História Shout My Name - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, Jinyoung
Tags 2jae, Jackjin, Jackyoung, Jinson, Yugbam
Visualizações 53
Palavras 1.438
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais uma terça meus amores e... Sim, tem MPreg, não sei se vocês viram nas tags.

E é o seguinte, os homens normalmente tem muitas poucas chances de engravidar, por tanto apenas camisinha pode evitar a gravidez de um homem não precisando tomar anticoncepcionais, ou tomar e não usar camisinha. Um ou outro.

Diferente da mulher que tem que tomar o remédio e usar a camisinha para não engravidar.

Também há um chá natural que evita a gravidez.

Claro que isso no mundo dessa fic, beleza? Qualquer coisa é só me perguntar.

Boa leitura!!!

Capítulo 5 - Contrato Famoso


Fanfic / Fanfiction Shout My Name - Capítulo 5 - Contrato Famoso

 Ouço batidas na porta e levanto para atender.

- Quem a essa hora da noit... - me calo ao ver Kunpimook ali com um envelope em mãos e lágrimas nos olhos - O que foi, Mookie?

- Hyung... - ele entra e me abraça forte começando a chorar mais.

#Shout My Name#

- Está melhor agora? - pergunto alisando suas costas.

- E-estou... - toma um pouco do leite que fiz.

- OK, pode me contar o que aconteceu? - ele nada me disse, apenas me entregou o envelope e eu arregalo os olhos - Como assim grávido de 2 meses, Kunpimook? Como? Você não usou preservativo?

- Esse não é o maior problema. - coloca a xícara em cima da banca de centro - Eu não sei de quem é.

OK, espera... OK nada, como assim ele não sabe de quem é?

- Você traiu o Mark? - ele assente - Você está muito, muito errado, mas eu não vou te julgar. - me aproximo dele e aliso seus fios - Com quem?

- Nosso gerente, o YuGyeom.

Eu não estou acreditando nisso, respira Jackson, demonstre sua maturidade.

- Por isso que muitas vezes você some nos dias de trabalho? - afirma - Mookie, o que vai fazer?

- Eu não sei, realmente, minha mãe vai me matar, Mark vai me matar, YuGyeom vai me matar. - começa a chorar novamente - Eu estou perdido, Hyung.

- Ei! Ei! Não chora. - limpo suas lágrimas - Já está feito, já está aí dentro. A única coisa que você tem que fazer agora é falar primeiro a sua mãe, depois chamar Mark e YuGyeom para conversar e, depois que o bebê nascer, fazer o exame de DNA.

Um silêncio se faz na sala e ele deita a cabeça em meu colo. Lhe faço carinho até ter certeza de que ele está dormindo.

Ah, meu pequeno tailandês. Faz tanta besteira, mas eu amo.

No meio de tantos problemas ainda me surge esse. Desde que encontrei o JinYoung pela última vez algumas coisas melhoraram. Porém outras pioraram.

Quando eu ando na rua sinto que estou sendo seguido, algumas pessoas me olham estranho e isso me preocupa.

#Shout My Name#

Nessa última semana eu estive ajudando o Mookie a contar sobre sua gravidez. O que mais me deixou de coração partido foi ver Mark chorar, eu nunca havia visto meu Hyung chorar tanto.

Eu servi de consolo a ele e ao Bambam também que chorou mais ainda. A única coisa boa naquele dia foi o fato de que ambos aceitaram tomar conta de Kunpimook até a criança nascer e ser feito o teste de DNA.

A dona Bhuwakul iria colocar o meu amigo para fora se eu não tivesse conversado delicadamente com ela.

Pois é, sou Jackson Wang, anjo da guarda de Kunpimook Bhuwakul.

Mas, sinceramente, eu faço tudo por ele, já que me tirou de várias situações difíceis e sofredoras.

Tenho certeza que vocês não querem saber exatamente o que eu tenho passado com o, agora, grávido, então vamos para o que é interessante. Tipo hoje que eu tô no mercadinho, como um dia normal, porém o dono comprou uma televisão e estava passando um programa de celebridades e adivinha?

Vai, vou deixar vocês adivinharam primeiro.

Dou lhe 1...

Dou lhe 2...

Dou lhe 3...

E...

Park JinYoung além de ser meu CEO, é ator, modelo, cantor, um puta empresário e o bilionário mais jovem do país, não nas custas do pai. Já que ele trabalhou desde seus 16 anos para ter o que tem hoje.

- Esse cara só pode estar brincando com minha cara ao me escolher. - paro de assistir a TV, fiquei por tanto tempo que daqui a pouco o dono do mercadinho vai cobrar até aluguel.

O que um homem daquele porte viu em mim? Eu, hein, é cada gosto duvidoso.

O que, exatamente, Park JinYoung não tem e não faz? O homem é perfeito, queria eu ser Park JinYoung. Como eu não sabia quem ele era antes? Melhor, como Kunpimook Bhuwakul não sabia? Ah, ele anda muito ocupado, então perdôo sua lerdeza.

