História Shut Up And Dance (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), G-Dragon
Personagens G-Dragon, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 5
Palavras 1.880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos ao capítulo de hoje! Um almoço de negócios(?).

Capítulo 10 - Shut Up And Eat!


Fanfic / Fanfiction Shut Up And Dance (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 10 - Shut Up And Eat!

Moon Nari POV's

Jungkook havia misteriosamente sugerido ajuda para que eu conseguisse continuar provocando Jin, mas ainda assim eu desconfiava das intenções dele. Eu propus um almoço para falarmos sobre isso e ele aceitou, mas estou com medo e ao mesmo tempo ansiosa para conhecer as ideias dele.

Fomos a um restaurante italiano próximo ao escritório e assim que sentamos ele iniciou a conversa:

- Bom, senhorita Moon, gostaria de iniciar a conversa, mas antes quero pedir a comida, estou morto de fome! - ele disse, pegando o cardápio. Sabia que ele iria começar a enrolar então demonstrei impaciência e comecei a encará-lo. - O que foi?

- Nós não estamos em um encontro! Quero saber o que você tem de ideia para me ajudar. - disse encarando-o com um ar sério.

- Ok, vou dizer, mas não consigo pensar de barriga vazia! Acho que preciso de uma pizza. - disse ele sem tirar os olhos do cardápio. - Vai comer comigo? Eu como uma pizza inteira sozinho. - ele completou.

- E da onde vem esse corpo? - perguntei e só depois notei o que havia dito. - Digo, você é magro.

- Sei que você não consegue tirar os olhos do meu corpo atlético e atraente, mas isso é fruto de exercício físico. - disse ele sorrindo. - Me alimento só de besteira, mas eu adoro comer. - ele disse fechando o cardápio e chamando o garçom. - Por favor, uma pizza gigante com muito queijo e duas garrafas de soju.

- Eu não quero beber. - respondi.

- Quer sim, senhorita Moon, você está muito tensa. - ele respondeu calmamente. O garçom me olhou e eu assenti sem graça o pedido inesperado.

- Beber na hora do almoço, senhor Jeon? - eu disse após a saída do garçom.

- Quando eu te conheci você não era assim, Moon Nari. - ele respondeu, me deixando vermelha de raiva e vergonha.

- VAMOS COMEÇAR A FALAR DO PASSADO? - eu disse, perdendo a paciência. Ele me causava isso o tempo todo, mas estava incrivelmente pior hoje.

- Não, vamos falar do futuro, ou seja, a minha ótima ideia. - ele disse, cruzando os braços e me encarando com um sorrisinho sarcástico.

- Ok, comece. - eu assenti.

- Como pude notar e acredito que você também o Jin está terrivelmente incomodado com nossa aproximação. Parece que conseguimos provocá-lo de certa forma e, como sei que você é apaixonada por ele, proponho que a gente finja um relacionamento para que ele perceba o quanto você pode fazer falta para ele, embora eu acredite que você irá acabar se apaixonando por mim de verdade. - ele disse e eu fique sem dizer nada por alguns segundos, mas depois caí na gargalhada incontrolavelmente e não conseguia mais parar. Ele me olhava enquanto eu ria, sem entender muito, e depois resolveu falar novamente. - Está tudo bem, senhorita Moon?

- Definitivamente, Jeon Jungkook, você deveria ter se tornado comediante. - respondi, enquanto me abanava. Fala se ele não era muito engraçado? - Como você me propõe um absurdo desses e acha que posso levar a sério?

- Porque absurdo? - ele disse. Neste momento o garçom nos serviu com o soju. Antes de continuar a conversa nós brindamos e demos um gole cada um.

- Porque se isso vier a público minha reputação estará tão comprometida quanto minha dignidade perante a Coreia do Sul inteira e talvez em demais continentes. Já não basta o escândalo que GD causou! A imprensa de moda inteira só fala seu nome e o dele, e agora eu me envolveria com o "mais novo e cobiçado sucessor do fenômeno Kwon Ji-Yong", conforme a mídia diz. Além do que, vai parecer que sou sua avó. - respondi, dando mais um gole no soju e me olhando na tela do celular.

- Você não é a primeira nem a última mulher a se relacionar com um homem mais novo. - ele respondeu, dando mais um gole no soju. 

- O problema é que não estaria me relacionando com um homem, mas com uma criança. - disse enquanto ele virou todo o soju. Depois segurou minha mão que estava em cima da mesa e então nos encaramos e ele continuou a conversa.

- Eu ainda vou te mostrar essa criança, noona. - ele falou, me olhando como se fosse me amordaçar, torturar e por fim matar. Apenas desviei meu olhar e tirei minha mão da dele colocando-a pra baixo da mesa.

- Quer saber de uma coisa, Jeon Jungkook? Eu aceito seu desafio contanto que isso seja uma insinuação apenas. Nada de contato físico, nada de momentos sozinhos, sem jantares, sem encontros, sem nada. Eu na minha casa e você na sua, ok? - respondi. - Não quero que isso se torne público.

- Aceito essa questão da privacidade, mas como o Jin saberá disso se não nos beijarmos ao menos uma vez na frente dele? - ele perguntou. Sabia que ele tinha segundas e terceira intenções ao me propor aquilo. 

- Eu sabia que você não ia deixar barato. - disse e virei todo o soju. Como aquele garoto podia ser tão cínico?

- Mas me explica então como você quer fingir um relacionamento se mal teremos contato físico? Ele não vai acreditar que temos algo sério e ficará tudo como está. Ele vai perceber que não somos nada e vai continuar a vida dele, com a noiva dele e por fim se casando. - ele respondeu. O garçom finalmente trouxe a pizza. Eu nem o respondi e já partimos pro ataque. Aquela conversa me deu muita fome. Comecei a comer como uma doida e ele me olhava enquanto fazia o mesmo.

