1. Spirit Fanfics >
  2. Shy >
  3. Peaceful Day

História Shy - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Dia Pacífico

Capítulo 23 - Peaceful Day


-Lucy Heartfilia, aceita namorar comigo?

O mundo da loira acabou ali. Ela viu tudo torto novamente, mas mesmo assim, se forçou a mexer seu rosto paralisado e o responder.

-E-Eu... aceito.

Nada mais foi dito. Natsu apenas a beijou felizmente. Agarrou sua cintura e pôs a outra mão em sua nuca. Lucy passou os braços pelo pescoço de Natsu. Na opinião dela, agora sim aquilo parecia um filme.

Em meio ao beijo, Natsu dava algumas risadinhas, e isso fazia Lucynda pensar: ele realmente gostava dela, não é? Isso a fez soltou uma risada também. Se separaram e colaram suas testas, começando a rir.

-Podemos transar agora? -Natsu perguntou, "inocente", ironizando.

-Francamente, você só pensa nisso? Acabou de estragar o momento. -Lucy fez bico.

-Desculpa, mas eu tô ansioso. -Continuou rindo.

-Não, não pode. -Ela respondeu, emburrada.

Natsu então, já que não podiam fazer sexo, iria beija-la ali até o amanhecer. Ele juntou seus lábios novamente.

-Mas sério, preciso ir para casa. Minha mãe me mataria se eu passase outra noite fora de casa agora. -Ela disse, separando o beijo. 

Natsu fez seu olhar de cachorro abandonado, mas obedeceu. Ambos caminharam até o carro novamente, dessa vez, de mãos dadas.


[...]


Era domingo, dia seguinte. Natsu ligou para Layla perguntando se podia ir para a casa delas, e claro, a mãe de sua -agora- namorada aceitou.

Lucy havia dito tudinho à Layla na noite, assim que chegou. A loira mais velha achou aquilo tudo bem parecido com um conto de fadas. Ela lembrou de seus dias e momentos com seu falecido marido, Jude. Seu amor verdadeiro.


Ashley ainda dormia. Depois de tudo que teve que andar, ela não acordaria nem tão cedo.

Natsu chegou, batendo na porta, e Layla foi o atender.

-Bom dia! -Ele a cumprimentou.

-Bom dia, querido! Pode entrar. -A viúva saiu da frente da porta, o dando passagem. -Sinta-se em casa. Lucy está lá encima. -Ela o avisou, indo para a cozinha novamente. -Depois venham aqui pra comermos o bolo que estou fazendo. -Pediu. Natsu a respondeu com um "ok" bem alto.

Ele, então, decidiu subir e acorda-la. E, ao chegar, encontrou uma loira toda espatifada na cama, dormindo igual a uma pedra.

-Acho que alguém hibernou... -Ele murmurou para si mesmo, zombando dela. -Hey, acorda. -Cutucou sua bochecha esmagada pelo travesseiro. -Alô? -Tentou novamente. -Oiiii!! -A sacudiu. -Lucyndaa! -Ela deu um resmungo.

-Não me chama assim... -Disse ela, sonolenta, com a voz rouca e sem sequer abrir os olhos.

-Desculpa, mas você não acordava. -Falou o rosado, rindo da cara que a garota à sua frente fazia, se sentando em seguida.

-Cara, hoje é domingo! Além de eu não gostar de ser acordada. -Disse ela, emburrada.

-Tudo bem, me desculpa. Mas, antes de eu revelar pra quê eu vim, vamos conversar sobre o que anda vagando no grupo da escola. -Ele mudou seu semblante para uma face séria.

-É o vídeo da Lisanna? -Ela disse, baixando a cabeça.

-Sim, e, Luce, eu já sabia antes dele ser postado.

-Como?

-Erza tinha me enviado. -Lucy amaldiçoou a ruiva, internamente. -Mas, ela me disse que só postaria se você mandasse. E, pelo oque parece...

