História Sick Love ; Sycaro - Capítulo 16


Escrita por:

Visualizações 638
Palavras 1.819
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá

Capítulo 16 - Party


Fanfic / Fanfiction Sick Love ; Sycaro - Capítulo 16 - Party


Eu e Rodrigo, depois da escola, saímos antes de todo mundo. Ouvi nossos amigos nos gritarem, e virei para trás.

- Na sexta, de noite, vai ter uma festa. Vocês querem ir? - Vito perguntou, e eu olhei para Rodrigo. 

- Sim - Respondeu 

- Tá. O Meia um, como sempre, vai buscar todo mundo - Falou, e vimos Select correr até o mesmo e segurar sua mão - Ah, oi Gu.

- Vocês vão na festa? - Select perguntou e nós assentimos - Ok. Vamos logo, Vito!

Gu começou a puxar Vito , mas o mesmo não saiu do lugar. 

- A gente tem que ir. Qualquer dúvida me mandem mensagem! - Falou antes de ir embora com o outro.

Ouvi Rodrigo murmurar "vamo", e ele começou a me puxar. Andei ao seu lado até chegarmos na minha casa. Peguei a chave que estava na minha bolsa e destranquei a porta.

- MÃE! - Chamei, sem resposta - Acho que ela não tá em casa.

Ximenes se jogou no sofá e bocejou. Sentei na barriga do mesmo e sorri, enquanto o mesmo tirava o celular do bolso.

Ele não se importou com o fato deu estar na barriga dele, e começou a fazer alguma coisa no celular.

- Saaiko! - O chamei e o mesmo me olhou.

- Qui é? - Perguntou, e voltou a olhar pro celular.

- Me dá atenção - Pedi e ele riu.

O mesmo deixou o celular de lado e me puxou para um abraço, no qual eu retribui prontamente. O senti passar as mãos pelos meus cabelos, e ele começou a fazer carinhos nós mesmos.

Rodrigo beijou o meu pescoço, e me apertou mais. Ri abafado, e o dei um selinho.

- Te amo - Falou, com um sorriso no rosto.

- Também te amo! - Respondi.


•~•


Dois dias depois, Saiko e eu nos arrumavamos para a tal festa. A "festa" era uma balada, pelo que eles explicaram. 

Mas enfim. 

Coloquei a roupa menos feia que tenho, e Rodrigo...ele tá lindo. Todo de preto.

Combinamos de todos se encontrarem no parque, para que Meia um nos buscasse. Fiz isso mesmo. E quando cheguei, quase todo mundo tava lá, menos Pk e Calango.

- Cadê o Pk e o Calango? - Perguntei, e senti Rodrigo segurar minha mão.

- Decidiram que não iriam, do nada! - Tawan respondeu, revirando os olhos - Mas entra todo mundo logo.

Bem, André foi no banco do motorista, Tawan ficou ao seu lado, eu fiquei no colo do Rodrigo, Select no do Vito e Rafael no de Felipe. 

Quando chegamos, descemos todos do carro, e dava de se ouvir uma música, extremamente alta. 

Senti Ximenes apertar minha mão, e me puxar para dentro. 

Socorro. Essa casa é enorme! Além de que tá cheia de pessoas dançando, bebendo, se beijando e o caralho todo. 

Saiko falou algo, mas não escutei o que era. 

- QUE? - Perguntei, alto.

- TU QUER BEBER ALGUMA COISA? - Perguntou, e eu neguei com a cabeça. 

Senti o mesmo me puxar para o canto da casa, onde tinham uns sofás em L. Saiko me fez sentar na coxa dele, e eu não briguei. Apenas fiquei ali.

Um tempo se passou, e eu vi Tawan beijando André. Fiquei surpreso pela maneira que os dois se beijavam; intensamente, e quando se separavam, não demoravam mais de dois segundos para voltarem a se beijar.

Nem o Rodrigo me beija assim!

Mas também, eles estão bêbados. 

Olhei para Rodrigo e o mesmo estava com um olhar perdido. Beijei sua bochecha e o mesmo sorriu para mim.

- Tá tudo bem? - Perguntei e ele assentiu - Tu parece triste.

- Bleee! - O mesmo espreguiçou - Só tô intediado. Só isso.

Assenti e encostei minha cabeça em sua cabeça. Ele me puxou para mais perto, e segurou minha cintura.

Vi alguém se jogar do nosso lado, e percebi que era Select. 

