História Sick Love ; Sycaro - Capítulo 17


Escrita por:

Visualizações 423
Palavras 1.886
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi

Capítulo 17 - Order


Fanfic / Fanfiction Sick Love ; Sycaro - Capítulo 17 - Order

Acordei com o meu celular tocando. Resmunguei um palavrão qualquer, e sentei na cama, vendo Ycaro encolhido na cama. Beijei sua nuca, e em seguida, peguei o celular.


- Quem é?

- Eu, caralho 

- Que que tu quer, peruano?

- Eu acho que tô apaixonado

- Como assim doido? Do nada? E por quem?

- Calminha ae! Vem aqui pra minha casa que eu te explico, porra.

- Ah naaao, Tawan! Eu num saio daqui não! Eu tavo dormindo com o meu amorzinho...tava tão bom...

- Vocês tão tendo algo sério mesmo

- Nem tão sério, por que eu vou pedir ele em namoro hoje.

- Nooooossa! Aí sim ein! 

- Hehe. 

- Mas ta bom. Só te libero por que tu vai pedir ele em namoro!

- Tá, tá. Agora eu vou voltar a dormir - Encerrou a chamada.


Larguei meu celular no criado mudo, e olhei para a janela, vendo um sol forte entrar no quarto. Olhei para Ycaro; sua respiração fraca, e seu rosto sereno. Sorri minimamente e beijei sua bochecha, ouvindo o mesmo resmungar alguma coisa. 

- Ah...Oi - Sorriu de lado - Bom dia.

- Bom dia! - Respondi e o sentei na cama, o vendo bocejar - Já é meio dia. Não quer ir embora?

Ycaro negou com a cabeça, e eu ri.

- Quero ficar contigo - Falou, e deixou, com a cabeça nas minhas coxas.

Passei a mão pelos cabelos dele, e o mesmo sorriu para mim, com os olhos semi abertos.

- Eu tô com fomee - Reclamou

- Bora comer! - Respondi e ele se levantou - Vai tomando banho, e eu vou chamar o Meia um!

Ele apenas concordou e se levantou, indo até o banheiro. Peguei uma toalha e fui até a bolsa do mesmo, tirando de lá, um par de roupas. Em seguida fui até o banheiro e deixei tudo em cima da tampa do vaso.

Desci as escadas e fui até o sofá, tirando meu celular do bolso. Na hora, me ligaram, e eu vi que era o Meia um.


- Eae - Saiko 

- Saiko, eu tô com um problema 

- Vish, qual a merda que tu fez?

- Eu...me apaixonei 

- Eita caralho. O que que tem?

- Eu tô indo aí. Aproveito pra fazer comida pra ti.

- Tá, tá. 


Desliguei e larguei meu celular no sofá. Vi Ycaro entrar na sala, já vestido. Ele sentou na minha coxa, e beijou minha bochecha.

- Cadê o meia um? - Perguntou 

- Tá vindo - Respondi.

Ele sorriu pra mim e pegou minha mão, começando a brincar com os meus dedos. Apenas ri da cena.

- Ei... - Ele me olhou - Cadê o Greg?

- Ah...eu coloquei ele num quarto e nem sei se o bicho ainda tá vivo - Suspirei - Bora lá soltar ele.

- Tu é muito malvado! - Falou, e eu ri.

Fomos até um dos quartos do primeiro andar, e eu abri a porta, vendo Greg comendo. Ycaro correu até o gato e o abraçou.

- Bichinho! - Ri e sentei ao seu lado - Teu dono é muito chato, né?

Falou, afinando a voz, e eu ri alto.

- O chato que tu ama! - Falei, o dando um selinho.

- É, tu tá certo - Sorriu de lado, e nós ouvimos baterem na porta - Bora!

Descemos as escadas, e eu fui atender a porta, enquanto Ycaro ia até a cozinha. Deixei André entrar e tranquei a porta. 

Quando chegamos na cozinha, Ycaro tava falando com alguém no telefone. Ele desligou e percebeu a nossa presenca.

- Eu vou ter que ir - O mesmo falou, se levantando.

- Onde tu vai? - Perguntei, cruzando os braços.

- Bem, eu já volto - Respondeu e me deu um selinho rápido, antes de sair.

Revirei os olhos, e sentei diante a mesa, vendo André terminar o meu almoço.

- Toma - Me entregou o prato, e sentou do meu lado.

