1. Spirit Fanfics >
  2. Shouto desejava um fio para chamar de seu >
  3. Capítulo I Fazenda e girassóis

História Shouto desejava um fio para chamar de seu - Capítulo 1



Notas do Autor


Hey, pessoas! Como vão? Eu e a @Denki_Talk_69 estamos iniciando uma fanfic aqui no Aniverse! Eu espero que gostem e que acompanhem! ^^
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo I Fazenda e girassóis


O sol da manhã já nascia naquela primavera, aproximadamente às seis horas. Todoroki, um jovem culto e respeitado, observava todo aquele encanto, admirado. Era um dia calmo, as nuvens estavam dispersas e o dito sol, radiante, começando a sair de seu esconderijo. O bicolor infelizmente teve que fechar a janela, já que sentia a leve queimação em seu rosto. Suspirou, lembrando que tudo aquilo era para uma boa causa: encontrar seu amor verdadeiro.

O heterocromático estava procurando a bastante tempo, e isso o levou até uma fazenda na cidade de New Orleans, que pelo jeito, não tinha uma grande população. Viajou para lá durante três horas, de trem, apenas pelo fetiche por invenções que não tinham tanta tecnologia — diga-se coisas antigas —, e céus, eram muitas, mas o bicolor preferia coisas simples, e o trem apresentava isso.

Olhou a paisagem e notou que já começavam a aparecer casas. Se animou, arrumando a pequena maleta que estava em seu colo, pondo tudo que havia tirado, para dentro. Respirou fundo, sentindo o trem começar a se preparar para parar. Sorriu mínimo, quase desmanchando seu semblante ansioso e alegre ao ver a agitação no seu vagão. Por que as pessoas eram tão barulhentas? Suspirou em uma tentativa de não se estressar, não estava afim de estragar seu dia ligando para um motivo bobo daqueles. Abraçou sua mala, sua bota batendo levemente no chão em nervosismo, ou seria ansiedade? Riu baixinho ao pensar: "não tenho tempo para desvendar isso no momento." 

Deslizou seus dedos escondido por suas luvas brancas sobre sua mala, essa que tinha escrito em vários detalhes umas das marcas atuais, em letra douradas e bem curvadas. Se deixou escorregar um pouco para perto da janela, em curiosidade ao ver uma criança animada no vidro, o deixando marcado com suas digitais. O jovem bicolor não deixando de tocar também, a cortina vermelha que combinava com o banco de couro, puxando levemente o tecido apenas para espiar, e então quando bateu os olhos naquela maré de girassóis, não pôde deixar de ficar empolgado, era bonito e reconfortante de admirar tal, as pétalas parecendo devolver o brilho do sol, e isso fez o bicolor então fechar a cortina novamente, pois o sol começara a queimar sua face e toda pele que estava em seu alcance. Ficou levemente invejado daquela criança que mostrava a maré para sua irmã mais nova, com seus motivos, que deixaria "embaixo do tapete". Desviou o olhar da cena e se deixou vagar em lembranças, pelo menos um pouco.

— Akai ito… né... — murmurou pensativo, deixando os olhos heterocromáticos se fecharam, pouco, o suficiente para ainda enxergar algo. Antes que pudesse pensar em algo, os trilhos já faziam o chiado irritadiço para seu ouvidos sensíveis, travando no lugar e abrindo assim, as portas. As poucas pessoas daquele trem começando a se levantar, andando para a saída de cada vagão. 

Olhou a mala que estava em seu colo, suspirando antes de a abrir, rapidamente pegando o anel que havia comprado no caminho para a fazenda — era o único jeito que tinha para sair ao dia, um anel encantado. Pôs ele em seu dedo, sentindo um arrepio por toda sua espinha. O ar do campo já o inebriava, logo, Todoroki não demorou muito para sair do trem, antes fechando a mala e pegando a outra que tinha levado. Desceu do trem, olhando para os lados, vendo que a pedra do seu anel brilhava mais ao ser atingida pela luz do sol.

Observou o local, apaixonado pela visão, e pelos girassóis ali presentes. Não demorou muito para que Shouto se deslocasse da estação, procurando algum táxi ou metrô que o levasse até a localização da fazenda — infelizmente não parecia ter meios antigos de locomoção por ali, deixando Todoroki um tanto desapontado —, que não ficava muito longe, talvez uma meia hora da estação? Não sabia, mas ficou aliviado ao ver um táxi perto do ponto — um dos poucos que sobraram, já que o trem estava cheio. Correu em direção dele, vendo o senhor gentil, dentro do carro, sorrir para si, não demorando a retribuir.

