História Sick Love ; Sycaro - Capítulo 22


Escrita por:

Visualizações 252
Palavras 1.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


this is Greg

Capítulo 22 - Asleep


Fanfic / Fanfiction Sick Love ; Sycaro - Capítulo 22 - Asleep

Ximenes apertou a mão do loiro, encarando o rosto desacordado do amado. 

Uma das balas havia acertado a perna do mesmo. Mas ele não foi o único; Vito, Tawan e Franciella foram acertados. O único morto, até agora, foi a loira, que foi acertada na nuca, por Rodrigo.

Se lembrou de seus dois amigos caindo no chão. Se lembrou dos gritos fracos e de dor, de Ycaro. Se lembrou da loira caindo no chão.

Seu estômago embrulhou, e ele correu para o banheiro.

Rodrigo era acostumado a ver sangue, mas por que estava assim?

Voltou para a cadeira ao lado da cama de Carlos. O loiro estava naquele estado faziam dois dias. Ximenes não se alimentou, e nem saiu de perto do mesmo.

Encarou o pingente no pescoço do amado, e suspirou.

Felipe entrou no quarto, com uma aparência horrível. Estava com olheiras enormes abaixo dos olhos, e seus cabelos mais desarrumados que o normal. A cara vermelha, e os olhos também.

- E-ei, Saiko... - O chamou, se aproximando - O-o médico disse...que era para nós irmos para casa. Eu, você e Select. Estamos sem comer, sem tomar banho....vamos embora.

O de óculos negou com a cabeça.

- Cara, vamo logo - Pediu, e segurou a mão do amigo - Por favor. Ele não vai fugir daí.

Rodrigo olhou para o outro, e se levantou. Saíram do quarto de Gabryel, e o de óculos viu Gu encostado na parede, no mesmo estado deles. 

- Vamo logo - Murmurou o mais baixo deles, Select, ja saindo do hospital.

Saíram todos do hospital. A mãe de Ycaro os levaria para casa, já que a mesma havia voltado por causa do acidente com o filho.

Rodrigo sentou ao lado da mulher, na frente, e a encarou. Se encararam, e Rosa suspirou, pegando na mão do outro.

- Eu sinto muito - Sussurraram os dois. 

O caminho foi silencioso. Estavam todos chorosos e melancólicos. Principalmente, Rodrigo. Seu namorado fora sequestrado, provavelmente violentado, e atiraram em sua barriga. 

Sua mente estava conturbada. Cheia de pensamentos horríveis e pessimistas. Estava com saudade dos abraços e os beijos de Carlos. Estava com saudade do jeito carinhoso do namorado. Ninguém iria conseguir substituir o loiro.

Assim que chegaram na casa de Rodrigo e André, Ximenes desceu e foi direto para casa, trancando a porta. Sentiu um aperto no coração ao olhar para o colar em seu pescoço.

Subiu as escadas e foi até seu quarto, se jogando na cama. E quase que automaticanente, começou a chorar desesperadamente. 

Se lembrou das palavras do doutor, mais cedo.

"Ele...ele está em coma, e nós não sabemos por quanto tempo. Me desculpe". 

Apertou o travesseiro, e fechou os olhos com força. 

Era um pesadelo, não? Tinha que ser. Não conseguia acreditar.

Um tempo depois, secou as lágrimas e foi até o banheiro. Após um banho demorado, se trocou e desceu as escadas. 

Tirou da geladeira um pouco de arroz que André havia feito, alguns dias atrás. Não faria mau. Pegou um pouco de feijão e por último, um pedaço de bife.

Comeu rapidamente. Quando terminou, apagou a luz da cozinha e subiu as escadas. Fechou a porta do quarto, e deitou na cama de barriga para cima. Sentia um vazio em si. 

Fechou os olhos, mas não estava conseguindo adormecer. Rolou na cama a noite toda, tentando encontrar uma posição confortável. Não conseguiu, e sentou na cama.

Decidiu desenhar. Apesar de estar péssimo psicologicamente, fazia um tempo que o moreno não desenhava. Além de que o sono não estava nem perto dele. 

Ligou o computador, e conectou sua mesa no mesmo. Abriu o Paint Tool SAI, e começou a desenhar.

Tempo depois, percebeu que havia feito Ycaro. Na hora, ficou encarando o desenho, com vários flashbacks passando por sua cabeça. 