- O que tu ia falar? - Perguntei, colocando uma colher de arroz na boca.

- Eu tô apaixonado. E é pelo Tawan - Respondeu, e eu arregalei os olhos - Que foi?

- Como assim, caralho?! - Perguntei, quase engasgando.

- É sério - Abaixou a cabeça na mesa, suspirando .

Ficamos os dois sem falar nada por alguns segundos, até que eu tomo a iniciativa de falar algo.

- Como...como tu quer falar pra ele? - O mesmo olhou para a janela.

- Sendo sincero, eu não sei. De verdade - André me olhou, com um olhar triste - E se ele reagir mau?

- Tu conhece o Tawan, André! - Respondi - Ele não vai começar a gritar e nem te xingar! Ele, no MÁXIMO, vai te mandar embora. O que eu acho que ele não vai fazer. Mas enfim. Tu conhece ele muito bem. O Tawan é o que mais...bem, dá conselhos? Ele é o que mais aconselha, o que mais acolhe... E ele num vai te deixar na mão agora.

Felipe me encarou, e eu coloquei a mão no ombro dele. 

- E se ele tiver uma reação totalmente diferente? - Perguntou, e eu fiquei confuso - Ele pode...sei lá! Me xingar e nunca mais falar comigo.

- Nunca se sabe 

No fim, o convenci de confessar para o Tawan. Mas aí, meu celular tocou, e eu vi que era Ycaro. Com um sorriso mínimo no rosto, atendi.


- Oie, amor! 

Ele me chamou de amor!

- Tu...me chamou de amor?

- Tu não gostou? Desculpa.

- Não, eu amei! 

- Hehe, que Bom!

- Tu me ligou por que, lindo?

- Para com isso, Saiko!

- Hehe...

- Bem, o Tawan pode ir com a gente pro parque de diversões? Ah, aproveita e convida o André!

- Ah, sim, mas...por que? Pensei que nós iríamos sozinhos.

- Mudança de planos.

- Ah, tudo bem...

- Tu tá triste?

- Um pouco. Queria passar um tempo só com você.

- Ah, meu Deus! Fica triste não! Prometo que a gente vai sozinho para um outro lugar, algum dia!

- Pera, já sei! Hoje mesmo nós vamos ficar sozinhos, em outro lugar, tudo bem?

- Se você diz, ok. 

- Agora, eu tenho que desligar.

- Ok, ok! Te amo.

- também te amo, amor.

- Hehe, tchau amô.

- Tchau, amô!


Desliguei e suspirei, apaixonado. Olhei para André e o mesmo me olhava curioso.

- Tu vai no parque, comigo, com o meu amô, e com o Tawan! - Falei e o mesmo abriu a boca.

- Sério?! Doido, eu quero! - Sorriu - Mas vocês tão muito melosos, ein.

- A gente se ama muito, sabe? - Pisquei para o mesmo, e ele riu - Agora, vai te arrumar, vai! As cinco nós vai no parque. 

- Ok, mas e sobre aquele lugar que vocês tavam falando? - Perguntou e eu sorri de lado.

- Vou levar ela para...bem, eu vou pedir ele em namoro! - Respondi e o mesmo riu 

- Tu ainda não pediu? - Eu neguei - Seu lerdo.

- Cale a tua boca - Ri - Tu nem se confessou ainda e fala de mim!

- Eu vou tentar hoje, tá bom? - Felipe se levantou - Tô indo.

- Tá 

André saiu, e eu terminei de comer em alguns minutos.

Subi para o meu quarto, pra eu me arrumar. 

Sorri para mim mesmo, no reflexo do espelho.

Hoje vai ser show.


~•


Já estávamos todos no parque de diversões, e Ycaro tava todo animado, junto de Meia um. Fomos, primeiro, nos carrinhos bate bate. 

Enquanto esperávamos, Ycaro tava todo animado do meu lado.

- Bicho, se acalme - Falei e o mesmo me olhou, fazendo um não com a cabeça.

O dei um selinho, e ele sorriu, mas logo se distanciou.

Um tempo se passou, e nós estávamos na roda gigante. Ycaro pareceu distante. Não me beijava, não segurava a minha mão quando eu pedia, e mau me olhava.

Eu e Ycaro estamos em um dos lados, enquanto Tawan e Meia um estão do outro lado. Ycaro tá distante, olhando pra tudo lá embaixo.

Olhei para meia um e Tawan, e percebi que os dois estavam envergonhados, se encarando.

