequência, todos tinham seu próprio cobertor menos elas que dividiam um. Diferente de outros coreanos eu não me incomodava com o afeto entre elas, e aparentemente o 'Park sei lá o que' também não. No meio do filme YounHa o pausou.

"Eu preciso ir no banheiro, volto logo." Disse antes de praticamente sair correndo em direção à um corredor. Hye Gun começou a mexer no celular, ...Park estava tremendo...? Não era medo ou algo do tipo, era frio.

"Você está bem?" Peguei em sua mão que estava por cima do coberto, sua mão estava muito fria.

Tirou rapidamente sua mão de debaixo da minha "Ah, sim. Só um pouco de frio." Assoprou as mãos na tentativa de aquelas.

"... Meu cobertor é grande o bastante, caso queira poss-"

Me cortou "Não precisa, eu estou bem." Não soube dizer se ele não queria encomendar ou não queria minha ajuda, só não falei mais nada depois disso.

YounHa voltou e o filme continuou, lágrimas molhavam as pontas dos cobertores ao decorrer das cenas e em alguns momentos eu prendia a respiração involuntariamente quando havia uma cena com muita tensão.

.

.

.

.

.

O filme aparentava estar quase no fim "...Você poderia dividir seu cobertor comigo?" Finalmente Park cedeu.

Lhe ergui uma parte do pano e passei por cima dele. Se senti observada pelas outras garotas mas, quem liga? A vida não é como os Doramas, só estou sendo gentil.

No que realmente parecia ser o fim meu celular toca e eles reclamam do barulho. Me levanto até a cozinha e atendo.

"Soo Min, emergência. Vem pra cá." Era a voz de HoSeok, mas não parecia ter preça alguma no seu tom.

"Agora?" Poxa eu quero ver tanto o final. Sou a única staff que existe nesse mundo?!

"É, agora. Não demora."

"Tá, estou a caminho." Antes de desligar escuto ele falar algo e volto o celular ao ouvido.

' Ela está vindo.' Ele desliga.

Mas o que? Tá, não é emergência nenhuma, o que esses garotos já estão aprontando? Não acho que seja uma segunda rodada de Just Dance.

Volto pra sala e me despeço dos demais, eles nem me deram atenção, estavam ocupados de mais chorando com o final que eu queria estar vendo. Até Park tinha lágrimas aos olhos.

Eu ainda irei falir de tanto pegar táxi por esses extras e emergências.

Cheguei lá sem preça alguma, mandei mensagem para HoSeok pra saber onde estava e logo respondeu. 'Sala de ensaios'. Eles tinham uma separada dos trainee's, era no antepenúltimo andar.

Subi até lá, última sala do vasto corredor.

"Tae Hyung?" Disse ao me deparar com somente ele lá dentro. "Onde está HoSeok?"

"Eu pedi que que te chamasse."

"... Então, algum problema?"

Ele me encarou por alguns momentos em silêncio. "Não, problema nenhum."

Mas o que está acontecendo?!

"...Porque fui chamada?" Por favor que eu não tenha perdido o final do filme atoa!

"HoSeok me disse que você é boa ouvinte, e eu queria alguém pra desabafar mas essa pessoa não deveria saber de quem se trata. Então achei que você poderia me ouvir." Essa realmente me deixou surpresa.

Não acho que HoSeok saiba que também sou formada em psicologia mas vamos fingir que não sou.

É, já perdi o final do filme e não tenho nada melhor pra fazer mesmo.

"... Quer conversar aqui mesmo?" Me aproximo dele.

"Na verdade eu preferia fora daqui."

" 'Fora' aonde?" Me referi a fora dessa sala ou fora do prédio.

"Tem um lugar que eu vou pra ficar sozinho. Te levo lá."

Ele tirou uma máscara do bolso, consigo uma chave de carro e arrumou a touca cinza em sua cabeça e saímos.

O carro que entramos me era familiar, era o carro do fotógrafo Min Ho. Mesmo carro que YoonGi me levou para casa quando não estava bem.

Andamos por algumas guardas em silêncio "Eles sabemos que saímos?" Pergunto.

"O Hobi-Hyung sabe, mas não tem problema sair eu tô com você." Ele deu um sorrisinho adorável sem tirar os olhos da rua.

Foi tudo o que falamos durante o caminho, no carro tocava um CD do AKMU, as músicas são bem tranquilas e deixa o ambiente bem calmo. Tae cantarolava em alguns momentos é então finalmente chegamos.

Era um lugar um pouco escondido próximo a uma linha de trem. Descemos e me sento em um pequeno amontoado de suportes de madeira a espera do que se tratava a minha vinda. Ele parecia formular as palavras que usaria.

