História Sick love - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 607
Palavras 1.157
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Quem você pensa que é?



"Eu sinto ciúmes quando alguém te abraça, porque por um segundo essa pessoa está segurando o meu mundo inteiro"        


                           Los Angeles                       


- Que bosta de despertador - Eu estava tendo um sonho maravilhoso, quando essa coisa que chamamos de despertador começou a tocar, Porque meu Deus, o meu fim de semana passou tão rápido que eu nem vi, peguei aquela coisa e taquei na parede, fazendo o mesmo parar de tocar na hora. É parece que a minha mãe vai ter que comprar outro, fazer o que né. 

Me levanto da minha cama com nenhuma vontade de ir para escola hoje, vou até o banheiro e faço a minha higiene matinal e visto o meu uniforme escolar, é hoje é mais um dia chato na quela escola.

- Tchau caminha, eu vou sentir saudades - o mundo cruel, porque a escola tem que começar tão cedo assim? 

- MELISSA CONOR MOGAM SAI AGORA DESSE QUARTO, SE NÃO VOCÊ VAI SE ATRASAR - fala a minha mãe, fala não a mulher gritou mesmo, pensa numa mulher escandalosa e dramática, pensou? Então é a minha mãe  desci as escadas pulando de dois em dois degraus, eu sempre faço isso, acho que é mania minha mesmo.

Término de descer as escadas e vou direto para cozinha, minha linda mamis que não é nada dramática ( só que não) deve estar lá, entro na mesma e vejo a minha mãe perto do nosso pequeno fogão com um livro de receitas na mão, minha mãe dona Rosie é uma grande advogada de mão cheia, prestou seus serviços a justiça por mais o menos uns 18 anos, mais depois que ela conheceu o meu pai e me teve, abandonou tudo é virou dona de casa, agora a minha mãe limpa, passa e cozinha em casa ou pelo menos tenta, porque vamos ser sinceros ela não tem dom para cozinhar e muito menos ser dona de casa. 

- OI AMOR DA MINHA VIDA, MINHA PRIVADA ENTUPIDA - grito atrás dela fazendo a mesmo pular de susto e derrubar o livro no chao.

- Ai menina endemoniada, o que é isso quer me matar dó coração, depois que eu morrer você vai ficar com remorsio - diz com a mão sobre o peito.

- Você é muito dramática mãe - sento no pequeno balcão cinza e pego uma maçã, mordendo a mesma segundos depois.

- Eu não sou dramática nada - diz pegando o livro caído no chao e se virando novamente para o fogão.

- Imagina se fosse - sussurro para mim mesma, mais como a minha mãe tem uma coisa dentro dela, pensa numa bicha que escuta as coisas de longe, por isso que fica fazendo fofoca com a dona Maria da casa ao lado, minha mãe se vira e me olhando com uma expressão tipo "Eu vou te matar".

-O que vc disse menina? - Jesus Cristo cruz credo ela tá de TPM hoje.

- Nada mãezinha do meu coração, eu vou ter que ir agora, porque você sabe como é né mãe, não quero chegar atrasada - desço do balcão e vou até ela é le dou um beijo na bochecha - Tchau mãe fica na paz - vou até a sala e pego a minha mochila.

- TCHAU FILHA FICA COM DEUS - grita da cozinha.

Saio de casa e vou caminhando tranquilamente pela calçada, a minha casa não é tão longe da escola assim, ela fica só 2 quarteirões para baixo, sempre vou a pé para escola, isso de certo ponto me acalma, caminhar faz bem pra saúde e o que a minha mãe sempre diz, eu tenho 17 anos e estou no último ano do ensino médio, Amém senhor a aula está acando, mais aí começa a tão bendita faculdade é uma coisa que eu ainda não descidi, a maioria dos meus amigos ja sabe o que quer cursar e eu aqui que nem sei onde vou estudar muito menos o que eu quero fazer, sempre gostei da área da medicina mais não sei se é uma coisa que daria certo para mim, já pensou eu ver uma pessoa sangrando eu simplesmente desmaio, eu mão consigo ver sangue. Quando eu ia atrevesar a rua, uma Ferrari Branca com detalhes escuros quase me atropela, o carro para e da ré ficando ao meu lado 

- SEU IDIOTA PRESTA ATENÇÃO, BARBEIRO - grito com o motorista do carro, eu não consigo ver quem é que está dirigindo porque o vidro do carro e escuro, de repente o carro desliga e a porta abre, eu estava prontra para gritar com o motorista novamente e o xingar de vários nomes, porque esse viado podia ter me matado, não deviam dar carteira para jente doida desse tipo não, até que sai de lá de dentro a última pessoa que eu queria ver na fase da terra, eu fiquei olhando para cara dele paralisada, eu nao conseguia falar uma palavra se quer, Senhor eu só posso ter jogado pedra na Cruz mesmo, porque de tantas pessoas nessa cidade, tinha que ser logo ele que quase me atropela.

- Quem você pensa que é sua vadia? Para gritar comigo desse jeito - ele diz lentamente tirando o seus tão separaveis óculos de sol, mostrando asssim os seus lindos olhos  castanhos. Se consetra MELISSA, ele acabou de me chamar de vadia e eu aqui me derretendo por ele , me pense senhor.

-VADIA é a tua mãe - pronto parece que eu assinei a minha propia morte, sua expressão mudou completamente uma expressão incapaz de disivrar,  talvez de raiva, talvez de ódio, ele caminha lentamente até parar na minha frente, é parece que que tô morta mesmo.

- Quem você pensa que é? Em garota Me reponde - Ele aperta o meu rosto com uma mão - EM SUA VADIA, SE VOCÊ OUSAR ME ENFRENTAR DE NOVO, VAGABUNDA EU VOU METER BALA NA SUA CABEÇA O ARROMBADA - Sinto ele apertar mais a minha face  Não faça isso de novo, ta entendendo? EM BISCATE EU TÔ FALANDO COM VOCÊ ENTÃO ME RESPONDE, VOCÊ ENTENDEU? - ele grita novamente, eu consigo ver que eu o inrritei bastante.

- Sim eu entendi, agora me solta - Eu o empurrou, fazendo o mesmo me soltar e cambalear para trás.

- Admiro asua coragem garota, ninguém nunca tinha me enfrentado assim -ele é tão lindo pena que é um galinha, viado do caralho.

- Sempre tem uma primeira vez na vida para tudo -  olho nos lindos olhos, é eu tenho que aprender a ficar queta porque daqui a pouco eu vou acabar levando uma bala

- Você tem muita coragem mesmo, Você sabe quem eu sou ? Sabe o meu nome? Porque se você soubesse voce nao taria uma de galo pro meu lado não, porque como você disse pra tudo sempre tem uma primeira vez que tal experimentar a sua primeira bala na cabeça? - convencido e irônico ao mesmo tempo, o moleque metidinho so porque é rico. Muqueleque ridículo

- Sei sim, você é o.....


Notas Finais


Continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...