- Ei! Ei! Senhor? - volto a realidade com a moça do caixa.

- Sim? - pergunto meio lerdo.

- Deu 39,90. - disse embalando tudo.

- Que? Tudo isso? - franzi o cenho, não é possível.

- Sim, senhor, tudo isso. - me sorri falso.

Abro a boca para falar alguma coisa, mas vejo notas em cima do balcão junto a minha sacola que foi levada.

- Fique com o troco. - olho para o lado vendo JinYoung ali de máscara e óculos escuros - Vamos.

Logo ele começa a me puxar pela mão até fora da loja.

- Ei, o que está fazendo? Da para me soltar? - ele anda rápido e eu quase tropeço em minhas pernas.

- Não, eles me seguiram, temos que achar logo meu carro. - olha para um lado e para o outro de um beco e entra.

- Eles quem? - fico preocupado me aproximando mais do Park.

Ouço gritos pelo outro lado do beco como "EU ACHEI ELE" ou "PARK JINYOUNG" e me assusto sentindo JinYoung apertar mais minha mão.

- Meus fãs... - fala começando a correr por onde nós viemos.

Ele tem sorte de eu me excitar bastante - voltei para a academia também - e conseguir correr ao seu ritmo, ou até mais rápido.

Depois de uns 3 minutos correndo, entramos em um estacionamento onde nos escondemos atrás de alguns carros.

- Conseguimos. - ele diz ofegante tentando acalmar a respiração. Está completamente suado e... eu tenho que parar de imaginar ele no carro naquele dia.

- Por que não me contou que era famoso? - questiono assim que saímos para procurar o automóvel que está escondido, por alguma razão, em algum lugar nesse estacionamento.

- Eu pensei que sabia. - responde olhando para os lados e me arrasta, de novo, para uma porta em que carros mais... "incríveis", digamos assim, estão.

- Não sabia não. E para de me arrastar. - enfim chegamos em um carro azul, sabe aqueles de filmes? Exatamente!

- Isso dói em meu ego, sabia? - fala abrindo a porta do carro - Por favor. - aponta para a dentro e eu entro, finalmente descanso depois de correr tanto.

Assim que ele entra e fecha a porta, tira a máscara e me trás para seu colo.

- Estava com saudades. - abraça minha cintura beijando meu pescoço.

- Eca, JinYoung, estou suado. - puxo seu cabelo para ele parar - Me diz o porquê de você sumir tanto e voltar do nada. - aliso seus fios olhando em seus olhos.

- Eu tenho trabalho, Seunie. - me aperta mais.

- Seunie? - estranho o apelido.

- Sim, JackSeunie. - percebo que tem a ver com a pronúncia do meu nome em coreano e sorriu.

Ficamos nos olhando por muito tempo, com apenas carinhos, olho no olho e conforto.

- Vamos fazer no seu carro de novo? - sussurro.

- Não vim transar com você. - levanto uma sobrancelha.

- O que é, então?

- Quero que experimente umas roupas, aí depois vamos em um hotel transar.

- Fetiche? - pergunto alisando sua bochecha esquerda - Senhor Park JinYoung, não sabia que curtia essas coisas.

- Na verdade eu curto bastante, porém não é esse tipo de roupa que vai experimentar. - me coloca no outro branco novamente, agora que percebi ter apenas o de nós dois. Ele me entrega a sacola de compras e liga o carro que fez um barulho extremamente alto.

- Wow... - arregalo os olhos - Que incrível.

- Eu sei, é o meu bebê preferido. - sorri orgulhoso alisando o volante do carro - Você viu o que tem na placa?

- PJY, 1994. - respondo sorrindo

- Isso aí. - manobra para sair do estacionamento em uma rapidez que eu fiquei com medo, muito medo.

Coloco rápido meu sinto enquanto ele desce a pista de saída. Meu Deus, esse carro é incrível.

- Onde vamos?

- Busan.

- Espera... O que? JinYoung, você está louco? - não é possível que vamos para Busan. OLHA MEU ESTADO.

- Não, já avisei seu chefe que não vai trabalhar amanhã, chegaremos lá as 14 horas. - fala naturalmente.

E nesse momento meus amigos, eu só quero matar Park JinYoung. Apenas queria comprar as coisas para fazer meu almoço.

Choramingo e cruzo os braços emburrado.

- Não fica assim. - desvia seu olhar para mim, mas volta a dirigir.

- Só dirige e não fala comigo, senão eu pulo dessa carro em movimento. 


Notas Finais


E então? O que acharam?

Me desculpem as pessoas que eu ainda não respondi os comentários, prometo que quando tiver tempo e saúde irei responder.

A viagem de Seul para Busan é de mais ou menos 4 hrs e meia, por ai, e é 10 hrs no horário deles. Se eu errei me desculpe.

Críticas e opiniões nos comentários!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...