História Sick love - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 149
Palavras 4.911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIIIII PESSOALL🎉🎉
Tudo bem com vocês ? Bom eu sei que eu avia, prometido postar com mais frequência, mais eu estava sem espiracao alguma para escrever, então, por isso a demora
Então eu peço desculpas para vocês, e por favor não desistam da história, porque eu estou tentando escrever uma boa história
Então boa leitura para vocês ❤️❤️

Capítulo 18 - Me chamo Ethan...


Fanfic / Fanfiction Sick love - Capítulo 18 - Me chamo Ethan...

No capítulo anterior....

Nolan ia falar algo mais logo um barulho de salto alto chama nossa atenção e um perfume feminino completamente enjoativo envase o local, olho pra onde vem aquele barulho de salto irritante e vejo uma mulher linda mais com cara de azeda andando em nossa direção com um sorriso um tanto ironiaco no rosto, olho pra Justin

Ele olhava fiquisamente para ela, eu nao sabia desifrar se era espanto, surpresa nao sei mais era um olhar diferente...tinha algo de diferente ali.

- Olá amor sentiu saudade - diz ela sorrindo sinica parando na nossa frente, ela é uma moça bonita mais só de olhar pra ela me da nojo...

- Karen....- susurra ele, quem é Karen...

- Eu mesma amor, voltei....voltei pra recuperar o que é meu - diz olhando pra mim, vadia 

E agora que minha vida vira um verdadeiro inferno...mal eu sabia que o inferno estava longe de começar...

                                                                        

''...A saudade é um dos sentimentos mais profundos da vida...E para esse sentimento só há um remédio, estar ao lado da pessoa de quem se sente saudades, mas infelizmente isso nem sempre isso é possivel...''

                                                                

Todos ali se olhavam se uma forma estranha, na verdade o clima estava completamente estranho...desde o momento em que essa mulher, que eu não sabia o nome até Justin falar 

Karen esse era o nome dela, ela chegou aqui com esse seu perfume enjoativo, sua roupa de puta e sua feição de superior... ninguém falava nada, só olhavam pra ela de certo modo espantados, mais de certo modo com raiva também...eu não entendia, não entendia nada do que estava acontecendo ali, e muito menos entendia o olhar sério que Justin possuia, ele não demonstrava sentimentos ou qualquer reação, mais eu vi em seus olhos algo diferente, algo que eu não podia explicar....odio, raiva, culpa ou amor talvez? Não sei, só sei que eu odiava aquilo

Não pensem que eu estou com ciúmes...eu...eu só...há sei lá, eu nem explicar ele olha pra ele de uma forma diferente, intensa... talvez eu quisesse que ele me olhasse assim Também...mais só talvez

- O que você faz aqui Karen ? - sua voz sai fria interrompendo assim o silêncio que se estalava naquele lugar, me deu até um arrepio sabe e pode ter certeza que não foi de prazer, foi de medo...ele estava mais rude do que o normal e olha que eu acha que isso era impossível

- Não está na cara amor, eu voltei por você - disse ela caminhando lentamente até ele, com um ar sexual - Eu senti tanto a sua falta Justin e você não imagina o quanto - a cada palavra dita por ela, um reverterio passava pelo meu estômago

É sério pensa numa voz enjoada, na verdade tudo nela já me dava um certo nojo, mulher ridicula...e se você está pensando que é ciúmes...por ter certeza que é sim...eu estou morrendo de ciúmes

- Não vou repetir de novo Karen, o que você quer aqui ? - diz ele rudemente tirando as mãos dela do rosto dele, seu olhar era frio e seu maquicilar estava travado e eu via que faltava pouco para ele estourar os miolos dela 

- Eu já disse eu estou com saúdes de voce, amor...- fala susurando prevente perto do rosto dele - Bom eu vi você entrando na boate e resolvi te fazer uma visita... Justin eu sei que você ainda me ama e o que tivemos não acabou ainda - ela segura na sua bochecha e o puxa para um selinho, que acaba virando um beijo quente, no começo ele acabou recistindo mais depois se entregou completamente ao beijo, fazendo assim um no enorme se formar na minha garganta, eu olhei em volta vendo todos olharem pra mim ao mesmo tempo com pena e indignados com o seu viam

