1. Spirit Fanfics >
  2. Side >
  3. Você

História Side - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


YEY
faz muito tempo q n escrevo nossa to animada é isso n consegui colocar o Phel como personagem principal por ALGUM motivo q n sei qual
bjs

Capítulo 1 - Você


Fanfic / Fanfiction Side - Capítulo 1 - Você

Socar a cara de alguém sempre foi satisfatório para Sett, ainda mais se esse alguém for uma pessoa que atrapalha o seu "trabalho" nas ruas.

-Chefe, você conseguiria mais informações com a parede do que com esse cara... - um dos campangas de Sett dizia enquanto o ruivo socava o homem no rosto.

-Eu só quero dar mais alguns socos nele antes de ir pra verdadeira diversão...

-Vai encontrar meu irmão hoje ou amanhã?

Uma voz feminina ecoou no beco em que Sett estava com seus rapazes, a luz de fim de tarde dava destaque para a silhueta feminina que se aproximava.

Era Alune, uma das informantes mais confiaveis de Sett, e, sua cunhada.

-Ele te contou? - Sett jogou o homem desmaiado no chão.

-Claro que contou, ele é meu irmão. - ela o entregou um pano. - Tome cuidado com ele, você sabe que ele odeia ficar longe de casa.

-Ele odeia ficar longe de você! - Ele riu jogando limpando as mãos ensanguentada.

-Se você fizer alguma coisa com ele eu vou saber! - Ela me olhou séria - Coisa de gêmeos.

-Claro, claro...

Sett conversava com Alune, distraído, não percebeu que o homem que socou tentava agarrar seu pé e lhe puxar para baixo. Quando o homem finalmente alcançou o tornozelo do ruivo, Sett se virou com nojo para o homem.

-Que bom que você ainda está vivo, alguém vai cuidar de você enquanto eu estiver fora!

Sett se virou para Alune e ela suspirou.

-Quer apenas informações? - ela andou em direção ao homem.

-Você leu minha mente?!

Alune se virou para Sett com o olhar de "vá encontrar meu irmão". O ruivo entendeu o recado e saiu do beco indo em direção ao seu carro, entrou e olhou no relógio, vendo que estava quase no horário da saída da faculdade de Aphelios, ele acelerou o carro.

Ao chegar no prédio da Universidade, ele abaixou o vidro do bando do passageiro para procurar o garoto de um jeito mais claro. Mas ao ouvir uma batida na seu vidro ele desvia o olhar para a direção do barulho que chamou sua atenção. Aphelios estava do outro lado do vidro. O ruivo abaixou o vidro sorrindo.

-Eu não vou deixar você dirigir, Phel.

Sett esboçava um sorriso malandro no rosto enquanto o outro garoto mostrava a língua para ele. Aphelios deu a volta no carro para entrar no carro, sentou, jogou sua mochila na parte de trás do carro e fez um carinho no cabelo de Sett antes de colocar o cinto.

-Tá pronto? - Sett.

O garoto apenas concordou com a cabeça e sorriu animado. Então, Sett começou a dirigir.

-Hoje foi a última prova no semestre, não foi? Como você acha que se saiu? - o ruivo perguntou.

Aphelios apenas fez uma careta mas sorriu logo em seguida fazendo seu companheiro gargalhar um pouco.

-Foi tão ruim assim? Você é tão esperto, Phel, com certeza você se saiu bem!

O garoto, envergonhado, escondeu o rosto com as mãos abafando sua risada também.

-Hoje eu encontrei com sua irmã no trabalho, ela está preocupada com você, mande uma mensagem pra ela depois. -Sett apontou para o celular - Acho que preciso mandar um "alô" para mamis também, ela está tão preocupada esses dias...

O moreno olhou para Sett levemente sério, como sua irmã fez mais cedo.

-Não adianta me olhar assim, cara de lua! - ele gargalhou.

Aphelios também se preocupava com Sett, sabia que ele entrou nessa vida da máfia muito cedo só para ajudar sua mãe e ter um teto, mas mesmo assim ele sentia um calafrio sempre que o ruivo comentava sobre o trabalho.

-Você precisa para de pensar, Phel...

O moreno deu um pulo ao perceber que estav distraído com os próprios pensamentos.

-Eu estou bem, mamis está bem, sua irmã está bem e você também está... - ele sorriu - todos estamo seguros.