— Boa tarde, senhor! Você sabe aonde fica a fazenda local? — perguntou de cara, certamente empolgado. O de aparência mais velha riu, contaminado pela felicidade alheia.

— Boa tarde, jovem. Sim, por favor, entre, posso lhe levar até lá! — disse, destrancando a porta e deixando Todoroki entrar, ele sendo rápido. — Qual o seu nome, meu jovem? — perguntou, começando a corrida após o bicolor se organizar.

— Todoroki Shouto, e o seu? — respondeu, vendo o loiro ao seu lado arregalar levemente os olhos, algo que não passou despercebido para um vampiro. Sim, Todoroki era um vampiro, e devido a seu anos na Terra, preferia tudo prático e simples, tanto que achava um suicídio andar de carro, já que poluía todo meio ambiente.

— Toshinori Yagi, mas pode me chamar de All Might, é como meus amigos me chamam, e você me parece um bom garoto. — Sorriu, Todoroki não gostando da sensação de como parecia falso. 

— Certo, senhor Toshinori. — Acompanhou com um sorriso gentil, em educação. — Fico feliz que aparento isso, não sei como lidam com estrangeiros, afinal. — Entrelaçou seus próprios dedos enquanto olhava os campos pelo vidro, era tudo tão… Natural. Não deixou de admirar as belas flores que estavam nas laterais da estrada.

— Somos receptivos, Shouto, e espero que goste da sua estadia por aqui. — O loiro sorriu — de novo —, grande demais, o que poderia até assustar. — Você teve algum motivo especial para vir para cá? — perguntou, começando a acelerar.

— Vou gostar com certeza, aqui tudo é muito agradável. — Tentou não estranhar tanto aquele estranho sorriso. “Feliz” demais para alguém que perceptivelmente estava incomodado. — Bem… nenhum especial. Estava interessado com a fauna do lugar, pensando em ter um bom descanso por esses tempos — respondeu o mais velho, olhando para o loiro enfim. Podia escutar os pneus serem maltratados pela estrada de chão.

— Muito bem, então, podemos continuar. Infelizmente, não vai ser barato ir até a fazenda, porque ela é consideravelmente longe, mas posso lhe dar um desconto, por ser sua primeira vez aqui — disse, trocando a marcha. De acordo com seus cálculos, o medidor de valor da corrida, funcionaria lentamente, mesmo que andasse rápido, mas não foi o esperado, então apenas voltou aos seus 60km/h, bufando descontente.

— Certo, obrigado — respondeu, novamente, curto e direto. Estava tentando passar uma boa impressão, se ele não cooperava então por que deveria insistir?

Suspirou, já cansado de estar naquela situação constrangedora. Seus dedos se apertando ansiosos em sua palma. Queria descobrir logo aonde ficaria por aquele longo tempo — esperava que fosse longo, ao menos. Mas então... Por que sentia que não seriam mil girassóis como imaginava?

 

“às vezes ela é o seu mais completo oposto. Em meio a tantas pétalas saudáveis, por que a manchada ganhava destaque?”
 

Passou-se um tempo considerável de silêncio por parte do motorista, já Shouto, não tinha motivos para falar. Chegaram no local com o clima pesado, talvez pelo fato de que Toshinori era estranho demais. O bicolor rapidamente pegou suas malas, vendo o contador marcar 42 dólares.

— 35 dólares, jovem. O desconto, lembra? — Sorriu gentil, quase assustando Todoroki. Gentileza demais o fazia duvidar do caráter alheio.

— Sim, me recordo bem — respondeu coçando a nuca levemente antes de pegar os devidos dólares em seu bolso, não estava afim de abrir a mala na frente do senhor, que era estranho. Logo então o estendeu o dinheiro, murmurando um breve agradecimento. Bateu levemente o bico da sua bota no chão, sentindo novamente a ansiedade o preencher. — Ah, e até algum dia, senhor Toshinori. — Se curvou vagamente antes de se virar em direção a dita fazenda.

— Até algum dia, Todoroki shounen! — Se despediu, arrancando com o carro, deixando Todoroki em frente a porteira da fazenda. 