Justin para o beijo a empurrando pra tras, o corpo dela cambaleia um pouco mais não caiu, ela me olha dando um sorrisinho sínico no rosto como se disse "eu ganhei" enquanto ele me olhava atento como se esperasse minha reação mais em nenhum momento mostrou arrependimento, pelo contrário estava com sua expressão neutra como sempre 

Não sério isso ? Ele vai corresponder o beijo dela assim na boa ? Na minha frente, eu achava que ele já avia me humilhado o suficiente mais eu juro essa foi a gota d'água, pego minha bolsa que estava sobre o sofá, ando em passos largos até a escadaria descendo a mesma rapidamente logo em seguida, Justin tentou me segurar mais eu fui mais rápida e desci até lá em baixo me misturando  no meio das pessoas, a música estava alta lá em baixo mais mesmo assim eu podia escutar o som de vozes chamando meu nome, mais eu nem ao menos liguei, sai pela porta da frente da boate, logo seguinda a rua rapidamente 

Sem rumo era assim que eu me encontrava, enquanto eu andava pelas ruas de Los Angeles que hoje ironicamente não estavam movimentadas eu pensava na vida, pensava o quão burra eu fui e o quão burra eu sou...eu não sabia quem era aquela mulher mais pelo o que eu percebi ela foi importante pra ele, na verdade ainda é 

Doe saber que a pessoa que você ama, não gosta de voce...na verdade ela te odeia...ela só sente a porra de uma possessividade por você mais isso não significa nada e talvez nunca signifique, abracava meu braços devido ao frio que sentia 

- Eu devia ter vindo com uma blusa de frio...na verdade eu nem devia ter vindo...como você é burra Melissa - susurro para mim mesma, que bosta porque tem que ser tão frio aqui de noite? Porque não é como no Brasil lá não é tão frio assim, eu nem sabia aonde eu estava indo...bom primeiro eu não podia ir pra casa do Justin, eu não tinha dinheiro para pegar um táxi e segundo eu não podia ir pra minha casa, porque? Porque eu também não tinha dinheiro...o vida cruel, ser pobre é foda 

Eu estava tão imersa em meus pensamentos que eu nem avia percebido que um carro preto parou do meu lado, puta que pariu denovo não 

- Olá querida...- aquela voz completamente grossa se faz presente quando o homem, vestido com uma roupa social sai do carro com o seu tipico sorriso irônico, me viro, vendo o mesmo bater a porta do carro e vir em minha direção

- O que você quer comigo Lian ? - pergunto já impaciente, minha voz estava sai meio rouca, eu avia chorado e aposto que meu rosto não era um dos melhores nesse momento

- Não está óbvio bebê ? - pergunta sínico, se aproximando mais de mim, seus olhos escuros me passavam uma maldade sem fim


- Se estivesse eu não estaria perguntando - retruco grossa, eu não estava com paciência pra nada e muito menos para aquentar brincadeirinhas de marmanjo


Eu só queria sair dali e ir pra qualquer lugar que tivesse uma cama, e um banheiro com uma água quente para me aliviar, e tirar essa coisa ruim do meu corpo


- Sempre afiadinha né Melissa ? - diz ele sorrindo sínico pra mim, ele se aproxima mais de mim me fazendo recuar um passo pra trás - O que foi amor? Está com medo ? - seu rosto me dava medo, na verdade tudo nele me dá medo, e quando você tem medo o que você faz? Corre, é foi isso mesmo que eu fiz corri 


- NAO FUJA AMOR, EU VOU PEGAR VOCÊ - grita ele, merda, merda 


Eu corria, corria como se estivesse numa maratona ou nas olimpíadas...puta que pariu, meu sapato...bom ele ficou pra trás porque correr de salto alto, não dá né 


Eu nem sabia aonde eu estava, as ruas estavam vazias, sem ninguém ou um barulho se quer, exceto pelos barulho do carro que vinha logo atrás de mim


Sabe aquelas cenas de filmes de terror, aonde o assassino percege sua vitima? Bom eu tô me sentindo dentro de um filme assim agora, minha respiração estava afobada e eu olhava constantemente pra trás, ele estava vindo, estava brincando comigo denovo 


