1. Spirit Fanfics >
  2. Shuri >
  3. You color my world.

História Shuri - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Ouçam K-On, pelo amor de deus!

Capítulo 6 - You color my world.


Fanfic / Fanfiction Shuri - Capítulo 6 - You color my world.

Largou o mouse e se encostou na cadeira, deixando um leve suspiro sair ao reler o e-mail, tentando achar qualquer mínimo erro, mas, felizmente, não encontrou nada. Com paz de espírito enviou.

 

Finalmente tinha feito isso depois de muita hesitação. E, para sua total surpresa, não teve arrependimentos.

 

Desligou o notebook e se jogou na cama, abraçando uma pelúcia enorme do Snorlax que seus pais enviaram no começo da semana como uma lembrança de uma de suas viagens. 

 

Já era quarta. A semana realmente havia passado num piscar de olhos para ela que estava ansiosa e nervosa para sábado.

 

Ainda tinha que comprar um presente para Larcade e isso estava lhe enlouquecendo. Tudo o que lhe vinha à mente parecia péssimo. Ela quebrou seus neurônios pensando nisso mas não veio nada, absolutamente nada. Até pensou em pedir ajuda a Natsu, mas ele estava tão ocupado ultimamente… Ela acabaria apenas atrapalhando, então era melhor tentar um pouco mais sozinha.

 

Daria certo de algum jeito. 

 

— Eu disse que era isso! 

 

A porta abriu e Levy e Juvia entraram entre risos, fazendo a loira deixar um leve sorriso escapar. 

 

— Okay, desculpa por não ter te ouvido! — Levy fez bico, mas deixou uma risada escapar em seguida, ganhando uma cara de resignação de Juvia em troca.

 

Lucy se sentou, ainda abraçada a pelúcia, vendo a Lockser entrar no banheiro e sair com o cesto de roupa, o deixando do lado da porta. 

 

— Vai lavar já? — Murmurou e a azulada lhe deu um sorriso.

 

— Uhum, vou ficar aqui nesse final de semana, então quero aproveitar e lavar essas logo. — Respondeu, aproveitando e tirando a roupa de cama. 

 

— Olha ela, olha ela! — A voz, num tom de provocação de Levy, surgiu, fazendo Juvia franzir as sobrancelhas.

 

— O que?

 

— Não é engraçado que você resolveu ficar logo no final de semana que todo mundo menos o Gray vai sair? — Falou num tom malicioso. — Falando nisso, Gray realmente matou a vida social dele ou é só birra por quê o Lyon tá na casa dele nesse mês? — Indagou após ver a azulada corar dos pés a cabeça, deixando o livro que lia na cama. 

 

— N-não tenho certeza… — Juvia murmurou, pegando o cesto. — Vou lavar isso! — E fugiu, fazendo Levy gargalhar.

 

Era muito fácil provocar Juvia quando o assunto era Gray Fullbuster. Ela podia até se fazer de fria e tentar negar, mas todos sabiam que ela nunca superou sua quedinha por ele. Quer dizer, todos menos Gray, aparentemente.

 

— Você não devia brincar com ela assim — A loira resmungou, mas o sorriso levemente travesso denunciava sua clara diversão.

 

— Ela que não devia tentar esconder isso de mim. Quer dizer, é tão óbvio. Me pergunto como o Gray não notou. — Soltou um leve sorriso divertido, fazendo a mais alta gargalhar.

 

Céus! Lucy agora podia confirmar de vez. Levy McGarden podia ser realmente como um diabinho às vezes. 

 

━ S h u r i ━

 

— Já formaram os pares? Ótimo. Usem os próximos trinta minutos com sabedoria, essa folha de questões pode salvar vocês de ganhar bomba neste semestre. — Laxus falou com um sorriso maligno, dando uma olhada em volta e se sentando novamente após ter certeza de que todos tinham um par.

 

Natsu olhou com um bico para Lucy, que nesse momento fazia par com Jellal. Ainda não conseguia entender como Jellal apareceu tão rápido atrás de Lucy. Ele até mesmo a puxou para fazer dupla antes que o rosado pudesse falar algo! 

 

— Continue olhando assim e você vai fazer um buraco neles. — Ouviu a voz num tom divertido comentar, o fazendo gemer em frustração. 

 

Voltou seus olhos para o lado, vendo Levy com um sorriso travesso entre os lábios lhe olhando.

 

— Urgh! Não é minha culpa! Eu queria fazer par com a Luce primeiro! — Resmungou, fazendo a menor rir.

 

— Você sempre quer estar com ela, e isso é bom, mas a gente também quer! Você precisa aprender a dividir! — Respondeu num tom implicante.

 

Natsu fez bico novamente e pegou a sua cópia da folha de questões, começando a lê-la enquanto tentava ignorar os comentários implicantes de Levy.

