História Side Effects - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Seo Chang-bin
Tags Changlix, Drama (tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Lgbt, Minsung, Seungjin, Shoujo Romântico, Yaoi Gay
Visualizações 23
Palavras 1.044
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi? minha primeira história! espero que gostem <3 por favor, deem uma olhada nas notas finais! obrigada!

Capítulo 1 - Prólogo


Minho fitou os próprios pés, seus olhos abertos em surpresa e desespero enquanto estava encostado na porta do quarto, seu rosto pálido. Ele tentava sentir alguma coisa, qualquer coisa que dissesse que sua alma gêmea estava viva, um mínimo rastro para se sentir feliz novamente. Ele precisava sentir uma respiração, ouvir uma voz, ver um rosto, mas nada acontecia. Com as pernas trêmulas, fez seu caminho para o banheiro, encarando-se no espelho retangular. Minho conseguia sentir sua própria pulsação aumentando e lágrimas caindo de seus olhos sem cessar. Na sua família, todos tinham um par, alguém que poderiam chamar de seu, mas ele só tinha o vazio incomum e agonizante no peito, como se alguém que ele amava tivesse o deixado sem despedidas. A sensação era horrível e martelava sua cabeça, deixando-a dolorida e fazendo tudo girar.

Desde criança, ele ouvia as histórias de amor de seus pais, tios, avós, primos mais velhos, amigos da família, vizinhos e basicamente todos em sua proximidade, e todos estes pequenos contos de fadas o faziam sonhar em saber como seria sentir a mistura de sensações e a queimação gostosa no fundo da garganta quando soubesse quem era sua outra metade. Porém, o momento era diferente e sua realidade fora mudada sem avisos, sem que ele sequer pudesse ter uma chance de fazer algo a respeito.

Naquela noite de Agosto, Minho chorou a noite inteira, sem nem mesmo sentir quando dormiu. Ele estava sobrecarregado por essas emoções difíceis e dolorosas, e ele só precisava de um colo e ouvir que tudo, no fim, ficaria bem.

 

 

A manhã seguinte passou rápido, e Minho se viu na porta do melhor amigo logo no primeiro horário da tarde, não se sentindo realmente pronto para dizer nada, mas ele precisava de suporte e se sentir amado, sentir nem que fosse um pouco de proteção. As pessoas geralmente lhe taxavam de frio e desapegado quando, na verdade, ele era o contrário. Minho está sempre necessitando de amor, é carente e cheio de gracinhas, fofura e tudo que tem direito. Seus amigos mais próximos dizem que ele é um bebê. Na maioria das vezes, quem o mima além da conta por causa disso é Changbin, o amigo mais rabugento, gótico e obscuro (palavras do mesmo) de Minho. E agora, antes que pudesse bater, a porta é aberta, revelando Hyunjin, seu outro melhor amigo que já parecia imaginar que algo havia acontecido. Ele é incrivelmente bom em sentir se algo está certo ou não, e até mesmo saber coisas que vão acontecer exatamente como no momento atual: um amigo precisando de si. Assim, no entanto, ele abraçou Minho como se fosse o último contato que teriam, e isso fez com que o Lee se permitisse chorar mais um pouco e liberar o peso em suas costas. E desmanchando-se nos braços do mais novo, eles entraram na casa e Changbin já vinha apressadamente da cozinha com um copo de água, carregando também uma expressão de cachorrinho que queria chorar. Minho sabe que ele tem problemas quando o assunto é toques e conselhos, contato e demonstração física de amor, por isso, apreciou quando o mesmo enconstou a cabeça nas suas costas e envolveu o próprio corpo no seu numa forma de tentar amenizar sua dor. Não houveram perguntas nos minutos que se passaram e o Lee se sentiu grato por isso, ele ainda não estava pronto, ele não se sentia pronto.

 — Min, meu irmão disse que vai sair para trabalhar durante a madrugada e meus pais ainda estão na casa da minha vó para cuidar dela… Então se você precisar de um tempo, pode ficar aqui, posso te colocar no quarto que era do hyung. — Seo disse. Ele estava tremendo um pouco e isso sempre acontece quando ele está se sentindo sobrecarregado ou quando o clima está tenso demais. Changbin é totalmente oposto a aparência que vende por aí. Ele é sensível, adorável, tagarela e sorridente. Sempre diz que as roupas que usa são confortáveis e ele não gosta das pessoas da escola e igreja, portanto não se sente confortável para ser quem realmente é. — Não pense que vai ser problema ou incômodo, posso te acomodar aqui!

Hyunjin, no canto do sofá e com Minho em seus braços, balançou a cabeça e passou a mão pelos cabelos longos antes de se pronunciar: — Ligue pra sua mãe e diga que vai passar uns dias aqui, quando se sentir pronto, volte e conte o que quer que tenha acontecido pra ela. Sei que, se for o que eu estou pensando, é importante pra você, então eu particularmente acredito que seja melhor, mas isso é sobre você, então faça o que achar certo. 

Hyunjin, diferentemente deles dois, era quieto, observador, desconfiado (muito mesmo), protetor e quando preciso, desbocado e cínico. Algumas pessoas da escola o chamavam de alfa, o que parece estranho (e é, na opinião do mesmo) porque ele tem certo instinto protetor e uma aura autoritária, que o fez tornar a dizer que isso era completa bobagem e ele não fazia nada além de ser uma pessoa gentil com quem ama. Todos esses fatos se deram raízes pelo fato de que o Hwang sofreu muito nas mãos de pessoas que se diziam seus amigos quando eram homofóbicos e transfóbicos tentando discriminá-lo e humilhá-lo, por isso, hoje ele não faz amizades facilmente (sequer tenta manter contato com as pessoas que não conhece) e só consegue confiar piamente em Changbin e Minho, porque ambos foram os únicos a abraçá-lo no pior momento de sua vida, e ele jamais irá deixar que algo aconteça com eles, nem mesmo que isso custe sua vida.

Hyunjin era o anjo da vida de Minho, ele poderia dizer, e Changbin era sua jóia rara, uma peça insubstituível. E Minho só precisava deles, no final de tudo. Agora, sentado no sofá, sem muito que dizer e sem muitas opções, ele escolheu por deitar-se no peito do mais novo, fungando e com os olhos doendo com o inchaço. Changbin estava logo no enlaço deles, mantendo-os quentes naquela tarde ventosa e fria. Os três garotos assistiram seriado enquanto comiam salgadinhos e doces feitos por Hyunjin. Pela primeira vez dentro daquelas vinte e quatro horas tortuosas, Minho se sentiu tranquilo, sem sequer saber que toda essa calmaria duraria pouco.


Notas Finais


o plot dessa história é extenso e o desenvolver dela talvez seja mais lento ainda, então tenham paciência! eu quero trazer várias coisas para essa fanfic e espero alcançar o meu objetivo com a mesma.

talvez tenham alguns avisos sobre como o capítulo vai ser, estejam atentes quando virem um "[TW]" que significa que há conteúdo sensível, okay?

(eu sou mais fã de fluffy então vai ser raro, okay? fiquem calmes!)

beijos, até logo!

agradecimento especial ao meu melhor amigo, isaac (@kissinjun), por me apoiar em tudo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...