Eu sabia que se ele quisesse ele já poderia ter me pegado, porque ele está carro e é óbvio que um carro é mais rápido do que um ser humano, mais não...seu carro estava devagar como se estivesse acompanhando meus passos...ele estava brincando... brincando comigo denovo 


Esse é um dos problemas do Lian, ele adora brincar com a nossa sanidade, sempre sínico ou ironico, sempre cruel...a maldade estava estampada em suas ações e em seu rosto, mesmo ele sendo um cara lindo...lindo de morrer, ele era ruim, muito ruim. De primeira ele parecia ser calmo e uma pessoa boa, um anjo na verdade, mais com o tempo ele mostrou o que ele verdadeiramente é...um monstro 


Mais como dizem, Lúcifer antes também era um anjo, eu não sabia o que fazer, meu corpo já doia e meu coração batia muito rápido, não posso negar que eu estou com medo, morrendo de medo, não tinha pra onde ir ou quem chamar, meu corpo já não aquentava mais correr, não tinha como


Só sei que eu estava cansada demais, com dor demais, triste e com medo demais pra raciocinar, então eu caí no chão, tropecei nos meus próprios pés, eu coloquei uma de minhas mãos no peito para tentar respirar normalmente, eu suava frio e estava ali jogada naquele asfalto, e pra ajudar eu ainda avia bebido naquela maldita boate...eu sabia que eu não ia conseguir voltar a correr mesmo se eu quisesse, não tinha forças mais, o barulho carro parou e logo a porta bate e passos próximos são ouvidos por mim


Eu não estava vendo coisa com coisa, via vultos na verdade, há não Melissa você não pode desmaiar agora...não aqui e não com ele 


- Parece que eu te achei querida - susurro Lian próximo a mim, eu não conseguia ver ele direito, na verdade eu estou vendo dois dele - Eu tenho planos pra você amor, você vale mais do que imagina... muito mais - diz 


Meu corpo vai amolecendo e eu sinto meus olhos pesarem, e antes que eu desmaie e sinta os braços fortes de Lian me pegarem, uma única coisa se passava na minha cabeça, era


" o que ele quiz dizer, com isso de eu valer mais do eu imagino? O que eu tenho de tão especial? Ou o que eu sei, que deve ser de tanto valor pra ele?"


Tantas perguntas e nenhuma sem respostas...será que tem algo que eu não sei? Até aonde esse história vai?


Melissa off..

Desconheço on...


"A morte é algo que todos um dia vamos sentir...bom parece que a minha está proxima...hoje eu vi minha filha, como ela estava linda, seus olhos claros como o meu brilhavam tanto e seu vestido florido que combinava tanto com sua personalidade, a deixava mais linda...eu não pude falar com ela...não queria correr o risco de alguém me ver perto dela e assim descobrirem que sou seu pai, e por um erro meu fazerem mal a ela. Há como eu queria dizer a ela que estou bem...que eu a amo e pedir perdão por ter ido embora...contar meus motivos e minhas circunstâncias...e talvez recomeçar denovo...mais eu sei, que o que eu fiz não tem mais volta e que iram atrás de mim, querendo ou não, me querem morto e por isso querem a todos da minha família também...querem saber meu segredo, um que eu guardo muito bem e que só ela pode achar...só ela...só Melissa sabe aonde achar...só ela.."


- Merda - falo frustado fechando aquele maldito diario, já fazia um bom tempo que eu tentava achar esse seu Maldito segredo mais nada se enquaichava...nada fazia sentido, eu precisava pegar a menina 


E fazê-la falar, o ruim é que essa maldita estava nas mãos do Justin, aquele moleque que adora se achar o maioral mais não sabe aonde está se metendo...não sabe mesmo


Desconhecido off


Justin on...


- PORRA - grito denovo batendo as mãos sobre a mesa do meu escritório, eu estava frustrado, fazia meia hora que eu avia voltado pra casa e nada da Melissa...aonde essa vadia se meteu?