-Eu sei! Foi o calor do momento, eu não queria isso, de verdade! Sei como é ruim ser exposta assim, mas ela tinha me feito mau, me magoado, ela até me bateu. Fiquei com tanta raiva que eu mandei sem pensar duas vezes. E o fato que não ter sido a primeira agressão me deixou ainda mais insana. Você lembra, não é? Ela mandou as outras cortarem meu cabelo... eu não aguentava mais. -Ela tentou se defender.

Abaixou sua cabeça, e abraçou seus joelhos. Sentiu o rosado pegar em sua mão, e em seguida, olhou para ele, que a fitava com um meio sorriso.

-Na verdade, tudo isso é minha culpa. Isso tudo porque ela insiste que me ama. Mas, agora não é hora pra isso, temos que fazer alguma coisa. -Ele propôs. 

E, como uma lâmpada que se acendeu, Lucy pensou em algo.

-Já sei! Liga pra ela, você têm o número, certo? 

-Boa! Eu tenho sim. -Ele elogiou a idéia (de agora) sua namorada. 

Ele começou a discar, e depois de três toques, ela atendeu. Ele colocou no viva-voz.

-Nat? -A albina falou, supresa com a ligação do Dragneel. Afinal, ele nunca fizerá isso.

-Oi, Lisanna. Bem... sabe... o vídeo que postaram... -Ele tentou mostrar qual era o assunto com sutileza.

-Aaah, aquilo? Até você? -Ela disse em tom humorado, como se não se importasse. -Não sou eu, Nat.

-Hã? -Enrugou a testa.

-É a Yukino, a nossa colega de classe que parece muito comigo. Ela é bi, por isso estava ficando com uma menina. -Isso surpreendeu ambos do outro lado da linha. -Nat, não achou que fosse eu, né? Me conhece a tanto tempo... não acredito! -Ela começou a rir.

-E, como vai se defender do pessoal da escola? -Ele perguntou.

-Não preciso. Uma pessoa anônima fez uma pergunta e deixou todo mundo confuso. Ele, ou ela, perguntou se era eu ou a Yukino, e tá todo mundo discutindo agora. Então, nem eu nem a bixinha lá sai de imagem ruim. Era só isso? -Ela estava muito tranqüila.

-Ah... sim, só isso. Tchau. -Ele se despediu.

-Tchau, Natiiiii♡! -Ela se despediu, prolongando e fazendo sua voz sair mais aguda na parte do "Nat", irritando um pouco Lucy. Ele, então, desligou.

-Não esperava por essa. -A loira comentou.

-Nem eu. -Concordou. Se lembrou do que viera fazer. -Ah, agora está tudo resolvido. -Beijou a loira em um segundo, a deixando surpresa com a aleatoriedade do Dragneel. Mas ela correspondeu. -Vamos sair? -Ele propôs.

-Que horas são? 

-São quase duas da tarde.

-HÃ? -Ela questionou, surpresa com o horário. -Eu pensei que era sete da manhã! -Natsu riu.

-Que bom censo de horário, ein Ashley. Vamos, sua mãe quer que a gente coma o bolo dela. 

-Ela voltou a fazer doces? Aaah... eu vou voltar para o paraíso! -A loira deu um suspiro feliz, fechando os olhos, como se estivesse voando.

-A comida dela é tão boa assim? -Ele perguntou, rindo da reação da mesma à sua frente.

-Você não têm idéia! -Se levantou, logo indo para a porta. Olhou para trás percebendo que Natsu nem se moveu. -Você não vêm?

-Eu tô observando como esse pijama é legal. -Ele sorriu malicioso, fazendo a loira perceber suas vestes.

O pijama se tratava de uma blusa regata, bem folgada, fazendo com que qualquer movimento mau calculado fazia um decote completamente exagerado aparecesse. E o short, que era folgado também, porém, também curto.

-Me surpreende não estar com aquelas roupas de bichinho que você usa. -Ele zombou dela, fazendo um pequeno rubor de misto de vergonha e raiva aparecesse em suas maçãs do rosto.