O lugar até poderia ser chamado de fazenda dos girassóis, mas a placa havia caído, então os únicos que sabiam o nome, eram os donos. Sem saber se tinha permissão, Todoroki abriu a porteira, passando rapidamente e fechando. Tinha falado com o patriarca, e ele o tinha dado permissão, mas não se conheciam, então era arriscado entrar daquele jeito na fazenda. Andou até a casa, batendo palmas. Seu coração pareceu parar, sentindo um leve formigamento em seu minguinho. Estranhou, mas resolveu deixar de lado, apenas passando a outra mão ali, não sentindo nada. O menino loiro que apareceu na porta, fez seu queixo cair, desconcertado, e Todoroki tinha achado muito peculiar — e fofo —, o raio preto que o menino tinha em seu cabelo. O loiro sorriu tímido, pondo as mãos para trás enquanto se aproximava. 

— Você deve ser o senhor Todoroki, pois não? Meu pai lhe espera — informou de forma acanhada, recebendo um sorriso do maior. Esse que o deixou menos tenso em relação a recebê-lo.

— Sou sim, então imagino que seja o filho dele. — Sorriu gentil e logo notou o ato repentino de assentir com a cabeça, provavelmente o filho do dono do local estava no mundo da lua.

— Si… Sim, eu sou. — Viu o menor se acalmar após uma breve pausa. As batidas do coração do menor pareciam o deixar alheio a tudo. — Posso lhe mostrar o caminho... é sua primeira vez aqui, certo? — O bicolor assentiu, e logo ficou surpreso ao ver o loiro pegar uma das malas, ficando levemente vermelho por não ter pegado a grande. — Gomen… não lido muito bem com peso… — comentou baixo, recebendo um riso breve do Todoroki.

— Não tem problema. — Acompanhou o loiro, que depois de um tempo pensando — o que resultou em um silêncio reconfortante e uma admiração por parte de Shouto —, começou a caminhar, possivelmente indo o mostrar o caminho.

Aproveitou a caminhada para admirar o lugar, notando as belas flores pelo caminho; entretanto, por algum motivo, preferia admirar, ou acomodar seus olhos no loiro. Uma batida gostosa em seu coração e uma estranha calma em seu ser. Se contendo em não estragar o silêncio reconfortante para perguntar o nome do rapaz.

Enquanto estava totalmente perdido em pensamentos, nem pode notar a pequena criança loira ir correndo na direção dos dois e abraçar as pernas do garoto a sua frente.

— Você disse que iria brincar comigo hoje niisan! E não dar assunto para essas visitas chatas! — choramingou a garotinha que abraçava as pernas do loiro.

— Não fale isso Mahoro-chan… — murmurou o rapaz, envergonhado com a fala da garota. Olhou para trás para verificar o bicolor, apenas para se virar ainda mais tímido ao notar que estava sendo encarado e começar a discutir algo, baixo, com a garota.

— Hai, hai… — resmungava a garotinha de fios loiros com as bochechas infladas. — E a Katsuma-nii tava te esperando também. Apareça mais tarde! — disse a garota apontando para o loiro, as bochechas vermelhas da raiva infantil. — E eu não gosto de você. — Dessa vez apontou para o bicolor que assistia tudo sem entender, vendo a menina dar a língua e sair correndo, sendo chamada pelo loiro nervoso.

— Mahoro-chan… ah… — resmungou, completamente nervoso e sem jeito para olhar o bicolor. — Me… Me desculpa… — disse em um fio de voz ao finalmente se virar para Todoroki, porém ainda olhando o chão.

“Que fofo…” Pensou o bicolor antes de rir baixo e gostoso de se ouvir, não se sentindo nem um pouco ofendido pela criança.

— Não tem problema… Er… — Agora sendo sua vez de não ter o que falar, e só podendo rir ao ver o nervosismo por parte do menor: não havia se apresentado ainda.

— K-Kaminari! Kaminari Denki. É um prazer. — Sorriu gentil antes de finalmente olhar o bicolor nos olhos.

— Certo, Kaminari-san. — Arrumou a mala em seus dedos. — Era sua irmã? — indagou curioso, afinal, eram parecidos.

— Sim… Ela é si… — Foi interrompido por uma sacola que voou e ficou presa no seu rosto, ficando com a maior poker face, ainda mais ao escutar as risadas de Shouto. Iria se divertir muito por ali.


Notas Finais


E este foi o primeiro capítulo! O que será que vai acontecer de agora em diante? 👀🥰
Bom, quero agradecer a @Lexyee e ao @Ryuutsune por aprovarem o plot e a fic, respectivamente!
Também, a @uwu_queen , que fez essa capa linda! E a @Denki_Talk_69 por ter aceitado o convite de participar do evento, e ter paciência comigo kkkkk
Também, agradecer você, leitor, que se interessou em nosso trabalho <3 obrigada!

Kisses de morango :^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...