Sempre que Sett falava isso, o garoto se recusava a acreditar por completo, sempre tinha a sensação de que algo aconteceria a qualquer momento destruído tudo o que está "seguro", ele queria ficar pronto para quando o mundo dele desmoronasse novamente.

-Ta, ta bom, já chega! É para ser um final de semana perfeito, nada de caras tristes aqui!

Aphelios sorriu para Sett e ele retribuio com outro sorriso. Ele o amava tanto.

Sett continuo conversando com Aphelios durante o caminho até seu chalé no topo de uma montanha. Ao chegarem, o ruivo pegou as mochilas enquanto o moreno caminhava até a porta da frente do chalé, que abriu com a chegada do garoto. Um senhorio apareceu então do lado de dentro da casa, Phel olhou assustado para Sett que por sua vez apenas sorriu. O senhorio pegou a mão de Aphelios e levou para dentro do chalé bem decorado e aquecido, até que parou na frente de uma porta, o senhorio a abriu para o garoto que teve uma surpresa ao ver o tamanho do quarto.

-Já conheceu nosso quarto, Phel? - Sett surgiu atrás do garoto. - Entra logo!

Phel se jogou na cama enorme e macia do quarto e se afundou nela. O ruivo apenas riu dispensando o senhor que os acompanhava e cuidava do chalé. Agora era apenas os dois.

Sett colocou as mochilas em cima de um sofá e deitou na casa junto com Phel que se virou para ele.

-Gostou?

O moreno fez que sim com a cabeça.

-Ainda bem! Eu estava meio receioso de trazer você para longe da sua irmã, sei que você é grudado nela...

Phel afagou a cabeça de Sett e o maior respondeu como um cachorrinho após ser chamado de "bom garoto". Aphelios se divertia com esse lado do seu amante, sempre na frente dos outros ele era o lobo líder da alcatéia, o alfa, mas apenas com e sua mãe, Sett conseguia se desmanchar e deixar de ser pelo menos um pouco menos "lobo".

Após ambos ficarem se mimando um pouco, Sett decide levantar da cama e pegar Aphelios no colo, o que acabou o assustando um pouco.

-Vamos tomar banho, Phel...

O sorriso malicioso de Sett fez a espinha de Aphelios formigar de nervoso e ele pode sentir seu rosto ficar totalmente vermelho. Óbvio que ele esperava essas atitudes de Sett, não era a primeira vez deles, mas ainda assim ele sempre se sentia envergonhado e tímido.

Após chegarem no banheiro Aphelios observou um chuveiro e uma banheira, e notou principalmente que a banheira ja estava cheia de espuma. Sett colocou o parceiro sentado na pia e sorriu pra ele.

-Você está vermelho, Phel. - Sett começou a tirar a própria blusa - Apenas um banho, ok?

O moreno, ainda sentado na pia, observou o garoto tirar todas as peças de roupa que vestia uma por uma até ficar nu e entrar na banheira cheia de espuma, em seguida fazendo um sinal de "vem aqui" para Phel.

O garoto desceu da pia e cobriu os olhos com a mão e depois apontou para Sett, o ruivo sorriu e colocou a mão nos olhos respeitando o desejo do seu parceiro.

Após sentir a água da banheira balançar e o barulho de alguém entrando nela, Sett sorriu.

-Posso te ver agora? - o ruivo tirou a mão dos olhos lentamente.

Ele conseguiu ver seu namorado na sua frente encondendo seu corpo na espuma da banheira e com o rosto completamente vermelho. Era uma visão linda para Sett.

Aphelios desviava seu olhar mas sentia suas bochechas queimarem com os olhares de Sett, o que fazia ele se sentir tonto. Então sentiu pequenas bolhas estourarem em seu rosto.

-Apenas um banho, Phel. Não vou fazer nada que você não queira... - o ruivo abriu os braços chamando o garoto.

Aphelios venceu a timidez e o nervosismo indo até os braços de Sett e se sentou encostando sua costa ao peitoral do ruivo, sem perder tempo, o maior abraçou o garoto pela cintura o prendendo ali. Phel sentia q ia desmaiar, mas lutou contra isso, tentando relaxar descansando a cabeça no braço do outro.

Eles então ficaram nessa posição por um tempo, até Sett começar a beijar o pescoço de Aphelios.

-Você ta tão relaxado, Phel... - ele distribuía pequenos beijos no pescoço exposto do namorado - Está tudo bem?