-Desça primeiro, eu vou me trocar! -Falou emburrada, marchando até o banheiro. Deixando um Natsu rindo para trás.

Ele a obedeceu, indo na frente.

Chegando à cozinha, viu Layla com um avental, luvas, cabelo preso e colocando um bolo encima da mesa.

-O cheiro tá divino! -Elogiou, Natsu, dando um leve susto na senhora.

-Ah, Natsu! É o favorito da Lucy, cenoura com chocolate. -Disse ao pegar a panela com o chocolate, passando a colher por cima do bolo. -Aliás, onde ela está? 

-Tomando banho. Já posso comer? -Perguntou, descontraído.

-Claro! Vou pegar alguma faca. -Layla sorriu gentil, alegrando-se ao ver o rosado sentir-se à vontade.

-Oi mãe. -Ashley apareceu na cozinha, espreguiçando-se. 

Natsu a fitou, vendo que havia prendido o cabelo em um coque bagunçado, igualmente à sua mãe. Só conseguia diferencia-las devido ao avental que Layla usava.

-Vocês são realmente muito parecidas. -Deixou escapar, atraindo a atenção das duas loiras que falavam sobre algo aleatório.

-Você acha? -Perguntou, Lucy, em tom sarcástico.

-Todos nos dizem isso, mas eu acho Lucy muito parecida com o pai dela. -Disse, Layla, calmamente.

-O Sr. Jude? -Indagou, curioso.

-Sim. O rosto dela é parecido com o meu, mas é idêntico ao dele. -Lembrou-se de seu falecido marido, soltando um sorriso nostálgico. Cortou um pedaço, dando à Natsu.

-Eu só o via na tv, então não posso dizer muita coisa. -O garoto encerrou o assunto, dando uma mordida no doce. -Ai meu Deus, dona Layla eu quero morar com vocês duas agora. -Disse, elogiando o bolo. Fazendo ambas soltarem uma pequena risada.

-Obrigada, querido. -Disse a loira mais velha, por fim.


[...]


-Luce, já se arrumou? -A chamou pelo apelido que à deu, ao bater na porta.

-Pode entrar, só tô procurando o cachecol. -Disse por detrás da porta. 

O garoto o fez, entrando, vendo sua namorada verificar debaixo da cama.

-Achei! -Pegou a peça, o levantando em comemoração. Logo após o vestiu.

 -Então vamos. -Pegou em sua mão, a puxando até a porta da sala. -Trago ela antes da dez! -Gritou para Layla, saindo logo em seguida.

-Onde vamos? -Perguntou, Lucy. Eles já estavam a alguns minutos no carro.

-A um parque.

-O mesmo de ontem?

-Não, é outro tipo de parque. -Sorriu, focando no volante. -Olha só, já chegamos. -O garoto parou o carro no encostamento da rua, adentrando o local logo após.

Já que era começo de inverno, não estava cheio, mas mesmo assim havia bastante gente. Lucy pôde ver a enorme roda-gigante que estava ali, mais ao fundo. Natsu percebeu para onde ela olhava.

-Essa é a atração final. Primeiro: outros brinquedos. -Disse ao empurrar levemente a loira em direção à bilheteria. 

-Mas Natsu, eu não trouxe dinheiro. -Parou ao lembrar. O rosado estalou a língua.

-Luce, isso é um encontro! Eu te chamei, eu te trouxe, eu pago. -Voltou a empurra-la.

-Tá bom. Mas na próxima fica por minha conta, ok? -Insistiu. O rosado novamente estalou a língua.

-Tudo bem. Agora vamos! -Segurou suas mãos.

Após comparem os bilhetes, andaram de mãos dadas até chegar ao primeiro brinquedo, que, pela vontade de Natsu era a montanha-russa. 

-Está com medo? -O rosado perguntou, ao sorrir sacana. 

-Na verdade, sim, pois nunca fui em uma. Mas também estou ansiosa! -Sorriu para seu namorado, vendo que já era a vez deles de entrar.