 

Enquanto isso, sem que nenhum dos dois percebesse, uma certa loira os observava. Ou melhor, observava um certo rosado. 

 

Hoje seus olhos pareciam estar colados ao Dragneel. Desde mais cedo não conseguia parar de observá-lo. Não que normalmente ela não fizesse isso, era só que… Agora lhe parecia diferente. Era como se finalmente tivesse lhe caído a ficha de quanto Natsu havia crescido. Não só em aparência, a personalidade tinha mudado bastante também, e isso lhe parecia tão malditamente interessante. 

 

Soltou um leve suspiro, sentindo o estômago dar uma reviravolta gostosa ao ver o sorriso travesso que ele havia mostrado quando se virou para falar algo para Levy. 

 

Sem perceber, se pegou querendo ter aquele sorriso direcionado a si.

 

— Lucy? 

 

Deu um pulo, sentindo o rosto esquentar ao se virar e ver Jellal lhe olhando com um sorriso malicioso, quase como se soubesse exatamente o que tinha se passado pela sua mente naquele momento.

 

— D-desculpa! — Pediu, totalmente sem jeito, ouvindo o amigo rir e dizer que estava tudo bem, para logo em seguida começar a discutir as questões com ela.

 

Quando começou a resolver as questões acabou por se lembrar de algo e deixou um enorme sorriso se abrir em seus lábios.

 

Talvez ela finalmente tivesse uma ideia do que dar a Larcade. 

 

━ S h u r i ━

 

Erza gemeu com uma leve dor, soltando as coisas que segurava com certa frustração. Ela era simplesmente péssima nisso. Olhou, com inveja, para Lucy, que sob as instruções de Juvia, conseguia entender perfeitamente o que e como tinha que fazer.

 

"Por que só eu não consigo!?" Se perguntou com raiva.

 

— Tá tudo bem Er-chan. Com bastante prática e mais um pouco de paciência, tenho certeza de que você pode conseguir também. — Levy confortou, tirando os olhos do livro que lia, olhando de Lucy e Juvia, no chão, para Erza, sentada na cama dela que era ao lado da sua. 

 

— Esse troço parece amaldiçoado! Juvia me explicou e até mesmo fez na minha frente, mas mesmo assim eu não consigo! — Resmungou se levantando e deitando entre as pernas de Levy, sentindo as mãos pequenas acariciando seus cabelos. 

 

— É assim mesmo Erza. Eu também não conseguia fazer direito no começo. — A Lockser comentou com um sorriso doce. 

 

A Scarlet deixou um suspiro dramático sair fazendo as amigas rirem.

 

— Dane-se. Vou atrás de sorvete. — Murmurou botando os chinelos e saindo.

 

— Vocês apostam quanto que ela vai  trazer o maior pote de sorvete e comer enquanto tenta de novo? — Levy perguntou com um sorriso travesso entre os lábios, vendo Lucy fofamente concentrada. 

 

— Não duvido — Juvia respondeu risonha, sorrindo com ternura em seguida, quando a loira se virou para mostrar seu trabalho semi-acabado.

 

A McGarden apenas sorriu de leve e se levantou. Era melhor ir atrás de Erza, afinal, ela também queria um pouco de sorvete. 

 

━ S h u r i ━

 

— No fim você ao menos já decidiu o que dar? 

 

Natsu bufou e jogou o pincel no pote d'água ao seu lado, e em seguida virou a cadeira, podendo ver Gajeel cutucando uma das esculturas semi-acabadas de Gray. 

 

— Tô entre duas opções. — Respondeu enquanto se levantava e levava o pote até a pia na parede. — E se eu fosse você, me manteria bem longe dessa escultura. Gray trabalhou nela por duas semanas. — Avisou ao ver que a coitada quase cairá quando o moreno deu dois cutucões seguidos. 

 

O Redfox deu um falso sorriso inocente e levantou as mãos, como se dissesse que não tinha feito nada, para se afastar até uma das cadeiras, onde se sentou logo em seguida.

 

— A festa é amanhã, você já não devia ter comprado se já tem uma ideia? — Murmurou por conta de estar concentrado em tentar prender o cabelo. Vinha esquentando bastante esses dias. 

 

O rosado deu de ombros e começou a lavar os pincéis no pote, rindo de leve quando Gajeel resmungou por conta do cabelo embaraçado. 

 

— Nah, eu posso pedir pro meu pai ou a minha mãe comprar. Até mesmo o Zeref-nii pode. — Respondeu com a testa franzida graças a um pincel que não parecia querer ser limpo.

 

— Você não é muito descuidado? É o presente do Larcade, sabe. — O moreno comentou, agora satisfeito com seu coque mal feito. 