O garoto, apenas inclinou mais a cabeça para que ganhasse mais beijos em seu pescoço. Sett entendeu o recado.

Diversos beijos leves foram distribuídos naquela região do pescoço de Aphelios, até que o desenho foi subindo e lambidas também foram depositadas da região.

O menor sentiu um formigamento e conteve seus gemidos, que obviamente, expressavam o quanto ele queria Sett.

Ele virou levemente o rosto para Sett que o olhou com desejo e depositou um pequeno beijo no canto do seus lábios. Aphelios se desgrudou um pouco do peitoral do seu parceiro e agora invés de ficar de costas ele estava na frente de Sett. O maior ainda com as mãos na sua cintura o puxaram para perto do corpo de Sett novamente, fazendo Phel colocar os braços em volta do pescoço do maior, retribuído o beijo no canto dos lábios agora com um que selou seus lábios.

Aphelios sabia ser ousado e Sett, bom, Sett amava esse lado no seu namorado. As línguas dos dois se encontravam e disputavam espaço em um beijo quente e excitante que partilhavam. Phel já podia sentir seu pênis pulsar. Sett se sentia da mesma maneira.

Ainda presos no beijo apimentado, Sett desceu a mão que estava na cintura de Phel até a sua bunda a apertando fazendo o garoto dar um pulo e soltar um pequeno gemido no meio do beijo que fez Sett sorrir.

-Droga Phel, era apenas um banho!

O ruivo o beijou novamente enquanto apertava sua nádega, fazendo o moreno soltar pequenos gemidos no meio do beijo. Cansado de ficar apenas na bunda de seu namorado, ele decidiu arriscar indo com a mão até seu pênis que já estava ereto. Ao colocar a mão na base de seu mebro, Phel deu um pequeno salto ficando de joelhos na frente de Sett que estava com uma mão em seu pênis e a outra em sua cintura que subia a procura de seus mamilos endurecidos por causa da euforia.

-Fique nessa posição, Phel. - O ruivo disse segurando o menor.

Phel se ajeitou segurando nos ombros de Sett enquanto não perdia tempo marturbando o companheiro e lambia um do seus mamilos enquanto passava o dedo em outro. Aphelios tentava manter a postura e abafar seus gemidos, mas parecia uma tarefa impossível desde o momento em que Sett começou a masturbação.

O movimento de vai-e-vem da mão de Sett era mais que o suficiente para fazer Aphelios delirar e se contorcer de prazer, e sempre que ele tinha pequenos espamos, Sett diminuía a velocidade tentando impedir que o garoto gozasse.

-Me diga, Phel, você está no seu limite?

O garoto mal conseguindo controlar suas reações batalhou para responder que sim com a cabeça.

-Você quer gozar?

Ele respondeu que sim novamente

-Então peça.

A cabeça de Aphelios borbulhou de tesão, amava quando Sett o tratava como uma cadelinha no sexo.

-Vamos, Phel, se você não pedir eu não vou poder deixar você terminar...

Phel se contorceu em meio as perturbações que ficavam rápidas de acordo com aa provocações de Sett, o garoto se abaixou até a orelha de Sett e segurou firme sua cabeça pq ja sabia o que vinha pela frente.

-Me deixe gozar, Sett...

-Por favor?

-Por favor! - Phel ja não aguentava mais.

-Repete tudo agora.

-Me deixe gozar, por fav... - Phel sentiu seu clímax chegando - Merda!

Sett viu o que estava acontecendo e não relaxou na velocidade dessa vez, na verdade, ele a aumentou, mas antes ordenou.

-Termine a frase, Aphelios.

Aphelios não conseguia se controlar mais, muito menos ouvir a voz de Sett, ele apenas segurou firme na cabeça do ruivo e curvou as costas quando sentiu seu gozo finalmente saindo junto com um gemido que soou como música para Sett.

-Você me desobedeceu, Phel... - Sett disse tirando a mão do pênis de Aphelios - Que garoto mau...

Aphelios sentiu sua cabeça borbulhar novamente. O ruivo saiu da banheira pegando Aphelios no colo novamente e saiu do banheiro molhando todo o local. Sett sentou o garoto na cama fazendo final para que ele esperasse, não que k garoto fosse capaz de fugir para qualquer lugar naquelas condições, o ruivo foi até o armário do quarto e pegou uma caixa levando até a cama. Quando abriu, tirou de dentro uma algema felpuda de cor preta, Aphelios ja sentia o que vinha pela frente, e que aquela cama, serviria para tudo menos para dormir.