- Hm... Que coisa boa! Enfim... Onde estava? Ah sim! - o observei e ele estava mastigando como se fosse a última coisa que faria na vida. - Nossa! Você está faminto hein!

- Você também não está atrás! Eu amo comer! - ele respondeu e eu ri.

- Eu também! - respondi dando mais um pedaço na pizza, quando olho para a porta e vejo Seokjin entrar de mãos dadas com Jenny, como se fossem o casal do ano. Engasguei e tomei mais um copo de soju, me esquecendo completamente que o líquido era alcoólico. Acho que a partir dali a conversa se tornaria pior. Apenas rezava para que Jin não nos visse, mas Jungkook percebeu que eu não tirava os olhos da porta e resolveu olhar também. Então ele viu Jin e acenou chamando-os até nossa mesa. - Eu não acredito que você fez isso, Jungkook! - eu disse o olhando com ódio, falando de boca cheia. Devia estar com um semblante de um monstro de filme de terror, pois Jungkook começou a rir como se eu fosse uma piada.

- Olá, casal! - Jenny disse, sorrindo.

- Não somos um... - eu falava quando Jungkook me chutou por debaixo da mesa. - Aish! - gritei, fuzilando Jungkook com o olhar.

- Ela não está bem, deve ser o soju, como sempre. Juntem-se a nós! - Jungkook disse, levantando-se para cumprimentar Jenny e oferecer a cadeira para que ela se sentasse, enquanto Jin puxava a cadeira de outra mesa e se sentava ao lado dela e Jungkook ao meu lado, prontamente colocando a mão junto a minha sobre a mesa. Jin apenas observou e deu um sorriso misturando timidez e desconfiança e Jenny apenas sorria para nós, com aquele jeito vazio de sempre. "Como Jin conseguia?", eu pensava. Embora ela fosse bonita ainda assim não tinha muito a oferecer como um ser humano racional e pensante, mas enfim.

- Tem certeza que não estamos atrapalhando? Podemos sentar em outro lugar. - Jin falou, observando o salão do restaurante.

- Imagina, Jin. Quanto mais pudermos estar juntos é melhor, afinal faremos isto todos os dias durante os próximos seis meses, certo? - disse Jungkook, voltando a comer.

- Serão longos meses. - eu disse.

- Mas pelo menos vocês já estão bem entrosados, não é? - Jin responde. - Me sinto meio que "sobrando" agora. - ele finalizou, demonstrando claramente o quanto estava incomodado com a minha relação com Jungkook.

- Não se sinta assim, Jin. Garanto que tudo será como antes. - respondi, tentando amenizar a situação, que já tendia a ficar cada vez mais tensa.

- Na verdade, acho que terá que se acostumar com fato de que o tempo da sua amiga para você possa ter sido um pouco reduzido. - Jungkook disse, colocando o braço em volta dos meus ombros. me fazendo sorrir sem graça para Jin.

- O que eu mais quero é vê-la feliz. Se você a faz feliz, isso que importa, assim fico feliz também. - diz Jin, sério, pegando um gole do soju que se encontrava em cima da mesa. Jenny passava o pedido para o garçom enquanto isso. Pizza assim como nós. A última coisa que ele me parecia era feliz.

- Tudo ficará bem. - eu disse e assenti com a cabeça.

Nos entreolhamos e sorrimos, mas não sei se aquele plano daria certo. Ao menos pude perceber claramente o incômodo de Jin, mas não sei exatamente em relação a que.

Será que o plano de Jungkook seria uma boa ideia?

 

(...)

 

Estávamos de volta ao escritório e todos voltaram para as respectivas salas. Eu fingi ir ao banheiro e fui rapidamente conversar com Taehyung:

- Tae, preciso falar com você urgente!  - disse puxando-o para fora da mesa dele. - Vamos a sala de Yoongi!

- Ele odeia que entrem na sala dela! - Tae disse, contrariado.

- Não interessa! Eu o expulso de lá! - disse, entrando na sala de Yoongi. - Precisamos utilizar sua sala por dois minutos! - eu disse e Yoongi nem me olhou. - Falo sério!

- Vão para outro lugar, estou ocupado! - ele respondeu.

- Por favor, Yoongi! - pedi e ele saiu reclamando e posteriormente batendo a porta. - Mal humorado! vai ficar solteiro pra sempre!

- Enfim! O que de tão grave para me sequestrar desse jeito? - Tae disse, me fazendo rir.

- Sente-se que a história é longa. - contei-lhe sobre o plano de Jungkook e o ocorrido no almoço. Ele me olhava espantado e depois começou a falar:

- Seguinte, não sei se vai dar certo, mas acho que no mínimo esse plano vai mexer muito com a sua rotina. Você está precisando de mais emoção na sua vida e finalmente encontrou alguém para proporcionar isso. - ele disse.

- Claro, a emoção de ser presa por pedofilia! - respondi e ele riu e de repente senti meu celular vibrar. Era uma mensagem de Jungkook.

JEON JUNGKOOK: Preciso conversar com você em particular. Posso ir a sua casa mais tarde?

- Quem é? - perguntou V, tirando o celular das minhas mãos. - Hmmmm... Mas pra que fingir entre quatro paredes, noona?

- Hey! - gritei. - Deve ser parte do plano.

- Pois é, mas o Jin estará em sua casa? - perguntou Taehyung.

- Não, mas quero ouvir o que Jungkook tem a me dizer. - peguei o celular e respondi apenas "Ok!". Algo me diz que não deveria ter aceitado, mas a mensagem já havia sido enviada. 

Agora era tarde demais.

 

 


Notas Finais


Será que esse plano dará certo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...