- Oi, Gu! - Ele sorriu pra mim.

- Oi 

- Cadê o Vito? - Perguntei 

- Ah, ele... nós tivemos uma briga chata lá fora... - Respondeu, de cabeça baixa - Ele foi embora...

Olhei para Rodrigo, preocupado, e o mesmo apenas suspirou, e se levantou, me deixando no sofá.

- Quer ir atrás dele com a gente? - Ximenes perguntou.

- Acho melhor não. Ele precisa de um tempo sozinho, eu acho... - Respondeu, e tampou o rosto com as mãos - Ele tava tão bravo...

Percebi que o mesmo havia começado a chorar, e olhei para Saiko, mas logo voltei minha atenção ao garoto.

- Select, Não chora. Vai ficar tudo bem! - Falei, e coloquei a mão em seu ombro - Vocês vão se resolver. Vamo lá fora pra você explicar o que aconteceu.

O mesmo secou as lágrimas, e nós fomos lá fora. Mas quando chegamos, Vito estava lá, com uma garota. A mesma estava se esfregando nele, enquanto o mesmo a empurrava.

- Garota, por favor! Eu tenho namorado! - Escutamos Vito dizer.

- Você bem que poderia esquecer ele, gato... - Sorriu maliciosa, e notou nossa presença - Ah, o que estão olhando?

Vito olhou para nós, assustado.

- Gustavo, eu... - Select o interromeu.

- Não, tudo bem. Fico feliz de saber que você não ia me trair com a primeira puta que visse - O mesmo olhou para a garota - E você? 

- "E você?" O que? Tá doido pirralho? - A garota revirou os olhos, e segurou no braço do de olhos verdes - É sério que tá namorando com aquela criança, gato?

- Criança?! Me respeita, retardada! Eu tenho só dezoito, mas não sou isso não! - Respondeu, com raiva.

- Há, eu tenho dezenove! 

- Pelo menos tu respeita a regra de que prostituta tem que ser maior de idade - Murmurou, alto o suficiente para nós todos ouvirem.

Enquanto eu e Saiko caímos na risada, a garota bufou e tirou o salto.

- Prostituta é a tua mãe! - Falou, e ameaçou tacar o salto, mas Vito a segurou - Me solta!

- Garota, tacar o salto nas pessoas não é a solução de tudo - Vito respondeu, e a mesma re-colocou o salto, logo, se distanciando.

Os dois se encararam, e eu olhei para Saiko. O mesmo bocejou, e passou o braço pelo meu pescoço.

- Vamo embora? - Perguntou e eu assenti - Bora chamar os outros. Vito e Select Fiquem aqui.

Ele assentiram, e nós entramos na casa. Começamos a andar, procurando eles, e achamos Cellbit e Felps, conversando. Dissemos que íamos embora, e que era para eles irem lá fora. Os mesmos apenas saíram.

Por fim, fomos procurar Meia um e Tawan. Os dois estavam aos beijos num outro canto da balada.

- Vamo embora, caralho - Rodrigo falou, separando os dois. 

- Eu quero...comer esse gostoso do André! - Tawan falou, quase caindo.

- Caralho, não. Vocês vão fazer isso outra hora - Falou, e começou a puxar os dois para a saída.

Fiquei um pouco atrás.

Quando estávamos quase saindo, sinto uma mão firme em meu pulso, e sou jogado na parede com brutalidade.

- Eae? - O garoto era alto, forte e...feio (?), E o mesmo me olhava com um sorriso malicioso.

- Namorado dele aqui seu merda - Ouvi e vi Rodrigo empurrar o garoto para longe - Bora, Ycaro.

O mesmo me puxou para fora, e eu não falei nada. Fomos até o carro, e vi todo mundo lá. Select olhou para mim, e se aproximou.

- Tá chorando por que? - Perguntou, colocando as mãos no meu rosto.

- Ele tá chorando? - Cellbit perguntou, atrás do mesmo.

- Sim, e eu quero saber o por que - Respondeu e eu apenas me soltei.

- Um garoto empurrou ele na parede, e se eu tivesse demorado, talvez aquele retardado teria beijado o Ycaro, ou pior... - O mesmo suspirou - Olha, eu dirijo, e Ycaro vem do meu lado, na frente.

Obedecemos, e eu entrei no carro. Saiko também entrou e olhou para mim, enquanto ligava o carro.