 

— E é exatamente por isso que vou pedir pra eles comprarem. Isso, meu caro amigo, é meu mais alto nível de cuidado! — Brincou, finalmente conseguindo ver as manchas começando a desaparecer da ponta do pincel.

 

O outro riu e fez que não com a cabeça, vendo o amigo dar um longo suspiro ao finalmente ver todos os pincéis devidamente limpos e secos. 

 

— A Bunny Girl já escolheu um presente? — Indagou, deixando um sorriso malicioso aparecer ao ver Natsu fazer uma careta graças ao apelido. Ele nunca gostou dele. 

 

— Não faço ideia. Ela não me disse nada e nem pediu ajuda, então só posso presumir que deve estar tudo bem. Afinal, ela tem as meninas com ela. — Completou com um sorriso caloroso, ganhando um grande aceno de concordância do mais novo.

 

— Realmente, ela não teria ajuda melhor que essa. — Falou, se levantando para em seguida ajudar o outro a guardar os materiais.

 

Sentia que esse ia ser um grande final de semana pra esses dois.

 

━ S h u r i ━

 

Lucy ajeitou a franja pelo que deveria ser a milionésima vez, fazendo um bico por não conseguir fazê-la estar bem angulada. Apenas queria estar na melhor aparência o possível, no entanto isso parecia impossível. Seu cabelo estava uma verdadeira bagunça hoje. Sem falar que seu reflexo parecia gargalhar de suas tentativas frustradas. 

 

Entretanto, ela sabia que isso era nada mais que nervosismo. Estava indo rever a família Dragneel depois de anos! Era impossível não estar nervosa.

 

— Apenas respire fundo! Você está simplesmente perfeita. — Ouviu a mais velha falar, a fazendo morder os lábios. 

 

— Você não acha esse vestido um pouco curto demais? Ou que o meu cabelo tá muito, ahn, "patricinha"? Céus! E esses brincos! Eles–

 

— Por Deus! Claro que não! — A interrompeu de maneira brusca, chocada com as palavras dela. 

 

Lucy deu um leve grunhido e apertou de leve o vestido que usava, sentindo as mãos tremerem levemente.

 

— Ma–

 

— Sem mas! — Exclamou, segurando-a pelos ombros e a virando de frente para si. — Você está linda, como sempre. O vestido tem o cumprimento perfeito. Seu cabelo não está feio e muito menos "patricinha". E seus brincos apenas fazem com que tudo isso melhore. — Falou com um sorriso honesto, acalmando um pouco a menor. — Não pense demais, okay? Vai dar tudo certo, você vai ver. — Completou, a abraçando bem apertado, podendo sentir as mãos meio trêmulas dela em suas costas.

 

— Obrigada Juvia. De verdade. — Murmurou realmente agradecida, sentindo o coração quentinho.

 

A azulada apenas sorriu e deu um leve beijo na testa da loira, a vendo corar levemente e sorrir doce em seguida.

 

Quando a Lockser estava para falar mais algumas coisas, o celular de Lucy tocou, às fazendo dar um pulo em surpresa. Lucy abriu a bolsinha que carregava, achando o celular no bolso interno, deixando um sorriso trêmulo aparecer ao ver o nome "Natsu" na tela.

 

— Parece que tenho que ir. — Resmungou, desligando e mandando uma mensagem avisando que já estava indo.

 

— Vai lá. E lembre-se, vai ficar tudo bem. — Repetiu ganhando um sorriso leve de Lucy, a vendo pegar um embrulho preto com dragões dourados, e sair logo em seguida.

 

Respirou fundo e olhou em volta, começando a catar as coisas que usará para ajudar Lucy a se arrumar.

 

Talvez mais tarde convidasse Gray para jogar algo… Riu e fez que não com o pensamento. Realmente, ela não havia mudado em nada. 

 

━ S h u r i ━

 

— NATSU! 

 

O rosado tirou os olhos do celular, e olhou para a entrada do colégio, vendo uma Lucy correndo em sua direção.

 

— D-desculpa, eu acabei demorando mais que o previsto… — Explicou com um sorriso envergonhado.

 

O Dragneel apenas pôde balbuciar coisas aleatórias em resposta, sentindo o coração acelerar absurdamente com aquele sorriso. 

 

Lucy estava especialmente bonita naquele dia, mesmo que, aos seus olhos, ela sempre estivesse no auge da beleza. A menor usava um vestido marrom que batia um pouco acima dos joelhos e um tamanco médio. Seu cabelo estava preso em marias chiquinhas baixas. Ela usava uma leve maquiagem, que parecia realçar seus pontos fortes. Além daquele sorriso envergonhado e das bochechas coradas pela vergonha e a corrida, que só a faziam parecer fofa.

 

Em resumo, ela estava simplesmente perfeita, como sempre esteve e como sempre estaria. 