"Bom, eu não sei por onde começar. Nunca falei da minha vida pra alguém que não conheço bem." 

"Você é corajoso TaeHyung, talvez um pouco ingênuo por confiar em quem você nunca conversou direito." Soou arrogante, não era minha intenção mas ele não pareceu ligar pra isso.

"Hobe-Hyung me disse que você é sincera e irônica até de mais. Não achei que veria isso tão depressa." Ergueu uma sobrancelha.

"As vezes posso soar grossa mas saiba que não é essa a intenção. Como agora, se pareci grossa me desculpe."

Balançou as mãos na frente do corpo "Sem problemas. Bom, vamos começar." Ele suspirou e assim começou. "A alguns anos, eu falei em uma Intervista que quando mais novo eu iria me confessar para uma garota que amava em uma ligação, e que no dia chovia e que ela não me atendeu. Acho que você soube disso." Balancei a cabeça positivamente, eu já era staff nessa época. "Bom, no último Fanmeeting ela estava lá, ela estava linda, mais velha mas a mesma garota com um sorriso lindo de sempre." Seu rosto corou  quando viu que eu prestava muita atenção em cada palavra. "Não me olha assim!" Cobriu o rosto.

"Assim como, TaeHyung?!" Me inclino para trás. "Eu só estou prestando atenção no que você diz. Continua, quero saber no que serei útil." Minha curiosidade só crescia nesse instante.

"Eu acho que ela percebeu que eu a reconheci, talvez tenha ficado óbvio de mais." Olhou para o céu, talvez lembrando do momento. "Eu fiquei paralisado por alguns segundos quando a vi. Tempo o bastante pra ela notar e dizer 'Olá Oppa, você talvez se lembre de mim, mas saiba que eu nunca esqueci você.' ela disse isso e foi tão constrangedor!" Voltou a cobrir o rosto. "Eu não a vejo à anos e agora ela faz isso!"

"Você me parece ter medo de que o passado possa voltar." Pra qualquer pessoa pode parecer que ele falava de alguém que ele amasse, mas seus comportamento corporal e alguns tons que ele usava enquanto falava me pareciam uma negação.

Ele se assustou com minha afirmação "Medo? Porque medo?"

"Você pensa nela com frequência ou só sentiu isso porque a viu novamente? Pode não ser medo, pode ser só que esteja surpreso ou nostálgico, mas não posso discartar a possibilidade de que você ainda tenha sentimentos por ela." Tentei não dar um tom proficinal mas acho que falhei.

Ele me encarou por alguns segundos, ele não tinha expressão. "Nostálgico..."

Não consegui manter o contato visual por muito tempo. "É, você sabe. Saudade ou tristeza por algo do passado."

"Ela me passou o número dela." Disse baixo.

Voltei a olha-lo. "E você vai ligar?" Meu tom saiu estranho. "Bom, não que isso devesse importar mas, não sei, você quer ligar?..."

"O que você disse talvez tenha mudado meu ponto de vista em algumas coisas. Mas talvez eu ligue, quero saber se eu ainda sinto algo por ela ou não."

"Caso tenha mais duvidas é só falar comigo." O assunto pareceu chegar ao fim.

Mas não.

"Só mais uma coisa, você sabe como as pessoas agem quando estão apaixonadas ou algo assim?"

Pensei um pouco "Bom, você muda quando a pessoa está por perto, você pensa de mais nela e de alguma forma, as coisa mais simples te fazem lembrar dela, seu coração aquece com muita facilidade também."

"Como assim 'muda quando a pessoa está por perto'?" 

"É involuntário você corrigir a postura quando a vê, e seu olhar também pode entregar algo, e a maneira que você fala. Isso são coisas que algumas pessoas não sabem ou sequer percebem."

Ele sorriu de canto satisfeito e meio suspeito com o que ouviu. "Interessante, realmente interessante saber isso, acho que sei quem possa estar assim." Disse para si mesmo.

"Sabe?" Uma vez curiosa, sempre curiosa.

"Não tenho certeza, mas se estiver certo quero saber quem é ela." De quem ele se referia? Só veio Min Ho na minha cabeça, não iria me intrometer nos assuntos dele. "Acho melhor irmos, quer que eu lhe deixe em algum lugar?" Tirou as chaves do bolso




TaeHyung me levou pra casa, durante o caminho ele me ajudou a dar um nome aos meus mais novos gatinhos e até brincamos de uma forma bem dramática sobre o cara mais bonito do mundo me dar carona pra casa. Kim TaeHyung é bem mais divertido do que parece.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...