Passava as mãos nervosamente pelo meu cabelo, enquanto andava de um lado pro outro...merda...merda...merda...que inferno, porque eu fui naquela boate? Porque aquela vadia tinha que ter voltado dos quintos dos infernos? E porque eu correspondi o seu beijo? Não sei o que eu senti quando eu vi ela, eu fiquei paralisado quando avi e principalmente quando ela me beijou, no primeiro momento eu fiquei estático e depois tentei desviar...mais no final acabei me entregando ao beijo, eu nao sei o que me deu 

Algumas horas atrás...

E lá estava ela denovo, na minha frente, com aquele seu maldito sorriso irônico, mais ela ainda continuava linda, linda demais pro meu gosto, seu corpo parecia que avia sido esculpido pelos deuses e só de pensar que eu já estive dentro daquele maldito corpo, já faz o meu pequeno amiguinho dar sinal de vida

- Não vou repetir de novo Karen, o que você quer aqui ? - já era a segunda fez em que eu perguntava, o que ela queria, ela não veio aqui atoa, eu conheço essa vadia e alguma coisa tem 

Ela caminha até mim lentamente, como um leão pronto pra pegar a sua presa, seu olhar estava encrivelmente sexy, seus olhos escuros estavam com um ar de luxuria, sua boca coberta pelo batom vermelho, estavam inchados porque ela morria os mesmos constantemente...puta que pariu, que mulher é essa senhor?

- Eu já disse eu estou com saúdes de voce, amor...- fala susurando prevente perto do meu rosto - Bom eu vi você entrando na boate e resolvi te fazer uma visita... Justin eu sei que você ainda me ama e o que tivemos não acabou ainda - eu estava ainda absorvendo suas palavras, quando de repente ela puxa a minha cabeça para perto da sua pela bochecha e sela nossos labios, fiquei estático na hora, e tentei me desviar, mais quando sua língua passou prevemente pelos meus lábios pedindo passagem, eu acabei perdendo a porra da sanidade e a beijei ali mesmo, nem me importei se estavam vendo ou não, naquele momento eu não pensei em nada, só parei de beija lá quando eu escutei um soluço 

Afastei o corpo da Karen do meu, olhando pro lado e vendo a figura da minha garota, com os olhos azuis marejados, ela me olhava com decepção e com certa raiva, já eu a olhava sem expressão alguma, eu queria ver o que ela tanto iria fazer e ao mesmo tempo queria passar tranquilidade, não queria mostrar sentimentos, apesar que nesse momento eu não estava sentindo nada, culpa, arrependimento, nada 

Como eu disse pra ela, ela é minha mais eu sou de todas, ela nao pode cobrar nada de mim, sou despertado dos meus devaneios, quando escuto Caitlin e os meninos chamarem pelo nome da Melissa, a olho e vejo a mesma caminhar em direção a saida, corro em sua direção, e tento pegá-la pelo braço mais ela é mais rápida e desvia de mim, logo descendo as escadas e aindo pra parte de baixo da boate 

- MELISSA - grito seu nome por causa da música alta mais ela nem ao menos me dá ouvidos, e continua andando em meio às pessoas, merda, subo as escadas correndo

- Parabéns Justin, você provou o quão babaca você é - diz Caitlin, menina encherida

- Cala boca Caitlin, porque eu não estou pra suas provocações - falo impaciente

- Mais ela tem ração cara, você deu mancada agora - Fala ryan, que merda hoje eles tiraram o dia pra me inrritar

- O Ryan tem ração Justin, você deu mancada agora, pegou pesado irmão - Fala Chaz 

- Que porra, será que ninguém entende, que dá merda da minha vida, cuido eu - retruco grosso

- Mais a gente só quer ajudar...- interrompo o Chaz

- Muito ajuda quem não atrapalha - falo - Aonde está a merda da chave do meu carro ? - pergunto inrritado 

- Aqui - responde Cris, jogando a chave na minha direção - estava comigo - completa

- Espero que não tenha comido nenhuma vadia no meu carro, porque se não você já sabe - faço um sinal de morte, fingindo cortar o meu pescoço com o dedo indicador - Você morre - digo

- Não fica tranquilo não comi ninguém lá não, agora anda logo e vai atrás dela - fala ele se jogando sobre o sofa

Me viro caminhando até a saida, mais sempre tem uma coisa pra atraspalhar, e essa coisa se chama Karen, vadia dos infernos 