- Para de chorar, Ycaro - Pediu, e eu comecei a enxugar as mesmas.

Os outros não haviam entrado ainda, então Saiko me puxou para perto e selou nossos lábios em um beijo rápido.

Quando ouvi a porta abrir, me separei e sorri para o mesmo. Ele limpou uma lágrimas que ameaçava cair, e sussurrou;

- Vai ficar tudo bem

Segurei sua mão e fiz carinho na mesma. Logo, Saiko começou a dirigir em direção a casa de Rafael.

- Vou deixar vocês dois, Cellbit e Felps, em casa primeiro - Falou e eles assentiram.

Fiquei quieto o caminho todo. Passamos na casa de Rafael, na de Felps, na do Vito e na do Select.

- Que horas são? - Perguntei e o mesmo tirou o celular do bolso, me entregando - 23:38. Acho que vou mandar mensagem pra minha mãe. Quero dormir com você. 

Ele sorriu para mim, e concordou.

- Aí, a gente passa na sua casa pra buscar uma roupa sua - Falou 

- Sim, sim. Falei pra ela que a gente vai lá meia noite - Respondi, e guardei meu celular.

- Tá bom.

Saiko parou na frente da casa dele, e me puxou pro banco de trás. Ele ficou por cima de mim e me beijou, enquanto passava as mãos na minha cintura. 

Puxei alguns fios do cabelo dele quando o mesmo deu uma mordida fraca no meu pescoço. Rodrigo riu abafado e lambeu meu pescoço, me fazendo gemer baixo.

- S-saiko... - Gemi, e o mesmo apertou minha cintura.

- Jesus Cristo. Tu gemendo meu nome é muito bonitinho. Quero ver quando a gente fazer... - O interrompi com um selinho, e ele entendeu - Preciso de um banheiro.

Fiquei confuso, mas segundos depois entendi, e senti meu rosto todo pegando fogo. 

- E-eu...também p-preciso - Falei, e o mesmo caiu na risada - P-para!

- T-ta bom! - Ele abriu a porta de trás - Bora.

Entramos na casa do mesmo, e eu fui no banheiro do andar de baixo, enquanto o mesmo ia no do quarto dele. 

Logo, já estávamos voltando até o carro. Entramos no mesmo e Rodrigo o ligou, dando partida no mesmo.

Quando chegamos na minha casa, desci e fui pegar um par de roupas. Após pegar, corri para baixo, e gritei um "TCHAU, MÃE! TE AMO", e a mesma respondeu "TCHAU, TAMBÉM TE AMO!".

Corri pro carro, e Rodrigo deu partida.

- Quer fazer alguma coisa amanhã? - Ximenes perguntou.

- Tipo...? - Tirei meu celular do bolso.

- Sei lá, algo diferente - Respondeu, e eu pensei.

- Um parque de diversões! - Falei, animado - Vamo, por favor!

Rodrigo riu e concordou.

- Vamos as cinco da tarde, amanhã, tudo bem? - Eu assenti.

Conversamos sobre alguns assuntos, até chegarmos em casa. Descemos do carro, e entramos na casa do mesmo. 

Subi direto pro quarto. To morrendo de sono!

Tirei minhas roupas, ficando apenas de cueca, e Saiko entrou no quarto na hora.

- Opa - Sorriu malicioso, e eu rapidamente vesti meu pijama.

Era um azul bebê, que ficava um pouco grande em mim. Deitei na cama e fiquei observando Rodrigo colocar uma roupa mais solta. Ele apagou a luz e deitou do meu lado.

Virei de costas e senti o mesmo abraçar minha cintura. Me aconcheguei nos braços dele, e fechei os olhos, adormecendo minutos depois.



Notas Finais


eae pessoal
tudo bom?
então
tô procurando uma namorada
HAIHAUAHAQ BRINCADEIRA
mas se você quer namorar comigo eu queroOPAQUE

mano
queria alguém pra chama de nenê, bebê, amorzinho todo dia :c
MAS MEU CRUSH NUM COLABORA
AQUELA DESGRAÇA
tá difícil viu?

bom, eu admito que eu tô amando escrever essa fanfic.
Mas eu tenho outras. E uma que eu tô amando escrever, e que tem bastante gente gostando, é a "Confesse", de Sycaro.

Se puderem dar uma força pra ela, vai me fazer feliz ^-^

só isso mesmo

Twitter: @geralprotect

Bye 🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...