-Eu não gosto de ser desobedecido, Phel. - Sett pegou uma das mão de Aphelios e algemou. - Eu preciso te mostrar quem manda aqui!

Após essas palavras, Sett prendeu ambas as mãos de Aphelios nas algemas e o empurrou na cama. Ainda pegando itens de dentro da caixa, ele puxou um frasco de lubrificante o abrindo rapidamente.

-Empine a bunda para mim.

Aphelios se mexeu com dificuldade por está com a algema em volta de uma coluna da cama, mas conseguiu levantar sua bunda para Sett.

-Apenas quando eu mandar, entendeu?

O garoto fez que sim com a cabeça.

-Entendeu?

-Sim, Sett... - Aphelios falou.

Após seu nome ter saindo da boca de seu amante, Sett derramou um pouco do lubrificante que tinha no frasco nos dedos e deixando cair um pouco nas costas e na bunda de Aphelios fazendo ele se contorcer um pouco.

Sett então colocou um dedo dentro de Aphelios o fazendo soltar um pequeno gemido. Começou a fazer movimentos de gancho com o dedo para achar o ponto de prazer do moreno, que servia como um excelente guia com os seus gemidos. Após encostar em uma aérea, viu Aphelios saltitar e soltar um gemido um pouco mais forte, tocou no mesmo lugar para garantir que estava no local certo, e ele realmente estava.

-Eu vou colocar mais um, então não goze ainda...

Sett sentiu mais de um dedo penetrar ele, ele podia ter certeza que não eram apenas dois dedos e sim três, o que o fazia gemer de dor agora, que logo sumiu quando sentiu a mão de Sett em seu pênis novamente.

Masturbando novamente o garoto, Sett também se concentrou nos dedos que mantinha dentro do garoto, o fazendo soltar gemidos um pouco mais altos.

-Phel, não esqueça de pedir...

Aphelios delirava novamente, mas agora estava concentrado, queria fazer bonito na frente de seu namorado. Com a euforia subindo o moreno gemia cada vez mais alto e tinha cada vez mais espamos. Estava chegando a hora.

-Sett, me deixa gozar, por favor... - Phel falou baixo.

-Eu não entendi. - Ele havia entedido, mas queria "mal tratar" o garoto.

-Eu preciso gozar... -O garoto gemeu. - Sett, por favor, por favor, me deixa gozar...

-Deixa eu pensar, ... - Sett acelerou a masturbação e a penetração com seus dedos fazendo Aphelios perder a noção - Não consegue mais segurar?

-Sett, eu imploro!

-Sendo assim... -A mão de Sett foi parar na cabeça do pênis de Aphelios. - Não. Não quero que você goze agora!

-O que, espera... -Ele foi interrompido por um gemido.

Apesar de ter ordenado que Aphelios não gozasse, ele continuou penetrar o garoto e voltou a masturbar ele, deixando ele completamente desesperado tentando segurar seu clímax.

-Sett, por favor, eu não consigo segurar mais...

-Aguenta aí, Phel...

Apesar de lutar contra seu clímax, foi em vão, ela acabou gozando novamente. Mas, Sett não parou com as masturbações fazendo o pobre menino ficar louco.

-Você gozou, Aphelios?

-Sett, por favor!

-Estou um pouco decepcionado! -Ele disse ainda marturbando o garoto - Eu preciso punir você.

-Sett!

O moreno não se aguentou e acabou gozando novamente, com um jato um pouco mais fraco por ainda está se recuperando. Sett sorriu e parou.

Aphelios jogou o rosto ofegante e cansado na cama, e quando foi derrubar os quadris, Sett o segurou com a mão.

-Eu ainda não puni você, espertinho!

Aphelios olhou para a mão de Sett e viu um chibata preta.

O ruivo depositou com força 3 vezes na bunda de Phel, o fazendo tremer de dor e prazer ao mesmo tempo. E depois depositou mais 3.

-Aprendeu sua lição, Phel? - Sett perguntou se aproximando do ouvido de Aphelios.

-Aprendi. - Falava o garoto ofegante.

-Estou orgulhoso.