- Aonde você vai amor...a noite ainda nem começou - fala tentando ser sexy - Eu vim aqui só pra ficar com você e você vai me deixar aqui - ela beija meu maquicilar, descendo até o meu pescoço

- O problema é seu, não mandei que você viesse até mim - a empurro pra longe de mim - Agora vai dar a bunda vadia que você ganha mais - falo inrritado

- Mais...- a interrompido

- Mais nada, não sei o que me deu pra beijar essa sua boca de pelo, vadia - me viro saindo dali logo em seguida, atravesso o salão cheio de pessoas, dançando e bebendo, a música estava alta, bem alta na verdade, aio da boate e logo sinto o vento frio bater no meu rosto, a Melissa deve estar morrendo de frio, com aquele seu vestido curto demais pro meu gosto, eu não podia negar mais aquela garota tinha um corpo de morrer, e qualquer um iria querer toca lo e com aquele seu vestido não ajuda em nada 

Entro na minha Ferrari vermelha, e logo logo o motor, o carro faz um barrulho alto, dou partida logo em seguida, bom agora é hora de te achar querida...nem que for nos quintos mais eu te acho, e quando eu te achar eu vou te dar uma surra Melsinha, uma surra bem dada 

Momento atual...

É eu rodei a cidade inteira e nada dela, já fazia um tempo em que eu a vía chegado aqui em casa, eu achava que ela avia pegado um táxi ou sei lá e tivesse vindo pra cá, mais nada dessa garota aparecer

Que merda mesmo, porque essa desgraça tinha que sair correndo daquele geito, porque? Eu não sou dada dela e ela sabe disso, não entendi a sua maldita reação, sinceramente não tendo nada, mais quando eu achar essa vagabunda ela vai levar uma bela surra

O telefone do meu escaninho começa a tocar

- Alô, o que você quer? - tendo aquilo, não estou com nenhum um pingo de paciência e isso qualquer um podia ver

- Nossa, parece que alguém está estressadinha hoje - diz Lian - O que foi perdeu alguma coisa? - há maldito

- Foi você né? FOI VOCE SEU DESGRACADO QUE PEGOU ELA - grito nervoso

- Calma, calma, fica tranquilo eu vou devolve lá pra você - diz ironico - Ou talvez, não porque vamos ser sinceros ela é uma mulher incrível, de um corpo incrível e uma personalidade forte, imagina como é na cama? - pergunta ele, eu sento meu sangue ferver 

- Se você encostar um dedo nela eu te mato, te mato seu maldito - ameaço, mais pode ter certeza que quando eu digo que vou fazer algo eu faço mesmo 

- Nossa tô morrendo de medo - fala ironico - Agora vamos brincar um pouquinho que tal? - fala ele 

- Eu não quero brincar, aonde está a Melissa - cara idiota 

- Há mais dessa brincadeira você vai gostar, é assim eu vou te dar pistas, se você descobrir, você irá achar a Melissa - fala - Mais, se você não acha lá até a meia noite eu a mato e ainda mando a cabeça dela pra você, embrulhado em um pacote de presente 

- Você não teria coragem - digo

- Há eu teria sim, então é melhor fazer oque eu estou mandando, se não de tchau pra ela - maldito

- Como eu vou saber se você fala a verdade? Como eu vou saber se você está mesmo com ela? - pergunto

- Você não vai saber, vai ter que confiar na minha palavra, arrisque e sofra as conseguencias - avisa ele - A primeira dica é "Estou num lugar abandonado, sou conhecido por muitos, um dos símbolos turísticos mais conhecido da cidade...mais não se engane eu sou do mal e por isso que todos me temem, eles tem medo da minha história'" foi isso até - desliga ele, oque ouve aqui senhor? Corno, viado dos infernos

- Ponto turístico, lugar abandonado e medo, que porra de lugar é esse ? - minha cabeça parecia que ia explodir, eu tenho que acha la, merda 

Aonde você está Melissa?

Justin off...

Desconhecido on...