Ambos entraram no mesmo carrinho, ficando lado a lado segurando a mão um do outro. O mesmo começou a subir, fazendo a adrenalina no corpo de Lucy subir, e a pressão do copo de Natsu baixar. Ao chegar no topo, a loira levantou as mãos na descida, abrindo um grande sorriso, enquanto o garoto... bem... ele ainda estava vivo, mas desmaiado. 

Alguns minutos depois, o carrinho finalmente parou, e os dois saíram. 

-Eu adorei! Podemos ir denovo qualquer outro dia? -Perguntou, animada, arrumando seus cabelos.

-Claro, claro... -Natsu concordou, sme pensar muito, limpando uma lágrima que havia parado em sua orelha.


Enquanto isso...


Detrás de uma barraca de sorvete, Erza e Jellal observavam àqueles dois de longe, surpresos.

-São o Natsu e a Lu? Não acredito... -A ruiva disse, confusa com a situação.

-Bem, que era óbvio que havia uma química entre eles era óbvio, mas eu nunca imaginei eles dois juntos... -O azulado admitiu. -Quer segui-los? -Perguntou.

-Não diga isso, é errado. -Respondeu, receosa.

-Erza, eu te conheço muito bem, e sei que quer fazer isso bem mais do quê eu! -Colocou suas mãos na cintura, encarando a garota à sua frente com uma sombrancelha arqueada.

-Mas... Não deveria ser uma noite... tipo... pra gente? -Belserion desviou o olhar. Suas bochechas tomaram um leve rubor.

-Eu te dou essa noite pra gente, não se preocupe. -Sussurrou no ouvido da ruiva. 

O que antes era um leve rubor, agora ela se camuflava em seus próprios cabelos. Jellal riu, pegando em sua mão e começando a seguir seus dois amigos.

O próximo brinquedo que eles entraram foi a casa fantasma. Os dois iam logo atrás, em uma distância segura, fazendo com que os outros não os notem.

Entrando lá, ambos perceberam que Natsu e Lucy faziam um típico casal perfeito. A loira se assustava com tudo agarrando o braço de Natsu, enquanto o mesmo ria. Já os outros dois... Jellal era medroso, e isso ficou bem claro naquele tempo que ficaram dentro da casa fantasma. Ele gritava e abraçava Erza, fazendo a garota ficar todo o tempo tímida. Ele até mesmo se jogou encima dela, a fazendo o segurar no estilo noiva.

Após tudo isso, eles foram ao túnel do amor. Quando chegaram na parte mais escura, Natsu atacou Lucy, a beijando ferozmente, enquanto a mesma tentava se desvencilhar sem conseguir, devido a vergonha e o seu subconsciente que anciava por aquilo também. 

Mais ao longe, Jellal e Erza pareciam corados, olhando para a direção contrária um do outro. O garoto decidiu então que esperaria uma brecha para fazer o mesmo que seu amigo.

-Será que eles estão... namo- -A garota não conseguiu terminar a frase, pois seus lábios for tomados pelo azulado. 

Natsu e Lucy saíram do túnel. Ele com um sorriso sacana no rosto, e ela ruborizada. Logo foi a vez de Jellal e Erza saírem. Ambos completamente corados, mas ele mantinha um pequeno sorriso em seu rosto também.




Notas Finais


Pergunta: qual a região de vocês?
Eu sou do nordeste, eu
E não, eu não tenho 8 irmãos desnutridos que vão buscar água comigo no poço ao meio dia, comendo rapadura e cuscuz no almoço, ok? Bigada.


Gente, sério, se cuidem!!! O pico dessa doença será no dia 30 de março. Não quero assombrar ninguém, mas... muitos vão morrer, muitos serão infectados, e muitos sofrerão.
Obedeçam a quarentena! Pela primeira vez na vida você (e a preguiçosa denominada eu) pode salvar o mundo simplismente ficando em casa. Ok?

Se previnam, lavem bastante as mãos, e só saiam de casa em casos urgentes.

Desde já, obrigado por lêrem, e se cuidem ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...