Logo, a roda gigante parou e nós descemos. 

- Já são sete da noite! - Meia um falou, olhando pro celular - Melhor irmos embora, Tawo.

O peruano apenas assentiu, e eles acenaram de longe, enquanto iam embora. Acenamos de volta, e olhei para Ycaro.

- Ei, amor - O chamei e ele não me olhou - Ycaro.

- Oi? - Olhou para mim.

- Quero te levar em um lugar - Respondi, e nós saímos do parque.

Andamos um pouco, e chegamos onde queríamos. Era uma montanha, onde geralmente, os casais se encontram. Clichê? Talvez.

Andamos até a beirada da montanha, e nos sentamos ali. Ycaro estava de cabeça baixa, e eu apenas coloquei a minha mão por cima da dele.

- Ei, amor... - O chamei e o mesmo me olhou - tu ta bem? Não me beijou, não segurou minha mão, mau me olhou...o que aconteceu?

- É que...lá na fila do bate bate, quando tu me deu o selinho, eu...eu ouvi uma senhora reclamando, e ela... bem, ela tampou o olho do garotinho que tava do lado dela. Eu...eu fiquei com medo de mais alguém fazer isso - Respondeu, de cabeça baixa.

- Tu tá de brincadeira, Ycaro - Falei e o mesmo me olhou - Num liga pra esses merdas, caralho.

- Eu não consigo! - Respondeu, e eu o puxei pra um abraço - Desculpa.

- Tá tudo bem agora - Nos separei, e segurei as mãos dele - Agora, tu me escuta, tá bom?

Ycaro assentiu, e eu respirei fundo.

- Bom...por onde eu começo? Ah, é mesmo. Quero começar falando de como tu é incrivelmente incrível. Tu faz eu me sentir bem de um jeito inexplicável. Teu sorriso me ajuda de um jeito que tu não imagina. Tu já me ajudou tanto, Carlos. Eu não tenho nem palavras pra descrever o quanto eu te amo, e o quanto eu sou extremamente agradecido por você ter entrado na minha vida....Antes, eu só queria viver a vida, matando quem quisesse me atormentar, e só não queria morrer atoa. Mas quando a gente se beijou, eu senti algo diferente. Senti que tu era a pessoa que eu quero do meu lado. Senti que tu é a pessoa certa pra mim. Eu...eu senti que tu é o que EU preciso pra viver. Pode ser que...eu não seja TÃO especial assim pra você, mas...saiba que tu é a pessoa mais fofa, maravilhosa, engraçada e linda, do mundo todinho. Agora, tu deve estar se perguntando; onde eu quero chegar com isso? - Tirei a caixinha do meu bolso, e a abri - Carlos Ycaro Gabryel, tu quer namorar comigo, agora oficialmente?

O loiro chorava e sorriu. Ele apenas concordou com a cabeça, várias vezes. Eu sorri, e peguei uma das alianças, colocando em um dos seus dedos. Ele fez o mesmo, e me abraçou.

- E-eu te amo, d-demais! - O ouvi sussurrar, e sorri.

- Te amo muito mais - Sussurrei, e ele me apertou.

Ficamos trocando carícias, e alguns minutos depois, o coloquei na minha coxa, e começamos a observar a lua. 

O céu está estrelado. Cheio de estrelas.

Depois de uns segundos observando as estrelas, uma estrela cadente passa.

Fiz um pedido.

"Que eu e Ycaro fiquemos juntos, pelo maior tempo possível."

- Faz um pedido! - Falei, e o mesmo sorriu para mim.

- Humm... - Ele sorriu para mim, e fechou os olhos - Pronto!

- Tu desejou o que? - Perguntei.

- Desejei que a gente fique junto pra sempre! - Respondeu, com um sorriso enorme no rosto.

- Eu também! Bem, quase.... - Sorri de lado, e o puxei para um beijo - Te amo.

- Te amo bem mais

Esse é o dia da minha vida.






Notas Finais


vocês não fazem ideia
DA DOR
que eu senti no meu peitoral todo
mano, tava doendo demais e eu tava com um nó na garganta.
eu quase morri, mas num falei nada pra minha mãe.

Agora eu passo bem.
INFELIZMENTE

MARA LUIZA É MARAVILHOSA
SOCORRO. Coisa mais linda do mundo todinho ❤

desculpa ;-;

e finalmente os dois tão assumido


tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...