Eu olhava aquela maldita foto, a única coisa que me fazia lembrar o que um dia eu fui, me fazia lembrar o menino, o garoto da pacata cidade do interior de Londres, eu tinha tantos sonhos, eu queria tantas coisas...mais tiram de mim, e acabaram com aquele menino sonhador 

Eu me lembro, o quanto era difícil minha infância e o quanto eu tentava superar o meu irmao, mais não dava, ele era o preferido dos meus pais, ele era o maldito certinho

Anos atrás...

Eu avia conseguido, agora eu sei que meu papa vai se orgulhar de mim...corri até a entrada da minha casa todo feliz e saltitante, entrei e logo fui até a cozinha, como todos os dias meus pais e meu irmão estavam ali, sentados prontos pra comer

- Oi mãe, Oi pai - digo entrando na cozinha, com um sorriso enorme no meu rosto, minha mãe sorri pra mim, falando um "boa tarde" com sua voz angelical, já meu pai não fala nada e continua com sua cara fechada 

- Aonde você estava garoto? Estávamos aqui esperando você chegar pra podermos comer, e você aí na rua - diz meu pai grosseiramente

- Ricardo - repreende minha mãe - O que você tinha para nós contar filho? - pergunta docemente pra mim

- Mãe eu consegui, olha mãe - monstro pra ela a medalha que eu avia conseguido, na minha escola, todos os alunos que são bons em todas as matérias, ganham a medalha como um símbolo, e eu avia conseguido a felicidade era muito grande - Eu consegui - minha mãe me parabeniza, já meu pai não diz nada

- Não vai dizer nada pai? - pergunto pra ele 

- Dizer o que garoto? Quer que eu diga o que pra você? Você não fez mais do que a sua obrigação - diz friamente

Era sempre assim, meu pai nunca sabia me elogiar ou dizer que eu dava orgulho pra ele, o sorriso que eu tinha antes se desmanchou na hora...eu saí correndo subindo as escadas, eu só queria me trancar no meu quarto, e ficar lá pro resto da vida

- O que aconteceu com você Ethan ? Você está bem irmao? - pergunta o filhinho de mamãez, irmão é o caralho, ele não é meu irmão

- Não me enche garoto, só uma coisa que eu digo eu odeio você, eu odeio você Logan - falo apontando o dedo pra ele - Eu vou destruir a sua vida, eu vou acabar com todos vocês - nem eu me reconhecia naquele momento, e foi ali, que o garoto bom, cheio de sonhos e feliz mudou

Foi ali, que a tão estimada família Conor criou o monstro de Londres, foi ali que eu me tornei o meu pior pesadelo

Tempo atual...

Um sorriso se forma em meus lábios ao lembrar tudo o que eu passei, e ver aonde eu estou hoje...o mundo da volta não é mesmo? Bebo o resto do whisky que estava no meu copo, sentindo a minha garganta arder pelo álcool

Logo a minha porta é aberta revelando um dos meus homens da seguranca, ele nem olhava direito pra mim e eu via que ele estava engolindo a seco, eu amava isso, ver o medo que eu causava nas pessoas era um prazer enorme pra mim

- Consegueram? - fito o homem a minha frente, minha anciedade era grande, e meu plano estava indo corretamente

- Sim chefe já está no Casaram - diz e eu sorrio imediatamente, perfeito

- Maravilha - digo sorridente, agora é só ver a reação daquele moleque - E ela como, está ? - pergunto pra ele 

- Ela está com o Lian, ele acha que vai ficar com ela depois de tudo - diz ele 

- Ele só acha, porque não vai, quando isso acabar eu quero que matem ele entenderam? - digo e ele ascende - Perfeito, agora sai daqui - ele logo se retira, há maravilha, maravilha, parece que o meu plano tá saindo melhor do que o esperado 

Eu vou matar todos vocês, eu prometi não prometi? É eu irei comprir

Desconhecido off...

Melissa on...