 

— T-tu-tudo bem… — Gaguejou, sentindo as orelhas esquentarem com o olhar dela sendo direcionado para si. Desviou o olhar para o celular, pedindo o táxi e rezando para que ele viesse o mais rápido que pudesse antes que ele passase mais vergonha. — E-eu já pedi o táxi… Ele vai… Vai chegar daqui a pouco… — Era incrível como ele se transformava em um perfeito idiota só com um olhar dela. 

 

A loira deu um pequeno sorriso e apertou o embrulho que segurava em seus braços, se sentindo estranhamente ansiosa por estar sozinha com Natsu e tão perto dele. Seu coração deu uma leve acelerada quando ele a olhou e sorriu, a fazendo ter um forte impulso de cobrir o rosto. Com sorte e com muito esforço, ela conseguiu se impedir de fazer isso, mas a sensação quente e estranha que sentia não a abandonava. 

 

— Então, esse é o seu presente? — Perguntou no fim, se sentindo um retardado pela pergunta óbvia.

 

— É-é… — Abaixou a cabeça, deixando um leve suspiro escapar ao olhar para o embrulho. — Espero que ele goste… — Murmurou, seu tom soando apreensivo. 

 

— Ele vai. 

 

Ela levantou a cabeça, vendo o sorriso confiante e largo dele. 

 

Por um momento ela jurava ter visto o Natsu de sua infância, que sempre acabava lhe metendo em confusão, mas que também lhe fazia tão, tão feliz que ela sentia vontade de gritar ou correr às vezes. Não que o de agora não lhe desse felicidade, pelo contrário! Ela nunca esteve tão feliz quanto nos últimos meses, disso ninguém teria dúvidas. Era só que, querendo ou não, o Natsu daquele tempo era alguém absurdamente importante e querido para ela. Ele basicamente foi uma grande ajuda para alguém tão introvertida e solitária como ela. Tanto, que Lucy tinha certeza de que não teria conseguido fazer amigos na Sabertooth se não fosse por aquele Natsu. 

 

Por um momento ela sentiu um forte impulso de dizer "obrigada". Não só pelos momentos de agora, mas por tudo que ele já tinha feito por ela. 

 

Quando abriu a boca, sem perceber, acabou sendo interrompida pela buzina do táxi a poucos metros deles. Abaixou a cabeça e sorriu de leve, a levantando em seguida para ver Natsu a uns cinco passos, a olhando com a mão estendida.

 

— Preparada? — Brincou a vendo rir.

 

— Muito. — Respondeu, pegando a mão dele e sentindo como se uma corrente de calor passasse por todo o seu corpo.

 

Se deixou ser levada até o carro, entrando e ouvindo Natsu dar a direção, para em seguida sentar ao seu lado e começar a lhe contar histórias de Larcade a fazendo gargalhar com a maioria.

 

Estranhamente, ela já não se sentia mais nervosa. 

 

━ S h u r i ━

 

Natsu sorriu e olhou para Lucy, que parecia ansiosa ao olhar para sua casa, como se estivesse prestes a entrar em um campo de batalha. Riu e puxou de leve o braço dela, a aproximando da casa, e consequentemente, de si.

 

— Relaxa, eles não vão te comer. — Comentou, tentando fazê-la relaxar.

 

A menor balançou a cabeça, mas não parecia menos ansiosa. Soltou um leve suspiro e entrou, passando pela sala e indo até o quintal, rindo assim que viu as crianças correndo com pilhas de doces nas mãos, com os pais logo atrás tentando pegá-las. 

 

— Sinto que as crianças de hoje em dia são mais corajosas — Falou, se divertindo ao ver uma mãe lutando para parar a filha que tentava ganhar mais doces.

 

— Se eu tivesse feito isso… Eu já estaria morta. — Resmungou. 

 

Layla Heartphillia era realmente um amor de pessoa, isso até você a tirar do sério. Nesse momento, nem deus conseguiria te salvar.

 

O maior riu ao se lembrar de Layla. Realmente, ela era assustadora quando queria.

 

— Se lem–

 

— Natsu! 

 

O mais velho se virou com um grande sorriso, vendo sua mãe correndo até eles, com os olhos brilhando e um sorriso imenso no rosto.

 

Lucy estremeceu quando Grandine Dragneel ficou em frente a eles. Seus cabelos branco azulados agora estavam curtos, até os ombros mais ou menos, seus olhos castanhos escuros irradiavam felicidade, e ao contrário do esperado ela não parecia mais velha, na verdade era como se ela tivesse ficado mais nova. 

 

— Mãe! — Chamou, pegando a mais velha em um abraço que a tirou do chão, a fazendo gargalhar, para em seguida a pôr no chão de novo. — A senhora ficou mais bonita ou é impressão minha? — Perguntou fazendo com que ela risse novamente. 