Abaixou a cabeça e respirou fundo. Começou a brincar com seus dedos, sem graça.

Ainda havia um vazio em seu coração. E estava doendo.


ו×


Dois meses haviam se passado. O loiro ainda estava deitado naquela cama de hospital, enquanto os outros dois já se recuperavam.

Não podia ir até o hospital. Sempre que ia, desmaiava por fome. Então, não o deixaram ir para ver o amado. 

Rodrigo já estava perdendo as esperanças. Seu peito estava dolorido. 

Todos os dias, seus amigos visitavam Ximenes. O confortavam, diziam que tudo iria ficar bem, e até mesmo traziam novidades de Ycaro.

Mas com o tempo, as novidades pararam. Até hoje.

O moreno se levantava, tomava um banho rápido e descia para a sala. Ficava encarando a porta. E sempre que a mesma era aberta, desejava que fosse Carlos entrando por ela.

Como todo dia, os oito entraram. Mas diferente de sempre, eles não estavam com sorriso no rosto. Estavam todos chorando. Rodrigo os olhou confuso. 

- Rodrigo...vamos até o hospital. O médico quer conversar com você - André falou, e Tawan o abraçou.

O de óculos não discutiu. Era algo relacionado a Ycaro, e o mesmo não havia visto o namorado a meses!

Após se vestir, desceu as escadas, e todos saíram da casa. 

Minutos depois, já estavam no hospital. O céu estava nublado, e em breve iria cair uma chuva daquelas.

Foram até o quarto do loiro, e lá estava o médico; com uma cara nada boa. Olhou para Rodrigo, e começou a andar, com o outro o seguindo.

Foram até a sala do médico, que se chamava Arthur. Quando chegaram, o mais velho fechou a porta e sentou de frente para o de óculos. 

- Você sabe que...Carlos está a dois meses nesse hospital, internado. Mas infelizmente, se ele não acordar em uma semana, eu terei que desligar os aparelhos - Falou, com um olhar triste - Eu sinto muito.

Rodrigo sentiu uma pontada em seu coração. Arregalou os olhos, e piscou várias vezes.

- T-tu tá falando sério? - Perguntou, e o médico assentiu.

- Me perdoe. Eu fiz tudo que eu podia - Respondeu - Eu vi o quanto você o amava. Mas infelizmente, ele não poderá passar de uma semana.

O mais novo se levantou bruscamente, com a visão embaçada por conta das lágrimas.

- Obrigado, de qualquer jeito - Murmurou, e saiu dali.

Em passos largos, chegou até o quarto do namorado. Lá estavam os amigos. Rodrigo os ignorou, e entrou no quarto, fechando a porta atrás de si.

Caminhou até parar do lado do corpo adormecido de Carlos. Segurou a mão do outro, e a apertou.

- Acorda, Ycaro...pelo amor de Deus - Pediu, soluçando.


~•~


"Acorda, Ycaro...pelo amor de Deus...".

Ouviu o loiro, e abriu os olhos, vendo o moreno ao seu lado. Sentou na cama, e percebeu que estava... invisível. Estava fora de seu corpo.  Estava se vendo, adormecido.

Ximenes chorava baixinho, encarando o rosto do loiro. 

Ycaro arregalou os olhos.

- Saiko, eu tô aqui! - Falou, e percebeu que sua voz estava fraca - Mas que...

Do nada, tudo ficou preto. Se viu caindo, e olhou para baixo.

- VALAMEUDEUS QUE ISSO - Gritou, e viu que iria cair numa luz branca.

Abraçou seu próprio corpo e fechou os olhos com força, esperando pelo impacto.


##-##


Já havia se passado uma semana. Faltavam menos de vinte minutos para desligarem as máquinas, e Rodrigo estava ali, do lado do amado.

- Ycaro...por favor, velho... - Soluçou - A-acorda...

- Faltam cinco minutos - Ouviu falarem, mas não soube quem foi.

Quatro minutos se passaram, e o de óculos estava abraçado ao corpo do outro. O olhou, e aproximou o rosto dos dois.

- Eu te amo - Sussurrou, e o beijou.

Para a surpresa de Ximenes, o beijo foi retribuído. Após se separarem, Rodrigo viu o loiro com os olhos abertos, e com um sorriso fraco.

- Ycaro!


Notas Finais


meus dedos estão congelando
eu devia ter terminado de dia pq socorro

nada a falar sobre isso

Twitter: @geralprotect

Bye <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...