Sett desprendeu Aphelios e ele se jogou na cama, mas Sett estava em pé na frente dele com o mebro totalmente em pé.

-Eu não gozei ainda, Phel, ja você gozou quase 4 vezes...

O garoto entendeu o recado e se sentou na frente do parceiro, colocou uma das mãos na base do pênis de Sett e a outra ele usou para se segurar. Antes que Aphelios pudesse começar, ele ouviu o barulho de uma corrente e depois olhou para a mão de Sett que segurava com força a corrente. Ele então puxou em sua direção fazendo Aphelios levantar em direção a Sett, fazendo Aphelios se sentir confuso sobre como aquilo foi parar em seu pescoço.

Sett o puxou para si dando um beijo quente e picante em Aphelios que não parava de ter pequenos espamos consequentes dos orgamos que teve. Sett deixou o garoto livre para sua tarefa.

Phel, com uma mão segurou o mebro e o pós na boca fazendo Sett soltar um gemido abafado. O garoto ia com calma, passando a língua por todo o membro do companheiro e dando pequenos beijos até em sua glande. Parando de lamber por um momento, decidiu fazet um movimento de vai-e-vem com sua boca e com a ajuda da suas mãos pegar o membro super dotado de Sett.

-Porra! Aphelios!

Ouvir Sett chamar seu nome em meio a gemidos era algo maravilhoso a ser ouvido, o garoto aumentava sua velocidade apenas para ouvir mais, mesmo com o pênis batendo em sua garganta, ele fazia de tudo para ouvir mais.

Mais alguns minutos Sett puxou com força a corrente para si, fazendo Aphelios consumir seu pênis quase todo com a boca.

-Merda!

O jato foi direto na garganta do Aphelios que quase se engasgou com o pênis de Sett. O ruivo tirou o pênis da boca do menor e pode ver ele completamente sujo e cansado. Mas Sett ainda não estava disposto a parar.

Ele pegou uma camisinha na caixa que pegou antes e colocou em seu pênis, Aphelios tirou a coleira de si mesmo e jogou no chão se deitando na cama.

-Você me enlouquece, cara de lua...

Sett se posicionou em cima de Aphelios e tentou colocar devagar o pênis dentro do garoto que se agarrava nos travasseiros da cama tentando esconder o desconforto. Dedos eram completamente diferentes do pênis de Sett.

Sett começou a se mexer devagar tentando dar um pouco de conforto para Aphelios, que parecia impossível, ja que estava doendo ainda.

-Ainda doi?

-Um pouco, mas continue...

Sett iria parar se sentisse que não estava bom para Aphelios, ele conhecia os limites do garoto. Mas, felizmente, com o passar do tempo Phel se acostumou. Fazendo Sett aumentar os movimentos.

Aphelios ainda com o resto de força que tinha, usou para derrubar Sett na cama e montar em cima dele, calvangando que na visão se Sett era uma obra prima.

-Você não tem jeito, Phel... - Sett sentiu que logo iria gozar - Merda...

Aphelios continuou quiquando e respeitando os limites do próprio corpo. Até que Sett o ajudou empurrando também.

Sett se concentrava no rosto erótico de Aphelios cavalgando em cima dele com o rosto completamente sujo do seu gozo e completamente vermelho.

-Phel, você é lindo...

Essas palavras fizeram Aphelios parar por um momento e logo depois despertando com mais uma estocada de Sett.

-Deixa comigo agora!

Sett voltou a ficar por cima, estocando cada vez mais forte fazendo Phel gemer mais alto, quase gritando.

-Aphelios, eu...

Antes a Sett pudesse terminar a frase, ele gozou. Phel suspirou e colocou a mão no rosto de Sett.

-Eu amo você.

A voz cansada de Phel passou pelos ouvidos de Sett o fazendo sorrir.

-Eu amo você, Phel...

Sett depositou um beijo na testa de Aphelios, depois ajudou ele a se limpar. Sett pegou Aphelios e o deitou na cama e cobriu ambos com um lençol.

-Eu amo você, Sett...

-Eu também amo você.

O garoto adormeceu nos braços de Sett que acariciava seu rosto. Logo, também pegou no sono.

Assim termina a primeira noite deles naquele chalé calmo e aquecido de amor.


Notas Finais


Yey
Sim
(50 favs e eu posto continuação, se flopar é isso)
OBRIGADA POR LER
♡♡♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...