 

— Deus, eu não tenho dinheiro, viu? Nem adianta tentar me comprar! — Brincou, afagando os cabelos rosados rebeldes. 

 

— Calúnia! Eu obviamente nunca fiz isso! — Protestou ganhando um soco leve que o fez rir. 

 

Grandine botou uma mecha de cabelo atrás da orelha e olhou para a menina escondida atrás do filho, deixando um sorriso doce nascer entre os lábios, enquanto tentava não chorar. Lucy era quase como uma filha para ela, foi um choque quando ela sumiu do nada, entretanto o que mais lhe doeu foi ver Natsu primeiro se afogar na tristeza, depois raiva e por fim culpa. Mesmo que ele tentasse esconder, ela ainda conseguia notar cada mudança nele.

 

— Olá. — Cumprimentou a vendo corar e se encolher. — Calma, calma. Não precisa ficar nervosa. — Falou, se aproximando e pegando de leve nas mãos levemente trêmulas, mas ela apenas ignorou.

 

— Gran-Grandine-san…? — Chamou, incerta.

 

— Quanto tempo Lucy! — Respondeu com um sorriso enorme, a sentindo relaxar. Sem se conter mais, a abraçou bem apertado, a sentindo travar por uns segundos, mas a corresponder em seguida. — Senti sua falta… — Murmurou, respirando fundo para segurar as lágrimas. 

 

Lucy engasgou, sentindo algo bloquear sua garganta. E ela nunca se segurou tanto quanto agora para não chorar. 

 

E-eu também. — Sussurrou num suspiro. 

 

Elas se separaram no segundo seguinte, vendo Natsu às observando com um leve sorriso. 

 

— Eu vou procurar seu pai e os outros. Se divirtam, okay? — Avisou, vendo o filho acenar, para em seguida se afastar, ainda tentando conter as lágrimas.

 

Lucy sentiu a própria respiração enquanto via a mais velha se afastar, ainda um tanto mexida com o que acabou de acontecer. Grandine realmente… Não parecia irritada. E isso ainda lhe parecia tão irreal… 

 

— Luce? — Ouviu a voz mansa de Natsu lhe chamar. 

 

Olhou para trás, vendo o olhar preocupado que ele tentava esconder. Sorriu e se virou, se pondo ao lado dele, tentando não demonstrar o quão mexida estava.

 

— Sua mãe disse pra gente se divertir — Começou, criando coragem e pegando no pulso dele, o puxando e começando a andar. — Então vamos lá! 

 

Natsu engasgou com o enorme sorriso que ela lhe deu, se deixando ser levado, sentindo como se estivesse flutuando naquele instante.

 

"Ah, eu amo ela." Percebeu pela milionésima vez.

 

━ S h u r i ━

 

Lucy realmente não sabia o que fazer. 

 

— Q-quer dizer, ela cresceu t-tanto! — Igneel Dragneel exclamou, com um rio de lágrimas jorrando de seus olhos.

 

— Deixa de drama cara, vai assustar ela assim. — Grandine resmungou, rude como sempre quando o assunto era Igneel. 

 

O mais velho fez um bico, mas fungou, tentando conter as lágrimas.

 

— E o Zeref-nii? — Natsu perguntou olhando em volta, enquanto puxava uma cadeira da mesa para Lucy sentar.

 

— Está com a Mavis, mas logo vem — Igneel respondeu, finalmente mais calmo, no entanto sua voz tinha um tom fanho agora.

 

O mais novo assentiu e se sentou ao lado de uma Lucy ainda um tanto sem jeito, deixando um sorriso aparecer ao vê-la tentando esconder isso enquanto fingia interesse na comida que sua mãe trouxera.

 

Botou a mão no queixo e deixou um sorriso terno aparecer. A viu se atrapalhar com o embrulho de um doce, então pegou das mãos dela e abriu ele mesmo, a vendo fazer um leve bico ao receber o doce, provavelmente se martirizando pela própria burrice, mas Natsu realmente não se importava. Na verdade, ele gostaria de abrir doces pra ela por toda a vida.

 

Igneel quase chorou ao presenciar essa cena. Natsu ficou muito, muito mal quando Lucy foi embora, e demorou bastante para que ele conseguisse se recuperar um pouco. O pior era que ele não falava disso. Preferia fingir que estava perfeitamente bem, mas qualquer um que o conhecesse o bastante conseguiria facilmente ver que aquilo era apenas uma mentira e uma tentativa de não preocupar as pessoas à sua volta. Então, ver novamente aquele sorriso leve e verdadeiro era algo realmente reconfortante para ele.

 

A ex-Marvell sorriu ao perceber o quanto o marido estava segurando o choro. Igneel sempre foi dramático, mas bem, essa parte dele também podia ser fofa às vezes.

 

— NATSU-NII! 