Meu corpo todo estava doendo, e eu sabia que meu corpo todo estava cheio de marcas e cortes, já fazia um tempo, que um homem que eu nem ao menos conhecia entrou nesse quarto, e começou a fazer perguntas estranhas, mais eu nem sabia responder, eu não entendia nada que ele perguntava 

- Diz logo garota eu tô sem paciência - falou com raiva, ele estava com uma faca na mão, e eu via que ele apertava a mesma, deixando seus dedos vermelhos, ele estava com raiva

- Eu...já disse...que...eu não sei...- falo com dificuldade, eu nem conseguia mais respirar direito 

- Presta atenção...garotinha, se você não falar aonde está o seu papai...eu vou te matar e você sabe disso - ele sorri sadicamente, passando a lâmina levemente pela minha bochecha, eu sinto o gosto metálico do sangue na minha boca e aposto que meu estado não é um dos melhores

- Eu não sei...eu não sei - susurro novamente, o homem que eu não sei o nome, começa a rir sadicamente

- Não sabe ? Não sabe amor ? - pergunta irônico - Então acho melhor voce, descobrir, porque minha paciência tá acabando - ele logo me dá um soco no rosto, eu cuspo sangue no chão, e mais uma vez eu sinto que vou desmaiar, meus olhos vão pesando - Nos vemos daqui apouco querida - depois disso não vejo mais nada 

É acho que eu joguei pedra na cruz, porque eu só me ferro na vida 

Melissa off...

Justin on...

- Você tem certeza que é aqui mesmo Cris ? - pergunto pra ele olhando pra casa a minha frente, uma casa que mais parecia casa de filme de terror 

- Certeza não tenho...mais pelo o que você me disse aqui é o único lugar que se encaixa - diz ele - Essa casa já é um pouco antiga, e era uma das mais conhecidas casas da cidade, porque era de um imperador da época - fala ele - Mais aí anos depois, apareceu no jornal da cidade que a família que antes morava aqui morreu de uma forma muito cruel - dizia ele - Parece que o filho mais novo do dono da casa matou todos e depois se matou, e aí dizem que a alma dele ainda ronda por aqui, ou coisa do tipo, por isso que muitas pessoas tem medo desse lugar - aponta pra casa - Mais aqui era um ponto turístico por causa que o impérador avia morado nessa casa e ainda tem alguns objetos dele aqui - completamentou Cris 

- Então deve ser aqui mesmo - fala ryan, engatilhando sua arma

- Ok entao, vamos entrar nessa merda - engatilhando minha arma também - Todos em seus postos - ordeno para todos 

- Quando eu falar no 3 - falo pela escuta - 1...2...3 já - falo, e logo escuto o barulho da porta ser arrombada, entramos naquele enorme casaram, não avia homens ali e os que tinham já estavam caídos mortos no chão 

- Quero todo mundo espalhado por aqui, ela está aqui em algum lugar entenderam ? - murmuro e todos concordam, vou achar você e isso você pode ter certeza, começo a andar pela casa 

O lugar era sinistro, cheio de pinturas e alguns objetos empueirados, a casa estava num Silêncio total

- JUSTIN... JUSTIN - escuto Ryan me chamar, começo a seguro a voz dele é chego até um quarto - Olha isso - aponta para parede 

- Desgracado - falo 

Parece que as coisas são piores do que eu imaginava 

Justin off...

Melissa on...

Que merda mesmo, meu corpo estava todo dolorudo, aquele homem já avia saído fazia um tempo, mais aposto que eu estou horrível, como se eu me importasse com isso, de repente a porta de ferro se abre, eu estava olhando pra baixo, meu corpo está amarrado sobre uma cadeira e eu nem ao menos olhei pra ver quem era

- Eu...já disse que não...não sei...- susurrrei com dificuldade, eu não sabia mesmo, mais parece que esse maldito velho não sabe 

- Eu sei querida - uma voz rouca se pronuncia, levanto minha cabeça e vejo um homem de roupa social, seu cabelo era negro e seus olhos verdes claros, ele me lembrava uma pessoa, só não sei quem

- Quem é você ? - pergunto

- Me chamo Ethan...- diz ele - Olá querida sobrinha...- sorri ironico

Sobrinha? Como assim?

- Temos muito para resolver... muito...- diz ele 

Está a penas começando e eu achando que não dava pra piorar...

                                                                        

Nem sempre a escuridão de uma noite sombria oculta o terror de seus dias. Ele pode estar ao seu lado nos dias ensolarados e alegres, porque o que irá definir essa companhia é você com a sua própria sintonia"


Notas Finais


E foi isso...espero que tenham gostado
Até o próximo capítulo...
Beijinhos de luz ❤️😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...