 

Os quatro viraram para trás com o grito, vendo uma criança de cabelos loiros e olhos pretos, com um grande sorriso, correndo em sua direção. Logo atrás dele vinha um homem de cabelos pretos e olhos pretos, seguido de uma mulher de longos cabelos loiros ondulados e olhos verdes logo atrás.

 

Natsu se levantou e abriu os braços, quase indo para trás quando ele se jogou com força em seus braços, o fazendo gargalhar.

 

— Larcade! Continua baixinho como sempre! — Implicou, bagunçando o cabelo loiro e vendo o menor fazer bico.

 

— Eu ainda sou uma criança! Mas quando eu crescer vou ser tão alto quanto o papai! — Respondeu, fazendo Zeref rir. O menino ainda ia falar mais, no entanto acabou se calando ao ver Lucy, ficando um tanto envergonhado, pois ela era muito bonita aos seus olhos. — Natsu-nii, você trouxe uma fada? — Perguntou baixinho, fazendo o rosado rir.

 

— Óbvio, afinal é o seu aniversário! — Falou, fazendo os olhos do menino brilharem. Se levantou com ele no colo, indo até uma Lucy nervosa. — Essa aqui é Lucy Heartphillia, alguém muito, muito especial. — Apresentou, com um sorriso largo. Larcade acabou sorrindo também, seu tio raramente sorria assim. — E Luce, esse aqui é Larcade Dragneel, o melhor companheiro para contrabandear doces! — Brincou, levando um tapa de Mavis e um leve soco de Zeref. 

 

— Ela é a "Luce" que você vive falando? — O mini loiro indagou antes que a maior pudesse falar algo, fazendo Natsu sentir as orelhas esquentarem e Lucy corar dos pés a cabeça.

 

— É-é sim… — Gaguejou, praguejando mentalmente ao ouvir Zeref e Mavis rirem por detrás dele.

 

Larcade olhou confuso do tio para a fada e mexeu os pés, sinalizando que queria descer. Ao ser posto no chão andou alguns passos até estar em frente a Lucy, a olhando atentamente, achando fofo as bochechas rosadas dela.

 

— Lucy-nee, posso te fazer uma pergunta? — Pediu com uma carinha fofa, que sabia ser irresistível. Pelo menos era isso que sua mamãe dizia.

 

— Po-pode — Murmurou, ainda tentando se acalmar.

 

— Você e o Natsu-nii são namorados, não é? — Indagou, com uma certeza tão forte na voz, que aquilo quase podia ser dito como uma pergunta retórica, fazendo ambos corarem absurdamente, enquanto ouvia os seus pais e avós rindo.

 

Aquele realmente ia ser um dia cheio. Disso nem Lucy e muito menos Natsu tinham dúvidas.

 

━ S h u r i ━

 

Wendy não pôde vir? Por que? — Natsu exclamou, agora muito mais calmo.

 

Após aquele momento extremamente constrangedor, Lucy e Natsu conseguiram se acalmar após muito esforço. E com a ajuda do presente de Lucy, que foi usado como "oferenda" para tentar distrair Larcade, eles conseguiram fugir daquela pergunta tão incômoda.

 

Por sinal, o presente foi algo que deixou Natsu um tanto surpreso. O que tinha no embrulho era um cachecol. Um lindo e adorável cachecol preto com dragões dourados.

 

Quando perguntou, curioso, o porquê dela ter escolhido isso como presente, ela acabou deixando escapar que ainda se lembrava dele usando um quando pequeno, e do quanto ele era importante para Natsu. Por isso acabou achando que seria uma boa ideia de presente.

 

E realmente, não tinha como ser melhor.

 

Larcade ficou tão feliz que quase a derrubou com um abraço, e só piorou ao descobrir que ela havia feito o cachecol do zero. Ficou repetindo por horas que agora tinha um cachecol com magia de fada, fazendo a loira rir com a fofura do pequeno.

 

— O que você acha? Até parece que não conhece a sua irmã. — Igneel respondeu, com uma cara de cansaço.

 

Wendy Dragneel era uma menina realmente muito doce e comportada. Isso, é claro, se você não cruzasse a linha de fundo dela.

 

— Deixa eu adivinhar, mais um garoto tentou implicar com a Sherria? — Falou fazendo Igneel e Grandine suspirarem.

 

— E tem algum outro motivo que consiga fazer a Wendy se descontrolar? Você sabe que ela só fica assim pela Sherria, e com muito custo, pela gente — Zeref comentou com um sorriso divertido, cortando o bolo em pedacinhos, e o deixando em frente a Mavis em seguida.

 

— Isso eu nunca duvidei, só me surpreende ela ainda não ter descoberto que a Sherria pode muito bem lidar com eles sozinha. — Natsu resmungou, abrindo, novamente, um doce para a loira corada ao seu lado. — Afinal, quem aqui não sabe que Sherria Blendy é um perfeito demônio? Só a Wendy mesmo. — Concluiu com um sorriso maldoso, deixando o doce, agora aberto, num pratinho em frente a menor.

 

Os outros três sorriram do mesmo jeito, fazendo Mavis suspirar e negar. 

 

O gene Dragneel com certeza era incrível!

 

— Wendy bateu em alguém? — Lucy perguntou baixinho, realmente surpresa. 

 

Wendy era tão pequena e fofa da última vez que a viu. Sem falar que era uma menina tímida e comportada. Ainda conseguia lembrar dela a chamando de: "Lucy-nee-san" com uma voz tímida e medrosa.

 

Então, ouvir essas coisas era realmente de cair o queixo.

 

Natsu riu com a cara fofa de choque da mais nova. Quase todo mundo reagiu assim quando descobriram o quão pavio curto Wendy Dragneel podia ser quando o assunto era sua preciosa melhor amiga.

 

"Amiga minha bunda. Wendy não me engana." Como se logo ele não fosse perceber. Tinha experiência demais em estar nesse tipo de situação para não notar. Mas, felizmente, Wendy parecia mais sortuda que ele.

 

— Ela faz isso às vezes. Mas a Sherria precisa estar envolvida. Isso é claro, se você quiser levar pro lado físico da coisa… — Respondeu pegando um mini salgadinho, engolindo em uma só mordida. Achava um desperdício de dinheiro, mas não negava que eram gostosos.

 

Lucy murmurou em resposta, tentando deixar claro que havia prestado atenção. Observou Natsu abrindo doces, enquanto deixava seus pensamentos voarem.

 

Sherria Blendy… Ela não conhecia essa pessoa… 

 

"Não é óbvio? Afinal, não foi você que fugiu como uma covarde?"

 

Estremeceu com o pensamento que a acertou em cheio. Apertou a barra do vestido, tentando ignorar, mas era difícil, principalmente quando você sabia que sim, ele estava certo.

 

— Lucy?

 

Olhou para cima, um tanto desnorteada, vendo Mavis a observando com preocupação.

 

— Está tudo bem? — Indagou, a fazendo corar.

 

— Si-sim… Eu só… Estou um pouco distraída, eu acho… — Gaguejou sem jeito, tentando não deixar seu desconforto transparecer.

 

Mavis sorriu e apenas a pediu para avisar caso se sentisse mal, a fazendo ficar levemente envergonhada. Natsu, ao seu lado, a olhou por alguns segundos, mas sorriu em seguida, como se tivesse deixado para lá.

 

Mas só ele mesmo sabia se realmente tinha…

 

━ S h u r i ━

 

O maior deixou uma gargalhada escapar ao ver a mais nova se desesperar ao ver a cara triste do loiro.

 

— Vo-você não pode ficar mais um pouquinho? — Pediu, com um bico choroso.

 

Lucy abriu e fechou a boca, não sabendo ao certo como apaziguar o pequeno. Não sabia lidar com situações assim. Sempre acabava chorando junto com a pessoa no fim. E às vezes até mais do que a pessoa dependendo da situação.

 

— Não dá, Larcade. A Luce tem algumas coisas para resolver ainda. — Natsu falou, após não aguentar mais assistir quando Lucy fez um pequeno bico. — Mas, quem sabe, se você se comportar e esperar, ela não venha de novo? — Adicionou, ganhando um sorriso exasperado de Zeref e Mavis, e risadinhas de seus pais.

 

Foi instantâneo. Larcade deixou um gigantesco sorriso surgir e apertou de leve o cachecol que usava, olhando para a loira com seus olhos pretos brilhando intensamente.

 

— Verdade!? — Indagou com ansiedade.

 

Lucy deixou um grunhido escapar e apertou o pequeno em um abraço. Era fofura demais! 

 

— Claro que sim! Vou vir assim que der! — Prometeu, os separando e vendo o rosto levemente rosado e sorridente do menor.

 

— Então é uma promessa! — Larcade afirmou, já extremamente ansioso para ver a fada de novo. 

 

A loira riu e concordou, vendo com carinho quando ele foi até Natsu para sussurrar alguma coisa, e em seguida sair correndo para dentro junto a Igneel e Grandine, com um imenso sorriso.

 

— Ele realmente gostou de você. — Mavis comentou, dando um sorriso terno para a mais nova, a vendo corar de leve.

 

— Eu também gostei muito dele… — Murmurou, sem jeito.

 

— Nós já vamos entrar. — Zeref falou, olhando com certa diversão para o irmão, que observava Lucy com um olhar bobo. — Mande ela com cuidado e volte rápido. Você precisa nos ajudar a arrumar as coisas! — Avisou, vendo o rosado revirar os olhos, mas concordar.

 

Como era sábado, Natsu resolveu ficar esse final de semana em casa, portanto, apenas Lucy iria voltar para o colégio, já que os pais dela raramente estavam em casa.

 

— O carro vai chegar em uns oito ou dez minutos, então você não precisa ficar. Nada vai acontecer comigo, pode entrar sem medo. — Lucy falou, quebrando o silêncio confortável que os rodeava.

 

— Bobagem! Claro que eu vou esperar com você! — Resmungou com um bico muito fofo, fazendo a menor rir de leve.

 

Lucy olhou para seus sapatos, relembrando com carinho e felicidade tudo o que tinha acontecido naquele dia. Foram tantas coisas… 

 

Sua psicóloga com certeza ficaria orgulhosa quando lhe contasse que havia lidado bem com o reencontro com os Dragneel. Foi muito mais fácil do que achou que seria. A maior surpresa do dia, foi sem dúvida alguma descobrir que não havia nenhuma raiva ou ressentimento em nenhum deles em relação a si. Mesmo que ela ainda achasse que estaria tudo bem se tivesse, ainda era um alívio ver que tudo o que eles tinham ao olhá-la era saudade. 

 

— Eles estavam bem felizes, sabe…

 

Olhou surpresa para Natsu, que nesse momento a olhava com um sorriso gentil e um olhar recheado de um sentimento intenso.

 

— Obrigado por ter aceitado vir. Isso foi sem dúvidas o melhor acontecimento desse ano. — Murmurou em meio a uma leve risada, ainda a olhando daquele jeito. 

 

Quando abriu a boca para responder, a buzina do táxi soou, a fazendo olhar para a estrada e ver o dito cujo há alguns metros deles. 

 

Um sentimento de pura frustração a tomou naquele momento.

 

— Bom, parece que é a minha hora… — Resmungou. Estava verdadeiramente chateada dessa vez.

 

Entretanto, antes que pudesse sair ou até mesmo falar mais alguma coisa, se viu envolvida em uma abraço apertado. Tão apertado que não deixava espaço algum entre eles. Corou de leve, e com certo nervosismo olhou para o perfil lateral do mais velho, tentando com todas as forças entender o que estava acontecendo.

 

— De verdade, obrigado. — Ele sussurrou,  a deixando confusa. — Eu realmente senti muito a sua falta... — Continuou, a fazendo sentir os olhos arderem pela súbita vontade de chorar. 

 

Levantou as mãos, querendo abraçá-lo de volta e talvez falar algo. Mas antes que pudesse ele se afastou de leve, a deixando paralisada pelo seu olhar intenso, que parecia ter mil coisas a lhe dizer. 

 

Viu ainda parada ele se abaixar, e então muito levemente, deixar um beijo curto em sua testa, para em seguida se afastar totalmente, sorrindo como se nada tivesse acontecido.

 

— Garota, você vai entrar ou não!? — O taxista gritou, cansado de esperar, fazendo a loira despertar do leve transe em que estava.

 

— E-eu já vou! — Respondeu no automático, sentindo o rosto esquentar e o coração acelerar, como se finalmente se desse conta do que havia acontecido. — Na-Natsu e-eu–

 

— Deixa, é melhor nós falarmos depois. — Ele a interrompeu dando alguns passos para trás. — É melhor você ir logo, já está tarde. — Completou com um sorriso gentil.

 

A loira mordeu os lábios de leve, dando passos hesitantes até o veículo. Olhou para trás, vendo o rosado dar tchau com a mão, a deixando saber que era a hora de ir. Entrou no carro com sentimentos conflitantes, vendo Natsu parado no mesmo lugar enquanto se afastava. Foi só quando não pôde mais vê-lo que seus olhos deixaram a janela.

 

— Você e o seu namorado são bem apegados, hein. — O taxista brincou de maneira descontraída.

 

— Nós não… Nós não somos namorados… — Murmurou, vermelha dos pés a cabeça. 

 

— Não é isso que as atitudes e os olhares de vocês me dizem. Acredite, eu sei o que digo! — Retrucou com um sorriso sabichão.

 

Lucy não soube como responder. Não quando se lembrou do modo como Natsu agia a sua volta e de como ela mesma agia. Não era o modo como os amigos se tratavam, ela sabia que não. Era mais como… Era mais como o modo como seus pais e até mesmo Yukino e Rogue agiam.

 

"Como namorados… " O súbito pensamento lhe deu um choque.

 

Segurando seu peito e sentindo seu coração acelerado, Lucy só tinha uma certeza naquele momento.

 

Ela estava ferrada.


Notas Finais


Engraçado que esse cap saiu hoje, bem no aniversário do meu Myaa-chan...

Meu Twitter: @_OverShelter
Meu Wattpad: @OverShelter


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...